Subscribe:

31 de julho de 2015

Delator que acusou Cunha também fez repasse à Assembleia de Deus



© Fornecido por Notícias ao…
O lobista e delator da Lava Jato, Júlio Camargo, repassou R$ 125 mil para a igreja evangélica Assembleia de Deus Ministério Madureira, em Campinas (SP). A informação consta da quebra de sigilo bancário da empresa Treviso, utilizada por Camargo para repassar propinas no esquema de corrupção na Petrobras revelado pela Lava Jato. Nem o pastor da igreja nem a defesa de Júlio Camargo quiseram dar explicações sobre o repasse.
Laudo da Polícia Federal aponta que a quantia foi repassada entre 2008 e 2014, sem detalhar se o valor foi pago de uma só vez ou em parcelas. A movimentação é a única feita no período pelas duas empresas de Júlio Camargo (Piemonte e Treviso) que teve como destino uma instituição religiosa.
O repasse mostra que o delator, que disse à Justiça ter sido pressionado pelo presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) a pagar propina de US$ 5 milhões, também repassou dinheiro para uma igreja simpática ao deputado expoente da bancada evangélica.
Culto
Em fevereiro deste ano, Cunha chegou a participar de um culto de mais de duas horas em comemoração a sua eleição para a Presidência da Câmara junto com outros políticos na Assembleia de Deus Madureira, no Rio de Janeiro. Na ocasião ele declarou ter trocado a Igreja Sara Nossa Terra pela Assembleia de Deus Madureira. A bancada evangélica foi uma das que mais apoiaram Cunha na eleição para a Presidência da Câmara.
O presidente da Assembleia de Deus Madureira no Rio, pastor Abner Ferreira, contemplou o presidente da Câmara no culto. "O Satanás teve que recolher cada uma das ferramentas preparadas contra nós. Nosso irmão em Cristo é o terceiro homem mais importante da República", disse o religioso na época. Abner Ferreira é irmão do pastor Samuel Ferreira, que preside a Assembleia de Deus no Brás, em São Paulo, e aparece no registro da Receita Federal como presidente da Assembleia de Deus Madureira em Campinas, que recebeu os R$ 125 mil da empresa de Júlio Camargo.
Réu na Lava Jato, Júlio Camargo fez acordo de delação e admitiu a existência do cartel de empreiteiras que atuava na Petrobras e também ter utilizado suas empresas para operar propinas aos executivos da estatal indicados por partidos políticos. Sua empresas também fizeram doações oficiais para campanhas de políticos em 2010 e 2012 que totalizaram R$ 1 milhão. Dentre os que receberam recursos estão o líder do governo no Senado, Delcídio Amaral, que recebeu R$ 200 mil em 2010, e a senadora Marta Suplicy (sem partido), que recebeu R$ 100 mil também em 2010. Também foram feitas doações de R$ 150 mil ao diretório nacional do PMDB.
Defesa
A reportagem entrou em contato com a assessoria do pastor Samuel Ferreira, que informou que ele não iria se manifestar sobre o caso. A defesa de Júlio Camargo também não quis comentar a transação.
A reportagem também telefonou para o celular de Eduardo Cunha, que não atendeu. Com informações do Estadão Conteúdo.

Msn

Dilma veta extensão de regra de ajuste do mínimo para aposentadoria

Governo era contra regra para aposentados.
Senado havia aprovado modelo no início de julho

 A presidente Dilma Rousseff vetou a extensão da política de reajuste do salário mínimo, que consiste na variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores, mais a inflação, para todos os aposentados do INSS.
O veto foi publicado na edição desta quinta-feira (30) do "Diário Oficial" da União. A presidente sancionou a lei que prorroga até 2019 a regra para aumento do salário mínimo e, alegando inconstitucionalidade, rejeitou o dispositivo que estenderia o cálculo para benefícios da Previdência.
A medida volta agora à avaliação do Congresso Nacional. Ela havia sido aprovada pelo Senado no início do mês. Como foi votada sem mudanças em relação ao texto aprovado pela Câmara, seguiu para sanção presidencial.
Segundo o texto sancionado, o mecanismo de atualização do salário mínimo continuará a ser calculado com a correção da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior, mais a variação do PIB, que mede o crescimento da economia, de dois anos anteriores.
A Medida Provisória (MP) foi editada em março pela presidente Dilma Rousseff, mas não incluía a extensão da regra para aposentados, alteração que foi feita na Câmara por meio de emenda.
O governo foi contra a mudança porque alega que esse reajuste para aposentados e pensionistas poderia comprometer as contas previdenciárias. Atualmente, esses benefícios são corrigidos apenas pela inflação. Segundo o ministro Carlos Gabas (Previdência), a alteração geraria R$ 9,2 bilhões em gastos extras por ano – sendo R$ 4,6 bilhões em 2015.
Discussões no Congresso
A votação no Senado foi marcada por diversas tentativas de governistas para impedir a aprovação da matéria com o trecho que contraria o governo. Inicialmente, os senadores José Pimentel (PT-CE) e Cristovam Buarque (PDT-DF) tentaram aprovar uma emenda para alterar o texto, o que faria com que o projeto voltasse à Câmara e não seguisse direto para sanção. A mudança, no entanto, foi rejeitada.
A emenda de Cristovam propunha que, ao invés de levar em conta o INPC, o índice para a correção do mínimo fosse o IPC-C1, relativo às famílias com renda mensal entre um e dois salários mínimos e meio. Cristovam discutiu com o senador Paulo Paim (PT-RS) de forma acalorada sobre a emenda (veja no vídeo). Paim acusou o pedetista de "trair" os trabalhadores, já que se a emenda fosse aprovada, o texto voltaria para nova análise da Câmara.

Depois da rejeição da emenda, o texto principal acabou sendo aprovado, conforme a Câmara votou e diferente do que o governo pretendia. Com esta derrota, o líder do governo, Delcídio do Amaral (PT-MS), tentou uma manobra regimental para adiar a análise da redação final da matéria. A votação da redação final é parte do trâmite no Senado e ocorre sempre após a aprovação do texto principal e da análise das emendas.

G 1

Lula comemora e debocha da demissão de centenas de trabalhadores, revoltando internautas


Os únicos jornalistas que continuam com ótimos empregos são os pagos com dinheiro público, ou seja, com nosso dinheiro, para apoiar este governo PT corrupto!








30 de julho de 2015

Carta Aberta a Apologista do CACP!


Rev. Marcelo Lemos

Caros leitores, este blog tem esforçado-se para ajudar a difundir no Brasil a tradição anglicana, conforme a recebemos dos Reformadores Ingleses. Reconhecemos, como se sabe, dos problemas que afetam o anglicanismo no mundo, em nada diferentes dos problemas que afetam outras tradições cristãs como a presbiteriana, luterana, católica, batista, e assim por diante... Mas também destacamos o maravilhoso esforço mundial em prol do Cristianismo Histórico que qualquer pessoa pode ver dentro desse mesmo Anglicanismo.

O leitor minimamente informado a respeito do Anglicanismo vai reconhecer grandes heróis dessa luta como Bispo Robson Cavalcante (Igreja Anglicana do Recife), J. I. Paker, John Stott, Free Church of England (também conhecida no Brasil como Igreja Anglicana Reformada do Brasil), GAFCON, Reformad Episcopal Church, Church Society, ACNA, AMIA, e daí por diante. Ainda assim podemos compreender quando o evangélico mediano simplesmente ignora tais fatos; mas, que dizer quando um renomado apologista evangélico, membro de um dos maiores centros de estudos apologéticos do Brasil, revela tanta ignorância sobre o papel e a teologia da Igreja Anglicana no mundo? 

A carta aberta que agora publicamos é endereçada ao pastor batista João Flávio Martinez, pesquisador ou escritor do CACP, e foi motivada por um postagem esdruxula do mesmo no Facebook. Vejam (acima) a postagem publicada pelo mesmo, e a baixo confiram nosso desagravo ao autor. Por fim, verifique uma lista de artigos que revelam as falsidades do autor.



Caro irmão Martínez, paz e bem!

Desconheço seu trabalho, bem como desconheço tua pessoa, assim, ainda que desejasse, não poderia dirigir qualquer observação sobre seu valor como pessoa, ministro do Evangelho, ou mesmo enquanto apologista e escritor. Um amigo de ministério, tão anglicano quanto eu, assegura que exceto por alguns exageros, o senhor é um bom apologista da fé cristã. Deus seja louvado! Mas, isso não te exime de culpa pelas desinformações que o irmão, tendo ou não intenção, publicou em seu perfil no Facebook.

Sua intenção, ao que parece, foi alertar os evangélicos quanto ao saudoso Rev. John Stott que, como eu, era anglicano. De fato, como você observa, os evangélicos geralmente amam os escritos deste nosso irmão, o que é maravilhoso, afinal, suas obras são impactantes, bíblicas e de fácil leitura. Oxalá Deus nos permitisse outros escritores como ele. Talvez com leituras desse nível começasse a nos faltar aqueles que fazem "campanhas" com réplicas do Muro de Jericó construídas de papelão... Alguns leitores da tua cidade entenderão a piada!

Mas, o amor dos evangélicos pelo autor não te obriga, evidentemente, a gostar de Stott, nem te impede de questionar esse ou aquele escrito seu, ou alguma doutrina ou costume do qual discorde. Nem te impede de questionar a tradição a qual pertencemos, o Anglicanismo. Aliás, se estiver interessado no combate ao liberalismo teológico e moral, terá nesse anglicano um fervoroso companheiro de lutas. Por outro lado, teria o irmão o direito de publicar informações imprecisas, ou mesmo falsas, a respeito da denominação do irmão John Stott? Eu creio que não! Ainda mais em se tratando de alguém que é membro do CACP, cuja responsabilidade com a exatidão dos fatos deveria ser maior. E é exatamente a essas desinformações ou inverdades que irei responder a seguir.

I

A primeira afirmação tua que precisamos analisar diz “Stott, teólogo anglicano, comemorado por muitos, mas servo de uma Igreja putrificada pelo pecado!”

Observo aqui sua tentativa de taxar Stott como estando em subserviência para com uma Igreja que você chama de putrificada pelo pecado. Como se Stott não fosse, como de fato é, uma das vozes mais poderosas dentro do Anglicanismo contra o liberalismo teológico e moral que ameaça nossa tradição reformada. Isso por si só, em minha opinião,  poderia classificar sua fala  como falso testemunho, calúnia e difamação. A menos, claro, que o irmão tenha informações que desconheço. Talvez você possa provar que ele calou-se, ou aprovou os aloprados da Teologia Liberal. E caso tenha essas provas, eu gostaria de conhecê-las. Mas, se não as tem, e digo que não lhe é possível tê-las, então sua tentativa de taxa-lo de “servo” de alguma denominação não passa daquilo que eu disse que é: falso testemunho, calúnia e difamação. Mas não digo que o irmão tenha tido essa intenção.

Agora, me é deveras estranho que um ministro batista chame outro ministro de “servo” de alguma denominação. O irmão, por acaso, considera-se um “servo da Igreja batista”? Espero que não! E não deveria ser mesmo! Somos servos, mas de Cristo, através de nosso serviço ao povo de Deus. E só. Então, devemos ser julgados não necessariamente pelo nome da nossa tradição cristã (batista, presbiteriana, congregacional, metodista), mas sim pela nossa conduta pessoal no Evangelho. Portanto, se o irmão tem alguma discordância com Stott, faria maior bem tratando-as teologicamente, e não difundindo falácias ou calúnias, mesmo se não tem tais intenções.

II

Observo, em segundo lugar, que quando o senhor define a Igreja Anglicana como “putrificada pelo pecado!”, estás a fazer uma generalização no mínimo covarde, e certamente desinformada. E podemos pegar o próprio Stott como exemplo, já que nós anglicanos temos nele um dos maiores exemplos de baluarte do cristianismo ortodoxo, e que não se dobrou aos avanços do liberalismo moral e doutrinário. 

Estou a negar que os liberais estão fazendo estragos? De forma alguma! E não são poucos, e para combater um câncer o primeiro passo é reconhecer a presença do tumor. Mas é falso médico aquele que para matar o câncer resolve dar um tiro na cabeça do paciente. E me parece estar tal covardia presente em sua esdruxula postagem no Facebook, caro irmão.

Aí me vejo pensando: é possível que alguém que antes de escrever precisa verificar os fatos, por ser apologista de renome, desconheça nomes como o da Diocese de Sidney, Robson Cavalcante, ACNA, GAFCON, FCE, REC, Church Society, e milhões de outros anglicanos? Sim! Eu disse milhões de anglicanos que integram o maior esforço organizado que o mundo já viu contra o liberalismo! Será que tal apologista desconhece tais fatos? Se conhece, então mente descaradamente em sua postagem na rede social. Se não conhece, melhor teria sido ficar calado. Seja como for, sua postagem não condiz com o esperado de um apologista, especialmente de um ligado a órgão tão importante quanto o CACP.

Concordo com uma coisa na postagem que o irmão publicou: meias-verdades são odiosas!

III

Sua terceira afirmação é ainda mais tosca, obtusa e falsa: “Igreja que o adultero Charles é o Papa”. Não leve para o lado pessoal, mas tem tanta inverdade em uma única frase que dá até preguiça de responder. Mas farei isso porque afirmações tais são não apenas inverídicas, mas também um desserviço para a causa do Reino.

Em primeiro lugar, caro apologista, a Igreja Anglicana não tem a figura de um Papa. Por isso cada província anglicana é autônoma e autocéfala, respondendo apenas a si mesmas, através de seus ministros ordenados e representantes leigos. Como apologista o irmão deveria saber disso, uma vez que resolveu abordar a questão com tamanha liberdade e [supostas] desenvoltura e autoridade. Seja como for, também pode ser que, ao contrário de mim,o irmão conheça quem é o Papa do Anglicanismo. Aguardo as provas de tão fantástica descoberta. Mas acho que vou esperar sentado, pois o Príncipe Charles, como você verá, não serve para o posto.

Tanto é verdade não termos Papa, que a Comunhão Anglicana a alguns anos publicou um documento proibindo as Igrejas nacionais de ordenarem pessoas que são homossexuais assumidas, e isso não impediu a província americana (TEC) de seguir em frente em seu desatino. Por outro lado, a atitude dos liberais americanos não impediu os conservadores de criar oGAFCON, para combater o mau pela raiz. 

E por falar em GAFCON, estamos trabalhando tanto contra o liberalismo em nossas fileiras que, segundo alguns analistas, a própria Comunhão Anglicana pode estar com os dias contados (até os liberais já admitem isso). Os liberais também admitem que a liberal americana TEC possivelmente está morta nas próximas décadas. Ora, meu caro, tivéssemos um Papa, o mesmo falaria e o resto ficaria calado, ou falaria as escondidas, e não criticando os rumos abertamente como fazemos - só não vê aqueles que, como o irmão, estão desinformados. Felizmente, nem todos os desinformados resolvem criticar o que desconhecem.
Em segundo lugar, pastor Martinez, o príncipe Charles não pode ser Papa da Igreja Anglicana, já que não temos essa coisa de Papa, compreende? Seria como procurar chifres em uma galinha, ou penas numa vaca. Há quem tente. Talvez o renomado apologista esteja se confundindo, e tentando falar de algo presente apenas na Igreja nacional da Inglaterra, a saber, que o Monarca inglês é considerado o chefe da Igreja. Isso é fato. Trata-se de um Lei Cível, que nasceu nos dias da Reforma Protestante, e cujo objetivo era impedir que o Papa interferisse na Igreja Nacional. Mas, como Lei meramente cívil, o Monarca Inglês não tem nenhum poder doutrinário sobre a Igreja. E mesmo que tivesse, você deveria chamar a Rainha Elizabeth de “papisa”, mas não seu filho Charles, que de Rei não tem nada, é apenas um Príncipe. Mas, como o irmão é historiador, talvez saiba mais sobre a Grã Bretanha que eu; só espero que mais do que conhece sobre Anglicanismo.

Um exemplo pode nos ajudar a tornar a inverdade “apologética” ainda mais patente: a atual Rainha da Inglaterra é uma mulher sabidamente conservadora e contrária ao casamento homossexual. Quando o Parlamento resolveu votar a questão ela foi a público e demonstrou sua opinião contrária, no entanto, o Parlamento foi em frente e aprovou o que bem desejava, no que foi seguido por alguns bispos (não por todos). Ora, belo Papa é a Rainha, meu caro! 

IV

“Uma Igreja que faz o catolicismo corar de vergonha pelas suas heresias!”. Essa sua quarta, e final afirmação sobre o Anglicanismo realmente revela o nível... Acabei de escrever, caro pastor Martinez, um pequeno livro chamado “Quem São os Anglicanos?”, e modéstia a parte, lhe faria um bem danado lê-lo, ainda que eu não tenha a pretensão de ser um escritor renomado como o irmão. Caso tenha interesse estou deixando o link para consulta e compra:


Sempre que vejo algum apologista da fé cristã afirmando coisas desse tipo fico pensando se o mesmo alguma vez já deu-se ao trabalhado de ler o que a doutrina anglicana ensina, em seus formulários oficiais. Estou falando, claro, dos 39 Artigos de Religião, do Catecismo Anglicano, e do nosso Livro de Oração Comum. Não vou nem perguntar se leu o Book of Homilies, que seria pedir demais. Porque, caso tenha lido qualquer um destes formulários, certamente terá encontrado neles a condenação formal para as heresias ensinadas pela Igreja de Roma.

Para não ficar apenas no meu desagravo vamos aos fatos. Leia comigo, amigo pastor Martinez, um dos nossos artigos de fé: “a doutrina romana relativa ao Purgatório, indulgencias, veneração e adoração, tanto de imagens como de relíquias, bem como a invocação dos santos, é uma invenção fútil e vã, que não se funda em testemunho algum da Escritura, antes repugna à Palavra de Deus”. Eu até diria que este é o Artigo XXII de nossa confissão de fé, mas alguém tão bem informado sobre Anglicanismo já saberia. Também saberá que há muito mais em nossos artigos afirmando a fé reformada e evangélica.

Pode ser, no entanto, que o senhor não esteja falando da nossa fé, que é Bíblica, mas sim do liberalismo teológico que nos ameça, assim como ameça todas as demais denominações ocidentais. Mas, ainda assim, seria responsável não incluir John Stott na bagunça, nem a maioria esmagadora dos anglicanos presente no mundo (mais de 90 milhões de cristãos), que juntamente comGAFCON declaram que a criação por Deus da humanidade como macho e fêmea, e o padrão imutável do casamento cristão entre homem e mulher como o lugar apropriado para a intimidade sexual e a base da família. Arrependemo-nos por nossas falhas em manter esse padrão, e conclamamos uma renovação do compromisso de fidelidade duradoura no casamento e de abstinência para os em celibato”e juntamente com o Revdm. Peter Jensen, ex-arcebispo da Diocese de Sidney, esperam que nosso trabalho “pode ser o começo de algo tão grande quanto John Wesley”. Mas, um apologista renomado do CACP não deve desconhecer fatos tão importantes a respeito daquilo que fala. Será que não mesmo?

Como é mesmo a afirmação em sua postagem? Meias-verdades são odiosas! Assim, não me alongarei mais, quem sou eu para ensinar padre a rezar missa!

Honestamente estou bem acostumado a encontra pessoas desinformadas a respeito da tradição anglicana, mas é muito triste quanto vemos tamanha desinformação, como a revelada no post pelo irmão publicado no Face, vindo de alguém tão presente na vida intelectual de tantos evangélicos. Ora, se um dos maiores órgãos da apologética evangélica brasileira tem em seu hall alguém que fala daquilo que não conhece, onde iremos parar?


Pessoalmente seu post não me deixou ofendido, apenas assustado. A ignorância sempre me assusta, ainda mais de pessoas das quais esperamos um pouco mais. O convite para que leia meu humilde livro é sincero, e caso queria um bate-papo amigável sobre o assunto, minha casa estará sempre aberta, bem como este site. Mas, se desejar comprar a briga em prol da ignorância e falta de informação, lamento dizer, tem anglicano cabra macho no Brasil, e o senhor terá de lidar com os fatos. 

29 de julho de 2015

Apoiado por Sérgio Moro, procurador da Lava Jato publica vídeo pedindo a Brasileiros para possibilitar penas severas a corruptos....




O procurador da República Deltran Dallognol, que integra o núcleo de operação da Lava jato publicou um vídeo pedindo assinaturas em apoio a um a projeto de iniciativa popular contra a corrupção.
“A corrupção sangra o nosso país. O Juiz Sergio Moro , os procuradores e os delegados da lava jato já assinaram. A Lava jato trouxe esperança , mas agora nós precisamos da sua ajuda. Vamos juntos construir um país mais justo”, disse ele. Os cidadãos podem assinar por meio do Site WWW.dezmedidas.mpf.mp.br. Vejam o vídeo.








27 de julho de 2015

Sheherazade diz que a justiça se aproxima do "xeque-mate" contra Lula e Dilma: Será uma bomba atômica; veja o video.



Rachel Sheherazade relatou na Jovem Pam Online, que  a justiça se aproxima de um "xeque-mate" contra o PT. A repórter ressalta a importância da delação de Ricardo Pessoa, da empreiteira UTC, a qual de acordo com ela, teria o efeito de uma "bomba atômica", de maneira a não deixar "pedra sobre.


24 de julho de 2015

BOMBA DE VEJA (2)! Pinheiro vai dar provas de que Lula patrocinou o petrolão e se beneficiou do dinheiro roubado!

Lula capa VEJAEis um trecho da reportagem-bomba de VEJA desta semana:
“Léo e Lula são bons amigos. Mais do que por amizade, eles se uniram por interesses comuns. Léo era operador da empreiteira OAS em Brasília. Lula era presidente do Brasil e operado pela OAS. Na linguagem dos arranjos de poder baseados na troca de favores, operar significa, em bom português, comprar. Agora operador e operado enfrentam circunstâncias amargas. O operador esteve há até pouco tempo preso em uma penitenciária em Curitiba.
Em prisão domiciliar, continua enterrado até o pescoço em suspeitas de crimes que podem levá-lo a cumprir pena de dezenas de anos de reclusão. O operado está assustado, mas em liberdade. Em breve, Léo, o operador, vai relatar ao Ministério Público Federal os detalhes de sua simbiótica convivência com Lula, o operado. Agora o ganho de um significará a ruína do outro. Léo quer se valer da lei sancionada pela presidente Dilma Rousseff, a delação premiada, para reduzir drasticamente sua pena em troca de informações sobre a participação de Lula no petrolão, o gigantesco esquema de corrupção armado na Petrobras para financiar o PT e outros partidos da base aliada do governo.
Por meio do mecanismo das delações premiadas de donos e altos executivos de empreiteiras, os procuradores já obtiveram indícios que podem levar à condenação de dois ex-ministros da era lulista, Antonio Palocci e José Dirceu. Delatores premiados relataram operações que põem em dúvida até mesmo a santidade dos recursos doados às campanhas presidenciais de Dilma Rousseff em 2010 e 2014 e à de Lula em 2006. As informações prestadas permitiram a procuradores e delegados desenhar com precisão inédita na história judicial brasileira o funcionamento do esquema de sangria de dinheiro da Petrobras com o objetivo de financiar a manutenção do grupo político petista no poder.
É nessa teia finamente tecida pelos procuradores da Operação Lava-Jato que Léo e Lula se encontram. Amigo e confidente de Lula, o ex-presidente da construtora OAS Léo Pinheiro autorizou seus advogados a negociar com o Ministério Público Federal um acordo de colaboração. As conversas estão em curso e o cardápio sobre a mesa. Com medo de voltar à cadeia, depois de passar seis meses preso em Curitiba, Pinheiro prometeu fornecer provas de que Lula patrocinou o esquema de corrupção na Petrobras, exatamente como afirmara o doleiro Alberto Youssef em depoimento no ano passado. O executivo da OAS se dispôs a explicar como o ex-presidente se beneficiou fartamente da farra do dinheiro público roubado da Petrobras.”
Tic-tac, Brahma, tic-tac…
Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

BOMBA DA VEJA! Léo Pinheiro entrega Lula e Lulinha! Pegaram o “chefe” do petrolão! Brasiiiiilllll!


A casa caiu para o “chefe”!
A VEJA desta semana revela uma bomba atômica – um míssil nuclear! – com exclusividade.
E este blog antecipa em primeira mão.
Lula capa VEJA
Reproduzo a chamada de capa: “Amigo de Lula, o empreiteiro Léo Pinheiro decidiu contar ao ministério público tudo o que sabe sobre a participação do ex-presidente no petrolão e como o filho Lulinha ficou milionário”.
Léo Pinheiro, que chama Lula de “chefe”, havia avisado.
Em abril, VEJA antecipou três bombas do presidente da OAS:
1) Induzido por Lula, o empreiteiro mandou reformar o sítio que está em nome de um sócio do filho Lulinha, mas que Lula diz ser seu.
* Veja AQUI.
2) Léo Pinheiro recebeu de um emissário de Lula a missão de arranjar serviço e dinheiro para o marido de Rosemary Noronha, a amante de Lula que ameaçava contar tudo que sabia dos esquemas do petista após ser abandonada.
* Veja AQUI.
3) Léo Pinheiro contou como Lula virou dono do tríplex no edifício Solaris, no Guarujá (SP), em uma das oito obras assumidas pela OAS depois da quebra em 2006 da Bancoop, então presidida por João Vaccari Neto.
* Veja AQUI.
Agora VEJA traz a história completa, com muito mais novidades. Não perca.
O Brahma não está numa fase muito boa, não.
alx_jose-aldemario-pinheiro-net-leo-oas-89-jpg_original
Obrigado, Léo

23 de julho de 2015

Lula busca FHC para discutir crise e conter impeachment


DE SÃO PAULO
MARINA DIAS
DE BRASÍLIA
RICARDO BALTHAZAR
EDITOR DE 'PODER'

23/07/201502h00

Pedro Ladeira - 29.jun.2015/Fabio Braga - 24.mar.2015/Folhapress
O ex-presidente Lula, do PT, e o ex-presidente Fernando Henrique, do PSDB
O ex-presidente Lula, do PT, e o ex-presidente Fernando Henrique, do PSDB
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva autorizou amigos em comum a procurar seu antecessor, o tucano Fernando Henrique Cardoso, e propor uma conversa entre os dois sobre a crise política. O objetivo imediato do movimento é conter as pressões pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.
Há cerca de duas semanas, amigos de Lula discutiram separadamente com ele e FHC a possibilidade de um encontro dos dois. Os contatos ocorreram às vésperas de o tucano viajar de férias para a Europa.
Lula disse a aliados que a conversa poderia ser por telefone e antes de Fernando Henrique viajar. O tucano preferiu deixar a definição de um eventual encontro para ser discutida depois que ele voltar ao Brasil, em agosto.
Não foi o primeiro aceno de Lula à oposição. Em maio, ele encontrou o senador José Serra (PSDB-SP) na festa de um amigo comum e disse que gostaria de marcar uma conversa reservada. Lula derrotou Serra na eleição de 2002.
Lula tem mantido somente os aliados mais próximos informados sobre essas conversas, e só avisou que procuraria Fernando Henrique na véspera de autorizar os contatos com o antecessor.
A intenção do petista é buscar um conciliador na oposição para tentar dissipar, pelo menos dentro do PSDB, as forças que trabalham pelo impeachment da presidente.
A crise que envolve Dilma aprofundou-se nas últimas semanas, com o avanço das investigações sobre corrupção na Petrobras, a crise econômica e a rebeldia dos aliados do PT no Congresso.
SEM INTERMEDIÁRIOS
Por meio de nota, a assessoria de imprensa do Instituto Lula afirmou nesta quarta-feira (22) que o ex-presidente não tem interesse em conversar com Fernando Henrique nem soube de nenhum interesse da parte do antecessor.
Por e-mail, Fernando Henrique disse à Folha: "O presidente Lula tem meus telefones e não precisa de intermediários. Se desejar discutir objetivamente temas como a reforma política, sabe que estou disposto a contribuir democraticamente. Basta haver uma agenda clara e de conhecimento público."
Serra não quis confirmar o conteúdo da conversa que teve com Lula em maio, e disse apenas que não tem nenhum encontro marcado com ele.
As informações sobre a movimentação de Lula foram confirmadas à Folha por integrantes do Instituto Lula e políticos de três partidos. Para a assessoria de Lula, "relatos anônimos" servem apenas para alimentar "especulação".
RADICALIZAÇÃO
A aliados com quem discutiu o assunto, Lula disse preferir uma conversa discreta com FHC. O petista tem procurado evitar que seus movimentos ampliem a radicalização do ambiente político.
Lula, que fez recentemente críticas ao modo como Dilma vem lidando com a crise, tem procurado agir como bombeiro e procurou líderes do PMDB, como o senador Renan Calheiros (AL), para conter os ânimos no Congresso.
O ex-presidente debateu com seus auxiliares durante meses a decisão de buscar reaproximação com os tucanos. Os petistas sabem que a radicalização da campanha presidencial do ano passado, em que Dilma atacou FHC, tornou mais difícil o diálogo com eles.
No PSDB, há dúvidas sobre a conveniência de uma conversa que tenha como tema a governabilidade de Dilma. Mesmo tucanos considerados moderados, que hoje são contra o impeachment, temem que um diálogo com o PT seja visto como conchavo e arranhe a imagem do partido.
O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), que foi derrotado por Dilma na eleição presidencial do ano passado, é visto pelos petistas como um dos principais obstáculos a qualquer tentativa de acerto entre os dois grupos políticos.

22 de julho de 2015

Repatriação de recursos desviados

 Rô Moreira


Existe um projeto de lei de autoria do senador Randofle Rodrigues (PSOL-AP) de repatriação do dinheiro mandado para fora do país sem pagamento do imposto devido. 

Porém, essa regularização tem um preço: 35% dos recursos - 17,5% para multas e 17,5% para impostos, com fins de financiar o Fundo de Desenvolvimento e Infraestrutura e o Fundo de Auxílio à Convergência do ICMS.
Caso esta lei passe no Senado Federal, o que hoje é ilícito amanhã poderá ser dentro da lei e o Banco Central e a receita Federal, não punirão os responsáveis por esses repasses ao exterior.

 Acho muito difícil dar certo, pois a tentativa do governo de trazer os dólares de fora sem qualquer investigação é muito perigosa. E como não questionar a origem do dinheiro? Pode ser dinheiro de venda de drogas e de corrupção, além do mais, essa autorização jogaria um balde de água fria nas investigações da Lava Jato. Todo dinheiro da Petrobras que se encontra em contas espalhadas pelo mundo afora, no nome de laranjas, voltariam para o Brasil, o governo reveria 35% desse montante e os miliantes embolsariam nada mais do que 65% do dinheiro desviado e o trabalho do juiz Sergio Moro com a Lava Jato, seria desperdiçado e o povo brasileiro mais uma vez ficaria com o nariz de palhaço.


Esse partido do governo e os partidos aliados prestam um grande desserviço para nação, com desculpa de uma melhor governabilidade. Em busca de recursos a qualquer custo passam por cima de tudo, afrontando inclusive a inteligência do povo brasileiro. Eles pensam que todos nós somos dependentes do programa bolsa família, o que na verdade é o sonho deles.


Confira no site:  http://www.senado.gov.br/atividade/materia/getPDF.asp?t=166174&tp=1

















21 de julho de 2015

Leonardo Gonçalves responde Thalles Roberto e cantor pede perdão; Assista ao vídeo

Leonardo Gonçalves responde Thalles Roberto e cantor pede perdão; Assista ao vídeo
Após a enorme polêmica causada por suas declarações, o cantor Thalles Roberto resolveu pedir perdão pelo teor do que afirmou, e reiterou que sua decisão de investir numa carreira secular foi tomada sob orientação do Espírito Santo.
“Tomei essa decisão em uma visitação do Espírito Santo, que ele fez comigo, mudou minha história, minha mente, e tudo que eu tava pensando. Deus veio me direcionar para coisas novas. Mas primeiramente, eu queria pedir perdão, porque se você assistir o vídeo inteiro, você vai ver que eu estava falando de mim. Quando eu falo ‘isso aí é fácil fazer, essa música qualquer um faz’, eu estava falando de mim. Eu estava desafiando a mim a partir. Mas soou que eu estava desvalorizando os irmãos cantores da música gospel, as pessoas da igreja, pastores que eu amo. Então, a nobreza de um homem cristão, como eu, um homem de Deus, é pedir perdão. Perdoe. No afã de falar o que Deus está me mandando fazer, eu posso ter me equivocado, sim. Sou um homem, falho. Me desculpem, não foi essa minha intenção”, afirmou Thalles.
Assista:




A repercussão

Diversos cantores da música gospel brasileira comentaram as declarações de Thalles Roberto, mas a resposta que mais foi compartilhada pelos usuários do Facebook foi a escrita pelo cantor Leonardo Gonçalves.
O cantor, casado com a cantora e compositora Daniela Araújo, pontuou a fala de Thalles e o criticou severamente por sua postura arrogante em relação aos colegas de ministério e profissão. Confira a íntegra:
Quando alguém demonstra achar que todos que discordam dele apenas o fazem por inveja, então não há mais muito o que fazer. Só orar, mesmo. E tenho orado bastante por você, Thalles Roberto.
Mas entenda que o problema nunca foi você me diminuir ou diminuir meus colegas de ministério. Sua opinião a nosso respeito não faz a menor diferença, nem para nós, nem para nosso público (e talvez pra ninguém, mesmo). O que assustou e assusta é a imagem que você tem de si mesmo. Talvez você não saiba disto (porque chegou faz pouco tempo), mas nunca antes na história da música cristã no Brasil alguém se arvorou a tanto. E é por isso que, já há algum tempo, você está em minhas orações.
Não quero e nem nunca quis sua fama e seu dinheiro. Estou feliz com o que o Senhor me deu. E o que ELE me deu não é pouco! Com certeza muito mais do que eu mereço. Tanto pela pessoa falha que sou como pelo talento que – diga-se de passagem – ELE me deu.
Não sou ninguém pra questionar sua sinceridade, mas acho estranhas também as conversas que você diz ter com ELE e as coisas q você diz que ELE fala, nestes diálogos. Algumas delas não me parecem muito com as coisas que ELE diz em SUA PALAVRA. Oro também pra que você encontre alguém que lhe ajude a ler e compreender melhor SUA PALAVRA. Como já disse, você chegou faz pouco tempo e um ou outro equívoco é natural, neste processo de caminhar com ELE.
Mas se ELE está chamando você pra cantar outras coisas pra outras pessoas, faça isto! Eu e muitos outros cantores cristãos estaremos orando por vc. Se não der certo e você quiser voltar, também estaremos aqui, pra receber você de braços abertos, mais uma vez, se necessário for. Porque assim é o Evangelho.
P.S.: Apenas para sua informação: você não é o número 1 do meio gospel. Se é que isso existe (e com certeza não importa) esse lugar é de Aline Barros”.
A repercussão da fala de Leonardo Gonçalves foi similar à fala desmedida de Thalles, e o cantor resolveu apagar sua resposta, e publicou outro texto, explicando seu desabafo. Confira:
Publiquei ontem um texto a respeito de algumas declarações públicas de Thalles Roberto. Meu texto foi sincero. E não acho nada que eu tenha escrito “errado”. O objetivo do que escrevi foi de tentar canalizar toda a consternação que eu e muitos outros estávamos sentindo em uma direção mais cristã, porque estava havendo muito sarcasmo (talvez numa tentativa de não levar tudo tão a sério) e outros sentimento ainda menos nobres.
Fato é que acordei triste. Com toda a situação, mas também com meu texto.
O escrevi pouco antes de sair pra cantar, fui à igreja, atendi as pessoas, jantei e voltei pro hotel depois de 1 AM. Foi quando entrei no FB de novo pra olhar que comecei a me sentir mal. Nunca um texto na minha página foi tão curtido, tão compartilhado, tão comentado e teve um alcance tão grande. Ganhei mais de 20.000 likes na página! E isso me parece um sintoma. E um sintoma de algo que não é muito legal.
Me senti como fazendo parte do “lado errado” desta história toda, mesmo que eu não tenha (na minha opinião) escrito nada errado. Por isso retirei o texto. E estou compartilhando este sentimento com vocês.

Não tenho respostas. Continuo orando pelo Thalles. Mas não quero fazer parte de uma “caça-às-bruxas”. Peço perdão ao Eterno, ao Thalles e a vocês se de alguma maneira o fiz.
P.S.: Curioso: desde ontem, várias músicas dele simplesmente não saem da minha cabeça… (principalmente “D-S me ama”, minha preferida).

Gospelmais
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Eu não aguento mais.

Eu não aguento mais.