Subscribe:

26 de novembro de 2014

Carta aberta a Luciana Genro pt. 2: nazismo (nacional-socialismo) é socialismo. E ponto final.

Por 

A professora volta do recreio e diz: “Quero que cada um venha aqui na lousa e escreva com o que brincou no recreio. Joãozinho, o que você fez?”
— Eu brinquei com a bola, tia!
— Muito bem, então venha na lousa e escreva “B-O-L-A”. Muito bem, ficou com 10! E você, Pedrinho, com o que brincou?
— Eu brinquei no tanque de areia, tia!
— Ótimo, então escreva “A-R-E-I-A”. Parabéns, também tirou 10!
Nisso entra Jacózinho, a única criança judia da sala, chorando, ensangüentado e mal conseguindo ficar de pé. A professora de prontidão pergunta:
— Jacózinho, mas o que foi que aconteceu?!
— A meninos, prrofessorra… A meninos brrigarram, me chutou, me bateu, não deixar eu brrincar com o bola…
A professora então estrila:
— Mas… mas… mas o que que é isso?! O que que é ISSO?! Isso é uma agressão covarde! É um abuso! É uma discriminação injustificada contra um grupo étnico minoritário! Mas eu não deixarei essa injustiça impune. Tome o giz, Jacózinho. Se você escrever corretamente na lousa “discriminação injustificada contra um grupo étnico minoritário”, você também fica com 10!
Por algum mistério insondável, pensei em Luciana Genro quando me lembrei desta piada.
É melhor deixar passar as paixões do debate eleitoral para nos voltarmos a assuntos de valor eterno. Com os candidatos minoritários excluídos do segundo turno, podemos falar de pensamentos que movem uma parcela menor mas barulhenta da população e dos riscos eternos que é voltar à Idade das Trevas do pensamento.
Luciana Genro, conforme já contamos , foi entrevista pelo humorista Danilo Gentili no programa The Noite, quando ainda era a candidata do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) à presidência.
Inquirida sobre suas posturas socialistas, Luciana partiu para a agressividade. Sem explicar o que é o socialismo que defende, e no que ele difere das experiências totalitárias e genocidas do século XX, apenas deu a entender que Danilo Gentili não havia estudado o assunto, batendo o pé no clichê de que o socialismo real não é o real socialismo. Já refutamos toda essa logorréia.
No dia seguinte, Gentili postou em sua conta no Facebook uma imagem com nítido caráter humorístico (nestes tempos de polícia política disfarçada de “politicamente correto”, sempre querendo criar leis para proibir opiniões divergentes, urge frisar o fato). Gentili comparou a grosseria e cólera de Luciana defendendo o socialismo, regime genocida onde quer que tenha sido implantado, com uma imagem de Adolf Hitler no lugar, propagador de outro regime genocida e em menor escala, imitando a mesma fala da socialista: o nacional-socialismo.
luluadolf
Luciana, então, replicou em sua própria conta no capitalíssimo Facebook, proibido em todos os países socialistas, uma admoestação esquisita:
luluapologia
Ora, talvez a candidata, além de precisar estudar socialismo, também precise estudar nacional-socialismo. Mas, antes de qualquer um dos dois, precisa estudar interpretação de texto: se Gentili comparou seus “argumentos” para defender um regime genocida com os mesmos argumentos usados por um outro genocida, ele está criticando o nazismo, e não fazendo “apologia”. Do contrário, se Hitler e Luciana foram colocados no mesmo patamar argumentativo e Luciana considera isso “apologia”, significaria que Gentili estaria fazendo apologia… de Luciana Genro. O que é uma ofensa bem menor do que fazer apologia de Adolf Hitler, mas ainda algo recriminável a qualquer um que tenha ojeriza por genocídios.
Pior: se apologia ao nazismo é crime, afirmar que alguém pratica um crime sem esta pessoa cometê-lo é calúnia (artigo 138 do Código Penal), que é, ipso facto, um crime. O apresentador, portanto, possui ensejo para processar Luciana Genro. Aproveite-se o fim do primeiro turno para poder falar verdades.
Portais de notícias “sérios” postaram o caso de maneira sensacionalista:
getiliportais
Todavia, isto suscita um segundo tema em discussão. Luciana Genro possui raízes judias e repudia a tragédia do nazismo? São duas características bastante admiráveis (o povo com o maior número de Prêmios Nobel e produtor de mais patentes, porém perseguido insanamente pelo mundo inteiro, merece minha admiração por si).
Não seria o caso de Luciana Genro repudiar também seu companheiro de partido, Babá, por queimar a bandeira de Israel em público, num nítido simbolismo da impossibilidade de o povo judeu possuir um país próprio – e que nunca significou senão o extermínio de judeus pelo mundo?
psolisrael
Um alienígena recém-chegado à Terra que ouvisse os discursos dos que criticam Israel hoje e que conhecesse a história do nacional-socialismo e como eram os discursos de Hitler, Goebbels, Himmler, Bormann ou Hess contra os judeus saberia perceber que são a mesma coisa. Muda muito mais a época do que o conteúdo, o alvo, os motivos, o método – e o fim almejado.
Ora, cara Luciana Genro, quem critica Israel hoje, como seu companheiro de partido atesta, é a esquerda. Sobretudo a esquerda socialista. Quem perseguiu judeus foram os nacional-socialistas. Qual a grande dificuldade em entender?
Ideologia, não queira uma para viver
“Como socialistas, somos adversários dos judeus, porque vemos, nos hebreus, a encarnação do capitalismo, da utilização indevida de bens da nação.”
- Joseph Goebbels

Por que as pessoas não percebem essa óbvia conexão entre o discurso da esquerda anti-judeus hoje e o discurso anti-judeus que juram que não é de esquerda dos nazistas? Por causa do maior cabresto já inventado no mundo: a ideologia.
Não é curioso que Karl Marx seja o maior crítico da ideologia, por supostamente ser a mantenedora da superestrutura, mas ele próprio cria uma ideologia ainda mais férrea, que impede que se veja até a infraestrutura de discursos óbvios?
A história do fascismo, mormente do nacional-socialismo, é marcada pelo Holocausto, campos de concentração, totalitarismo, censura, bode expiatório para todos os problemas (os judeus), genocídio na casa dos milhões, total poder ao Estado e ódio à liberdade individual, inclusive econômica e, por alguma razão o que se vai é escondido dos estudantes de História brasileiros, profundamente sindicalista e com ódio mortal ao capitalismo.
Para quem não acredita, basta ver quais são os seus ideólogos, como José Luis Arrese, um dos líderes da Falange Española de Francisco Franco – ou, sem abreviações, Falange Española Tradicionalista y de las Juntas de Ofensiva Nacional Sindicalista (FET y de las JONS). É ele quem discursa com ódio contra o capitalismo (o principal inimigo do fascismo é o capitalismo, não o socialismo – este é apenas concorrente):
Também o próprio nazismo é abreviatura de Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei, ou “Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães”.
Trabalhismo e sindicalismo, cara Luciana Genro, a senhora deve saber que são sinônimos em termos políticos: um aparato político dominado por sindicatos, ou “trabalhistas”, é o modelo comum de autoritarismos tanto na Turquia do partido dos Jovens Turcos (Jön Türkler), responsável pelo primeiro genocídio na História mundial a ultrapassar a casa dos 1,5 milhão – os odiados cristãos armênios – quanto do fascismo e do nazismo. Inspiração também do Estado Novo de Getúlio Vargas no Brasil, ditadura muito mais cruel e mortífera do que a ditadura militar, e cujos caudatórios sindicalistas disputam o poder até hoje no Brasil.
Socialismo = nacional-socialismo = sindicalismo
“Se nós somos socialistas, nós precisamos ser anti-semitas. Como, se você é um socialista, você pode não ser anti-semita?”
- Adolf Hitler

O sindicalismo, para quem ainda não percebeu em sua realidade próxima, quer sempre controlar a economia (aquilo que chamam de, a senhora deve conhecer o termo, “capital financeiro”) em prol de uma economia dirigida. Tal como a Venezuela de Hugo Chávez produz racionamento de alimentos seguindo o modelo do totalitarismo de Cuba (que a senhora, socialista, aplaude), o fascismo também provocou racionamento de comida.
luluche
E não apenas em termos econômicos: o modelo político quer obrigar que os “operários” continuem sendo operários. Isto é trabalhismo: manter os trabalhadores trabalhando onde estão, sem possibilidade de mudança. Ao menos “zera-se” artificialmente o desemprego. Como disse P. J. O’Rourke, “A constituição da União Soviética garante a todos um emprego. Uma idéia bastante assustadora, eu diria”.
Sem liberdade de produção, produz-se pouco. O resultado é fome. No sindicalismo que gera o fascismo e no sindicalismo que gera o socialismo.
Não apenas isto: a economia é dirigida. Socialistas e fascistas, por sinal, fizeram um mútuo acordo contra o “imperialismo”, lembra-se? Aquele famoso Pacto Molotov–Ribbentrop, entre Stalin e Hitler; alguém poderia imaginar um acordo entre Hitler e Churchill, já que vocês, comunistas, adoram associar o socialismo nacionalista à… direita capitalista?!?!
Os comunistas franceses, por sinal, culpavam a “Inglaterra imperialista” pela Segunda Guerra, silenciando sobre seus pactuantes nazistas; tal foi o motivo para um comunista histórico, o helenista Jean-Pierre Vernant, romper com o Partido Comunista, como conta emMito & Política.
Com uma economia que precisa ser centralizada, é natural, mandatório e inevitável que o sindicalismo, socialista ou fascista, tente transformar o partido em Estado, deixando de ser um partido (uma parte de um todo) imediatamente, tornando-se um Partido-Estado, um Partido Único que deve ser obedecido e não pode ser contradito, questionado – até piadinhas se tornam motivo para censura e cadeia, como mostra Ben Lewis, em Foice o Martelo: A história do comunismo contada em piadas.
Foi assim com o Partido Bolchevique, com o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães, com a Falange Española, com o Partido Nacional-Fascista de Mussolini etc etc etc.
Para piorar a familiaridade, reconhecida até por intelectuais simpáticos ao comunismo como o pacifista Hermann Hesse (ver Para ler e pensar), e agravada por críticos sem apreço por totalitarismos, indo de Hannah Arendt a Eric Voegelin, de Pierre Chaunu (que os chama de “gêmeos heterozigotos”) a Alain Besançon, de Jouvenel a Sowell, temos um componente macabro: os socialistas vêem no “burguês” o mal (atualmente o termo está “reconfigurado” para classe média), enquanto entre os fascistas apenas os nazistas encontraram essa “burguesia” na própria “raça” dos judeus – todos os outros criticaram apenas a mesma burguesia.
Toda a economia dirigida do fascismo é uma espécie de “terceira via” (até admirada pelo inventor da social-democracia moderna, John Keynes), em que empresas não precisam necessariamente ser expropriadas e estatizadas, mas são controladas “de fora” por sindicatos. Basta ler (estudar o assunto, cara Luciana Genro!) o imprescindível livro de John T. Flynn, As We Go Marching. Em caso de preguiça, comece pelo melhor resumo do assunto, o artigo do ultra-liberal Llewellyn H. Rockwell Jr, “A ameaça fascista” [The Fascist Threat].
Note, por exemplo, cara Luciana Genro, que o “socialismo do século XXI” (por que vocês precisam sempre esconder o modelo do passado?), como o bolivarianismo de Chávez, Maduro, Morales, Kirschner etc, apesar da inspiração socialista, se parecem muito maiscom o fascismo do que com o próprio socialismo.
Afinal, funcionam sem o Gulag (o equivalente socialista dos campos de concentração – muitos até serviram de inspiração para os nazistas), sem os kulaks (o equivalente socialista aos judeus, os “ricos proprietários” que precisavam ser expurgados – embora logo o termo fosse usado para qualquer um, inclusive miserável, desde que fosse inimigo), sem o Holodomor (apenas um das dezenas de equivalente socialistas ao Holocausto, afinal, o socialismo matou muito mais do que o nazismo), embora transfiram a matança para uma criminalidade crescente (FARC, PCC, CV e afins são todos mancomunados com partidos políticos). É a única “privatização” permitida no socialismo moderno: a privatização de assassinatos.
Como, então, Luciana Genro, afirmar que repudia tanto o fascismo e seu non plus ultra, o nacional-socialismo de Adolf Hitler? Será que o “novo socialismo” criado pela senhora descambará em algo diferente do que o novo fascismo?
novofascismo
Note, ainda, que apesar de toda a esquerda mundial (que controla com mão de ferro a maioria absoluta das aulas de História, embora ela própria, quod erat demonstrandum, conheça tão pouco de História) clamar que o nazismo é algo próximo da “direita” (ou seja, do capitalismo), além de mesmo método do fascismo (afinal, vocês também não querem tudo dentro do Estado, nada fora do Estado, nada contra o Estado, nem mesmo as piadinhas do Danilo Gentili ou as idéias igualmente risíveis de Levy Fidelix?), possui os mesmos inimigos: quem vive do próprio trabalho, e quem quer trocá-lo livremente pelo trabalho de outros. E Hitler encontra tais inimigos nos judeus, por geralmente viverem de comércio. Não é o que você também repudia, Luciana Genro?
Foi o liberalismo, quando ensinou que os juros (“usura”, em termos anti-semitas) são lícitos, e não “exploração do trabalhador”, que acabou com o anti-semitismo na Europa. E foi um liberal que frequentava círculos judeus, Ludwig von Mises, que ensinou isto. Vamos repudiar o anti-semitismo? Então vamos apoiar Israel e sermos liberais!
Sei que o historiador comunista Eric Hobsbawm (aquele que era judeu e não queria nem pegar voo que fizesse escala em Tel-Aviv, além de afirmar que Stalin estaria correto em matar mais de 30 milhões – trinta milhões, Luciana! 5 holocaustos nazistas! – de pessoas se conseguisse instaurar o comunismo) é um dos responsáveis por esta confusão típica de quem pensa apenas em termos de senso comum. “Se fascistas concorriam com socialistas, e socialistas são de esquerda, logo, fascistas são de extrema-direita!”
Assim, é fácil pensar por um maniqueísmo infantil e bobo e concluir que os fascistas e os nazistas são “direitistas”, forçando um parentesco com a direita liberal ou conservadora – com o capitalismo que é seu maior inimigo. Entretanto, os nazistas nunca se consideraram de direita, ou de extrema-direita. Isto é propaganda de comunistas: por que acreditar na própria mentira?
Acaso quem se parece mais: Stalin com Mussolini, ou Mussolini com Reagan? Pol-Pot com Hitler, ou Pol-Pot com Thatcher?
Dizer isso choca o senso comum de soluções fáceis e platiformes (vide os comentários indignadíssimos em minha última carta aberta à senhora, Luciana Genro), mas não creio que seja a senhora que tenha medo de chocar o senso comum. Resta apenas fazer isso conhecendo a verdade.
Que tal abandonar de vez os círculos aparentados ao anti-semitismo, ao totalitarismo e ao genocídio e estudar idéias liberais que promovam riqueza aos pobres, fartura e paz, Luciana?
Nunca precisamos construir um Muro de Berlim e nem campos de trabalho forçado para impedir as pessoas de fugirem do nosso capitalismo, afinal.

Flavio Morgenstern
Analista político, palestrante e tradutor. Escreve para jornais como Gazeta do Povo, além de sites como Implicante e Instituto Millenium. Em breve lançará seu primeiro livro pela editora Record.

Fonte

25 de novembro de 2014

Tonzão lança clipe com funk ostentação gospel . O refrão da música fala que ele tem ajudado o próximo com as condições que Deus tem lhe dado



Tonzão lança clipe com funk ostentação gospel

Tonzão lança clipe com funk ostentação gospelO cantor Tonzão lançou um vídeo clipe que chama a atenção pela produção e pela letra da música. Seguindo o mesmo ritmo que o fez se tornar nacionalmente conhecido – por ser vocalista do grupo de funk Os Hawaianos – o funkeiro resolveu falar de ostentação e riquezas.
A música é “Temos Montão”, um funk ostentação que mostra o músico andando de helicóptero com sua esposa, vestindo roupas caras, em uma mansão com piscina e dirigindo o carro 4×4.
Na letra o cantor fala que tudo isso é necessário para evangelizar nas favelas do Rio e que o montão que hoje ele tem é usado para abençoar os irmãos. “Temos montão, temos montão, Deus deu muito pra nós pra dividir com os irmãos”, diz o refrão.
O clipe foi produzido pela “Tom Produções” de Washington Rodrigues, conhecido por dirigir os vídeos clipes de funk de representantes desse gênero de todo o Brasil.
Mas a letra de Tonzão é diferente dos funks ostentação que o mercado secular conhece, o evangélico fala contra o adultério e a bebida. “Ter um monte de mulher/ isso aí é pra covarde/ quero ver ter uma só e renunciar a própria carne/ Eu não quero Camaro amarelo/ isso pra mim é muito pouco/ eu quero andar com Jesus Cristo na carruagem de fogo/ Vodka é para os fracos/ eu tomo é santa ceia”, diz outro trecho.
A música “Temos Montão” faz parte do segundo CD gospel de Tonzão com o título “Coisa Linda de Deus” lançado depois que o cantor deixou a Igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias onde havia lançado o CD “Tonzão e os Adudianos”.

Assista:

Presidente da comissão de orçamento proíbe manisfestantes em reunião para mudar meta fiscal




O presidente da comissão Mista de orçamento deputado Devanir Ribeiro (PT-SP)  negou um pedido do lider do DEM deputado Mendonça Filho (PE) para que a reunião do colegiado que aconteceu ontem fosse aberta aos manifestantes que estavam do lado de fora gritando palavras de ordem contra o governo e contra o projeto que foi discutido ontem - o PLN 36/14, que altera o cáuculo do superavit primário.

Ribeiro disse que estava proibido o acesso aos manifestantes, e que esta decisão foi tomada pelo presidente da Câmara dos Deputados, após ouvir a policia legislativa da casa. Só terão acessos jornalistas e acessores credenciados de partidos. A oposição criticou a decisão, que segundo eles, não tem amparo regimental.
A oposição ja anunciou que vai usar todos os expedientes regimentais para dificulatr a votação do projeto.

 E todos ja foram convocados para hoje se manifestarem dentro ou fora do Congresso.





24 de novembro de 2014

Líder do MST volta a ameaçar o país – “SE HOUVER GOLPE,HAVERÁ REVOLTA”

Depois de ameaçar o país em caso de vitória de Aécio e posteriormente Marina nas eleições de outubro, o líder do braço armado do PT, João Pedro Stédile – líder nacional do MST, manda recado para os brasileiros que vão às ruas protestar pelo Impeachment de Dilma e intervenção militar.
Em entrevista ao portal petista Brasil247, publicada neste dia 19, quarta-feira – portal que a pouco tempo publicou artigo pedindo desculpas à Genoíno em nome dos brasileiros por ter sido condenado sem provas. Veja a matéria >>Diretor do site Brasil 247 diz que “Brasil deve desculpas a Genoíno”.Voltando a entrevista de Stédile ao site Brasil247, o líder do MST voltou a ameaçar aos que vão contra o governo petista, dizendo que se houver impeachment e intervenção militar o MST irá às ruas para a “revolta”.
Ao ser questionado sobre os casos de corrupção envolvendo o governo de Dilma, Stédile afirmou que Dilma não está envolvida em nenhum caso de corrupção e atribuiu a culpa da corrupçãogeneralizada que vem tomando conta principalmente da maior estatal do país ao CAPITALISMO. 
É preciso que a sociedade se dê conta que a corrupção é um modo de agir permanente no capitalismo, em que as empresas e seus políticos procuram se apropriar de recursos públicos. Por isso, sempre existiu corrupção neste país. E a única forma de combatê-los, não é apenas usar a Polícia Federal, porque é impossível controlar. A forma de combatê-la é aprofundar mecanismos de participação popular na gestão pública, em que povo tenha mais informações e instrumentos para acompanhar. Enquanto a administração pública for apenas um privilégio de algumas pessoas, partidos e empresas, sempre haverá corrupção em todos os partidos que chegarem ao governo, seja federal, estadual e municipal.
Sobre a operação Lava-Jato, da Polícia Federal, que tem desmantelado o esquema bilionário de corrupção na Petrobras, que segundo investigações financiava campanhas políticas e influencia política em favor do governo petista, Stedile mais uma vez colocou a culpa no CAPITALISMO
Sabe-se pela imprensa que esse esquema está montando na Petrobras desde os tempos do governo FHC. É uma vergonha que muitos diretores se locupletaram e se desviaram milhões. Uma vergonha que as empresas pagassem esse pedágio e certamente incluíam depois no custo das obras. Esperamos que a Polícia Federal e a Justiça Federal sejam transparentes, para que toda a sociedade possa acompanhar a realidade dos fatos. Os responsáveis devem ser punidos pelos desvios. O que não podemos aceitar é uma partidarização, que a mídia burguesa está tentando fazer, como se fosse um esquema do PT. Os corruptos e corruptores não tem partidos, têm apenas interesses pessoais. O salutar seria que todas as empresas estatais, do governo federal e de alguns grandes estados como Minas, São Paulo e Rio, também passassem por esse pente fino. A corrupção é um modo particular do capitalismo funcionar na gestão dos recursos públicos.

Veja também:




Revolta Brasil

23 de novembro de 2014

Em diálogos, contadora de doleiro avalia potencial bombástico de denúncias

Em gravações da PF, anexadas na Operação Lava-Jato, Meire Poza afirma que Paulo Roberto Costa tem potencial para derrubar governo e se queixa de doleiro

Em diálogos, contadora de doleiro avalia potencial bombástico de denúncias Wilson Dias/Agência Brasil
Diálogo de contadora foi interceptado pela Polícia Federal em um shopping de São PauloFoto: Wilson Dias / Agência Brasil
Em uma conversa com o advogado Carlos Fernando Braga, indicado por um pool de empreiteiras, e uma pessoa não identificada, a contadora do doleiroAlberto YoussefMeire Poza, afirmou que a presidente Dilma Rousseff vai cair se o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, revelar tudo o que sabe.
Apontado como um dos pivôs da lavagem de pelo menos R$ 10 bilhões – esquema descoberto pela Operação Lava-Jato –, Costa foi detido em junho depois que a Justiça rastreou US$ 23 milhões em bancos suíços. Atualmente, ele cumpre prisão domiciliar.
No diálogo interceptado pela Polícia Federal (PF) em um shopping de São Paulo, datado de 8 de outubro de 2014, Meire conversa com o advogado e a terceira pessoa sobre os desdobramentos da Lava-Jato e chega a reclamar que Alberto Youssef a subestimava e não tomou os cuidados necessários ao deixá-la junto com suspeitos em mesas de negociação.
– Eu garanto pra você. Infelizmente, eu vou pôr mais gente junto. Mas, o Beto (Alberto Youssef), ele me subestimou. Ele não tem noção. O Beto, ele sempre teve aquela coisa assim. Sabe doutor? Mulher é burra. Ele subestimou. Muito, muito... Vai, deixa. Vamos jantar, vamos jantar. Eu jantei com o Mário Negromonte (ex-ministro das Cidades), eu jantei com um monte de político. A burra sentada lá. Burra – ironizou ela.
Em seguida, Meire Poza conversa com o advogado Carlos Fernando Braga sobre possíveis acordos feitos entre Youssef para livrar políticos em troca de dinheiro, e deixa claro que se Paulo Roberto Costa quiser, pode derrubar a presidente Dilma Rousseff:
MEIRE: Mas, o Beto não tem mais acordo para fazer, né, doutor?
CARLOS FERNANDO BRAGA: É. Mas, tem muito político para dar (delatar) aí.
MEIRE: Mas, eu não sei, viu, doutor.
CARLOS FERNANDO BRAGA: Então, porque o Paulo Roberto tem. Se ele der...
MEIRE: Não. O Paulo Roberto...
CARLOS FERNANDO BRAGA: Ele derruba a Dilma.
MEIRE: O Paulo Roberto vai derrubar a Dilma.
CARLOS FERNANDO BRAGA: Ele derruba até o Obama, se bobear, né?
MEIRE: O Paulo Roberto derruba a Dilma. Agora, o Beto, eu acho que o Beto perdeu muita credibilidade para acordo.

"Vão dar um sumiço nele"
O trio também conversa que se Alberto Youssef tentasse fugir antes de ser preso pela Operação Lava-Jato, ele seria assassinado quando estivesse a caminho do aeroporto.
MEIRE: O Beto... Doutor, e se bobear, olha, vão até querer que o Beto saia. Porque a hora que o Beto botar o pezinho pra fora, vão dar um sumiço nele.
CARLOS FERNANDO BRAGA: Não. Ele vai sumir, né. Se ele tem dinheiro lá na...
MEIRE: Acho que ele vai pro Líbano. Mas, acho que antes dele ir pro Líbano, pegam ele no caminho do aeroporto, viu, doutor?
CARLOS FERNANDO BRAGA: É. Porque ele é um arquivo...
Outra parte destacada pela Polícia Federal no grampo diz respeito à impossibilidade de o governo trancar as investigações da Operação Lava-Jato. O advogado Carlos Fernando Braga explica que o governo federal não deu apoio para a PF nas análises das provas recolhidas, mas ressalta que não há como trancar todas as frentes:
– O governo federal, pela Polícia Federal, estancou. Eles não mandaram ninguém lá para ajudar. E o Ministério Público Federal por isso que eles não conseguem controlar. Como é que eles vão conseguir controlar o Sérgio Moro? Ele é um juiz federal, daí vão pôr a mão dessa forma? E o Ministério Público Federal? E os delegados lá de Curitiba? Não vão conseguir controlar. Mesmo que a Dilma, o PT, o governo, quem quer que seja, queiram controlar, eles não vão conseguir. Se controla a Polícia, não controla o Ministério Público. Se controla o Ministério Público, não controla o Moro. 

Líder da oposição pede convocação de Dilma e Lula na CPI da Petrobras

Deputado Ronaldo Caiado diz que reportagem de VEJA desta semana comprova ligação dos dois com esquema da Petrobras. Líder tucano vê relação "promíscua"

Gabriel Castro, de Brasília
Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula
Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula (Reuters)
O líder da oposição no Congresso, Ronaldo Caiado (DEM-GO), quer que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sejam convocados para depor à CPI da Petrobras. O motivo é a reportagem de VEJA que mostra como em 2009 Paulo Roberto Costa passou por cima de toda a hierarquia da Petrobras para advertir - por e-mail - o Palácio do Planalto que, por ter encontrado irregularidades pelo terceiro ano consecutivo, o Tribunal de Contas da União (TCU) havia recomendado ao Congresso a imediata paralisação de três grandes obras da estatal.
"Ela disse que não vai deixar pedra sobre pedra e que ela está disposta a aprofundar toda a investigação. Nada mais justo do que ela ir à CPI para esclarecer, em primeiro lugar, a fala do Alberto Yousseff e, agora, esse e-mail do Paulo Roberto Costa", diz o parlamentar. A primeira convocação a ser solicitada, entretanto, será a do ex-presidente Lula, que comandava o governo à época e que ignorou a recomendação do TCU e liberou as obras.

Para Caiado, o e-mail de costa é uma prova importante do envolvimento de Dilma nos desmandos: "Ela não pode dizer que não conhece,  porque recebeu um e-mail direto de alerta". A assessoria de Caiado está estudando o regimento do Congresso para saber se ele pode apresentar requerimentos na CPI da Petrobras. O parlamentar não é membro da comissão mas, na condição de líder, pode participar das reuniões. 
O líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy, disse neste sábado que a reportagem comprova o elo entre Dilma, Lula e Paulo Roberto Costa - e aproxima ainda mais a presidente da República do escândalo na Petrobras.
"Esse fato aproxima o escândalo do Palácio do Planalto e mostra a participação do ex-presidente Lula e da presidente Dilma nas pilantragens da Petrobras", diz o tucano, que também chama atenção para o fato de Paulo Roberto Costa ter se dirigido diretamente à então ministra da Casa Civil, sem seguir a hierarquia natural de seu cargo. 
Para Imbassahy, o caso também explica o temor do governo com as apurações: "Isso revela um dos motivos pelos quais o governo atua diretamente para impedir nosso trabalho na CPI da Petrobras". Ele afirma que a revelação também reforça a necessidade de que uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito seja instalada na próxima legislatura, em fevereiro. A CPI atual vai funcionar até 22 de dezembro.
Também neste sábado, o Palácio do Planalto emitiu uma nota em que repete as alegações enviadas à redação de VEJA e reproduzidas na reportagem. 

Veja Abril

22 de novembro de 2014

20 OBRAS QUE O GOVERNO DO PT FINANCIOU EM OUTROS PAÍSES




Por mais que se tente justificar esses investimentos em outros países, mais imoral eles acabam sendo. Como justificar investir milhões em outros país, em obras que são vitais no nosso..
Talvez houvesse uma justificativa se fossemos um país de primeiro mundo com todos os indicativos entre os 10 do mundo. Fora isso, tentem o que quiserem. Jamais iram convencer pessoas sensatas com um mínimo de leitura e interesse pelo Brasil. 
Na foto ao lado, um retrato de uma das obras inacabadas do governo petista - a Refinaria Abreu e Lima - que, certamente, irá processar óleo de peroba, pois o Estado de Pernambuco não produz uma única gota de petróleo. Até agora foram bilhões que ninguém explica para o bolso de quem essa fortuna foi desviada. Enquanto isso, o Rio Grande do Norte, segundo maior produtor de petróleo em mar e primeiro em terra, não tem uma refinaria. Construíram um posto de gasolina avançado a quem chamam de refinaria.
Poderíamos citar dezenas de outras obras inacabadas no nosso país, como a transposição do Rio São Francisco. Mas, não é este o objetivo. Queremos mostrar aqui o que este governo petista faz em outros países, obedecendo critérios definidos pelo Foro de São Paulo. Nestes países as obras são acabadas. Aqui elas apenas são iniciadas, superfaturadas e não acabadas.
Este é o o desgoverno do PT que, tudo indica, irá permanecer no poder. A fraude está sendo anunciada. Não vê quem não quer. Os institutos de pesquisas pagos com o nosso dinheiro estão mantendo os índices de aprovação aos candidatos, dentro da margem de erro, pois assim, qualquer resultado será possível.
As urnas do primeiro turno, para quem não sabe, estão sendo substituídas por ordem expressa do TSE. Por que? Você irá saber no próximo dia 26.

O levantamento a seguir foi feito pelo Spotniks. Veja:

Outra questão polêmica são os juros abaixo do mercado que o banco concede às empresas. Ao subsidiar os empréstimos, o BNDES funciona como um Bolsa Família ao contrário, um motor de desigualdade: tira dos pobres para dar aos ricos. Ou melhor, capta dinheiro emitindo títulos públicos, com base na taxa Selic (11% ao ano), e empresta a 6%. Isso significa que ele arca com 5% de todo o dinheiro emprestado. Dos R$ 414 bilhões emprestados este ano, R$ 20,7 bilhões são pagos pelo banco. É um valor similar aos R$ 25 bilhões gastos pelo governo no Bolsa Família, que atinge 36 milhões de brasileiros.
Seguem 20 exemplos de investimentos que o banco considerou estarem aptos a receberem investimentos financiados por recursos brasileiros. Você confirma todas as informações clicando aqui.

1) Porto de Mariel (Cuba)

porto-mariel-cuba
Valor da obra – US$ 957 milhões (US$ 682 milhões por parte do BNDES)
Empresa responsável – Odebrecht

2) Hidrelétrica de San Francisco (Equador)

uhe-sanfrancisco-equador_1
Valor da obra – US$ 243 milhões
Empresa responsável – Odebrecht
Após a conclusão da obra, o governo equatoriano questionou a empresa brasileira sobre defeitos apresentados pela planta. A Odebrecht foi expulsa do Equador e o presidente equatoriano ameaçou dar calote no BNDES.

3) Hidrelétrica Manduriacu (Equador)

manduriacu
Valor da obra – US$ 124,8 milhões (US$ 90 milhões por parte do BNDES)
Empresa responsável – Odebrecht
Após 3 anos, os dois países ‘reatam relações’, e apesar da ameaça de calote, o Brasil concede novo empréstimo ao Equador.

4) Hidroelétrica de Chaglla (Peru)

ala1
Valor da obra – US$ 1,2 bilhões (US$ 320 milhões por parte do BNDES)
Empresa responsável – Odebrecht

5) Metrô Cidade do Panamá (Panamá)

panama-Metro
Valor da obra – US$ 1 bilhão
Empresa responsável – Odebrecht

6) Autopista Madden-Colón (Panamá)

sec_1_panama_11
Valor da obra – US$ 152,8 milhões
Empresa responsável – Odebrecht

7) Aqueduto de Chaco (Argentina)

img_964
Valor da obra – US$ 180 milhões do BNDES
Empresa responsável – OAS

8) Soterramento do Ferrocarril Sarmiento (Argentina)

1652110w645
Valor – US$ 1,5 bilhões do BNDES
Empresa responsável – Odebrecht

9) Linhas 3 e 4 do Metrô de Caracas (Venezuela)

01.-Metro-de-Caracas
Valor da obra – US$ 732 milhões
Empresa responsável – Odebrecht

10) Segunda ponte sobre o rio Orinoco (Venezuela)

ponte-rio-orinoco2_g
Valor da obra – US$ 1,2 bilhões (US$ 300 milhões por parte do BNDES)
Empresa responsável – Odebrecht

11) Barragem de Moamba Major (Moçambique)

imagem-1228
Valor da obra – US$ 460 milhões (US$ 350 milhões por parte do BNDES)
Empresa responsável – Andrade Gutierrez

12) Aeroporto de Nacala (Moçambique)

nacala_1
Valor da obra – US$ 200 milhões ($125 milhões por parte do BNDES)
Empresa responsável – Odebrecht

13) BRT da capital Maputo (Moçambique)

Mhoje_baixa3_photo_jpg
Valor da obra – US$ 220 milhões (US$ 180 milhões por parte do BNDES)
Empresa responsável – Odebrecht

14) Hidrelétrica de Tumarín  (Nicarágua)

Agua-Verm0801
Valor da obra – US$ 1,1 bilhão (US$ 343 milhões)
Empresa responsável – Queiroz Galvão
*A Eletrobrás participa do consórcio que irá gerir a hidroelétrica

15) Projeto Hacia el Norte – Rurrenabaque-El-Chorro (Bolívia)

Evo-y-Lula-da-Silva
Valor da obra – US$ 199 milhões
Empresa responsável – Queiroz Galvão

16) Exportação de 127 ônibus (Colômbia)

120_transmilenio_1
Valor – US$ 26,8 milhões
Empresa responsável – San Marino

17) Exportação de 20 aviões (Argentina)

0,,19422150,00
Valor – US$ 595 milhões
Empresa responsável – Embraer

18) Abastecimento de água da capital peruana – Projeto Bayovar (Peru)

4568916331_6d20d28d33_z
Valor – Não informado
Empresa responsável – Andrade Gutierrez

19) Renovação da rede de gasodutos em Montevideo (Uruguai)

y-Gasoducto-Neuba-II-editada
Valor – Não informado
Empresa responsável – OAS

20) Via Expressa Luanda/Kifangondo

via
Valor – Não informado
Empresa responsável – Queiroz Galvão
Como estes existem mais de 3000 empréstimos concedidos pelo BNDES no período de 2009-2014. Conforme mencionado acima, o banco não fornece os valores… Ainda.

Blog do Lucio Neto
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Se depender de heresias desses líderes, já temos o HEXA! rs rs

Se depender de heresias desses líderes, já temos o HEXA! rs rs

Eu não aguento mais.

Eu não aguento mais.