Subscribe:

21 de julho de 2017

Ângela Bismarchi prepara seu primeiro disco gospel: "a mensagem agora é outra"

Modelo está se preparando para gravar o primeiro álbum de música gospel de sua carreira; veja esse e outros destaques na coluna Bastidores



Ângela Bismarchi vai lançar seu primeiro disco gospelDivulgação/Marcos Monerat


Ângela Bismarchi vai lançar seu primeiro disco gospel


Depois de fazer sucesso em ensaios de tirar o fôlego, a modelo Ângela Bismarchi se prepara para um novo desafio na carreira: gravar o seu primeiro disco gospel.
"Estou novamente fazendo aulas particulares de canto. Tenho uma extensão vocal para soprana, e vou aproveitar", disse Ângela Bismarchi sobre seu novo trabalho. "A voz soprano é a naipe feminina mais aguda e com maior alcance vocal de todos os tipos de vozes e minha professora está muito feliz com o que posso alcançar num coral, ou mesmo num solo, etc", continou.
Este não será o primeiro álbum de Bismarchi. Em 2011, ela lançou o disco "Clima de Rodeio", numa pegada mais sertaneja. Ela ainda lançou um single em parceria com o MC Flokynha, em 2013, mas esse será o primeiro trabalho gospel da cantora. "O que muda agora é a mensagem que quero levar, trazer esperança e fé aos corações. Essa será a missão da minha voz", garantiu a modelo. Seu novo disco ainda não tem nome nem previsão de estreia.



Fonte: Gente - iG @ http://gente.ig.com.br/colunas/2017-07-20/angela-bismarchi-bastidores.html

20 de julho de 2017

Petistas fazem imagem para comparar Lula com Jesus e causam revolta

Em ato de manifestação favorável a Lula, condenado na Lava Jato por crime de lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio, sindicalistas do Recife, na capital pernambucana, resolveram traduzir na prática os delírios do ex-Presidente ao se comparar com Jesus Cristo. Na mesma cruz em que consta uma imagem de Cristo, os devotos da “luladolatria” puseram a foto de Lula, insinuando uma condenação injusta.
É típico de regimes autoritários e seitas das mais bizarras, o culto a personalidade. É assim na Coreia do Norte, em Cuba, na China e na Venezuela, bem como em milhares de outras devoções, onde pessoas, meros mortais, são “adoradas” e vistas como salvadoras. Tal fenômeno ocorre e ganha força especialmente em populações carentes, com falta de informação, por serem facilmente manipuláveis.
Screenshot_20170720-140405.png
A foto de Lula na cruz reflete as palavras do próprio Lula, ao que parece, em episódios de delírio. Foi ele, por exemplo, que em 2010 se comparou a Cristo, durante a primeira campanha eleitoral para Dilma Rousseff.
As informações são do blog Opinião Crítica.

LGBT Megadonor visa os cristãos: "Nós vamos punir os maus"


Image via Shutterstock, a church in the crosshairs.

Pode não ser surpreendente ver o Rolling Stone tão mal representar a situação como essa (ver "Escândalo de violação UVA"). Mas o recorde precisa ser definido de forma direta: o impulso de "hospedagem pública" é exatamente a linha que os ativistas LGBT usam para minimizar a liberdade dos cristãos de se optarem por servir casamentos do mesmo sexo.

Casos de tribunais concretos revelam a falsidade dessa narrativa de "discriminação". Um florista do estado de Washington e os padeiros do Oregon foram multados por se recusar a servir casamentos do mesmo sexo, mas todos eles serviram com prazer as pessoas lésbicas e gays que solicitaram serviços de casamento. Em ambos os casos, eles se recusaram a servir um casamento, temendo que tal serviço fosse um endosso público de algo que eles acreditavam uma perversão do casamento.

Sob Obergefell, casais do mesmo sexo podem se casar. Mas uma cerimônia de casamento ainda é um evento privado, e as pessoas não devem ser forçadas a comemorar, se tal cerimônia se opuser a suas convicções. Esta não é apenas uma questão de liberdade religiosa - também envolve a liberdade de expressão e a associação gratuita.

Mas as leis de hospedagem pública tornaram-se um cacho pelo qual os ativistas LGBT tentam forçar as pessoas a violarem suas consciências. Na verdade, um grupo LGBT em Ohio realmente anunciou planos para tentar forçar as igrejas a hospedar casamentos do mesmo sexo em suas propriedades. Um fazendeiro cristão e sua esposa em Michigan foram excluídos do mercado de um fazendeiro porque publicaram no Facebook que não hospedariam um casamento do mesmo sexo em sua própria propriedade.

Em março, a ACLU processou um hospital católico de Sacramento, mesmo depois que o hospital ajudou um paciente transgênero a encontrar outro hospital para ter "sua" histerectomia. O processo da ACLU deixa claro que este debate não é sobre o acesso - trata-se de forçar as pessoas a violarem suas convicções religiosas.

Christian Non-Profit Marcado como "Hate Group" explica por que os americanos estão perdendo confiança nos meios de comunicação
No mês passado, o Supremo Tribunal anunciou que considerará o caso do padeiro Colorado Jack Phillips, que também se recusou a assar um bolo para um casamento do mesmo sexo. Como o florista de Washington, o padeiro de Oregon e o fazendeiro de Michigan, Phillips serviu com prazer as pessoas LGBT, ele simplesmente não endossaria um evento público que violasse suas crenças.


Como essas pessoas atendem com prazer as pessoas LGBT, seus casos não envolvem discriminação, mas liberdade de expressão, associação gratuita e livre exercício da religião. Um cantor muçulmano não seria obrigado a cantar em um serviço de Páscoa cristã, então por que os padeiros, floristas, fazendeiros e igrejas cristãos deveriam ser obrigados a endossar um casamento com o qual eles não concordam?

Para o homossexual megadonor Tim Gill, é uma questão de "punir os ímpios". Em sua entrevista, Andy Kroll, da Rolling Stone, resumiu que "a eleição de Donald Trump, que afirma apoiar os direitos dos homossexuais, mas abasteceu sua administração com extremistas anti-LGBTQ, apenas encorajou aqueles que desejam apagar os ganhos da última década".

Quem são estes "extremistas"?

As pessoas que cercam Trump são coisas de pesadelos para a comunidade LGBTQ - A Secretária de Educação, Betsy DeVos, doou fortemente a causas anti-homossexuais; Como congressista, o Secretário de Saúde e Serviços Humanos, Tom Price, votou a favor de uma proibição constitucional do casamento homossexual e chamou a "proteção absurda" das proteções da era de Obama para pessoas transgêneros; E o vice-presidente Pence é, obviamente, a archidemese do movimento LGBTQ. Gill diz-me: "Não espero um enorme progresso nos direitos dos homossexuais nesta administração".


O que essas pessoas têm em comum? Eles são cristãos conservadores no governo (algo que o senador Bernie Sanders parece pensar não deve ser permitido). Desde quando se tornou um crime de dissidência da agenda LGBT?

Naturalmente, a Rolling Stone omitiu qualquer menção ao apoio de Trump aos transexuais no problema do banheiro, a decisão do seu Departamento de Educação de que os professores que utilizam os pronomes "errados" para se referirem a pessoas transgênero sejam disciplinados e a defesa de sua filha Ivanka e O marido dele, Jared Kushner, para diluir a ordem executiva da liberdade religiosa que o presidente assinou.

Gritos de "extremistas!" E "discriminação!" Obscurece as questões muito importantes nesses debates, e os liberais que choram lobo em tais assuntos resultaram em violência real no passado.

O liberal Southern Poverty Law Center (SPLC) tem marcado as organizações conservadoras cristãs como "grupos de ódio anti-LGBT". Em 2012, um homem chamado Floyd Lee Corkins II invadiu o Conselho de Pesquisa Familiar (FRC), com sede em Washington, D.C, com o objetivo de atirar e matar todas as pessoas no prédio e colocar sanduíches de frango Chick-Fil-A perto de seus corpos.

Corkins declarou culpado por três acusações de crime: transportar uma arma de fogo e munições através de linhas de estado, assaltar com a intenção de matar e cometer um ato de terrorismo armado. Foi condenado a 25 anos de prisão. Durante um interrogatório do FBI, o atirador disse que atacou o FRC porque estava listado como um "grupo anti-gay" no site da SPLC.






Ohio LGBT Group anuncia planos para alvejar igrejas para casamentos homossexuais
James Hodgkinson, o homem que atirou no representante Steve Scalise (R-La.) Em uma prática de beisebol, "gostou" do SPLC no Facebook, e o SPLC repetidamente atacou Scalise em sua "lista de ódio". Apesar desses eventos, os democratas e muitos meios de comunicação continuaram a atacar grupos cristãos como Alliance Defending Freedom como "grupos de ódio".

A visão de Gill sobre "punir os malvados" ajuda a explicar como o movimento LGBT pode continuar com essa retórica diante da Primeira Emenda, da posição centrista de Trump sobre questões LGBT e do terror que resultou de rotulagem "odiosa".

Em uma entrevista no ano passado com a PJ Media, o autor cristão Eric Metaxas advertiu que, em tais casos, um "governo ativista efetivamente estabelece uma religião ... assumindo posições muito fortes em questões finais como a pessoa humana, sobre a sexualidade".

A intenção de Gill de "punir os ímpios" parece quase religiosa, e o zelo de seu movimento deixa muitas vergonhas para as igrejas. Mas isso não o faz direito, por qualquer extensão da imaginação.

O Supremo Tribunal levará a recusa da Christian Baker de servir um casamento gay


Fonte: PJ Media

https://pjmedia.com/faith/2017/07/20/lgbt-megadonor-targets-christians-were-going-to-punish-the-wicked/

19 de julho de 2017

Jornalista PATRÍCIA LELIS denuncia Eduardo Bolsonaro na Delegacia da Mulher por ameaças e injúrias

    Na última terça-feira, 18, a jornalista Patrícia Lelis, a mesma que acusou o deputado e pastor Marco Feliciano de tentativa de estupro registrou um boletim de ocorrência contra o ex-namorado Eduardo Bolsonaro. De acordo com uma publicação feita em sua conta do Instagram, ela sofreu injúrias e ameaças pelo celular do deputado federal. O caso foi registrado na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM), em Brasília.
    "Voltei a sofrer ataques machistas de haters, e de pessoas simpatizantes do então deputado, enfim, fascistas seguidores de Eduardo e sua turma, e como se não bastasse: Uma ameaça direta do próprio", escreveu Patrícia, na publicação feita na última terça-feira, 18.
    O caso começou no último dia 11 de julho, quando circulou pelo Facebook o print de uma publicação que supostamente pertencia à página privada do deputado federal. Na postagem, ele estaria reclamando de uma ex-namorada que "é vista em balada LGBT, usando uma roupa vulgar".
O povo online 
http://mobile.opovo.com.br/noticias/brasil/2017/07/jornalista-denuncia-eduardo-bolsonaro-na-delegacia-da-mulher-por-ameac.html

18 de julho de 2017

Com morte de 'Getulinho', suicídio atinge três gerações da família Vargas



PAULA SPERB PORTO ALEGRE, RS (FOLHAPRESS) - Três gerações da família Vargas foram abaladas por suicídio. Assim como o seu avô, o presidente Getúlio Vargas (1882-1954), e o seu pai, Manuel Antônio Vargas (1916-1997), o advogado Getúlio Dornelles Vargas tirou a própria vida, aos 61 anos. Ele tinha o mesmo nome do avô. "Getulinho", como era chamado por amigos, foi encontrado morto em seu apartamento no bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre, na última segunda-feira (17). A Polícia Civil investiga o caso, mas confirma que a causa da morte foi suicídio com um tiro na região da têmpora. Ele deixou uma carta para os familiares, mas não revela a motivação. "São questões bem íntimas. Ele deixou mensagens de carinho para a família", conta a delegada Roberta Bertoldo, da 2ª Delegacia de Homicídios da capital gaúcha. O advogado morava com uma filha, que não estava no apartamento no momento do disparo. "Infelizmente, foi mais uma tragédia nessa família", diz a delegada, em referência ao histórico de suicídio que atingiu três gerações: o avô, o pai e o neto. HISTÓRIA Em 1954, no dia 25 de agosto, Getúlio Vargas, o avô, tirou a própria vida, no seu quarto, no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, então sede da Presidência da República. O presidente se encontrava em meio a uma grave crise política. "Em vez de significar um gesto de fraqueza e covardia, a autoimolação de Getúlio o tornava um mártir e, para o imaginário coletivo nacional, um símbolo heroico de resistência", diz o jornalista Lira Neto, no terceiro livro da série que escreveu sobre o presidente. Getúlio, da mesma forma que o neto, também deixou uma carta. Mas diferentemente de "Getulinho", explicou as motivações políticas para tirar a própria vida. O gaúcho terminava a carta dizendo: "Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História". Na segunda geração, o pai de "Getulinho" também se matou. Manuel Antônio Vargas, conhecido como Maneco, foi encontrado morto na fazenda da família, em Itaqui, após um tiro no coração. De acordo com a investigação da Polícia Civil, o advogado sofria de depressão, o que pode ter levado ao ato. "Embora ele fosse depressivo, talvez os fatos de seus antepassados contribuíram com o suicídio. Há estudos que indicam a origem genética da depressão", afirma a delegada. Apesar da depressão, pessoas próximas a Getulinho o descrevem como uma pessoa alegre e que gostava de estar rodeado por amigos. "Ele sempre foi uma pessoa muito querida dentro do PDT. Ele tinha muitas críticas à própria política. Mas para o PDT, por ele ser neto de quem era, sempre teve muita importância, sempre foi prestigiado", diz Juliana Brizola, deputada estadual pelo PDT. O neto de Getúlio foi um dos fundadores do PDT, partido de Juliana e também de seu avô, Leonel Brizola (1922-2004

BemParaná

Moro compara Lula a Cunha e diz que reforma do tríplex é prova de corrupção



ESTELITA HASS CARAZZAI CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - Em decisão que responde ao primeiro recurso do ex-presidente Lula na ação que o condenou por corrupção, o juiz Sergio Moro negou, nesta terça-feira (18), todos os pedidos da defesa e ainda comparou o petista ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Moro voltou a refutar a tese de que Lula nunca foi o proprietário de fato do tríplex no Guarujá (SP). O magistrado comparou o caso do petista ao de Cunha -pois "ele [Cunha] também afirmava, como álibi, que não era o titular das contas no exterior que haviam recebido depósitos de vantagem indevida". "Em casos de lavagem, o que importa é a realidade dos fatos segundo as provas, e não a mera aparência", escreveu. Segundo o juiz, que negou omissão, obscuridade ou contradição na sentença, as questões trazidas pelos advogados "não são próprias de embargos de declaração". O depoimento do executivo Leo Pinheiro, da OAS, contestado pela defesa, foi considerado por Moro "consistente com as provas documentais do processo", ao contrário dos álibis do ex-presidente, segundo o juiz. Pinheiro afirmou que a compra e reforma do apartamento para Lula foram deduzidas de uma "conta-corrente de propinas" que a OAS mantinha com o PT -o que, para a defesa, é uma tese "fantasiosa". Moro ainda escreveu que as declarações das testemunhas de defesa, que falaram sobre o aparato anticorrupção construído durante o governo do petista, "não excluem a constatação de que o ex-presidente foi beneficiado materialmente em um acerto de corrupção". O juiz, por fim, abriu prazo de oito dias para que o Ministério Público Federal apresente as razões de apelação da sentença. A defesa de Lula também deverá apelar. O caso ainda será julgado pelo TRF (Tribunal Regional Federal) em Porto Alegre.

Fonte: BemParaná
http://www.bemparana.com.br/noticia/515117/moro-compara-lula-a-cunha-e-diz-que-reforma-do-triplex-e-prova-de-corrupcao

17 de julho de 2017

Em abertura do Foro de São Paulo, Gleisi defende Che Guevara e Nicolás Maduro



A nova presidenta e comedianta do PT Gleisi Hoffman, que também é senadora, discursou na abertura do 23° Foro de São Paulo, que aconteceu na Nicarágua.
Gleisi fez um discurso extremista de esquerda, enaltecendo o genocida Che Guevara e o ditador venezuelano Nicolás Maduro, que está matando seu povo de fome e mandando que a polícia assassine seus opositores. Ainda, comemorou o centenário da Revolução Russa, que levou a tragédia para a Rússia e outros países que formaram a extinta União Soviética.
A petista afirmou também que Lula está sendo perseguido pelo judiciário, mais propriamente por Sérgio Moro, que, segundo ela, é um representante da direita “reacionária” e “golpista”.
Veja uma fala de seu discurso:
“Estamos frente a ofensiva de judicialização da política em todo o continente, e no Brasil a intenção é destruir o PT e impedir que o maior líder popular brasileiro, Lula, seja nosso candidato nas eleições presidenciais de 2018, pois sabem que a possibilidade de sua vitória é enorme”.

Jornal Livre

https://jornalivre.com/2017/07/17/em-abertura-do-foro-de-sao-paulo-gleisi-defende-che-guevara-e-nicolas-maduro/

Musical sobre Los Hermanos poderá captar até R$ 8,3 milhões via Lei Rouanet


Em mais um “projeto artístico” aprovado pelo governo para utilizar o dinheiro dos pagadores de impostos brasileiros, o musical “Pormenores – Los Hermanos” da “Sapo Produções Artísticas e Culturais Ltda” foi autorizado a captar R$ 8.374.290,00 por meio da Lei Rouanet.
Dados do musical sobre o Los Hermanos que será feito com o seu dinheiro
De acordo com a descrição do projeto, a verba será utilizada para realizar uma temporada de 2 meses no Rio de Janeiro, com 32 apresentações, outra temporada de 2 meses em São Paulo, também com 32 apresentações, além de 2 apresentações cada em Belém, Recife, Fortaleza, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre, totalizando 80 apresentações no total.
A previsão dos próprios proponentes do musical é que haja uma receita de R$3.360.000,00 – ou seja, com um prejuízo de R$ 5 milhões de reais em relação ao valor a ser captado – caso cada um dos ingressos de R$ 120,00 seja vendido a 350 pessoas por apresentação.
A Lei Rouanet é uma lei de “incentivo à cultura” onde empresas privadas podem abater parte dos impostos recolhidos em seus produtos e serviços para patrocinar “projetos artísticos” escolhidos a dedo pelo governo. Na medida em que, na prática, o valor foi pago pelos consumidores dessas empresas, a verba para este e outros projetos vem do bolso de milhões de pagadores de impostos brasileiros.
As informações são do Instituto Liberal de São Paulo.

Fonte Jornal Livre
https://i1.wp.com/jornalivre.com/wp-content/uploads/2017/07/los-hermanos-agambiarra-3.jpg?w=700&ssl=1

Pastor prega que homossexualidade é pecado e fiéis abandonam culto “É apenas mais uma evidência de que vivemos os últimos dias”, afirmou o líder

Pastor diz que homossexualidade é pecado e fiéis abandonam culto
Assim que o pastor começou um sermão falando contra a homossexualidade, os membros da igreja começaram a sair. Um a um, a maior parte da congregação saiu do templo manifestando sua reprovação. T L Bates, que lidera uma Assembleia de Deus em Oklahoma, recusou-se a comprometer a Palavra de Deus.
Ele sabia que o tema despertava todo tipo de reação, mas não esperava esse tipo de reação de sua comunidade. Mesmo assim, continuou pregando.  A mensagem faz parte da série de sermões “Firestarters” [Fazedores de fogo]. “Eu usei Elias como exemplo desse ‘Fogo de Deus’, e de nossa necessidade de levantarmos uma geração tomada pelo ‘Fogo de Deus’, que não tem medo de enfrentar as falsas religiões (como o islamismo) e a cultura corrupta”, explicou Bates à revista Charisma.
Afirmou estar cansado de ver membros da comunidade LGBT dizer coisas negativas sobre o cristianismo e não serem criticados. Pelo contrário, por vezes recebem elogios. O mesmo acontece quando o assunto é a religião islâmica.

Para ele, a sociedade em geral está acostumada a isso. “Se nós [cristãos], falamos contra, somos chamados de intolerantes e nos censuram e dizem que não estamos sendo politicamente corretos“.
À frente da Igreja da Fé, de Oklahoma City, relata que desafiou os crentes para se levantarem “como uma geração que está espiritualmente em chamas, não sendo intimidados pelas falsas religiões nem cultura enganosa”. Lembra que a homossexualidade é um comportamento claramente condenado nas Escrituras. Tanto na prática sexual quanto na tentativa de se parecer com o sexo oposto. Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus”, afirma 1 Coríntios 6:10.
Quando Bates afirmou que, como cristãos, todos tinham a obrigação de pregar “a verdade em amor e sem desculpas”, notou que as pessoas começaram a se levantar. Muitos balançavam a cabeça em sinal de desaprovação. Ele calcula que entre 50 e 75 pessoas, de todas as idades e raças saíram do templo.
Mesmo após o fim do culto, o pastor continuou enfrentando críticas por causa dessa mensagem. Uma pessoa deixou um bilhete anônimo no para-brisa do seu carro, reclamando de sua “intolerância”. Outros ameaçaram parar de entregar seus dízimos. Um grupo simplesmente nunca mais voltou.
Apesar de tudo isso, Bates disse que não irá ceder. “Ao longo de quase 40 anos de ministério pastoral, tenho visto que as coisas uma geração tolera, a próxima geração aceita como natural e a geração seguinte começa a participar. Na minha opinião pessoal, creio que a comunidade LGBT, assim como os islâmicos e muitos outros grupos possuem uma agenda que já não quer que sejamos tolerantes como seu estilo de vida e crenças, mas que o aceitemos e imitemos”, resume Bates.
O pastor acredita que é chegada a hora de a igreja estabelecer limites claros. “Essa questão dos banheiros trans é apenas a ponta do iceberg. Precisamos traçar uma linha e nos recusarmos a ficar escondidos atrás da ideia de tolerância e aceitação, mas corajosamente declararmos a Palavra de Deus, sem medo de homens”, sublinha.
Exorta os cristãos, em especial os pastores de todo o mundo, que parem de ser complacentes com “estilos de vida ímpios e as falsas religiões e não temam em falar o que é certo”. Analisando o que ocorreu em sua própria igreja, dispara: “É apenas mais uma evidência de que vivemos os últimos dias antes da vinda do Senhor e o julgamento final de Deus.” .
Em 1 Timóteo 1:9-10 está escrito que a lei  de Deus “foi feita para aqueles que estão contra a lei, para os rebeldes, para os que são contra a religião, para os pecadores, para os impuros, para os que não têm respeito por Deus, para os que matam pais e mães, ou para os assassinos. A lei também foi feita para os que cometem imoralidade sexual, para os homossexuais, para os que exploram os outros, para os que fazem juramentos falsos e para todos aqueles que são contra o verdadeiro ensino de Deus”.

Gospel Prime.

Exclusivo! Record denuncia: delação de Antonio Palocci põe TV Globo na mira da Lava Jato.








Uma delação que pode comprometer uma das famílias mais ricas e poderosas do Brasil. O ex-ministro Antonio Palocci guarda informações bombásticas. Elas podem dar origem a uma nova fase da Operação Lava Jato para apurar negócios da TV Globo envolvendo sonegação fiscal, empresas de fachada no exterior e negócios em contratos do futebol. Veja na reportagem!

http://noticias.r7.com/domingo-espetacular/videos/-exclusivo-delacao-de-antonio-palocci-poe-tv-globo-na-mira-da-lava-jato-17072017-1

15 de julho de 2017

Após perder cesta básica, servidora sem salário surpreende e... canta jazz!; vídeo


Na fila de doação de cestas básicas para os servidores do Estado do Rio que não estão recebendo salários, neste sábado, a professora aposentada Marilza da Conceição Apparecida, de 79 anos, não teve muita sorte. Antes de chegar sua vez, as cerca de 500 cestas doadas pelo Movimento Unificado dos Servidores Públicos já haviam acabado. Mas a multidão que aguardava pelos alimentos ganhou um 'show' particular da servidora, que, triste, interpretou - lindamente - uma canção de jazz do americano Sam Cooke, considerado o fundador da soul music. Veja o vídeo:
Aposentada desde 1985, Marilza conta nunca ter vivido uma crise financeira tão grande como a que está enfrentando. Sem a pensão, a professora agora depende da ajuda de amigos e dos trabalhos como cantora para sobreviver, conta:
— Hoje estou com a minha vida financeira completamente acabada. A minha sorte é que moro em um apartamento próprio, que consegui comprar com meu trabalho como cantora.Quem olha a minha despensa ou a geladeira até se assusta. Estou conseguindo me alimentar porque uma amiga me emprestou R$200. Nunca imaginei que fosse viver nessa dificuldade.
Além do descaso do Governo, que não pagou os salários de maio, junho e parte do décimo terceiro de 2016, Marilza sofre mais uma consequência da crise econômica, a redução do número de eventos no estado.
- Consigo tirar um dinherinho quando me contratam para cantar em algum evento, mas até isso está se tornando difícil — lamenta
https://m.extra.globo.com/noticias/rio/apos-perder-cesta-basica-servidora-sem-salario-surpreende-canta-jazz-video-21596876.html?versao=amp

14 de julho de 2017

Autor da Bíblia “A Mensagem”, Eugene Peterson muda de posição sobre casamento gay



Eugene Peterson já foi um dos líderes mais respeitados em assuntos pastorais, mas hoje se prostrou diante das heresias do progressismo evangélico

Por Editor Web -13 de julho de 2017





Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Após ter sido um dos líderes mais respeitados em assuntos pastorais, Eugene Peterson se prostrou diante das heresias do progressismo evangélico, e hoje apoia o ingresso de homossexuais no ministério e se recusa a emitir uma opinião clara e cabal sobre o casamento gay.

Eugene Peterson, autor da conhecida Bíblia “A Mensagem”, cedeu uma entrevista para o jornalista Jonathan Merritt do site “Religion News Services” e respondeu algumas perguntas intrigantes sobre questões culturais e sua visão sobre a homossexualidade na igreja.

“Eu não teria dito isso há 20 anos, mas agora conheço muitas pessoas que são gays e lésbicas e parecem ter uma boa vida espiritual”, disse Peterson ao site. O líder contou que passou 29 anos pastoreando uma Igreja Presbiteriana que ele mesmo fundou em Bel Air, Maryland (EUA), e que durante esse período não teve tantos aconselhamentos com homossexuais em sua congregação.

No entanto, um dos poucos aconselhamentos nesta área lhe chamou atenção de forma especial. Ele explica que, certo dia, um jovem pediu para assumir o cargo de líder de louvor na congregação. O tal rapaz havia crescido na igreja de Peterson e se tornado um músico talentoso, além de professor de ensino médio. Enquanto pedia o emprego, ele revelou que era gay. O pastor teve orgulho de sua igreja, que não fez qualquer questionamento sobre a contratação do jovem.

Para Peterson, o rapaz “era realmente um bom músico e a pessoa certa para o trabalho”. Ele sente que a igreja está em um momento de transição em relação à posição sobre a homossexualidade. “Eu acho que esse tipo de debate sobre lésbicas e gays pode acabar”, ressalta.

Sem resposta definitiva

Sobre a homossexualidade ser algo correto ou errado, Peterson não possui uma resposta definitiva. “Eu não acho que seja algo que você possa exibir, mas também não julgo ser certo ou errado”. Para o líder, este é o momento da igreja derrubar o debate, pois se uma igreja não concorda com a decisão de incluir homossexuais na congregação, “provavelmente eles irão para outra igreja”, colocou.

Megan Briggs, editora do site Church Leaders questiona: “A curiosa resposta de Peterson a esta questão levanta uma antiga pergunta: qual é exatamente o propósito da igreja? É para ser uma espécie de clube ou ser um lugar onde pessoas de diferentes contextos socioeconômicos, filosofias, culturas e talvez até mesmo orientações sexuais possam se reunir para buscar a Deus e sua vontade juntos?”.

Peterson, que já tem 84 anos, ressalta na entrevista sua crença na importância do relacionamento pastoral nas igrejas. Ele não é fã de mega-igrejas, onde há a preocupação de lotar templos e não de construir um bom relacionamento com as ovelhas. “Não há relacionamento com ninguém”, diz ele sobre as congregações de grande porte. Ele continua dizendo que esse tipo de igreja preza pela diversão. “São lugares de entretenimento”.

A verdadeira igreja, de acordo com Peterson, é “relacional”, onde as pessoas “conhecem as outras com quem estão orando”. Ele diz: “A conversa é uma das coisas mais importantes que os pastores precisam desenvolver – em vez de dizer às pessoas o que fazer”. Peterson sugere que em vez de lhes dizer que seu estilo de vida é errado ou pecaminoso e que eles devem mudar, o pastor deve primeiro conhecer a pessoa, ouvir sua história e envolvê-los.

Veja a entrevista na íntegra (em inglês)

13 de julho de 2017

Jornalista desmascara Gleisi e aponta que ela ligou para presidente da CUT para pedir autorização referente a ato no Senado





Imagem: Produção Ilustrativa / Política na Rede

O jornalista Merval Pereira, do jornal O Globo, lamentou o "papel deplorável" feito pelas senadoras que tomaram de assalto a Mesa Diretora do Senado. Pereira criticou a política de grêmio estudantil e apontou: "a maior demonstração de que as senadoras estavam ali como meras linhas auxiliares dos sindicatos, que perderão sua força com a reforma trabalhista, foi a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffman, telefonar para o presidente da CUT para pedir permissão para encerrar a ocupação da Mesa do Senado".

Leia abaixo o texto de Merval Pereira:
O que se viu no plenário do Senado remete a cenas a que estamos assistindo diariamente na Venezuela, com o Congresso sendo invadido por vândalos, e parlamentares submetidos a pressões ilegais por representantes de corporações que cuidam de seus interesses sem atentar para os do país.
As senadoras que ocuparam a Mesa Diretora do Senado, não permitindo que o presidente Eunício de Oliveira iniciasse a sessão de votação da reforma trabalhista, fizeram um papel deplorável, por um momento o Senado Federal transformou-se em um palco para que senhoras voltassem aos tempos de ação política em grêmios estudantis, capitaneadas por um ex-presidente da UNE que tem complexo de Peter Pan.
O senador Lindbergh Farias manipulou os cordéis para que as senadoras se sentissem no comando das ações, mas foi dele que partiu a ordem para que a senadora Fátima Bezerra permanecesse na cadeira da presidência quando ela já se dispunha a liberá-la. Corria a boca pequena que todo aquele espetáculo fora concebido por outro ex-líder estudantil, o ex-ministro e atual condenado em prisão domiciliar José Dirceu.
A coisa foi tão ridícula que o deputado Marco Maia, ex-presidente da Câmara e envolvido em acusações na Operação Lava Jato, comemorava: “Já estão fazendo um vídeo comparando as senadoras às grandes mulheres que mudaram a História, a Rosa Luxemburgo, Olga Benário. Um sucesso”.
A cena das senadoras comendo quentinhas na Mesa do Senado parece de uma comédia pastelão, e o mais grave é que essas senhoras estão convencidas de que participaram de uma ação histórica, quando não passaram de ações histéricas que rebaixaram a política, já tão rebaixada pelos acontecimentos que estão sendo revelados no dia a dia da Operação Lava Jato.
No final, a reforma trabalhista foi aprovada como veio da Câmara, e o governo se comprometeu a fazer diversas mudanças através de vetos ou medidas provisórias para acatar algumas das reivindicações da oposição, como a não permissão para que trabalhadoras grávidas freqüentem ambientes considerados insalubres.
A flexibilização das leis trabalhistas poderá ajudar o país a melhorar a taxa de desemprego, uma conseqüência da crise econômica em que os últimos anos petistas nos meteram. Para o PT e seus satélites de esquerda, foi uma boa oportunidade para jogar para suas platéias, e a maior demonstração de que as senadoras estavam ali como meras linhas auxiliares dos sindicatos, que perderão sua força com a reforma trabalhista, foi a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffman, telefonar para o presidente da CUT para pedir permissão para encerrar a ocupação da Mesa do Senado. Como não foi autorizada pelo sindicalista, continuou sua patética atuação junto às outras senadoras.
O fim da contribuição sindical obrigatória está na legislação aprovada, o que retirará dos sindicatos esse poder financeiro que exercem sobre seus sindicalizados. Há tentativas de mitigar essa decisão, e o Palácio do Planalto negocia com os sindicatos. Mas, depois de ontem, não há garantia de que uma negociação é possível.
Episódios deploráveis que só fazem demonstrar o que esses políticos consideram ser uma ação democrática. O que chamam de resistência democrática significa apenas a não aceitação da vontade da maioria parlamentar, o contrário da democracia.

12 de julho de 2017

Dirceu volta a operar nas sombras



BRASIL


Enquanto não retorna ao cárcere, o petista age nos bastidores: recebe companheiros em casa, influi nas decisões do PT, insufla a militância e mantém conversas de coxia até com o ex-presidente Lula


ELE NÃO SE EMENDA Numa das reuniões, Dirceu orientou os petistas a escolherem a senadora Gleisi Hoffmann para presidir o partido (Crédito: Divulgação)


Desde que deixou a prisão, em maio deste ano, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu tem evitado os holofotes. Não apareceem público nem mesmo para receber as loas dos companheiros de outrora, como ocorreu na última convenção do Partido dos Trabalhadores (PT), quando a senadora Gleisi Hoffmann foi alçada ao posto máximo da legenda. A alegação oficial é de que o petista tem aproveitado o tempo fora do cárcere – exíguo, já que ele pode regressar à cadeia qualquer momento, basta que a segunda instância ratifique decisão do juiz Sergio Moro – para ficar em casa e desfrutar dos momentos com a família. Conversa fiada. Dirceu tem agido nas sombras. Mal completou dois meses de liberdade e o ex-capitão do time de Lula parece ter readquirido ritmo de jogo.

O entra e sai de militantes e políticos em sua residência em Brasília é frenético. Como bom anfitrião, o petista tem recepcionado integrantes da bancada do partido para discorrer sobre política e até definir estratégias de ação. Na entrada, oferece café. Às vezes, bolo. Os últimos passos do PT foram traçados com a anuência dele. Foi numa reunião realizada em torno de uma mesa quadrada de madeira que Dirceu deu aval, por exemplo, à ascensão de Gleisi à presidência do partido, em detrimento de Lindbergh Farias (PT-RJ), descrito pelo ex-ministro como “muito instável”. “Gleisi é mais orgânica e focada”, teria dito Dirceu, segundo pessoas que estiveram com ele recentemente. Os encontros, em geral, ocorrem às escondidas, na calada da noite, longe das lentes e radares da mídia e até da vizinhança no Lago Sul, setor residencial nobre de Brasília. Conforme apurou ISTOÉ, nos últimos dias, Dirceu manteve uma longa conversa com o seu interlocutor mais ilustre, o ex-presidente Lula. O canal estabelecido por eles, porém, não foi revelado.

AS DIGITAIS

Monitorado com a ajuda de uma tornozeleira eletrônica, Dirceu se reúne pelo menos uma vez por semana com a cúpula do PT que ele ajudou a eleger. O senador Paulo Rocha (PA) reconheceu que o petista contribui para as decisões do partido. “Mas de forma discreta”, afirmou Rocha. Um assessor da liderança do partido no Senado afirmou à ISTOÉ que José Dirceu ainda possui uma carteira de conhecimento que transcende as alas do PT. Até pelo Ministério Público Federal ele ainda transita com desenvoltura. Mas, óbvio, seus movimentos são meticulosamente calculados. “Ele teme que uma ação ou declaração desastrada possa desagradar ao presidente Lula ou ao MPF (Ministério Público Federal)”, explica o assessor.

As digitais do ex-ministro são identificadas no posicionamento das bancadas do PT na Câmara e no Senado. Seguindo a velha cartilha revolucionária imposta pelo ex-detento, os parlamentares da sigla têm cumprido à risca as determinações do Zé, como é conhecido internamente. Quais sejam: de promover baderna nas ruas e tumulto nas sessões do Congresso, a fim por em prática a surrada estratégia do “quanto pior, melhor”. Melhor para o PT. Na avaliação de Dirceu, para que a esquerda tenha condições de regressar em 2018, Temer precisa sangrar até o final. Mesmo que isso atrase ainda mais a recuperação econômica do Brasil – que o petista afirma defender. Recentemente, por intermédio de um emissário, Dirceu enviou um recado à militância. A

SUGESTIVO Dirceu foi flagrado em festa junina, há duas semanas, sentado próximo ao caixa dois (Crédito:Divulgação)Divulgação

mensagem foi gravada: “Precisamos ocupar as ruas desse País. Precisamos reconquistar aquilo que ganhamos quatro vezes, que é o governo do Brasil”, disse ele, em mensagem gravada e replicada nas redes sociais. Poucos dias depois de ter sido solto, o ex-ministro recebeu um grupo de 30 amigos em sua casa no Lago Sul, região onde se concentram as residências dos presidentes da Câmara e do Senado, além de embaixadas. Os companheiros lhe proporcionaram um suculento churrasco.

“TRAIÇÃO”

Apesar do clima de aparente fidelidade, nem tudo são flores na relação de Dirceu com o PT. Em conversas com interlocutores, o ex-presidente da legenda desfiou um rosário de críticas a determinadas figuras do petismo, a quem acusou de traição. A amigos de longa data chegou a dizer que seu infortúnio foi efusivamente comemorado por uma corrente interna do PT, interessada em vê-lo pelas costas. “Todo mundo sabe que ele seria o próximo presidente do País se não tivesse sido tragado pelo mensalão. E isso desagradava a algumas pessoas dentro do PT”, vaticinou um servidor da liderança do partido na Câmara Legislativa do Distrito Federal, com quem Dirceu costuma se reunir.

Recentemente, por intermédio de uma mensagem gravada, Dirceu enviou um recado à militância: “Precisamos ocupar as ruas desse País”VELHO COMPANHEIRO A conversa entre Lula e Dirceu foi longa. O ex-capitão do time e o ex-presidente ainda tocam de ouvido (Crédito:Joédson Alves)

No Distrito Federal, a principal interlocução de José Dirceu é com o deputado distrital Chico Vigilante. Assim que deixou a prisão, Dirceu recebeu a visita do político candango. O encontro entre os dois foi no Sudoeste, o primeiro local de moradia do sentenciado, após o desembarque da viagem feita de carro de passeio do Paraná à capital federal, para evitar constrangimentos nos voos comerciais. Na sexta-feira 30, foi a vez de Dirceu devolver a gentileza a Vigilante. O distrital se recupera em casa de uma cirurgia para retirada de um tumor na tireoide. O ex-ministro de Lula e Dilma se deslocou quase 40 quilômetros para visitar o amigo convalescente no Setor P Sul, em Ceilândia, cidade da periferia de Brasília. Chico Vigilante cumpre à risca a cartilha do “amigo”, como ele mesmo costuma descrever o petista em textos divulgados nas redes sociais. Numa das publicações, Vigilante defendeu o controle da mídia, uma das bandeiras de Dirceu, embora tenha embutido uma pequena crítica ao companheiro.“O Brasil é o único lugar no mundo onde a mesma empresa pode ser dona simultaneamente de rádio, jornal, revista, televisão, internet etc. É o país do monopólio antidemocrático. Essa omissão foi um erro grave dos estrategistas do PT, inclusive do meu amigo Zé Dirceu”, escreveu o representante dos vigilantes do DF na Câmara Legislativa.

Mesmo preso, Dirceu nunca parou de tentar influir no PT. Na prisão, o petista dedicava-se à produção de um livro – um capítulo será dedicado a período de um ano e nove meses que ficou encarcerado em Curitiba. Entre uma lauda e outra, Dirceu orientava os companheiros. As mensagens eram emitidas por meio de advogados. Agora, o petista aproveita a liberdade para intensificar o corpo-a-corpo com os correligionários. Ao menos os que ainda lhe prestam reverência.

O ex-ministro de Lula deixou a cadeia no dia 3 de maio, numa decisão insólita da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, que determinou a soltura do preso por três votos a dois. O juiz da 13a Vara Federal, Sergio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato que envolvem réus sem foro privilegiado, condenou Dirceu a 32 anos de prisão em regime fechado. O processo será analisado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. Se os ministros ratificarem a sentença, Dirceu deverá passar a próxima década de onde não deveria ter saído.

Divulgação

Istoé  independente. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...