Subscribe:

21 de dezembro de 2010

Sala de Visita- Entrevista

Irmãos, esta é a última entrevista do ano, e não poderia deixar de trazer para este cantinho especial, um irmão que todos amam, e tenho muito orgulho de entrevista-lo. Nosso querido irmão René Burkhardt. Aproveitem que o ano esta terminando e façam suas perguntas. Voltaremos com as entrevistas só no ano que vem, Paz a todos!

Nome: René Burkhardt

Idade: meio século, se chegar vivo a 27 de fevereiro!

Casado ou solteiro? Casado, e muito bem, nesta segunda chance que o Senhor me concedeu! O nome dela é Maria de Lourdes, mas a chamo de Malú.

De onde? Nascido em Porto Alegre/RS, mas tive que assumir... meu sangue é carioca. Atualmente, moro em Magé/RJ, que fica às margens da baía de Guanabara e aos pés da Serra dos Órgãos.

O que faz? De trabalho secular, nada! Há alguns anos (sete, mas não é conta de mentiroso) estou sem trabalhar por conta de alguns impedimentos físicos (principalmente coluna e tendinite em ambos os braços).

René na net: Viajante comportado e blogueiro despretensioso. Isto quer dizer sem pretensão de ter uma lista enorme de seguidores e de comentários. A intenção é lançar a Palavra de Deus, para que o Espírito Santo a use como for apropriado. Enquanto isto, viajo por outros blogs recebendo edificação.

Como é o relacionamento com a família? Com a família fora da minha casa é meio complicado. Eu vivo um Evangelho simples, de fé e confiança em Jesus, enquanto 95% dos parentes defende a “cobertura espiritual” de alguma instituição religiosa. Dentro da minha casa, amo minha esposa e procuro demonstrar isto a todo instante, com diálogos, gestos de atenção e carinho, confiança, etc. Com as três filhas também tento isto, mas é um pouco mais difícil. Duas estão na adolescência, 14 e 13 anos, e quem já passou por isto, sabe das dificuldades de relacionamento nesta idade. Com a de 9 anos, por enquanto, é fácil e muito bom. Já com os filhos casados, tenho pouco contato direto, já que o mais velho mora no Rio (cidade) e a número dois mora em Petrópolis.

O que acha do meio Evangélico no momento? Não gosto dele. Sem querer ofender a ninguém, pois sei que há verdadeiros adoradores do Senhor em todos os lugares, vejo que o meio evangélico se transformou naquilo que Jesus tanto recriminou: uma religião de subornadores e subornados. Nesse meio, todos concordam que Jesus encravou a Lei na Cruz, no entanto, não percebem que criaram uma lei muito maior, com muito mais preceitos que Lei que Deus entregou a Moisés. E vivem isto no seu dia-a-dia! “Não faça assim, não toque naquilo, não fale com fulano, etc., se você quer ir pro céu, ou se você quer agradar a Deus”. Assim, dizem amar a Deus, porque Ele vai deixá-los ir pro céu, ou porque Ele não vai mandá-los pro inferno. Vejo isto como suborno. Não é amor verdadeiro a Deus, por Ele ser Quem é: o Deus Pai e Criador!

Você acredita que a Blogosfera Cristã tenha influenciado nesta eleição de 2010? Sim, isto foi flagrante, principalmente, no segundo turno, onde a discussão dos candidatos e seus discursos, giraram em torno de assuntos que a blogosfera cristã estava cobrando. Mas não vejo isto positivamente, pelo menos, da forma que foi. Os candidatos perderam muito tempo num malabarismo de tentar agradar a gregos e a troianos, nas questões de cunho religioso, e deixaram de discutir outros assuntos importantes para o País. Ninguém, até hoje, sabe o que a candidata eleita pretende fazer, quando estiver no poder, assim como ninguém sabe o que o candidato derrotado faria. Falo de propostas objetivas, não dos interesses pessoais deles, que parecem ser sua única preocupação.

O que você mais admira em alguém? Sou meio quieto e demorado a fazer contato com pessoas que eu não conheça. Por isto, admiro muito a extroversão, desde que sincera, de algumas pessoas. Aquela capacidade de se aproximar com um sorriso e fazer amizade quase que instantaneamente. Mas repito: com sinceridade! Bom, então, o que eu mais admiro é a sinceridade, não?

Tem orgulho de alguém ou de si mesmo? Gastei minha vida na soberba e me arrependo muito disso. É dolorido demais pensar no quanto já tive orgulho de mim mesmo. Todos os dias dou graças a Deus, por Ele estar me tratando poderosamente também nesta área. E, dos outros não sinto orgulho. Apenas fico muito feliz, quando alguém se dá bem honestamente, em qualquer sentido.

Tens apelido? Deixa isso quieto. Só tive apelido da minha mãe. Mas... tá bom! Vou dizer, mas não espalha: Teco.

Não conseguiria viver sem: Jesus, meu melhor amigo, conselheiro, professor, médico, Pai, irmão, etc., etc., etc., e bota etc. nisso!!

Quais seus Livros e autores preferidos? Sou péssimo pra memorizar nomes. Mas, vamos lá: “O Peregrino” me surpreendeu muito! “Sem Barganhas Com Deus”, do Caio, é um livro essencial pra todo cristão, além de outros livros dele. Gosto do Ed René Kivitz, C.S. Lewis e, principalmente, David Wilkerson. Gosto de outros, também, mas não lembro os nomes dos caras agora.

Que tipo de música curte? Pink Floyd, Elton John, Beatles, Queen, Supertramp. Dos brasileiros, Chico Buarque, Oswaldo Montenegro, Ney Matogrosso, Caetano Veloso, Geraldo Azevedo, João Bosco, Ana Carolina, Zélia Duncan, Elis Regina, Maria Bethânia, e muitos outros. Dos chamados cristãos, Amy Grant, Michael W. Smith, Grupo Logos, Alda Célia, Paulo César Baruk, Thiago Grulha, Asaph Borba, e outros. Também gosto de música clássica, blues e música caribenha.

Seus filmes preferidos: Taí uma coisa que não consigo guardar nome: filme. Gosto de filmes de ação e de comédia. Qualquer coisa que distraia! Mas, se tiver um filme mais denso, de preferência baseado em fatos reais, estou dentro!

Vida: Nasci em Porto Alegre/RS, aos 27 de fevereiro de 1961. Quando tinha três anos, minha família se mudou para Novo Hamburgo/RS, onde fiquei até 1977. Lá, estudei em escolas evangélicas e freqüentei a igreja Luterana, ainda que não acreditasse na existência de Deus. Tendo terminado o 2º grau, me mudei para o Rio de Janeiro, para morar com meus parentes maternos e trabalhar. Sempre fui apaixonado pelo Rio. Casei, tive três filhos, sendo que o terceiro faleceu ainda novinho, com 45 dias. Separei, aliás, minha esposa se separou de mim, conheci a Malú, casei com ela e temos mais três filhas (duas são dela com o primeiro marido). A Malú é de Floripa, onde eu morava quando a conheci. Fiquei por lá 8 anos. Voltei pra Magé, onde vivo há 5 anos. Trabalhei em diversos lugares (jornal, hotel, empresa de telefonia, e outras), mas onde fiquei por mais tempo, 15 anos, foi em um banco federal. Agora, vivo da graça do Senhor que tem suprido todas as nossas necessidades, sem que tenhamos nada no sentido material.

Tem medo da morte? Nem um pouco. Espero por ela (ou pelo arrebatamento, na volta do Senhor) para estar definitivamente com o meu Pai.

Tens alguma mania? Rssss. Alguma? Sou muito metódico. Meu pai era metódico e nos ensinou a ser assim. Parece que eu peguei a parte dos meus irmãos, também. Além disto, em banco a gente precisa ser metódico. Mas, outro dia, observei que adquiri uma nova mania (há vários meses): toda noite, minha esposa deixa o chinelo jogado, ao se deitar. Aí, antes de deitar, eu pego o chinelo dela e deixo arrumadinho ao lado da cama, pra ela poder calçar direto, ao se levantar, sem ter que ficar caçando pelo quarto.

Um momento inesquecível: São alguns: o dia que o Senhor “falou” comigo e começou o processo da minha conversão, que dura até hoje e vai continuar até eu me encontrar com Ele pessoalmente. Uma viagem de navio que fiz com meu pai (eu tinha só 8 anos) pra Europa, pra conhecer meus avós (os pais dele). Lembro de muita coisa daquela época, principalmente o frio de lascar que faz no inverno da Europa. Também não esqueço do nascimento dos meus filhos. Assisti dois (a número 2 e o número 3) por um vidro na sala de parto e um (a número 6) ao lado da minha esposa, segurando a mão dela (tomando arranhão no braço) e ajudando a acalmá-la. Este, evidentemente, foi o mais emocionante. Não tem preço e é inesquecível meeeesssmoo!!!

O que te deixa feliz: Ver os passarinhos soltos aqui na “selva” que é o lugar onde moro. Ver as montanhas que cercam este lugar. Ver os macaquinhos que quase invadem nossa casa. Na verdade, qualquer coisa que me mantenha lembrando que Deus É. Neste caso, quando vejo pessoas “se matando” pra poder ajudar a quem precisa, também me deixa feliz, porque vejo o meu Senhor ali.

Blogs que recomenda: Bora Ler (da Regina); A Razão da Esperança (da Adriana); A Igreja Invisível (do João Carlos); Blog do Wendel Bernardes; Cativos por Cristo (do Herrera); A Pedra (do Anselmo); Alguém, o Evangelho e a Vida (do Clayton); Tende Ânimo (da Luciana Rodrigues); Voltando ao Gênesis (do Ednelson); Direito de Saber (da Tamiris); Blog do Alan Capriles; Jesus, Amor, Justiça e Salvação (da Rita); Hugo...Metanoiado (do Hugo Theóphilo); Susto de Amor (do Cláudio) e Mulheres Sábias (da Rô – conhece este?). Estes são os que mais visito. No meu blog têm mais alguns que recomendo, além dos sites A Bacia das Almas, Projeto Ômega e Caio Fábio.

Como foi a sua conversão a Jesus? Em novembro de 1986, casado, com um casal de filhos, e com um emprego razoável, senti como se minha vida tivesse parado. Havia um vazio enorme dentro de mim e uma sensação de total falta de sentido para a vida. Foi quando falei com Deus: “Se Você realmente existe, como me ensinaram, então Você pode “ler” o meu pensamento. Neste caso, e se Você quer que eu passe a ter uma vida com Você, me dê o sinal”.

Naquele momento, pedi ao Senhor um sinal que seria impossível de se cumprir naturalmente e sobre o qual eu não teria vantagem pessoal nenhuma. Vinte minutos depois de ter pensado essas coisas, o sinal apareceu. Fiquei extasiado por saber que Deus realmente existia, que nos acompanha pessoalmente, mesmo quando ainda somos pecadores, e com o poder que Ele mostrou, tanto ao “ler” meus pensamentos, quanto cumprindo o sinal que pedi.

A partir daí, passei a buscá-Lo com todas as minhas forças, e com todo o meu coração, e com todo o meu entendimento. “Descobri” que minha irmã, Christine, assim como minha mãe e algumas pessoas da família, tinham orado por anos, para que isso acontecesse. E minha irmã passou a ser minha “mãe” espiritual, me orientando e tirando dúvidas sobre a Palavra de Deus, que eu devorava.

Poderia compartilhar um pouco de sua história, contexto social e área de serviço de maior força em algum ministério e Seminário Teológico? Sobre minha história, acho que ainda devo acrescentar alguns detalhes da minha infância/adolescência: As escolas onde estudei eram luteranas. Isto significa que éramos obrigados a participarmos de “cultos” uma vez por semana nas escolas, além de termos que freqüentar a igreja aos domingos. Como eu era bolsista, não podia faltar, sob pena de perder a bolsa e, conseqüentemente, ter que sair da escola. Além do mais, meu pai era luterano de formação, apesar de ateu, e havia me batizado quando eu ainda era um bebê.

Fiz a tal Confirmação de Batismo. Nesse mesmo ano, no auge da sabedoria dos meus 13 anos, declarei que Deus não existia, usando os ensinos luteranos em confronto com a Bíblia como argumento. Este garoto ateu, cresceu ateu. Não via sentido, nem mesmo, nas outras religiões.

Após o início da conversão, me dediquei muito ao estudo da Bíblia, orando e lendo para ter o entendimento. Quanto mais aprendia, mais difícil ficava concordar com a religião. Ainda assim, visitava inúmeras igrejas, tentando encontrar alguma que cresse naquilo que pregavam, ou seja, a Palavra de Deus. Nesse meio tempo, havia uma Igreja em minha casa, que se concentrava em adorar ao Senhor e aprender Sua Palavra. Sem dogmas. Mesmo assim, havia uma grande influência da religião imposta na infância e da religiosidade que minha irmã e minha esposa absorviam na igreja que freqüentavam. Isto acabou me levando, três anos depois, a dizer ao Senhor que eu não queria mais saber dEle, já que a religião não confirmava nada do que Ele era pra mim, ou seja, onipresente, onipotente, onisciente e amor. Nessa época, minha condição financeira era muito boa, diferente da minha infância/adolescência.

Mais cinco anos e o Senhor me chamou de volta, me dizendo que iria mudar completamente minha vida e mostraria Quem Ele é, verdadeiramente. E assim foi. Como fez com Jó, o Senhor me tirou tudo: segurança financeira, bens, propriedades e, por fim, a família. Apesar de ser o período de maior sofrimento da minha vida – cheguei a desesperar dela por três vezes -, eu considero como o período mais importante de todos. Período de desconstrução de tudo, para erguer uma nova estrutura, bem fundamentada. Foi quando Ele me trouxe a Malú, que passava por situação semelhante, e tratou dos dois ao mesmo tempo. Temos vivido com muita dificuldade material, mas nossa confiança, Paz, segurança, dependência, alegria no Senhor, só tem crescido e se fortalecido.

Coloquei todas estas coisas, porque o que eu acredito que esteja sendo um ministério em minha vida é usar essa experiência e esse descanso no Senhor como auxílio àqueles que necessitam. O Senhor tem trazido pessoas a mim, pessoalmente, por telefone, por email, para que eu possa ajudá-las, com palavras de conforto, de exortação ou de edificação, conforme o necessário.

Quanto à teologia, fiz um curso básico, além de ler um bocado de coisa. A vantagem que vi, foi a de confirmar a Palavra que diz que “a letra mata, mas o Espírito vivifica”. Nunca vi coisa tão eficiente pra nos afastar de Deus, quanto a religião que nasce da teologia. Deve ser por isto que Dave Hunt disse que “a maior arma de Satanás não é o ateísmo, ou o satanismo, mas a religião”.

Existe preconceito dentro dos arraiais evangélicos? Demais da conta! Existe uma grande dificuldade de se receber aqueles salvos que o Senhor vai acrescentando, porque a obra de transformação nas pessoas nunca é imediata. Pelo contrário, é lenta e gradual, além de ser de acordo com as “prioridades” de Deus, não dos homens. E, como a religião dentro dos arraiais evangélicos ensinou a todos os que estão dentro a olharem para a aparência (que eles chamam de frutos), forma-se todo o tipo de preconceito sobre quem está chegando e ainda não entrou nos “conformes da lei”.

O que acha do povo chamado desigrejado?? São meus pares. Sempre fui um desigrejado. Mas, como todo grupo que está sob um rótulo, há diferenças importantes dentro desse grupo. Muitos se fizeram desigrejados por não terem alcançado o poder que queriam dentro das instituições religiosas. Estes, mais cedo ou mais tarde, acabam formando uma nova instituição. Outros, são desigrejados por conta de picuinhas dentro das instituições. Sem terem uma estrutura cristã firme, se afastam e não conseguem congregar com ninguém, exatamente por não terem aprendido a respeitar as diferenças dos outros e a sofrer o dano. A parcela menor é de pessoas conscientes de que a religião (formadora das instituições religiosas) nos afasta de Deus, ao invés de nos aproximar dEle. Esse número de pessoas tem crescido e, por darem ouvidos ao Espírito Santo e à Palavra de Deus, elas têm aprendido a louvar e adorar ao Senhor em verdade e em espírito, compartilhando um mesmo pensar e respeitando as diferenças.

Você acha que precisamos estar dentro de um Templo?? De forma alguma. O Senhor já determinou qual é o Seu Templo. Jesus sofreu fora da porta. “Portanto, saiamos até ele, fora do acampamento, suportando a desonra que ele suportou”.

Existe diferença de quem está dentro e fora do sistema, ou na verdade são todos iguais?? Iguais, perante Deus. O Senhor Se revela a quem quiser, onde quiser! A grande diferença que vejo, é que quem está no sistema tem maior dificuldade para dar ouvidos ao que o Espírito diz à Igreja, uma vez que Ele tem sido sistematicamente substituído por regras, por liturgias, por dogmas e ensinamentos de homens. Quem está fora, pelo menos, está livre dessas barreiras.

Qual o seu maior orgulho? Não tenho nenhum.

Uma frase ou lema: Frase: “Quem serve a Deus por dinheiro servirá ao diabo por um salário melhor” - Roger L’Estrange.

Qual a maior anseio de sua vida? Me encontrar pessoalmente com meu Senhor!

O que acha da relação entre os evangélicos e a internet? Vejo pessoas cristãs buscando edificação e compartilhando o que já recebeu do Senhor. Mas também vejo muita apologia teológica, principalmente dos evangélicos. Ainda é um relacionamento confuso. Mas logo, logo, aqueles que não estão presos à religião vão se organizar e, por algum tempo, serão um instrumento para que o Senhor alcance mais almas.

A igreja brasileira ainda está engatinhando teologicamente? Como avalia? Na verdadeira acepção da palavra, torço para que a Igreja se afaste da teologia, busque a revelação do Cristo morto e ressuscitado, através do Seu Espírito, e passe a cumprir a sua função de amar. Por ter generalizado, devo acrescentar que sei que existem pessoas da Igreja, que têm cumprido seu papel de Igreja.

Muitas mídias evangélicas acabam prestando um desserviço, mudando o foco do genuíno cristianismo. Nessa perspectiva, qual o seu ponto de vista quanto à blogosfera cristã? Como disse antes, creio que as pessoas livres de religião aprenderão a se organizar e apresentarão o único Evangelho a quem dele quiser aprender.

O que caracteriza a sua espiritualidade? Intimidade com o Senhor. Dependência do Senhor. Confiança irrestrita no Senhor. Falo com Ele o tempo todo, até mesmo quando assisto televisão. E a certeza de que o Espírito Santo faz tudo o que Jesus disse que Ele faria.

As principais linhas teológicas no Brasil são os Arminianos e Calvinistas, relativamente separados pelas questões dos dons espirituais. Qual a sua linha teológica? Creio nos dons espirituais sendo manifestados ainda hoje, conforme a vontade do Espírito Santo. Discordo de várias posições arminianas e, muito mais, das calvinistas. Já escrevi sobre isto. Acho que o título do texto é “Eleição”, onde traço um paralelo entre os dois pensamentos e apresento o meu.

No contexto atual, a Igreja tem cumprido o seu chamado missionário? Acompanho pouco as missões para o exterior, mas, no nosso quintal – Brasil, parece um pouco aquém do que poderia ser feito. Mas isto também depende de Deus, não só comissionar as pessoas, como também de criar as circunstâncias favoráveis (abertura de portas).

Politicamente, como você se posiciona? Entendo que, como servos do Senhor, devemos nos dedicar a Deus. Os servos de César que se dediquem a ele. Portanto, não vejo o cristão com a responsabilidade política que tem sido propagada. A verdadeira responsabilidade do cristão é de divulgar o Reino de Deus e, isto, com sua própria vida. Se cada cristão nominal assumisse esta postura, o efeito político seria enorme!

O que te faz rir? E o que te faz chorar? A inocência dos filhotes, tanto de gente, quanto de bicho. E o que me faz chorar é a maldade humana, tão bem refletida na maioria daqueles que detêm algum tipo de poder.

O que te deixa assustado? A falta de temor dos líderes religiosos!

Qual a maior aspiração de sua vida? Ver os “sete mil que não dobraram seus joelhos a Baal” em plena atividade, não escondidos pelo Senhor, como ainda estão.

Cite algumas pessoas que marcaram a sua vida cristã e explique a razão. Pastores, irmãos em Cristo mais próximos de você: Minha irmã Christine foi minha mentora espiritual por muito tempo e orou muito pela minha conversão. Hoje, nos damos suporte espiritual mutuamente. Minha mãe, que orou muito pela minha conversão. Pastores Marcos e Arlen, na “primeira parte” da minha conversão eram da Igreja Cristã Época da Graça, na Vila Prudente, em São Paulo. Fui lá diversas vezes. O Marcos é um homem que transpira o amor de Deus, por todos os poros, como nunca vi em outra pessoa. E o Arlen é um homem de Deus, em quem o Espírito Santo manifesta poderosamente alguns de seus dons. O Caio Fábio, através de um livro onde ele fez uma espécie de autobiografia. Quando o li, estava no começo de minha conversão e muita coisa ali me ajudou a compreender o agir de Deus. E a Malú, minha esposa, que tem sido minha auxiliadora idônea em todos os sentidos, mas, principalmente, no suporte espiritual, já que passamos muitos aprendizados juntos.

Como ocorreu seu primeiro contato com blogs? Por acaso. Viajava pela internet em busca de textos cristãos não-religiosos. Aí, comecei a cair em blogs. Resolvi fazer um pra publicar aquilo que eu aprendia do Senhor.

Quais as maiores dificuldades que sentiu ao começar a blogar? A parte técnica. Sou um zero à esquerda, em informática.

Fale de seu blog: Uma ferramenta para a divulgação da Palavra de Deus. Ali, publico o que tenho aprendido com o Senhor. Isto inclui textos e vídeos de outras pessoas. A intenção é a de que alguém possa ser um pouco mais edificado, quando entrar ali e ler os textos, ou assistir aos vídeos.

Como e quando se tornou blogueiro? Em agosto de 2008. Como eu era cliente do Google, achei um link que levava para a criação gratuita e fácil de blogs. Aproveitei!!

Qual foi o seu post mais polêmico ou de maior repercussão? Não tenho como dizer. Sei que o texto “Eleição”, que eu citei antes, levou um bocado de pedradas. E, outro dia, me surpreendi ao ver que o Alan, na sua entrevista aqui, citou o texto “Será que ninguém viu isto?” e o publicou no site da igreja dele.

Em sua opinião, qual a importância dos Blogs? A internet é o meio de comunicação do momento. Com isto os blogs recebem uma grande visualização mundial. Assim, seu conteúdo pode ser absorvido por um grande número de pessoas e com rapidez.

Quais os blogs que o irmão acessa com mais freqüência? São os que citei como recomendáveis.

Que dicas daria para quem está iniciando como blogueiro? Se for cristão, preste muita atenção no conteúdo que publicar. Muita gente pode ser afetada por ele. Se não for cristão, divirta-se e aproveite pra ganhar uns trocados.

Os artigos que publica em seu blog impactam vidas. Na Blogosfera, qual o artigo em outros blogs que você se sentiu impactado? Não sei, ainda, se meus artigos impactam vidas. Mas sei de um artigo no blog Hugo...Metanoiado (do Hugo Theóphilo), que impactou minha vida e o publiquei também em meu blog: “Deus, livra-nos do mal, mas não tanto” (http://hugotheophilo.blogspot.com/2010/08/deus-livra-nos-do-mal-mas-nao-tanto.html).

Como vê a Blogosfera cristã hoje? Ela está a contento ou acha que deve mudar o rumo? Se sim, em quais características ela poderia melhorar em 2011? Acho que tem muito a melhorar, ainda. E o rumo, certamente, tem que mudar. Creio que seja necessária uma forma de identificação do que seja conteúdo cristão e do que seja conteúdo da religiosidade cristã. Isto é meio complicado de fazer, já que nem no “mundo real” não se consegue essa diferenciação facilmente. Mas confio que o Senhor providenciará os meios e a inspiração para que isto aconteça.

Dê seu parecer sobre os sites de relacionamentos e a influência deles nos blogs. O que acha do Orkut, Tweeter e Facebook? Não os conheço. Tentei abrir um Facebook, mas vi que tomaria muito tempo. Até agora, não percebi nenhuma influência marcante nos blogs.

É usuário deles? Não.

Deixe seu recado para a Blogosfera Evangélica e faça suas considerações finais: Não apagueis o Espírito. Essa promessa de Jesus é verdadeira e convive conosco todos os dias. É Ele que nos aproxima de Jesus e, conseqüentemente, do Deus Pai e Criador. Não percam tempo com sabedoria de homens. A sabedoria que vem do Alto está a nossa disposição, através do Espírito de Cristo. Esta é que conta. Esta é que conduz à Vida.

Que as bênçãos e a Paz do Senhor Jesus sejam com todos vocês.

Obrigado pela oportunidade, Rô!

Obrigado pela atenção dispensada. Felicidades a você e todos da sua família. Deus os abençoe mais e mais !

78 comentários:

Regina Farias disse...

René,

Que entrevista gostosa.

Sabe que eu me identifiquei em muitas coisas? Pra começar a data de nascimento rss E falar com Deus até assistindo televisão, que coisa incrível, não? Também me assusta a falta de temor dos líderes religiosos.

Enfim, eu seria uma péssima entrevistadora, porque não vem umazinha pergunta à mente. Satisfaço-me só em ler, ler, ler...

Que história de vida maravilhosa!!!

Vou ler mais vezes não só porque é extensa, pois pra isso a gente exercita a leitura dinâmica. É porque é densa e aí a gente tem que digerir com calma, curtindo...

Obrigada por compartilhar tanta coisa bonita.

Deus te abençoe e a toda tua família.

Rê.

Regina Farias disse...

Ah, e gostaria também de deixar registrada a minha admiração por essa entrevistadora (momento confete rss) pelo seu carisma e pela bela escolha fechando com chave de ouro o seu trabalho de jornalista he he

Beijos,

Rê.

Cláudio Nunes Horácio disse...

René, tenho identificado o poder que se aperfeiçoa na fraqueza em diversos irmãos, assim como experimentei em minha vida. Tudo o que você disse é fato na minha vida, a perda de coisas do lado de fora e o imenso ganho do lado de dentro. Acho isso tão incrível, é como um êxtase, um sorriso em meio ao apedrejamento, como Estevão. A confiança, a fé, a alegria que nos invade é indescritível. Fico feliz em saber que você vivencia desta alegria inenarrável. Achei sua entrevista maravilhosa, seu testemunho de vida é lindo. Sinto feliz em ter-te como amigo e irmão.
Minha pergunta para você é: Se você pudesse, você mudaria algo em sua história? Há algo que faria diferente? Graça e paz.

René disse...

Rê,

É muita gentileza sua. Valeu!

Que bom que a gente tem essa identificação. Aliás, já parecia haver, mesmo sem muita informação pessoal. Parece que o Espírito Santo avisa a gente quanto a isso.

Abração e muita Paz!

disse...

René em relação a Teologia você disse que a “a letra mata, mas o Espírito vivifica”, mas esta letra ái não se refere a não fazer Teologia. Paulo se referia a letra da lei, esta sim mata. Não achas? digo isto porque muitos alegam isto só pra não estudar Teologia, acham que vão ficar menos espirituais. Em que a Teologia afasta-nos de Deus?
Explique- me melhor Please, eu adoro fazer Teologia. rss

disse...

Tenho sede de conhecimento da palavra, é claro que sabedoria não se adquire em um banquinho de escola, mas é muito bom aprender eu amo aprender. Paz querido!

disse...

Re eu amo vcs demais. Sem rasgação de seda viu?? rsss

disse...

Ah, adorei sua resposta aqui:
Qual a maior aspiração de sua vida?
Ver os “sete mil que não dobraram seus joelhos a Baal” em plena atividade, não escondidos pelo Senhor, como ainda estão. Muito boa a resposta!

Rita disse...

Paz a todos,
Rô, Parabéns pela entrevista ,está uma benção,é muito gratificante conhecer mais dos nossos irmãos.

Sobre a letra matar e o Espírito vivificar me ocorreu essa passagem irmão René,...
...não há limite para fazer livros, e o muito estudar é enfado da carne.
De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem.Eclesiastes 12;12-13
Sua história tbm me lembrou Paulo..
A minha graça te basta...fazendo coro com o Claudio(rsrsr)

Não sobrou muito o que perguntar , a entrevistadora não deu chance (rsrsrs)a Rô ta ficando profissional!

Fale pra nós sobre a diferença entre legalismo e a obediência,qual sua opinião sobre esse abismo que há no meio??

Paz!!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Ou vocês duas, cuidado com o vai dar namoro kkkkkkkk. zuei kkkk, não podia perder a piada né amigas? kkkkk

disse...

Deixa de graça maninho kkkkkkkkk você nunca perde uma piada né?
Faça aquelas perguntas que você fez pra mim a ele maninho.Paz!

disse...

Adoro as perguntas da Rita. Ela vai no profundo, eita garota esperta!

Regina Farias disse...

Xiiii, Tô forinha, sou hetero rsss

Mas, René, é mesmo muito interessante isso...

Nem o mundo virtual, nem as distâncias, ou culturas diferentes, são capazes de impedir essa identificação e essa aproximação tão sincera e espontânea entre pessoas desprendidas.

Deus te abençoe!

Rê.

Wendel Bernardes disse...

Fico muito feliz em saber um pouco mais da vida do René,
aliás, 'conhecí' esse amado irmão aqui mesmo, no blog da Rô, interagindo nos comentários... não poderia ter melhor lugar pra conhecê-lo melhor...

A entrevista tá correndo muito bem, mas gostaria de perguntar uma coisa amigo...
Você fez uma referência aos 'desigrejados' (acho essa nomenclatura absurda) e dos motivos deles existiram... existe também um motivo específico para o René que conhecemos ser Igreja fora dos templos físicos?

Abraços!

Ah, agradeço a citação do meu blog, fiquei todo orgulhoso... (Ixxi, entrou pecado, já era!)

Wendel Bernardes disse...

Tive que voltar...
esqueci duma parada...
Pink Floyd e Queen?
Craracaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...
Rsssssss

Bom gosto meu velho,
pra mim tu ouvia Duke, Ella Fitzgerald, Milles Davies, Sinatra...
Rrsrsrsrrs
(Aliás, nada contra a nata do jazz supra citada, ok?)

Cláudio Nunes Horácio disse...

René, tenho visto que você sofre bastante com dores terríveis, você já pensou em tentar a aposentadoria ou uma ajuda do governo? No meu caso já ganhei a causa, o supremo tribunal já mandou o INSS me pagar, mas até agora não recebi nada. Então? O que você pensa disso?

Hugo Lucena Theophilo disse...

Que idéia bacana! Gostei demais. Como diria um comediante daqui: O René é uma autarquia! rsrs

Sugiro duas coisas (com o perdão pela intromissão): entrevistar mais gente e criarmos uma seção em nossos blogs com essas entrevistas.

René disse...

Gente,

Desculpe a demora. Não tenho como usar o computador à noite e, agora de manhã, precisei atender uma pessoa, o que me atrasou um pouco.

A partir de agora, vou procurar responder a todos!

René disse...

Meu irmãozinho Cláudio,

O exemplo de Estêvão, guardando as devidas proporções, foi bastante apropriado e sei que você o citou, por já ter experimentado esse tipo de coisa.

Se eu fizesse alguma coisa diferente em minha vida, no caso de poder voltar no tempo, eu teria coisas diferentes a corrigir hoje. Mesmo assim, teria coisas a corrigir. E muitas! Por isto, e por achar que o meio influencia muito na nossa formação, acho que não faria nada diferente, não.

Paz!

Cláudio Nunes Horácio disse...

espero que não seja nada sério em sua saúde.

René disse...

Rô,

A Teologia como estudo da história bíblica, da geografia bíblica e da história da Igreja, eu considero válida e, talvez, seja isto que encante você nela.

O que refuto na Teologia é quando ela começa a fazer suposições humanas para o sentido do que está escrito. Na maioria das vezes, ela incorre no erro de transformar em lei essas suposições. E, então, essa letra mata. Ela nos afasta de Deus.

Creio que o tempo que se gasta para estudar a fundo o pensamento de outros homens, deveria ser gasto para se conhecer mais a fundo o nosso relacionamento com Deus. Isto depende de oração, através da qual o Espírito Santo nos ensina tudo o que precisamos saber.

Isto não impede que venhamos a estudar um pouco do pensamento dos outros, até mesmo, para não incorrer nos mesmos erros que eles. Mas, se aprofundar nisto, vejo como um caminho de distanciamento do Senhor!

Paz!

René disse...

Minha amada Rita,

Eu nem tinha lido o seu comentário ainda e respondi à Rô, mais ou menos, o que você disse. A vantagem do seu comentário é que você usou a própria Palavra do Senhor, pra definir o que penso. Valeu!

Legalismo é imposição da obediência a regras pré-estabelecidas pelo próprio homem.

Obediência é responder com a própria vida à indicação do Senhor do caminho a ser trilhado, sem se ver forçado a isto. Como isto é possível? Seguindo a orientação do que o Espírito diz à Igreja.

Paz!

Regina Farias disse...

René,

Gostei muito do que você explicou acerca dos tipos de desigrejados porque é exatamente assim que eu vejo também.

Até porque, para mim, desigrejado saudável é aquele que ainda que participe das funções, ministérios, cultos, vigílias e reuniões, é aquele lúcido que não tem adoração pela igreja instituição/denominação e que não acredita que é apenas naquele local que Deus lhe fala ao coração.

Então me lembrei de uma frase dita erroneamente tempos atrás por uma blogueira(pastora, até), que o desigrejado devia ter cuidado para o amor não esfriar em seus corações.

Gostaria muito que você comentasse sobre isso, pode ser?

Abs...

René disse...

Rô,

Você já pensou o que acontecerá quando esses "sete mil" forem comissionados pelo Senhor a fazerem Sua obra? Eu vejo um grande avivamento, aí. Avivamento de verdade, onde as pessoas se converterão de coração ao Senhor, não por alguma barganha proposta por alguém.

disse...

Amém René.
Oséias 6:3
Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor: como a alva
será a sua saída; ele nos virá como a chuva, como a chuva serôdia
que rega a terra.

René disse...

Wendel (seu pecador),

Como eu disse na pré-entrevista, tive grande influência da igreja Luterana na minha infância e deplorei isto. O início da minha conversão foi uma manifestação Pessoal de Deus pra mim. Isto formou uma convicção de que Ele Se revela como e onde quiser (inclusive dentro de instituições religiosas, assim como dentro de um bar).

Aí, comecei a estudar a Palavra e a visitar os templos físicos. Não consegui encontrar uma ligação entre eles. Desta forma, e com o Senhor falando comigo (e com outras pessoas, como pude perceber) fora deles, preferi continuar fora.

Conheci verdadeiras pessoas de Deus, dentro dos templos também. Mas aquele ambiente empresarial podava completamente essas pessoas, a ponto de não poderem fazer o que, claramente, Deus havia determinado que fizessem.

Quanto ao jazz, detesto! E também não sou tão velho pra curtir esses que você citou. Só os conheço, porque ouvi estórias que meu pai contava na minha adolescência!! rsss

Paz!

René disse...

Grande Hugo, meu filósofo predileto,

Explique melhor essa coisa de autarquia! Não penso que eu me basto a mim mesmo, muito pelo contrário, dependo totalmente de Deus e das outras pessoas, pra poder formular alguma opinião.

Brincadeirinha! Acho que você se refere a ser uma entidade de direito público. Sendo assim, qual cristão que não é?

Abração e Paz!

René disse...

Rê,

Mais uma vez, você foi de uma lucidez incrível (virou rotina).

Quanto ao comentário da blogueira pastora, entendo que ela teve um equívoco de percepção. Certamente, ela imaginou os desigrejados como pessoas que perdem a bênção da cobertura da igreja e que ficam à mercê do Diabo. Ela não deve ter percebido que, em alguns casos, as pessoas saem da instituição religiosa para ficar sob a cobertura do Bom Pastor. Isto, na verdade, lhes dá chances muito maiores do amor não se esfriar em seus corações, posto que, nas instituições, o amor é meio que fabricado através do cumprimento do legalismo, enquanto que, sob o comando do Espírito, o amor é sincero e verdadeiro, resultado da obediência voluntária à Sua Voz.

Adriana disse...

Hugo, NOSSO filosofo prediléto, fala sério.

René,

Agradeço a honra de ter sua presença participante no meu blog, sua lucidez e ponderação são impressionantes e contagiantes.

Fico muito feliz em saber que meus amigos são muito melhores do que eu, me mostra que estou no caminho certo.

Claudião, você está gato nesta fotinha.

abraços

Rita disse...

Irmão amado René,não vou me contentar com essa resposta curtinha (rsrsrs)a sua opinião sobre o resultado dessa confusão entre uma coisa e outra,o legalista é o que é...mas o obediente que ouve o que o Espírito diz a igreja e anda por temor e amor acaba sendo confundido com o primeiro,o que causa muitas vezes injustiça para com os servos que fazem o que é reto aos olhos do Senhor,é sobre esse abismo que peço seu comentário,espero ter compreendido,(rsrsrs)que chata né?

Ah,e também gostaria de saber sobre Isaías 19,seria uma profecia a se cumprir ainda?? Quando?? depois ou antes do arrebatamento da igreja??

Paz !!

disse...

Acho tão estranho mano dizer que o amor é meio que fabricado através do cumprimento do legalismo na instituição, fala se como se todos que estão lá fossem assim, não é bem assim. Do mesmo modo que vejo que os que estão de fora ainda sim estão Congregando até porque congregar é ajuntar não importa onde, mas acho estranho esta avaliação de sempre dizerem isso, que todos que estão lá, como disse a Re, eu gostei do que ela falou: Até porque, para mim, desigrejado saudável é aquele que ainda que participe das funções, ministérios, cultos, vigílias e reuniões, é aquele lúcido que não tem adoração pela igreja instituição/denominação e que não acredita que é apenas naquele local que Deus lhe fala ao coração. Há muita gente dentro dos sistema mas que é saudável, não podemos pegar todos e colocar no mesmo saco, do mesmo modo não podemos pegar todos os desigrejados e dizer que eles querem ir pro mundão,e que estão desviados, eu já vi pessoas dizerem isso eu acho um absurdo. Eu acho que todo servem a Deus, dentro ou fora, todos servem o mesmo Deus, alguns escolhe servir na Igreja outros escolhem servir fora, eu acho que o importante é servir a Deus, e não largar Jesus de jeito nenhum. Paz aos meus irmãos de dentro ou fora. rsss

CARLOS HERRERA disse...

Rene,Mi hermano!
Bom ...Ótima entrevista..Rô, Parabéns pela inicitiva!

Rene, vivi muitos anos como religioso, pois desde menino fui condicionado por tradição familiar a igreja evangelica..

A minha pergunta é:
Como devemos discernir o religioso gente boa rsss do legitimo convertido?
Ah... quais são os líderes espirituais que vc tem admiração?...seja pela pregação legitima da palavra, seja pela testemunho de sobriedade do evangelho.
Abraços

René disse...

Cláudio,

Quase pulei sua outra pergunta.

Ajuda do governo seria o auxílio doença, o que só é concedido a quem trabalhou por, no mínimo, seis meses nos últimos 36 meses. Não é meu caso.

Quanto a entrar com ação judicial, tenho pensado sobre o assunto desde que você mencionou esta possibilidade. E, na verdade, tenho chegado à conclusão de que isto será necessário. Não seria uma injustiça de minha parte, uma vez que contribuí por 22 anos ao INSS.

Neste caso, vou precisar de uma orientação sua, sobre o procedimento. Se você puder...

René disse...

Dri,

Tá podendo, hein? Rasgar seda, assim, ao preço que está...

Mas uma coisa você acertou: nossos amigos são muito melhores que nós!!

Abração!

disse...

Como devemos discernir o religioso gente boa rsss do legitimo convertido?
gostei desta pergunta do Carlos, achei também engraçada, religioso gente boa. Paz!

CARLOS HERRERA disse...

Rsss...Rô, pior que eu era religioso gente chata de ""Deus"""",rsss!

era chato, metido a santo, dedo apontado...eu era aquele idiotado que acusava os erros alheios em nome de"""Deus""""...
Até que conheci a verdade e a verdade me libertou dos meus surtos...rsss

Abraçosss

disse...

Crlos entendo, tive um deste aqui esta semana, só a graça mano, tive que bloquear o cabra. rss

René disse...

Chata nada, Rita!

Você está certa, tanto, que eu estava relendo as respostas e percebi a mesma coisa. Entonces...

O abismo que existe entre uma e outra forma, é invisível aos olhos humanos. É aquela história do joio e do trigo. Não há como se identificar quem é um e quem é outro, a menos que o Espírito Santo nos dê o discernimento de espíritos. E isto Ele só faz se for necessário.

Exemplo: O verdadeiro convertido ora por amor ao Senhor e para ter intimidade com Ele. O falso convertido ora, porque a "lei" diz que se deve orar e, também, porque, ao fazer isto em público, ou tornando público que o fez, ele aparentará ser piedoso. Então, os dois estão orando, mas não há como saber qual é qual. Só o Senhor, que vê o coração, sabe. Nós, que vemos a aparência, não sabemos.

Aí, alguém diz: "pelos frutos a gente sabe qual é o tipo de árvore". Tudo bem, isto é correto. Mas o falso convertido pode se comportar dessa maneira disfarçada em todos os lugares onde há uma pessoa que possa reconhecê-lo. Assim, todos darão bom testemunho dele. Agora, mande-o sozinho para ficar em um hotel de Amsterdã, por exemplo. Certamente, ali onde ninguém o conhece e os conhecidos não o vêem, ele fará tudo que se passa em seu coração e não fará nada daquilo que lhe é imposto como atos piedosos necessários.

Assim, o servo reto aos olhos do Senhor agirá conforme Sua indicação em Sua própria Palavra: sofrerá o dano. O outro, se indignará! Talvez este seja o único sinal visível aos nossos olhos, mas nem sempre será boa medida de julgamento, pois alguns servos fiéis ainda chegaram ao ponto de sofrerem o dano em silêncio e poderão, também, se indignarem.

Abração!

René disse...

Rô,

Me desculpe por não ter mencionado isto nesta resposta. É que eu já havia dito na pré-entrevista que existem sim muitas pessoas fiéis ao Senhor dentro das instituições. E, ao dizer que a Rê tinha sido muito lúcida em seu comentário, eu também estava concordando com o que ela disse a esse respeito.

O trecho que eu andei é longo o suficiente pra não me deixar fazer julgamento de grupos, porque cada pessoa é um indivíduo isolado dentro de um grupo, é uma vida preciosa para o nosso Senhor. Quem sou eu pra generalizar uma questão dessas!!? Não faço isto e espero nunca fazer. Já fiz no passado, mas, graças a Deus, é passado. Certamente, serviu de lição eterna!

Paz!

René disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Hugo Lucena Theophilo disse...

O "autarquia" é a personagem de um humorista daqui que elogia as pessoas. Na falta de adjetivo ele manda essas: "Você é uma Autarquia, uma dinastia, um caminhão carregado manga!" rsrs e por ai vai.

CARLOS HERRERA disse...

Bom, Rene, não esperava outra resposta ....valeu!

Regina Farias disse...

René,

Obrigada pela resposta tão singular e por isso mesmo tão desconcertante para aqueles que tanto se esforçam em suas performances igrejistas.

Abs,

Rê.

René disse...

Herrera, hermanito,

Como eu disse pra Rita, não há como se fazer essa distinção. A Palavra já nos alerta sobre isto.

Quanto aos líderes religiosos que admiro: primeiro de todos, o David Wilkerson. Este homem de Deus tem história como homem de Deus. Além disto, seus escritos e suas pregações são muito centradas na Palavra, sem nunca pender pra teologias humanas. Quero dizer, com isto, que ele não se preocupa em apologizar sobre detalhes de interpretações escatológicas, por exemplo, bastando a informação de que Jesus voltará e que haverá tempos difíceis, antes que isto aconteça. Ele também não fica falando sobre predestinação ou livre-arbítrio, outro exemplo. A preocupação dele é levar as pessoas à intimidade com Deus, sejam elas não-convertidas, recém-convertidas, ou convertidas há muito tempo. Prezo muito isto, nele.

Também admiro muito o Caio Fábio. Homem de Deus que tem pregado a Palavra como alguém que tem intimidade com o Senhor. E isto, apesar de todos os apedrejamentos que sofre.

Também gosto do Paulo Brabo, do Ariovaldo, Ed René, Gondim e... tá acabando a facilidade de se fazer uma lista!rsss

Abração!

disse...

Que bom que vc não faz julgamentos de grupos, ja deu pra conhecer vc por este tempo na blogosfera juntos, ja percebi que vc sabe separar as coisas,e isso não são todos, vc é muito especial René. Tenho honra de te-lo como amigo e irmão em Cristo. Paz.

René disse...

Valeu, Rô! Graças a Deus, posso dizer o mesmo de você!!

René disse...

Hugo,

Agora sim!! Passou o susto e posso relaxar!!rsss

Abração!

René disse...

Rê e Herrera,

Eu é que agradeço a participação e, principalmente, a amizade de vocês, ainda que virtual.

Abraços e Paz!

disse...

Saindo pra resolver algumas pendências, mas tarde volto. Paz!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Dri, obrigado, lá no meu orkut tem as fotos do casório e esta é uma delas, olhe lá. bj
René, é verdade, se mudarmos algo, hoje seria tudo diferente. Olha, quanto ao processo, eu entrei pedindo aposentadoria por invalidez, mas o advogado mudou para pedido de auxílio, não sei explicar, algo que a mulher do Lula ou do Fernando Henrique conseguiu. Aí leva cinco anos, depois recebemos retroativo e mensalmente até morrermos. Sei que para pedir aposentadoria por tendinite se tiver um dia de registro já basta.
Na verdade meu problema é fibromialgia, mas não sabíamos e ficou como tendinite mesmo. O advogado não cobra nada, só no final recebe 30% do valor. Se precisar saber qual é o processo exatamente, me fala que eu pergunto a ele. Obrigado pelas respostas. Fica na paz que só Jesus nos dá.

René disse...

Valeu pela dica, Cláudio! Vou querer saber sobre o processo, sim. Mande por email, depois, por favor. E, até onde sei, fibromialgia provoca dores piores do que a tendinite. Se for isto, não sei como você ainda consegue ser designer.

Eu é que agradeço sua participação, meu irmão!

Grande abraço e muita Paz!

Regina Farias disse...

René,

Nada disso.

Euzinha sou real e a amizade também rss

René disse...

Pô, Rê,

Você entendeu! Não sacrifica, pô!

Mas vou deixar mais claro, agora: o contato é virtual!!

Eu sei que você e eu somos reais, e a amizade, tanto quanto! rsss

René disse...

Rô,

Revendo o comentário do Carlos Herrera, sobre o religioso "idiotado" que aponta os erros dos outros em nome de Deus, acho que isto é muito normal acontecer em nossa vida. Creio que todos passamos por isto, porque é a reação normal de quem se ensoberbece com a preciosidade da revelação de Deus em sua vida. Aí, a gente passa a se achar "o cara" e a desprezar aos outros, que não correspondem ao que até ali aprendemos.

Mas Deus conserta isto em nós, mesmo que precise de um espinho na carne, para sermos esbofeteados por Satanás, a fim de não nos ensoberbecermos mais, mesmo diante da grandiosidade das Suas revelações.

disse...

Entendo René, mano ja fui assim, mas só aprendi com o espinho na carne como você disse muito bem, e que espinho mano,ufa, como doía. Paz.

Cláudio Nunes Horácio disse...

Pois é René, mas não trabalho mais de designer, estou trabalhando de fiscal no aterro municipal. Valeu.

Rita disse...

Cadê a minha resposta sobre ISAIAS 19?
Ta me deixando curiosa!
AH,ESQUECEU NÉ?
rsrsrsr
Paz ,e boa tarde!!

René disse...

Rita, me desculpe! Sua pergunta sobre Isaías 19 passou batida!!

Que não se cumpriu, está bastante claro. Agora, quando vai se cumprir, é meio complicado responder.

Ao que parece, tais coisas acontecerão ao Egito no período da tribulação mundial, com sua restauração no princípio do milênio. Portanto, da forma que creio, as "maldições" acontecerão antes do arrebatamento, com a restauração depois dele.

Mas, como eu disse, ao que parece...

Paz!

Cida Kuntze disse...

Olá Rô querida!
Só hoje pude vir com tempo pra ler a entrevista. Foi muito legal conhecer o René, pois sempre leio os comentários dele no teu blog e lá no Wendel.
Não tenho o que perguntar, pois deu pra saber bem a opinião dele sobre vários assuntos. Que o Senhor possa abençoar a vida do René e de toda a sua família grandemente.

Querida Rô, você é um amor de pessoa, que o Senhor continue te fortalecendo a cada dia e que sejas sempre um vaso de benção em Suas mãos.
Beijos e como vou estar viajando, ficarei uns dias sem me comunicar.

René disse...

Cida,

Obrigado pelas palavras de bênção!

Que Senhor também cubra você e sua família com toda sorte de bênçãos e com muita Paz!

disse...

Cida, obrigada. Mana vai com Deus, boa viagem e Feliz Natal. Bjs e paz.

disse...

René,quem prega o Evangelho purinho, e não julga mal as pessoas, não aponta o dedo, esta sempre com uma palavra e textos abençoados. Sabe quem é ?? a Cida, o pouco que conheço dela ja deu para perceber isto, ela é preciosa demais.

René disse...

É bom saber, Rô!

Vou dar uma espiada no blog dela! Valeu a dica!

Olha só: tá chegando uma tempestade aqui e vou precisar desligar o PC. Já tive dois queimados com os raios que caem aqui. Assim que passarem os raios, volto um pouco, ok?

Bjs e Paz!

disse...

Tudo bem, aqui esta armando chuva também e vem com tudo, aguaceiro e chuvarada. Paz!

René disse...

Voltei, Rô!

disse...

René, coloquei um vídeo do Caio, mas a entrevista continua ok, Paz!

Pastor Guedes disse...

Prezado René,

A Paz!

Acho que estou chegando no fim (rsrs)

Quero agradecer por sua nobreza em não abrir a discussão sobre pré e pós-tribulacionismo na minha entrevista ao Mulheres Sábias, porque acho que não vai mudar nada: eu vou continuar pré e você pós. Acho inclusive que a igreja que está preparada para ser arrebatada também deve estar preparada para passar pela grande tribulação ou parte dela.

Mas, a minha pergunta é a seguinte: Li que você gosta do Ed René Kivitz e do Bacia das Almas do Paulo Brabo. A pergunta é: Você é simpatizante das ideias do Teísmo Aberto? Ou como você definiria esse argumento teológico? Refiro-me à abertura de Deus com relação à Sua soberania.

Deus lhe abençoe. Foi muito bom conhecer melhor o amado irmão.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

René disse...

Amado Pastor Guedes,

Gosto desses autores/pregadores, por conta de muitas coisas que escreveram/disseram, sem entrar na questão do Teísmo Aberto. Não sou simpatizante dessa teologia! Hoje mesmo, fiz uma longa análise de um texto do Kivitz, a pedido de uma pessoa, me posicionando contra o que ele escreveu, por achar que não tinha fundamento à luz da Bíblia.

O Deus em Quem eu creio é onisciente, onipresente, onipotente e é amor, com todas as virtudes que deste decorrem. O Teísmo Aberto, basicamente, nega essa onipotência, onisciência e onipresença. É um deus do "deixa rolar, pra ver como é que fica". Esse deus não tem competência para atender orações, posto que a oração de um interfere na vida do outro. Esse deus não tem poder para reunir em um mesmo avião que vai cair, tanto as pessoas que serão salvas por Ele e que Ele quer junto dEle naquele momento, quanto as pessoas condenadas, sobre as quais Ele quer parar de derramar a sua misericórdia e reservá-las para o dia da ira!

Não posso crer num deus assim!

O nosso Deus tudo pode, a tudo perscruta e, apesar de permitir que os homens escolham livremente o passo que querem dar, Ele não perde o controle de nada. Tudo continua sendo regido Pessoalmente por Ele, a fim de que o Seu propósito seja cumprido. Sempre!!

Grande abraço, Pastor Guedes, e que a Paz de Jesus encha a sua vida e a da sua família!

Obrigado por sua participação!

Suely - Herdeiros de Deus disse...

Olá Rô!!!
Paz do Senhor amiga!!

Nossa!! Já está chegando o Natal! Que correria!!!
Hj consegui passar por aqui para visita-la.
Seu blog é bênção!! Sempre com entrevistas edificantes que fazem com que aprendemos mais um pouco do Senhor Jesus.
O casal René & Maria de Lourdes, devem ser pessoas muitos especiais mesmo para serem honrados dessa forma. Amei a entrevista.

beijos a todos vcs,
Suely

René disse...

Valeu, Suely!

Que bom que você gostou da entrevista, apesar de ela ser um tanto longa.

Bjs e muita Paz pra você!

René disse...

Rô,

Acho que é isto!

Agradeço muito o seu carinho, ao fazer esta entrevista comigo.

Você tem sido uma pessoa muito especial, pra muita gente. Espero que você não se esqueça disto, nunca.

Desejo muita Paz pra você, seu marido e suas filhas. E que corra tudo bem neste final de ano, com todos os seus encontros de família.

Grande beijo no seu coração!

Aproveito para agradecer o carinho e a atenção de todos que participaram aqui e desejo muita Paz do Senhor a todos e às suas famílias!

disse...

René, eu que agradeço meu irmão, esta entrevista só comprovou o que eu já pensava a seu respeito. És homem de Deus René. Que o Senhor Deus pai abençoe muito sua vida e ados teus em Cristo Jesus, e que possamos continuar juntos no ano que vem nesta Blogosfera maravilhosa, sempre aprendendo uns com os outros, suportando uns aos outros e amando uns aos outros. Feliz natal meu irmão e amigo. Obrigada.

disse...

Obrigada a todos.
Entrevista encerrada.

Matias Borba disse...

Olá, Jornalista Rô, hehe,
a Paz!

Acompanhei as entrevistas e foram muito proveitosas; é uma boa oportunidade para conhecermos mais outros escritores e também para ajudar na formação de opiniões.

Deus te abençoe e um abraço!

Wendel Bernardes disse...

Rapaz,
sei que esses caras do jazz são dinossauros, antológicos, por conta disso pode-se conhecê-los em qualquer tempo, eu mesmo conheci muitas coisas boas musicalmente falando, depois de bandas terem já acabado e intérpretes terem já até falecido...

Mas fica tranquilo,
velho é um conceito muito antigo...rsrsrsrsrs


Abraçãos amigo!

disse...

Obrigada Matias e Wendel!

Alan Capriles disse...

Amado René

Ultimamente eu só chego depois de encerrada a entrevista! Rsrsrs

Mas quero acrescentar que lhe admiro muito! Sua sinceridade (qualidade rara hoje em dia) é palpável em seus textos e comentários.

Espero um dia conhecê-lo pessoalmente e ser mais do que um amigo virtual.

Deus lhe abençoe cada dia mais!

René disse...

Meu amado Alan,

Ainda que você não chegasse, nem mesmo atrasado, eu não tomaria por mal, pois sei que, principalmente nesta época, você está bastante ocupado.

Você sabe que também admiro muito a você! E o laço que nos une é indestrutível: Jesus! NEle tem sido construídas novas amizades, certamente com um fim proveitoso, neste ambiente virtual. A nossa é uma dessas!

Não estamos tão distantes assim, geograficamente, por isto, acho que a gente vai poder se conhecer pessoalmente, logo, logo! Já poderia ter acontecido recentemente, mas o Senhor encaminhou a situação de forma um pouco diferente do que esperávamos. Só posso dizer que confio nos motivos dEle para isto, assim como confio que, a Seu tempo, nos conheceremos pessoalmente.

Grande abraço e muita Paz!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...