Subscribe:

29 de dezembro de 2010

- Como saber se é tristeza ou depressão?



Repostando

Por Rô


Outro dia estava em uma loja no shopping e escutei duas adolescentes conversando. Uma delas falava como estava deprimida, pois seu animal de estimação havia morrido no dia anterior. Aquela fala me chamou a atenção, principalmente o fato de a menina ter usado a palavra deprimida e não a palavra tristeza. Esta situação me fez pensar: quando é que podemos falar que estamos deprimidos e quando estamos tristes de fato?
Atualmente, os termos depressão e tristeza parecem ser quase sinônimos. Observamos que as pessoas tem uma tendência de se autoproclamarem deprimidas, como se fosse vergonha dizer que se sentem tristes. Por que isso?
Vivemos em uma sociedade do espetáculo onde a vida real é pobre em termos objetivos e subjetivos. A mídia televisiva, principalmente, por meio das novelas e programas de auditórios, cria um ambiente e personagens perfeitos onde todos são lindos, magros, ricos, inteligentes, bem sucedidos, etc. Sabemos que na vida real, a maioria de nós não consegue alcançar este ideal de perfeição e o fato de não conseguirmos dar conta dessa demanda gera doenças emocionais, como a depressão, os transtornos alimentares, a vigorexia, sabe o que significa esta expressão?(compulsão por exercícios físicos), entre outros.
Em uma sociedade onde não podemos ficar tristes pois necessitamos ser fortes, corajosos e felizes todo o tempo, somente nos é permitido expressar nosso descontentamento com as dificuldades que a vida nos impõe, adoecendo ou achando que estamos doentes. Daí esta ser uma possível explicação, para as pessoas confundirem tanto a depressão com uma tristeza.
Podemos afirmar que a tristeza é pontual, geralmente, decorrente de uma perda real ou simbólica de um parente por exemplo, um filho que foi morar no estrangeiro, um amigo, um animal de estimação ou mesmo a perda de um emprego. Quando estamos tristes, na maioria das vezes, identificamos com clareza o motivo de nossa tristeza. É um estado que costuma durar alguns dias ou até aproximadamente dois meses, tempo necessário para elaborarmos esta situação de perda.
A depressão e seus estados depressivos são bem diferentes. Pode estar contida ou não uma sensação de tristeza, contudo, ela é uma sensação confusa. Não sabemos exatamente, porque estamos tristes. Dormimos muito ou pelo contrário, dormimos pouco, não temos apetite ou comemos em demasia. Sentimo-nos apáticos, sem energia para realizarmos nossas tarefas do dia a dia e nos sentimos muito ansiosos.
Geralmente, quando nos sentimos assim, por mais de 2 meses e percebemos que aquilo que antes sempre realizávamos com facilidade e prazer, passa a ser realizado com dificuldade, esforço e sofrimento, então é hora de pensar em buscar uma ajuda médica e psicológica. Quando este quadro de sensações e sintomas começa a atrapalhar nossa vida social e nossa capacidade de elaborar e criar então é importante acendermos nosso sinal vermelho, de que algo não vai nada bem. A depressão, muitas vezes, surge em decorrência de múltiplos fatores externos por exemplo, muita pressão no trabalho, aliado a preocupações com os filhos, com a própria saúde, questões antigas que estão mal resolvidas e que vem à tona por diferentes motivos e internos. Por isso, é responsabilidade do psicólogo avaliar junto com o paciente a necessidade de buscar ou não uma ajuda e tomar uma medicação para ajudá-lo a sair da depressão.
Nos casos graves de depressão, esta "dobradinha" costuma dar muito certo. Nos casos mais leves, muitas vezes a psicoterapia por si só, dá excelentes resultados. É através da psicoterapia que o paciente vai reconhecer e identificar os fatores de perturbação emocional. Assim, poderá fazer os ajustes necessários em seu dia a dia, elaborar e dar um novo significado àquilo que gera desequilíbrio em sua vida.
Nos casos de tristeza profunda, a psicoterapia pode servir como um tratamento preventivo, para que possamos elaborar uma determinada perda em nossas vidas, digo isto pois, no ano passado passei por uma perda e isso me deixou muito mal, sentia uma dor profunda na alma, chorava o tempo todo, sentia dores terríveis no corpo, não queria comer, estava ficando com dificuldades de raciocínio, esquecia as coisas, quando me chamavam para cantar esquecia a letra da música, muito dificil tudo para mim, aparecia manchas roxas na pele, o médico disse que eu estava vivendo em um estado melancòlico... até entender que estava vivendo uma tristeza profunda, foi quando procurei ajuda médica, ja estava caminhando para um quadro doentio a ponto de pedir remédios ao médico. Mas era triteza demais. Pois sabia de onde ela vinha. A capacidade de nos sentirmos tristes, de fazermos contato com as nossas dificuldade e tristezas, como uma maneira de nos ajudarmos, é um sinal de saúde. Como vivemos em uma sociedade em que as pessoas parecem estar muito desconectadas de si mesmas, poder identificar e reconhecer seus sentimentos bons e ruins é o primeiro passo para se buscar uma maior qualidade de vida.
Procure fazer contato com si mesmo: Quais são as suas características positivas e negativas? onde esta doendo em ti?? procure uma ajuda se puder, integre de maneira consciente seus pontos fortes e fracos: O que posso melhorar? Quais são meus limites?
Tente distinguir quando está triste com alguma coisa e quando está com risco de desenvolver um quadro depressivo. Sua tristeza tem um motivo? Como andam seu sono e apetite? passe a se conhecer melhor e se permita sim, ficar triste, mas se começar a te prejudicar procure ajuda!




18 comentários:

Mariani Lima disse...

É isso mesmo!! A depressão é uma doença que causa muita tristeza, falta de vigor, perda da vontade de viver e às vezes sem razão alguma. É uma doença muito triste. Estamos equivocados em chamar momentos de tristeza de depressão.
Bjs...

opoderdasescrituras disse...

Rô a Paz!!

Muito importante suas palavras Rô. A pregação do Pr Silas é muito boa e esclarecedora. Quantos estão sofrendo por esse mal e não sabem como resolvê-lo; isto quando não são discriminadas, principalmente dentro da igreja; e muitas vezes são julgadas. Muitos julgam serem, exclusivamente, demônio que causa isto, quando na verdade pode ser, apenas, uma disfunção biologica/quimica do corpo humano; ainda que eu saiba, pode haver muita influencia de Satanás.

Muito bom o artigo e o vídeo! Esclarecerá a muitos!! Deus abençõe!

disse...

Pois é Alex, tem muitos expulsando demônios da ansiedade nas igrejas rss, quando na verdade a palavra diz que devemos lançar sobre Ele toda nossa ansiedade porque Ele tem cuidado de nós. Paz!

Hubner Braz disse...

Rô belo texto,

Eu mesmo tenho colocado uma série de post relacionado a solidão e ansiedade no meu blog.

E isso não é demônio, este sentimento vem da nossa psique... Por isso seguimos o que a bíblia diz: "Lançar a ansiedade".

Este é o primeiro passo. Mas como fazer isso? Bom, tem vários passos para nós conseguirmos lançar a ansiedade.

O primeiro passo é saber que o amanhã não nós pertence. Devemos planejar o futuro, mais não atentarmos sumamente a ela. Segundo passo, é não dependermos totalmente das coisas materias onde as traças e ferrugens o consomem...

Os outros passos farei quando tiver oportunidade e tempo.

BJss

Hubner Braz (Blog Confissões...)

disse...

É isso aí Hubner os outros passos quando tivermos oportunidades sem estresses. Paz!

Regina Farias disse...

Rô,

Há uma enorme diferença entre tristeza e depressão. (Se bem que esta última geralmente decorre da primeira).

Na tristeza, vivemos as coisas do cotidiano sem nenhum problema. A tristeza está lá instalada mas não interfere no emocional e, consequentemente, não interfere nas atividades diárias.

Já a depressão é mais sintomática, e um dos primeiros sintomas é que você quer se isolar. Dá pra sacar a diferença, ainda que não se seja especialista na área.

Dizem ainda alguns especialistas que existe certa tendência, uma predisposição para a depressão. Já pensou se toda tristeza desencadeasse em depressão? Sim, porque ninguém está livre de ter uma tristeza, uma decepção, uma frustração, uma perda, uma desilusão, etc.

Enfim, em ambos os casos, é sempre bom ter alguém zeloso por perto, para orientar, ajudar, socorrer. É nessas horas que amigo e família que se importa de verdade se faz presente.

Ter gente junto (Amor) é sempre o remédio mais eficaz.

Gostei da reflexão!

Beijos,

Rê.

Adriano Lima disse...

Todos estamos sujeitos a tristeza e depressão, mas a Palavra de Deus nos anima dizendo" em todas estas coisas somos mais que vencedores, por Aquele que nos amou".


Que Deus lhe abençoe mais e mais.


Adriano Lima

disse...

Pois é irmão Adriano, crente também fica doente, devemos sim lançar sobre ele toda nossa ansiedade e nossas dores profundas. Busquei muito a Deus em oração, pois Jesus é o nosso médico,nosso remédio, o Espírito Santo nosso consolo. Paz!

CONFERENCISTA RICARDO RIBEIRO disse...

Em seu brilhante Best-seller alegórico, "Pés como das corças nos lugares altos", Hannah Hurnard revela-nos a jovem "Grande-Medrosa", da família "Temores", que com a ajuda do Pastor às montanhas da felicidade auxiliadas por duas companheiras que lhe assutaram de início mas, que se revelaram imprescindíveis na jornadas, e que fora dadas pelo Pastor: Tristeza e Sofrimento.

O Fogo e a Forja preparam, do mais resistente Aço ou Ferro, as melhores Armas de Guerra.

Os maiores Caráteres e Personalidades Históricos surgiram em meio ao sofrimento. Nosso mestre foi honesto ao adiantar-nos: "No mundo tereis aflições...". Elas nos mostram quem nós somos e quem Ele é. Nos coloca em nosso verdadeiro lugar de Dependentes ao Soberano Deus. Para valorizarmos a Montanha após passarmos no vale.

Vim matar a saudade, Grande Rô. Seu Blog para mim foi o melhor de 2010. Sinta nosso carinho. Boas festas para você e família, e todos de nossa Blogosfera. E que venha 2011, estamos preparados para continuarmos a Resistência Cristã, revelando SOMENTE A VERDADE.

Abração querida, paz. Capelão Ricardo Ribeiro.

disse...

Aaah meu amigo, obrigada por suas palavras, e que venha 2011, que possamos estar juntos, em defesa da fé cristã. Feliz ano novo pra você sua esposa e seu bebezinho que ainda esta na barriga. Bjs

Cláudio Nunes Horácio disse...

Já tive depressão química, quando a quantidade de neurotransmissores está baixa e só um medicamento os eleva aos níveis normais. Só sei dizer que é horrível, mas que com remédio em 15 dias está tudo normal. Paz.

Míryam Lobo disse...

Rô, Paz amada!!

Muito importante esta sua postagem. Confundimos mesmo tristeza com depressão, mas vc, conseguiu, em poucas palavras nos mostrar a distinção. Muito importante, amei o texto.

Obrigada por compartilhar.

Beijão!

disse...

Claudio,a depressão quimica é até moderada comparados a depressão maior, presentes nos transtornos neuróticos e psicóticos, estes são brabos.
Míryam, obrigada mana. bjs

Ricardo Miñana disse...

Que la ilusión y la esperanza sigan llamando a la puerta en el nuevo año que llega,
y que se cumplan tus deseos.

¡¡¡Feliz año 2011!!!

João Dórea disse...

Oi Rô,

Quanto tempo! faça uma visita no meu blog http://expressandoaverdade.blogspot.com/

eu criei um banner, cole no seu e me ajude a divulgar!!! só não vale colocar no rodapé do blog hen! (risos)


que Deus te abençoe grandemente!!

disse...

Fui lá pega-lo, mas não tinha link uai, quero colocar no roda pé do meu blog até cair dele. kkkkkkkkkkkkkkk

Cida Kuntze disse...

Oi Rô!
Ótima postagem querida. É um assunto importante de ser abordado.

Um beijo grande pra você, um feliz 2011, com muito amor, paz e principalmente Jesus no centro das nossas vidas.

René disse...

Rô,

Acho que você vai ficar braba comigo de novo... Mas, enfim...

Todo ser humano está sujeito à depressão! Os cristãos são seres humanos? Então, também estão sujeitos a ela!

Mas há dois tipos de depressão: o de origem física (diminuição de neurotransmissores, instabilidade hormonal) e o de origem emocional/espiritual.

No primeiro caso, fica evidente que é desnecessário o uso de antidepressivos. O que deve ser usado é o remédio que promova o conserto físico. A conseqüência do distúrbio (a depressão) se dissipará com a eliminação do próprio distúrbio.

O segundo caso é que é um pouco mais complicado. Toda depressão de origem emocional/espiritual é reflexo, na verdade, do nosso afastamento de Deus, ou da nossa dificuldade de diálogo com Ele. Não estou dizendo que seja falta de fé! Eu tenho fé no Senhor e, no entanto, vez em quando me pego entrando em depressão!

O que quero dizer é que, nos afastando do amor de Deus, ou tendo dificuldade para nos apropriarmos desse amor (que é o mais comum), nós começamos a nos concentrar na nossa miserabilidade. Deixamos de perceber o amor e o poder de Deus ali, junto de nós. Lembra do Pedro andando sobre as águas? Ele olhou pras ondas, mas o que ele viu foi a sua própria fraqueza e a sua incapacidade de seguir em frente sozinho. Se esqueceu completamente que era Jesus que o estava mantendo sobre as águas, de pé, andando! É isto que acontece conosco de vez em quando. Aí, o único remédio é voltar a olhar pra Jesus e pedir que Ele nos puxe pra fora. Isto cura, não maquia!

É claro que em determinadas situações não se consegue mais fazer isto sozinho. Aí, entra o que a Rê falou: "é sempre bom ter alguém zeloso por perto, para orientar, ajudar, socorrer. É nessas horas que amigo e família que se importa de verdade se faz presente". Não é o psicólogo, ou o psiquiatra que vai ajudar. É alguém que tenha a capacidade, pelo Espírito, de nos reconduzir a Deus.

Todos os sintomas da depressão que o SM citou são verdadeiros. Agora, se a gente parar pra analisar a cada um deles, vai perceber que eles fazem parte daquele enorme buraco vazio que se forma dentro das pessoas, pela ausência, ou afastamento de Deus.

Bj e Paz!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...