Subscribe:

3 de junho de 2011

Segredos de confissão

Publicar postagem

Irmãos e irmãs, eu vi. A Polícia de São Paulo investigava o caso de um rapaz acusado de matar o pai e a madrasta. Descobriu-se que ele fora seminarista católico e teve um confessor. Portanto, o sacerdote que o ouvira poderia informar coisas importantes para esclarecer o perfil do rapaz. Mas recusou-se. Era um segredo de confissão, guardado para sempre entre ele e o jovem que lhe abrira o coração. Isso é ética.

Irmãos e irmãs, eu li. Um sacerdote americano acompanhou por mais de dez anos condenados à pena de morte. Ouviu confissões incríveis, algumas capazes de mudar o rumo de certos casos e processos. O religioso admitiu que era detentor de segredos terríveis, mas os levaria consigo para o túmulo. Também isso é ética.

Irmãos e irmãs, eu assisti. Uma confissão de caráter pastoral, de natureza profundamente íntima, foi transformada em arma contra seu autor, abrindo crise sem precedentes em comunidade de fé. Uns equívocos pastorais, bíblicos, teológicos e cristãos. Rasgando, ainda, páginas dos Códigos Civil e Penal. Canônico, também. Isso é antiético.
Semeada a cizânia, com torcidas a favor ou contra, a comunidade buscou tempos de renascimento real, como a Fênix mitológica. Estou convencido – se estiver enganado, corrijam-me – de que não foi para coisas assim que Jesus morreu por nós. Por isso, quando você ouvir falar em cursos de capacitação direcionados exclusivamente para os leigos, desconfie. Os pastores também precisam dos cursos.

Há coisas que são horríveis nos lugares que chamamos de “mundo”, e que na Igreja deveriam ser consideradas inadmissíveis. Mas acontecem, impunemente. Afinal, a missão de Deus é grande demais para ficar exclusivamente nas mãos de pastores e padres. A força da Igreja é o laicato. Irmãos e irmãs são instados a se engajar em ministérios, fazer a sua parte, freqüentar e contribuir. Evidentemente, tais pessoas são abençoadas por Deus.

Essa força divina não tem como epicentro questões de ordem moral, relações íntimas, exposição de corpos, usar certas roupas ou pinturas. Preocupações seculares, relativas a hábitos e costumes, sempre mutantes, nada têm a ver com a divindade. Quando eu era menino, ouvia que jogar pingue-pongue era pecado, ler histórias em quadrinhos também, ir ao cinema nem pensar e outras coisas risíveis. Fui percebendo que os atiradores de pedras moralistas gostavam de fazer exatamente aquilo que criticavam. Se dependesse dessas pessoas, teria perdido a minha fé. Mas, graças a Deus, tive o discernimento para não me deixar envolver pela pequenez humana.

Ao entrar numa igreja, não deixamos os corpos pendurados num armário para ficar apenas com almas esvoaçantes. Somos corpo e alma. Faz tempo que líderes evangélicos, forjados na boa têmpera, procuram sutilmente (para não chocar) separar joio do trigo. Precisamos de consistência, conteúdo e autoridade moral para proclamar boas novas. E refletir: nossa vida em comunidade religiosa pode ser referência para a sociedade ou temos que manter certos fatos escondidos, com vergonha de nós mesmos?

Percival de Souza
é escritor, jornalista e membro do Conselho Diretor da Faculdade de Teologia da Igreja Metodista
Vi na Elídia

Matéria publicada na Revista Eclésia, ed. 1110


Comentário da Rô:

O assunto central do texto é a ética , e nisto outro seguimento, tem uma posição firme e prepara os seus eleitos a sacerdotes para quando forem exercer as suas funções cumprirem com o determinado. Quanto aos do nosso meio, não podemos dizer a mesma coisa, infelizmente nossas igrejas ao formarem os seus grupos de oficiais não os têm preparados para exercício da sua função, tendo ética, agradando a Deus e ganhando a confiança do povo de Deus.

Alguns até estudam Teologia em escolas que não pertencem as suas denominações, e com isso, acabam deixando parte do que aprenderam esquecidos. Outros por não ter essa formação são eleitos a estes cargos pelo tempo de relacionamento e trocas de confiança com seu pastor. Existem também aqueles que são discipulados para cumprirem uma determinada meta que muitas vezes trazem mais prejuízos do que ajuda ao povo de Deus.

Há conflitos de verdades no meio dos evangélicos, falta ética, pastores atacam pastores servindo de maus exemplos para toda comunidade de fé, portanto, afirmo acreditar que o ato de confissão é justo, porém fica muito difícil exercê-lo quando não se pode confiar no sacerdote da igreja.

Mas graças a Deus que ainda há santo nesta terra, pessoas sérias que não se permitem conviver com toda essa hipocrisia, que é a falta de ética em nosso meio. Acredito que esses forjados na boa têmpera, procuram sutilmente (para não chocar) separar joio do trigo.Precisamos sim de consistência conteúdo e autoridade moral para proclamar boas novas, mantendo acesa a chama da esperança de um povo que sofre por dias melhores e que depositam as suas esperanças em Deus. Paz!

19 comentários:

CORAÇÃO QUE PULSA disse...

ÉTICA...DIGNIDADE...COMPROMISSO..FÉ...AMOR...
*QUEM SOMOS NO MUNDO?!
*CRISTÃOS?!
*CRENTES?!
*SERVOS(Devedores)?!
*OU SIMPLESMENTE UM NOME?!
*O QUE ESTAMOS FAZENDO COM O EVANGELHO DE JESUS?!
Amiga....que DEUS tenha misericórdia de nós.
Beijos...fica com DEUS.

disse...

Pois é Mana, precisamos de ética em nosso meio, acho até que aprendem, mas não exercem. Por isso concordo quando ele diz que devemos desconfiar dos cursos de capacitação para leigos, mas que pastores também precisam deste curso.Paz!

Nair Morbeck Sobrinha disse...

É tão chocante saber que no meio que deveria ser o sal nesse mundo tão tenebroso, acontece exatamente o contrário..é triste saber que um suposto "escolhido de Deus para levar e propagar o Evangelho" como já vi e vivi, mas graças a Deus sobrevivi, usa situações a seu favor para denegrir, humilhar etc..com mentiras, artimanhas e enganos..
Que Deus tenha misericórdia e graças a Ele, o todo poderoso que cuida de nós como a menina dos seus olhos, não nos deixa desamparados jamais..e como um milagre, o seu amor se renova dentro de nós todos os dias,e a nossa fé se fortalece de uma forma tremenda..
Fica realmente a questão acima;"*O QUE ESTAMOS FAZENDO COM O EVANGELHO DE JESUS?!"
Rô seu comentário está perfeito, ainda bem que há santo nessa terra..beijos!

Shalom no vínculo daquele que nos chamou para amar!

Pr. Carlos Roberto disse...

Olá Rô,

Graça e Paz!

Concordo plenamente com o texto e, na condição de pastor, vou um pouco além, muitos companheiros legalistas, só agem assim abrindo a confissão alheia ao mundo, quando se trata das ovelhas "estranhas". Isso tem acabado com a imagem de muitas pessoas, casamentos, famílias, ministérios, etc...
Porém, quando trata dos seus familiares e mais chegados, até a disciplina acontece de maneira velada para que ninguém saiba.
A conseqüência disso é que, muitos por não confiarem nos seus sacerdotes, acabam por não mais confessarem nada. Lamentável!
Ética já no ministério pastoral.

Parabéns pela postagem!

Um grande abraço!

Pr. Carlos Roberto

disse...

Pois é Pr. Carlos, isso tem acabado com comunidades de fé,tendo torcida a favor e contra, o senhor sabe do que estou falando né?? Estes deveriam aprender o que é ética. Paz

Nair mana, ainda bem que você sobreviveu, tem muitos que não mana, só Jesus para ergue-los novamente. Bjs e fica com Deus!

René disse...

Rô,

Aqueles que se professam cristãos deveriam ter em mente que o Senhor abomina o que semeia contenda entre irmãos.

E este tipo de falta de ética citada no texto leva à contenda, fatalmente!

Forte abraço e Paz!

disse...

Acredito René que se é segredos de confissão, então e pra ser guardado, até levado para o túmulo, o sacerdote tem que ter este ensinamentos.Mas não é o que vemos.Paz!

CEC disse...

Graça e paz!


Este blog do CEC SJCampos, será onde estaremos espondo os trabalhos com moradores em situações de rua.

Ficaria muito grato com sua presença para seguir, assim como suas abençoadas visitas e comentários.

Parabéns cada vez mais pelas suas edificantes postagens e pelo Blog no geral!

Seu amigo, Rodolfo do blog: A Liberdade em Cristo.

Abraços!

BLOG DA SHEYLAS2 disse...

COMO DIZ UMA CANÇÃO"VIVEMOS DIAS TÃO MAUS..."QUE O NOSSO PAI CELESTIAL TENHA MISERICÓRDIA DE NÓS E NOS AJUDE A SEGUIR FIRMES NOS SEUS CAMINHOS ...FICA NA PAZ ,RÔ!!!!!!!!!

Casal 20 disse...

Olá, Rô.

Gostei muito do assunto do post. Lembrei daquele filme "Perfume de mulher", que trata sobre algo parecido. Já assistiu?

Também me fez lembrar de outro post que li recentemente e que falou muito comigo. O post explicava sobre o casamento gay, mas dizia que o que acaba com a família cristã não é o casamento gay em si. O que está acabando com a família é que os mesmos grupos que atacam o casamento gay estão se divorciando à rodo!

A pessoa falava sobre essa questão do legalismo e do moralismo cristãos, mas que não se sustentam dentro do próprio arraial.

São líderes e líderes e mais líderes que falam uma coisa e conduzem a própria vida na direção totalmente oposta.

Eu mesmo nunca havia pensado nessa questão do divórcio relacionado com o ataque ao casamento gay. Achei muito interessante, principalmente porque muitas coisas no nosso meio passam por essas questões na verdade.

Por exemplo, não vejo no nosso meio, por parte dos líderes, campanhas abertas pró-adoção. Vejo, sim, caras feias quando o assunto é adoção de crianças por casais gays.

Digo isso, porque sou adotado. E sei das imensas oportunidades que tive porque um dia uma família deu-me acolhida.

É inevitável, então, que eu queira fazer o mesmo: adotar.

O seu post tem mais assunto a render do que se possa imaginar. Precisamos reavaliar posturas. O problema da falta da ética, além de estar ligada à falta de conversão real, está ligada também ao fraco discipulado nas igrejas que poderiam, sim, auxiliar os recém-convertidos numa auto-avaliação em TODAS as áreas da vida. Às vezes, estamos tão mergulhados no fluxo cultural do mundo que nem percebemos a hipocrisia, a contradição, o paradoxo em nós mesmos, ainda que crentes.

Nestas discussões, um dos livros que me fez reavaliar minhas incongruências foi o "Verdade Absoluta" da Nancy Pearcey.

Certa vez, fiz um curso de escola dominical que foi muito bom, na verdade foram dois: um, "cosmovisão cristã" e o outro, "ética cristã". O primeiro foi a teoria, digamos assim. O segundo foi exatamente a aplicação.

Precisamos nos enfrentar, enfrentar essas incongruências, pois a Bíblia dá um nome lindo a esse enfrentamento: santificação.

Eita! Escrevi demais... é que eu estava com saudades do seu blog, mas, como você sabe, as férias acabaram (rsrsrsrsrs).

Abraços sempre afetuosos.

disse...

Em minha particular opinião os gays não devem adotar crianças, não seria saudável. Como disse muitos até aprendem, mas, não colocam em prática. A hipocrisia faz parte de nossa cultura, ela é pior que a falta de ética. Há cerca de trinta anos atrás ou menos a política e o adultério eram do diabo, agora buscam respaldos bíblicos para justificá-los, a hipocrisia tomou conta de nossas igrejas, muitos apontam e não vivem o que pregam, acho que muitos já nem acreditam no que pregam. Precisamos de santificação sim, pois a igreja saiu de um extremo a outro.
quer dizer então que as férias acabaram? rss
Já estava com saudades do casal. Paz.

disse...

Sheyla, concordo contigo, que Ele nos ajude a permanecer nEle. Bjs querida!

Cida Kuntze disse...

Rô querida, li esse post ainda pela manhã, mas não deu pra comentar na hora e ele ficou no meu pensamento.

Lembrei de muitas pessoas que foram feridas por "falta de ética", entre os irmãos.
Sabe àquele assunto que é pra ficar ali, entre pouquíssimos irmãos, pois foi confiado justamente pra ser tratado com a pessoa e acaba que alguém passa pra fente?
Nossa, que tamanho estrago é feito quando isso acontece.

Que o Senhor nos ajude e que o Seu povo aprenda verdadeiramente o valor da ética.

Beijinhos amada, um final de semana de paz pra você pros teus amados familiares e amigos.

Casal 20 disse...

Verdade, Rô.

Estamos de volta e à mil para a Glória do Senhor!

Abraços sempre afetuosos.

Simone Faith disse...

Graça e Paz, Rô!

Estou digerindo seu texto ainda. Mais tarde eu publico o que pude refletir através dele.

Beijos no seu coração...

Suely - HD disse...

Olá Rô

Ministrei por algum tempo na Faculdade a matéria de Etica Profissional, confesso que é uma das matérias preferidas.

Procurava direcionar a ética no campo amplo da sociedade, envolvendo os diversos "montes" que nossa sociedade está firmada (religião, mídia, educação, política...etc).

Muitas vezes os confrontos acontecem por haver invasão de ética ou mesmo por não haver ética.

Obrigada pelo texto,

beijos
Suely

disse...

Simone, to esperando mana. bjs!

Anselmo Melo disse...

Rô.Infelizmente vivemos uma crise sem precedentes, ética se tornou uma palavra qualquer, desprovida de real sentido de valor em nosso meio.

BBN & Blog Gospel Busca Link - Search© disse...

Seu blog esta sendo divulgado no Portal Europa Gospel visite e verifique ...cole nosso selo http://gospeuropa.blogspot.com/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...