Subscribe:

17 de março de 2011

Por causa das crianças



Por Helena Damasceno

Hoje mais uma vez chego em casa pesarosa com cenas de crianças sendo abusadas, transformadas em pedintes nas esquinas dessa grande cidade, por adultos, ora movidos pela simples maldade, nas suas diversas manifestações, ora, movidos por comovente desespero. Fico a perguntar, até quando? Temos de despertar essa nação. Ninguém melhor do que a igreja, mas, será que compreendemos a importância que essa tragédia tem para Deus? Será que compreendemos o que Cristo deixou nos seus ensinos?
Em Mateus 18:1-14, o Senhor Jesus, respondendo sobre quem seria o maior no reino dos céus, deu-nos informações sobre Sua relação com as crianças, que seria bom relembrarmos:
1.Comunicou que a criança simboliza o que há de melhor na humanidade. Aquilo que gostaria de ver reproduzido em todos, pois disse: “ se não vos converterdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus”.
2.Disse que se identifica com as crianças: “...quem receber uma criança, tal como está, em meu nome, a mim me recebe”.
3.Afirmou que o castigo para quem desviasse do Pai um criança seria indescritível, sendo-lhe melhor ser assassinado(v6).
4.Falou que as crianças tem um tratamento especial por parte do Pai, pois os seus anjos estão sempre na presença Dele (v10). Por isso, vale qualquer ato heróico para salvá-las, tal como o do pastor que, por causa de uma única ovelha, deixa nos montes as outras 99, e sai em busca das da perdida – o que convenhamos, é uma loucura. Nenhum pastor abandonaria 99 (noventa e nove) ovelhas nos montes, à mercê dos ladrões e predadores naturais, por causa de uma única ovelha que tenha se extraviado – a menos que transformasse o seu salvamento numa motivação sem alternativas: ou ela ou nada! (vv 12-13) Jesus Cristo comunica-nos assim, que para resgatar as crianças, vale qualquer medida heróica, mesmo a aparentemente tresloucada!
5.Ele adverte que o Pai não quer que nenhum só dos pequeninos se perca(v14).
Como poderíamos analisar o que acontece em nossa sociedade frente a tais proposições?

Imaginemos o Senhor em uma das nossas grandes cidades, em São Paulo por exemplo e, sendo ainda mais específico, na praça da Sé. Poderia o Senhor, a exemplo do que fez em Cafarnaum, pegar uma das crianças que perambulam por aquela praça, dessas que agente manda pra Febem e, colocando-a no meio da roda formada por seus questionadores, apresentá-la como símbolo do há de melhor na humanidade?

Infelizmente, não, pois a sociedade brasileira pela injustiça social e pela discriminação, está descaracterizando as sua crianças, transformando-as no símbolo do que há de pior na humanidade. De maneira que, quem cruza com uma delas, em vez de afago, oferece desprezo, em vez de um abraço, oferece-lhe o seu medo. Conseguiria, Jesus identificar-se com qualquer delas? Certamente se identificaria com elas em seu martírio. Mas as qualidades que tanto aprecia nelas, não estaria mais a amostra, uma vez que tais crianças foram renomeadas pela sociedade. A elas foram impingidos estereótipos como: “trombadinhas”, “delinqüentes drogados”... e por aí segue a lista.
Mas, serão elas, ainda, os tais pequeninos de que fala o Salvador? Ah são! E são justamente os que foram levados a tropeçar, os que pela ganância de uma sociedade injusta, foram desviados do caminho do Pai. E o mais grave disto tudo, é que já não estão em condições de entender Deus por meio das característica que Lhe são mais caras. Dizer-lhes que Deus é Pai tornou-se uma temeridade, uma vez que para eles pai é a figura do despossuído que neles descontou toda a sua loucura. Foi quem os espancou, aviltou, expulsou ou quem ainda os explora. Não estão mais em condições de entender o que significa a justiça de Deus. Dizer-lhes que Deus é “justo” tornou-se um descalabro, pois, todos os símbolos de justiça, por eles conhecidos, trazem-lhes à lembrança: tortura, dor e violência. Além do mais, os que friamente os assassinam, em alguns lugares, são chamados de “justiceiros”!!!

Também não estão mais em condições de entender o que significa o amor de Deus. Dizer-lhes que “Deus é amor” tornou-se uma impossibilidade, pois desconhecem o significado dessa palavra – a não ser o vinculado às relações sexuais, sempre acompanhadas de taras e violência de toda ordem. Ou seja, essas crianças foram desviadas de Deus. A sociedade as fez tropeçar. Elas estão perecendo...

Este texto foi extraído do livro “Nossa Igreja Brasileira”.
Aí eu pergunto: Porque as igrejas, as agencias missionárias e os crentes em geral não investem mais na evangelização infantil? Porque só queremos ganhar para Cristo os adultos?

Nossas crianças estão perecendo!

Que Deus nos abençoe.

20 comentários:

Pr. Matias disse...

Nossa, que texto excepcional!!!

Traz uma reflexão extremamente necessária e relevante...

Parabéns!!!

Ps: Preciso que providencie o reparo de seu banner. Esse sapinho é muito feio, rsrs. Abraços!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Ah, esta é fácil, porque as crianças não dão dízimo e se dão é muito pouco.
Misericórdia! Excelente post Helena. Beijo.

Dc. Carlos Torres disse...

Oi Ró! Dei uma mergulhada, mas to volta.

Isso é a falta de maturidade de uma Igreja imediatista conformada com o relativismo secular. Não vê que a criança é a igreja do amanhã.

É triste ver tudo isso, um desleixo natural. Não há ninguém tão puro como as crianças.

Retiro uma frase do teu texto que para muitos é um sonho. Por isso ser CRISTÂO é "nascer de novo".

“Se não vos converterdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus”.

Rô, isso é Cristianismo puro!!!!

Paz amada! Coloquei uma post lá, Tem muito Haver com nossas Responsabilidades que nos foi confiada.

http://planosdivinos.blogspot.com

helena disse...

Pr Matias, o texto é excepcional, e impactante mesmo! rsrs eu levei esse tema para um seminário que eu participei, e quando terminei de falar, todos ficaram em silêncio, não sei quantos minutos ficamos olhando pra cara um do outro, pensando, mas acho que uns cinco minutos, e um colega quebrou esse silencio dizendo que eu não precisava me preocupar com isso, pois se uma criança perecer em seu estado de inocência, ela se salva. Eu fiquei brava! quer dizer que eu tenho que esperar uma criança crescer, se viciar em drogas, pra depois eu ir até ela pra tentar resgata-la, porque quando criança não é preciso?

Cláudio, também acho que é porque não dão dízimo! rsrs

Conexão da Graça disse...

Helena, muito confrontador seu texto com nossas arrogâncias adultas imbecilizadas pela falsa idéia de maturidade sobre os pequeninos.Fico indignado ao ver nas comunidades ditas cristãs, as crianças serem relegadas a 2º plano na maioria das atividades.No final do texto está escrito:"...essas crianças foram desviadas de Deus. A sociedade as fez tropeçar. Elas estão perecendo...".Eu diria que a igreja é CO-responsável igualmente por esse desvio, uma vez que só sabe viver em função de si mesmo, dos seus projetos megalomaníacos de expansão denominacional, e de agendas abarrotadas de programação interessadas em manter o cliente adulto preso ao seu produto religioso.Valeu, Franklin

Rafaela Lima disse...

Oi, Rô!

Muitas crianças não conhecem o amor dos prórpios pais, como vão amar e adorar a vida?

Pelo contrário, vão fazer de tudo para se auto destruírem: drogas, sexo sem prevenção, bedidas, criminalidade, etc, tudo que torne a sua existência o mais breve possível. Para quê querem viver, se a vida é tão cruel? Não vão reconhecer o valor da vida que Deus lhe deu. Questão complicada!

Beijos!

Marcello Comuna disse...

Confronto até o tutano esse texto Helena! Muito bom!

Criança é o que há de mais belo sobre a face da terra. Eu que tenho o privilégio de conviver com uma de oito anos, procuro me manter sensível a todas às vezes que o Pai fala comigo através dela.

Sempre que brigo com ela, horas depois eu entendo pq Deus mandou sermos como criança. Ela vem até mim como se nada tivesse acontecido, pura, linda, querendo carinho e atenção. Não há rancor, há um perdão genuíno independente de pedidos de desculpas! Isso é quase amor incondicional!

Se os adultos fossem mais sensíveis a voz do Espírito, com certeza priorizaria suas crianças. Deus fala muito mais através delas do que pelos "profetas" contemporâneos.

Bjs fraternos do camarada Comuna.

Fábio José Lima disse...

Graça e Paz Helena,

Parabéns pela seleção do texto, uma boa reflexão para nós.
Agora tentando responder sua pergunta, entendo que a Igreja está sofrendo do mesmo problema que atingiu o Estado que foi aceitar a proposta do inimigo de DESCONSTRUÇÃO. Desconstruir tudo o que Deus tem de bom para o ser humano, ele perverte, enfraquece e degenera a família, aí a criança se vê desamparada por seus pais, que se preocupam consigo mesmo ou se escondem no trabalho deixando que as ruas criem seus filhos.
São violados em todos os seus direitos, perdem a ingenuidade cedo, pois é condição para sobreviver neste "mundo cão", e uma coisa traz a outra e dá em tudo isso, crianças exploradas, maltradas, abusadas e por ai vai...
O Estado faz vista grossa, os governantes são querem se dar bem, perder tempo com educação, saúde, qualidade de vida, isso não está no plano REAL de governo, apenas as famosa Agenda Intenção, que logo é esquecida...
A Igreja, está com o mesmo pensamento dos discípulos descrito em Mateus 18.1, querendo saber quem é o MAIOR. As igrejas de nosso país só querem saber quem é a maior denominação, quem é que tem mais dinheiro em caixa, quem tem mais poder político, quem aparece mais na TV, e por aí vai, negligenciando no seu papel aqui na terra.
Veio a mente aquela canção do João Alexandre, Pra cima Brasil: Como será o futuro
Do nosso país?
Surge a pergunta no olhar
E na alma do povo
Cada vez mais cresce a fome
Nas ruas, nos morros
Cada vez menos dinheiro
Pra sobreviver...

Que possamos aumentar nossas orações pelo nosso Brasil e por todos os negligentes e que não venhamos nos tornar mais um entre tantos...
Fica na Paz.

Casal 20 disse...

Poxa, Helena! Acabei de conversar com um amigo meu sobre esse assunto e chego aqui e me deparo com seu texto.

Eu acabei de dizer para ele que foi-se o tempo em que as igrejas eram abertas tendo, ao lado delas, uma escola e um hospital também, e estes abertos pelo mesmo trabalho evangelístico que iniciara aquela nova comunidade da fé.

Mas, hoje, as pessoas só querem templo, prédio, dízimo, número, etc. Enquanto isso, a ação social, a caridade, o amor ao próximo temos deixado tudo isso para o Governo, ONGs descompromissadas com o Evangelho e outros grupos fazer.

A Igreja está acomodada no fluxo deste mundo consumista. Evangelização é alma e corpo. A Igreja precisa colocar a mão no bolso, mas não é para dar só o dízimo, mas, principalmente, para exercer o amor ao próximo.

Precisamos orar e fazer.

Parabéns pelo instigante texto.

Abraços sempre afetuosos.

helena disse...

É Franklin, concordo com você, a igreja está muito preocupada com seus projetos megalomaníacos de expansão denominacional, isso é foto, eu lamento!

Marcello, é verdade! a criança é o que há de mais lindo nesse mundo!! por isso Jesus disse que devemos nos tornar como uma criança em humildade, pureza, inocênia ... de formas que se isso não acontecer, de maneira alguma entraremos no reino dos céus! mas parece que o povo não tá nem aí pra isso, não é mesmo?

helena disse...

Fábio & Lu, com certeza a igreja está acomodada!

helena disse...

Fábio José, obrigado pelo seu comentário, pois é, só querem ser os maiores em tudo, né? eu amo essa musica de João Alexandre!
Vamos orar, mas vamos fazer a nossa parte no que for possível, grande abraço a todos!

helena disse...

Rô, kd você??

disse...

Mana seu texto é ótimo, agora que estou com tempo, hoje não deu pra comentar, estava toda enrolada aqui.rsss
Mas concordo com Fabio, o governo não faz sua parte e a igreja que somos (nós), eu digo (nós) porque somos igrejas, não me coloco do lado de fora destes, todos nós somos responsáveis como igreja de fazer alguma coisa, se cada um fizesse a sua parte já seria meio caminho andado. A sociedade não se importa, as crianças estão nas ruas largadas por causa de pais irresponsáveis famílias desestruturadas, não podemos culpar somente a igreja por não exercer seu papel, pois o papel dela e de evangelismo e de cuidar dos órfãos, dos pobres exercendo seu chamado de amar ao próximo, pois o papel da igreja é ajudar amparar mais não se colocar no lugar do Estado. A igreja tem o papel Social dentro de sua comunidade de fé, pois ali da pra fazer alguma coisa. Mas a igreja não pode tomar o lugar do estado, até porque não daria conta. Mas, devo concordar que a igreja tem falhado muito em seu chamado, infelizmente.Paz!

disse...

To aqui mana querida, estava muito ocupada hoje, mas agora estou atoa rsss bjs!

helena disse...

É verdade que a sociedade as fez tropeçar, mas nós igreja não fazemos nem 5% do que poderíamos fazer, não como estado, mas como nação santa e povo adquirido que somos! bjs Rô

disse...

Pois é mana, como disse. A igreja tem falhado em seu chamado! Bjs!

Vivendo pela Palavra de Deus!!! disse...

A criança quando nasce vem ao mundo desprovidas de muitas coisas, mas tem uma coisa que é fundamenta um coração que é um solo fértil para a semeadura, que o Senhor abra os nossos olhos para que plantemos a palavra e o amor de DEus nesse solo.

UMa boa noite!!!

Núcleo de Jovens disse...

ala gostei bastante da postagem eu trabalho com jovens na minha igraja e seus texto tem um goteu bom para ser trabalhado parabéns QUE DEUS LHE ABENÇOES CADA DIA MAIS... se quizer conhecer o trabalho dos jovens
http://nucleodjovens.blogspot.com/

Suely - HD disse...

Olá Rô,

A igreja tem um grande papel na conscientização da sociedade.

Certa vez ouvi uma frase muito sábia:

SÓ HÁ CRESCIMENTO QUANDO HÁ MUDANÇA DE COMPORTAMENTO.

Os valores da família devem ser divulgados pela igreja e cada um tem o seu papel nesta divulgação universal.

beijos amada

Suely

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...