Subscribe:

18 de março de 2011

Reflexões sobre o Dia Nacional da Poesia (14/03)


Por Casal 20

"A palavra pedra atirada veste o peso da língua",

Iconoclasta (Manoel Serrão)



“O peso das palavras” foi o título de um trabalho que fiz na época da Faculdade Teológica, quando tive o meu primeiro contato com a disciplina “metodologia de exegese”. Encantava-me com a poesia hebraica, seus jogos e características de sua gramática e discurso (ocorreu o mesmo com o Grego). Assim, estudar línguas veio de uma forma natural, principalmente depois de um curso de linguística, o qual nos instrumentalizava nas regras de fonética, fonologia, gramática e discursos com o objetivo de analisarmos melhor as línguas com as quais trabalhamos hoje.

Creio que naquele trabalho - "o peso das palavras" - já havia a gênese de algumas ideias que depois, com outros estudos, compreendi melhor. Já fora, contudo, uma maneira de dizer sobre o que acredito em termos de palavras, significados e significantes. Em resumo, acredito que as palavras têm peso, como também têm cores, cheiros e tons e que precisamos conhecer e dominar as que usamos, caso queiramos dizer aquilo que realmente queremos e da maneira mais aproximada possível: a palavra e o pensamento. Este título - "o peso das palavras" - é quase uma confissão de fé; uma profissão de fé (no canto parnasiano de Olavo Bilac).


Escrever é uma luta, uma luta vã, já dizia Drummond, entretanto, melhor do que muitos, ele sabia dessa luta necessária contra e a favor da palavra. Luta árdua em que devemos respeitar esse oponente para encontrar aquela chave que nos abrirá a palavra e à palavra: o poema que aguarda, que espera, pacientemente, que algum poeta desassossegado o revele.




A partir do momento que compreendemos esse labor da escritura, passamos a pensar mais e a escrever menos, pois queremos trabalhar apenas com a palavra certa, "catar feijão" (João Cabral em outro belo poema sobre o tema da urdidura desse labor poético). Agora sei que há pedras e feijões. Estes boiam na superfície deste papel virtual, que agora você lê. Mas boiam, também, na confecção do poema, as pedras e os feijões secos e ocos (deve-se, também, lançar fora do poema outras impurezas surgidas, sempre). É preciso, ao jogar-se tudo sobre o papel, assoprar sobre as palavras para que nada atrapalhe a leitura fluvial do leitor apaixonado pela poesia. Trabalho sério esse do poeta, mais difícil do que catar feijão, porque, ao contrário do que acontece na água, sobre o papel, tudo boia: feijão bom, feijão oco e pedra. Portanto, deve o poeta soprar sobre o papel; deve, sim, discernir, averiguar, medir, lapidar, refletir, mirar, suar...

Ao descobrirmos, fascinados, que não existem sinônimos perfeitos, pois as palavras possuem gradações e cada qual deve abarcar um determinado limite, então, colocamo-nos à obra de garimpar palavras. É preciso trabalhar! Ir ao sol, ao rio, molhar-se, cansar-se; um dia inteiro no esforço de encontrá-las, as palavras, que sempre estiveram ali o tempo todo. Mas todo cuidado é pouco: sempre há ouro de tolo, falsos silogismos, metáforas imperfeitas, ritmos forçados, metonímias sem sentido, versos malversados.


Por isso, exatamente, queremos também leitores-gemólogos, que saiam do lugar-comum da linguagem cotidiana, das relações desenfeitadas das pessoas esquecidas do sagrado. Leitores que fujam dos clichês, do significado já cristalizado e acomodado da linguagem diária e que olhem as palavras como verdadeiros mistérios, porque elas, as palavras, são mistérios. Precisamos labutar, então, sobre elas: buscá-las em dicionários, ler os clássicos da literatura, maravilharmo-nos de como os gigantes as usaram; enfim, guardar-se em Camões, Fernando Pessoa, Cecília Meireles e Clarice Lispector (só para citar alguns de língua portuguesa).

Já explicava Eugen Rosenstock-Huessy, em seu livro "A origem da linguagem", que todos os animais gesticulam, fazem barulhos, expressam gemidos, todavia é só o homem, o ser humano, que descobriu essa complexidade maravilhosa das palavras, das frases e dos discursos. Só o homem descobriu que “a linguagem também é o poder de cantar em coro, de encenar uma tragédia, de promulgar leis, de compor versos, de rezar em agradecimento, de fazer um juramento, de confessar pecados, de fazer uma reclamação, de escrever uma biografia, de redigir um relatório, de resolver um problema algébrico, de batizar uma criança, de assinar um contrato, de encomendar a alma de alguém a Deus”, nos lembra Eugen. E eu acrescentaria também - por que não? - só nós descobrimos esse fascínio do ato de escrever em blogs!

Não podemos tratar as palavras levianamente, porque elas podem possuir o peso exato de nossos pensamentos e estes não são apenas diferentes uns dos outros, mas são, de modo assombroso, expressões de algo singular e nobre que nos foi dado pelo próprio Deus: a Sua imagem (a imago Dei).

Enfim, Deus escolheu palavras para nos dizer sobre a sua Palavra. Deus é o autor por excelência e é quem nos ensina sobre o peso das palavras e que não existe gratuidade quando as usamos: palavras não voltam vazias! As palavras de Deus são perfeitas, mas as nossas não. As de Deus carregam o peso exato de Sua intenção, as nossas não. Por isso mesmo, precisamos, responsavelmente, nos esforçar no labor da escritura e da leitura também! Necessitamos, como nos dizia Eugen, retornar com o esteio teológico de que a “linguagem é o campo privilegiado do Espírito Santo”.

PS - Todos os poemas com os quais dialogamos neste post podem ser acessados, bastando seguir os links que deixamos no texto.

Casal 20

20 comentários:

Ciro Sanches Zibordi disse...

Postagem interessantíssima!

Mas gostaria de parabenizá-la, sobretudo, pelo novo visual. Muito bonito.

Um abraço.

Ciro Sanches Zibordi

disse...

As palavras têm peso sim, não mais que a palavra de Deus, tem gente que acha que sim e que pode mudar o mundo espiritual com suas palavras eu não penso assim, penso que podemos sim nfluenciarmos opiniões, moldamos percepções de quem as diz e formamos imagens. A diversos tipos de linguagem, há aquelas persuasivas, linguagem que produz consequências relevantes com tamanho peso no conteúdo, muitos usam destas com maestria. Precisamos saber usa-las e termos responsabilidades ao escrevermos.
Sobre a poesia Fabio, fico vendo meu marido escrevendo aqui, ele agora esta fazendo Tautogramas e é tremendo. rss

Quanto as escrituras precisamos cada vez mais conhece-la pois nela a poder, Jesus esclareceu: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada. até porque, ela diz que Ele nos faria lembrar de tudo que foi dito.
Seu texto é muito bom meu amigo. Paz!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Que maravilha de texto, este texto vai muito além das verdades contidas nele. Abraços, paz e bem.

soniaconslt disse...

A poesia encanta e balança os nossos sonhos.
Um bom dia querida

disse...

Obrigada Pr. Ciro. Que bom que gostou do meu novo templates.

Claudio o texto dele é ótimo, vai muito além das palavras que ele usou né? Paz!

Casal 20 disse...

Para Rô e para todos que se identificaram com o texto, a todos escritores, blogueiros, poetas e encrenqueiros (rsrsrs), enfim, a todos que trabalhamos com a palavra à luz da Palavra (ou não), nossos sempre muito afetuosos abraços a todos vocês.

Estamos muito felizes de estar aqui na casa da Rô e podermos conhecer esses novos amigos.

CORAÇÃO QUE PULSA disse...

TUDO VIRA TURBILHÃO...
TENTA MUDAR A MENTE, O CORAÇÃO...
ALMA SEDENTA OU RAZÃO?!
CORROI O CORPO...PECADO...ILUSÃO.
FOI ELE?!...É ELE?!QUEM TEM RAZÃO?!
PORQUE TE INDAGAM POR TANTA DESTRUIÇÃO?
QUEM É O HOMEM E QUAL A SUA RAZÃO?
FOLHA AO VENTO...VASO QUEBRADO...TRAGA RESTAURAÇÃO.
TÚ NOS ADVERTIU,NOS MOSTROU O CAMINHO,LIVRE ARBÍTRIO!...OU NÃO?!
ANDAMOS EM PÉ MAS...PARECE QUE ESTAMOS NO CHÃO.
CRENTES,CRISTÃOS,SERVOS OU APENAS POÇOS SECOS,VALE DE OSSOS.
EU MEREÇO O QUE?! SOU O QUE?!
TÉ ÉS O PRINCÍPIO...O GRANDE EU SOU.EU! SOU O PÓ QUE A VIDA SOPROU, SOU UM PEDAÇO DE COSTELA...ADÃO E EVA.
SE DESEJO MORAR AQUI,FAZER DESTE MUNDO O MEU HABITAT!COMO POSSO TER EM MINHAS MÃOS O PASSE, A ENTRADA PARA O CÉU?!
SENHOR! FAÇA DESTA FOLHA QUE O VENTO LEVA,DESSE VASO QUEBRADO ...APENAS TUA SERVA.
EU QUERO O CÉU!
CLÉLIA2011 para a minha amiga RÔ.
Fiz agora mas...não sou poeta.kkkkk
FICA COM DEUS AMIGA.

Pastor Ladislau disse...

Esse texto se tornou um belo poema Rô parabéns pelo texto, e todos nós conscientes ou não do que dizemos vamos dar conta no ultimo dia das palavras frívolas que semeamos,palavras carrega a semente daquilo que imaginamos que será a realidade e o ambiente do amanhã, palavras são ferramentas de construção, não são simples fonemas que não tem sentido porque mesmo quando não tem nenhum sentido elas carrega um grande poder de destruir ou construir isso estou falando da palavras humanas nem levei ainda em consideração a palavra de Deus que no seu próprio texto vc diz ser perfeita pois saiu de um Deus perfeito. Que ferramenta é a palavra e mais afiada que espada de samurai, abrs querida e obrigado pelo texto

disse...

Pr. Ladislau o texto é do Fabio meu colunista. E é muito bom !

Suely - HD disse...

Olá querida Rô,

Fiquei ausente esses últimos dias. Mas estou aqui p/ deixar um recado um comentário nesse amado blog.

Aliás estamos de " cara" nova? Q lindo.

Sim, as palavras tem muito peso, elas podem edificar e podem matar.

beijos
Suely

Nair Morbeck Sobrinha disse...

Viva a poesia..e que lindo e sério é isso:
"A palavra pedra atirada veste o peso da língua",
Iconoclasta (Manoel Serrão)

Mana amada você é única!
Shalom

disse...

Clélia amei, muito obrigada mana. Amo-te. Já copiei e vou guardar comigo. És poetisa sim. bjs

Ligian disse...

Que texto bom de se ler!! Sou fã dos textos que o Fábio escreve por sua inteligência e por sua fidelidade às Escrituras (memso em textos que não falam rasgadamente delas)!
Amei!
Amo poesia e sonho em poder, além de lê-las, escrevê-las!
bjim

Eduardo Medeiros disse...

maravilha de texto!!

lutar com as palavras é a coisa mais vã mas agente sempre ganha um pouquinho ao sair da luta.

é uma pena que milhões de brasileiros por não terem o hábito da leitura, jamais lerão um dostoiévsky, um tolstói, um machado de assis, um kafka...

a nossa educação é tão ruim e não incentiva a leitura(salvo poucas e louváveis iniciativas), o que chega a ser um crime.

você citou a poesia hebraica que infelizmente se perde nas traduções mais populares da bíblia em português.

aproveito para indicar uma coleção espetacular do texto bíblico mais literal onde as nuances da língua hebraica podem ser vislumbradas em toda sua beleza que é a coleção "a bíblia" do andré chouraqui, da editora imago (10 volumes,se não me engano) que você com certeza conhece.

eu ia até colocar uma pimentinha no comentário(já que eu sou o herege oficial das mulheres sábias kkkk) sobre a possibilidade de conhecermos as próprias palavras de deus mas resolvi não fazê-lo para não desfocar o assunto principal do texto.

abraços

disse...

Patriarca herege você é Edu. Este título ninguém te toma. rsss
Pode por pimentinha meu amigo querido, você tem livre acesso aqui na casa da Rô, puxe acadeira e tome um café uai!

Paz Edu,

CORAÇÃO QUE PULSA disse...

RÔ AMIGA!
Essa "poesia"(dita por ti)kkkkk
Inventei na hora que entrei aqui.Nem lembrei do título....kkkkkkk
Como a dei a você...escolha o que achares melhor.Assim...será minha e tua.
Beijos e fica com DEUS.

Mensagens abencoadoras!!! disse...

Oi Rô....passando p/ desejar um maravilhoso final de semana!!!!Que O Senhor, nosso Deus derrame bencçãos sem medida sobre voce , tua famlia, tua casa!!
bjussssssss
Marly

Adriana Alencar disse...

Que texto impressionante, absorvi cada "palavra"...Gostei especialmente da analogia do poder de Deus expressado em palavras, é um exemplo para nós, que a desperdiçamos...
Excelente post!
Beijo

Adri

helena disse...

Olá querido Casal! oi Rô! estava sem net, só agora puder ler esse abençoado texto, tenho aprendido muito aqui neste lugar aconchegante. Realmente, palavras fazem toda a diferença, as vezes alguém usa palavras que levantam o nosso astral, mas tem vezes que elas nos deixam pra baixo também, as vezes nos confortam, mas as vezes são devastadoras. Muito bom o post,e devo dizer que eu tenho que ter sempre cuidado com as minhas palavras, pois as vezes elas saem pesadas demais!! um abração Rô!

RADIO GOSPEL MUSIC LIFE disse...

RADIO GOSPEL MUSIC LIFE

http://crescerevencercomjesus.blogspot.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...