Subscribe:

7 de julho de 2014

Fim da imunidade tributária Religiosa. Você apoia??


Por Rô Moreira

Diante de um debate no Facebook e das respostas da enquete aqui no  blog, vi alguns defendendo o fim na imunidade tributaria religiosa, e diante de tal debate alguns irmãos assumiram publicamente que desejam sim, que a igreja emita nota fiscal, que aja mais rigor. Fiquei pensando como tributar igrejas que se mantém com dízimos já tributados??
Eu vi na tv uma entrevista do deputado Jean Wyllys, onde ele falava sobre a necessidade das igrejas pagarem impostos, mas não apresentava um motivo que sustentasse a sua ideia, tinha só o intuito de penalizá-las. Percebi que isso vai muito mais além do que uma preocupação com a fiscalização das mesmas. Se caso isso ocorrer, enfraquecerá a instituição, e se as igrejas grandes caírem, as leis que ferem a moral da sociedade e das famílias brasileiras serão facilmente aprovadas, porque não haverá mais a influencia de senadores e deputados cristãos no congresso, para combater esses absurdos. As primeiras igrejas a caírem seriam as pequenas que já sofrem pela falta de uma arrecadação que a sustente plenamente. Assim o objetivo da militância gay seria atingido que é acabar com a igreja, além do mais, isso na verdade é uma bitributação.
Este assunto tem se levantado com a clara intenção de destruir o crescente cristianismo  no Brasil. Tudo bem, concordo que há certas igrejas abusadoras e politicamente até parece algo correto, soa como justiça, mas é mais uma manobra de gente que nunca creu e de gente que já deixou de crer a muito tempo em Deus e não se satisfaz em ser um incrédulo solitário.
Alguns irmãos que concordam com o fim da imunidade tributátia religiosa, só veem um lado da moeda e esquecem que existe outro da lado da moeda e não fazem a mínima questão de virá-la de lado, para assim não enxergarem a verdade de frente.
A meta agora é investir na tributação das arrecadações das igrejas como finalidade de esvaziamento das mesmas. Não se importam com a dor alheia, e nem com os números favoráveis a essa instituição que tem tirado muita gente do sofrimento. Eles vêm com argumentos vazios, com suposições e acusações contras os pastores televisível, como se a igreja fosse constituída somente por eles. Esses irmãos tem agido sem escrúpulos fundando igrejas nada convencionais ou agindo nas igrejas tradicionais, em seminários, na imprensa, na internet, na política entre outras esferas da sociedade.
A malignidade é tamanha que preferem entregar parte do seu dinheiro já tributado nas mãos do governo, onde há corrupção e quase não volta em benefício da sociedade (volta em torno de 26%).  Tivemos como exemplo recente a injusta CPMF (imposto do imposto) que ao ser criada tinha como propósito arrecadar 6bi/ano para saúde, e no final acabou arrecadando 40bi/ano por uma década e a saúde quebrou. E logo, logo voltará com o novo Governo. 
O mundo atual parece desenvolvido, mas as questões antigas continuam a incomodar. A pergunta é: Porque tanta preocupação com o cristianismo? Bom, não é só com o cristianismo,  mas sabemos que a preocupação maior é o enriquecimento de certos pastores e isso realmente precisa de uma fiscalização  todos nós sabemos. Mas sou contra o fim da imunidade tributária religiosa. 
 Na Holanda, um dos maiores  exemplos para o planeta, ocorreu que as igrejas não suportaram tanta perseguição e fecharam por falta de verbas para manutenção, transformando-se em pubs, cafés, livrarias e até casas de shows para os ateus, que com suas campanhas sórdidas as esvaziaram.


Em fim, que César cuide do que é dele e nós cuidamos da igreja, devemos sim separar bem as coisas. A igreja não foi fundada para fazer o papel do governo. O governo que escolha  gente honesta e responsável para cuidar da pasta social.  Paz e bom dia!

31 comentários:

Cesar M. R. disse...

1- a igreja não daria nota fiscal, pois não presta serviços para tanto (a não ser a igreja católica, que cobra por casamento e afins).
3- As igrejas são isentas de impostos como o IPTU. Claro, pagar IPTU em um bairro nobre seria catastrófico para muitas comunidades.
4- Se aprovassem isso, as igrejas católicas teriam que pagar também, por isso, não acho que seja perseguição à igreja evangélica que cresce. Igreja evangélica mesmo, no sentido correto, não tem crescido tanto.
5- Na Holanda, as igrejas que fecharam, em sua maioria, foram as protestantes. Curiosamente, o catolicismo holandês não teve a queda que o protestantismo teve. Uma questão que pode fazer pensar muito! E é curioso observar grupos trazendo para o Brasil ideias reformadas oriundas da Holanda. Acho bom pensar com calma nisso.

Thiago e Teresa disse...

Olá Rô!!


O nosso país tem mergulhado tanto em pecados que tudo que está ligado a Deus tem incomodado muito. Ele já não é bem vindo por aqui por muitos.

Não duvido que coisas como essas sejam aprovadas. Mas sei que Deus vai estar com aqueles que não se dobram a Baal!!

Paz querida!!

Casal 20 disse...

Na Holanda, as igrejas fecharam porque não acreditavam mais na Bíblia. Elas foram tragadas pelo liberalismo teológico, mas não foi somente a Holanda, a Europa como um todo enfrentou o fenômeno chamado de pós-cristianismo. O pós-cristianismo é fruto de uma igreja descrente mais um neo-paganismo crescente apimentado hoje pela invasão dos muçulmanos. Por que a Igreja Católica não passou por isso? Dois motivos: 1) o seu nominalismo, enfim, o romanismo sempre se caracterizou pelo formalismo oco no continente europeu com raras exceções. 2) o tradicionalismo combativo em Portugal, Espanha e Itália que foi forte até meados do século passado. Mas, agora, também declinam diante de uma Europa secular.

Mas cobrar imposto de Igrejas, eu não vejo como, não encontro base legal. Mas moral, talvez. Mas também ficar pagando imposto para financiar kit-gay e troca de sexo no SUS não é uma alternativa nem um pouco melhor.

Por outro lado, creio que cada povo tem a Igreja que merece, daí, eu acho mais é que os valdomiros e macedos da vida tem mesmo é que cobrar o dízimo, o trízimo e o que mais o cara quiser pagar para o serviço que ele está determinando que Deus lhe conceda nessas igrejas. O que ele quer? Cura? Um carro. O que ele quer? Emprego? Doze meses de aposentadoria. Sei lá. Creio que nessa história toda não tem inocentes, desde a Dona Maria até o seu Zé, passando pelos bispos e apóstolos, além do Governo do PT que acobertou a Universal enquanto lhe foi interessante e também as nossas Igrejas que foram omissas e irresponsáveis por todos esses anos, abandonando a filantropia e a ação social (educação, saúde, etc). Para mim, estão todos amarrados uns aos outros e, talvez, seja chegado mesmo o tempo de fecharem todos os templos para ver se aparece no meio desse mar de joio a Igreja verdadeira do Senhor Jesus espalhada por toda a terra.

Só Jesus na causa para mudar.

Abraços sempre afetuosos.

Fábio.

Fábio José Lima disse...

Minha irmã e amiga Rô,

Acompanhado de longe os posts e comentários aqui e no face não resisti e resolvi dar minha contribuição, com a única finalidade de ajudar, esclarecer, ensinar, mas como sempre respeitando as opiniões contrárias.

Respondendo a pergunta contida no título do belo post, te digo sem medo que sou contra (me perdoem, mas minha justificativa será técnica), pois a proposta é manifestamente inconstitucional, explicarei.

A Constituiçāo Federal garante como direito individual a liberdade de culto (artigo 5°, inciso VI, da CF/88), isso a maioria de nós sabemos, por outro lado, para que esse direito constitucional não se tornasse letra morta, mais a frente, o mesmo constituinte garantiu este direito, limitando o poder de tributar do Estado, onde foi proibido aos entes federados (Estados) instituir impostos sobre os teplos de qualquer culto, coloque aí todos os templos religiosos que você imaginar.

Perceba, então, que essa garantia constitucional está protegida por cláusula pétrea, não podendo ser alterada, segundo entendimento da doutrina e da jurisprudência de nosso país.

A questão levantada pelo nobre Deputado é, a meu ver, tão somente midiática, ele quer holofotes...

É certo que do Congresso Nacional podemos esperar de tudo um pouco, basta ver as diversas leis capengas que eles fazem...

Sei que não é o tema do post, mas para mim, o que deveria haver era uma cobrança maior no sentido da fiscalização da entrada dos dízimos e ofertas e sua destinação, controle este que deve existir nas Igrejas com anotação nos respectivos livros contábeis, pois alguns pegam o dinheiro da Igreja "emprestado" para investir em outros negócios lucrativos...

Fica na paz!

disse...

Eu não apoio também, pois ja pagamos tantos impostos, além do mais a própria igreja católica é sustentada por nós,o governo a sustenta com nossos dinheiro. Sendo assim muitos iriam parar de frequentar os templos por não aguentar pagar tantos impostos, e ainda mais, César roubando o que é dado pra Deus.

Fábio José Lima disse...

Em tempo, a limitação a que me referi no poder de tributar do Estad está no artigo 150, VI, b, da CF/88, que garante a imunidade tributária religiosa.

Adilson J. da Silva disse...

Obrigado Rô, pela publicação! Hoje, ao abrir meu facebook, dei-me por conta de que esse debate, que revela um ultraje ao cristianismo, vez ou outra sempre retorna! Lamento por isso! Não vai demorar que um projet sobre o assunto tramite lá na CD! Intelectuais e Governos socialistas incapazes de buscarem soluções para a economia de um país, sempre se ergueram contra os cristãos! Nem mesmo a Grande Depressão de 1929 forçou motivou tamanha agressão! Evidentemente, essa intenção macabra não é de agora, vem de longe! Eu também,á vi o dep. Jean (que não foi eleito de forma direta) destilando seu ódio cego e sem argumento, contra a Igreja, em especial na questão da tributação, como se Igreja fosse uma empresa. Ele só não fala dos milhões dos cofres públicos que o PT vem doando a ongs e entidades politiqueiras. Esse deputado, um tolo, insano e bobo da côrte, é incapaz (como a maioria daqueles que estão lá na Cãmara) de criar políticas sérias; até agora só ele soube destilar veneno contra a Igreja, a construtora do Ocidente!

Luiz Karlos Jardim disse...

Amiga Rô Boa Noite, Graça e Paz!!
A minha participação teria a mesma linha do comentarista Fábio Jose Lima, então faço outro comentário...
Acredito que nossas leis deveriam prevenir com mais propriedade, especificidade e objetividade os crimes que estão sendo praticados em nome da fé,da boa fé e da "imunidade eclesiástica".Sem ferir princípios e garantias Constitucionais acredito numa legislação mais atual e punitiva para aqueles que usam da "liberdade" para praticarem crimes do qual a lei como está, dificilmente os alcançará.
Maranata!!!!!!

Pr.Luiz Karlos Jardim

disse...

Verdade Luiz, estes não temem nem a Deus , que dirá a justiça Federal. Eles continuarão com seus conchavos. Pois com esta lei que temos não serão alcançados.

jlcolli disse...

Só destacamos as mazelas dos que não administram corretamente as receitas da igreja. Está na hora de lembramos daquele hino "Conta as bençãos", para vermos quanto o Senhor já fez, através da igreja, e, alguns de nós surpresos, constataremos que as bençãos espirituais e materiais são imensamente maiores do que as mazelas que hoje contamos.

Joab Barros

Dc. Carlos Torres disse...

A lei não passa, como disse nosso irmão ai temos na Constituição federal grande respaldo!

Mas precisamos fazer alguma coisa com esse mercantilismo da fé! Mais atenção e fiscalização na arrecadação dos dízimos e ofertas. A igreja vive de doação voluntária e nunca deverá ser uma instituição lucrativa, tudo que se arrecada deve ser investido no Cristianismo e em seus membros com uma ação social.

Alem de declarar toda sua movimentação financeira. Muitos Líderes estão enriquecendo facilmente e grandes propriedades são compradas em nome de terceiros para benefício próprio.

Isso é real e muita igreja tradicional já está fazendo o mesmo. Uma pena!

Sou contra a lei, mas precisamos denunciar esses "fariseus" que manipulam o Dízimo do SENHOR.

Dai a César o que é de César e a DEUS o que é de DEUS.

Paz! Rô. Gosto dos seus textos!

PATRÍCIA TELLES disse...

Fico imaginando o caos que será em relação aos missionários que tentam implantar igrejas no interior do país. É uma vergonha que cristãos continuem vendo BBB e depois ainda ajudem a votar nestas pessoas que criarão leis que denegrirão a eles mesmos. Vergonhoso!

aDrIaNa & gLáUciO sOuZa FrEiTaS disse...

Olá pessoal. Boa Noite...
Acabei parando aq, por quê estava em busca de resp.pra esse assunto.
Poderia ir até ao google e procurar por respostas explicáveis,inteligentes.
Mais sou só uma dona de casa,e vou escrever sobre o que entendo do assunto de uma forma geral.
Li todos os comentários aq, e confesso até ter copiado alguns de tão interessantes que são.
sou geminiana, gosto de opniões inteligentes. Bom de td que li aq,eu notei uma grande confusão que as pessoas fazem.
quando se trata de 'DEUS'.
Eu ñ tenho religião.Ñ por soberba,ñ sou melhor que ninguém,só ñ aconteceu...ainda.quem sabe?
Religião é uma coisa, igreja é outra,Deuses...existem vários, e crente até o diabo é...ñ é assim que dizem?
De inocente,no que vi ao longo da minha vida,igreja nenhuma é...
Desde a época de cristo mata-sse em nome dele. temos histórias dentro da história sobre como a igreja se colocava soberana
na vida das pessoas a ponto de decidir quem vivia ou morria.
Hj vemos o que na minha opnião,é a degradação humana 'PEDOFILIA' dentro da igreja ,
cometidos por aqueles que deveriam ser imunes.e ñ dá pra dizer que cometem isso pq são humanos.
Pq um humano,ñ comete tal covardia.
Eu ñ creio na bíblia,ñ creio em templos,muito menos em religião.todas na minha humilde opnião,foram criadas pelo homem.
que é tão falho quanto eu.
Quanto ao assunto em questão,acho que td se trata de política ,assim como a igreja sempre fez ao lidar com assuntos,
que de alguma maneira pudesse lhe prejudicar.vemos isso quando se trata de padres pedófilos,são jogados em cidades peq.
para que abusem de crianças que ninguém irá se dar conta de que elas exitem.
Tënho 40 anos,aprendi que a melhor bíblia é aquela que vc carrega em seu coração , e ñ embaixo do braço.
Ensino aos meus filhos que jamais, jamais FAÇA AO OUTRO O QUE VC Ñ QUER PARA SI.

BOA NOITE PESSOAL!

Anamim Lopes Silva disse...

A imunidade tributária é um imperativo para que os templos de quaisquer credos se mantenham e para que o Estado não crie obstáculos a seu funcionamento, negando assim a separação da igreja e do Estado em niveis aceitáveis. Nâo existe estado democrático onde as igrejas são taxadas. Logo é um imperativo também reconhecer o fato de que não existe absolutamente separação da igreja do estado, como não existe separação dele da cultura, das artes, dos esportes, ou sepação dele das pessoas a quem ele serve. Logo, as igrejas precisam mais de fiscalização das suas arrecadações que implicam em renúncia fiscal e mais, os dizimos e ofertas devem ser ser dedutiveis do imposto de renda. É um absurdo, ignorância que injustifica a INIQUIDADE das igrejas não estenderem os beneficios dessa imunidade tributárias a seus membros contribuintes, em particular, daqueles que desejarem e fazerem questão de declararem e receber a restituição do IR e fazendo com que suas igrejas se submetam à fiscalização da Receita Federal. A França um pais que inventou o conceito modernao da laicidade nos dá esse bom exemplo. Rô Moreira, apoie essa ideia, pela continuidade da imunidade tributária das igrejas e o justo direito dos crentes á restituição do IR pelos dizimos e ofertas pagos na Igreja parceira do Estado no desenvolvimento de tantas políticas públicas. No caso dessa politicas públicas, aliás, a Igreja supre o papel do Estado em defesa da familia nuclear na medida que contribui com o debate se posicionando contrária ao cssamento e à adoção gay e proporcionando espaços públicos para o desenvolvimento da sexualidade sadia, do ponto de vistas delas, as igrejas. Igualmente é claro que as igrejas podem até estar deixando a desejar no quesito de combate à homofobia, mas é claro que a Igreja deve se posicionar claramente em favor do amor e misecórdia a todos os homens e mulheres e pela cessação de qualquer violência e quem sabe, mantendo-se firme aos postulados, deveria lançar uma visão mais compreensiva do fenômeno da homossexualidade sobre o qual deve implicar cuidados pastorais não-discriminatórios e não achincalhadores e não contribuir para a parmanência do estereótipo gay, como a pior das criaturas.

disse...

Anamim, seria ótimo se os membros pudessem declarar a ajuda que dão a igreja, mas para os pastores isso não é interessante pois no futuro eles podem sofrer a interferência do estado ate mesmo em uma comparação entre declarações, aí as coisas não ficarão boas pra eles. Muitos pastores iriam chorar. Alguns pastores escritores por exemplo, dizem que declaram, mas o que eles declaram e a venda de livros, pois se eles declararem tudo que recebe o estado vai querer morder também.

Luiz Karlos Jardim disse...

Estimada Rô Bom Dia, Graça e Paz!!
Já que trouxe de volta o tema,e mesmo tendo eu já comentado acima, tb volto.

1º A quem interessa?!Esta tentativa só interessa ao império do mal.
2º Quem ou qual instituição seria mais prejudicada?! Igreja Catolica Apostolica Romana.
3º Alem da "Igreja" os demais entes tambem perderiam imunidade ex: partidos politicos?! Provavelmente sim, o que não seria bom para os politicos, visto a sujeira que está escondida por trás dos partidos.
RESULTADO: AS instituições não devem pagar por erro dos seus dirigentes, as pessoas devem ser responsabilizadas e nos temos orgãos legitimados e proprios para isto; MP, POLICIA FEDERAL, MAGISTRADOS,COAFI, RECEITA FEDERAL, e outros.
Imunidade para pessoa juridica sim, pessoas fisicas jamais.
Shalom!
Pr.Luiz Karlos

Pr Antonio Carlos disse...

Olá, Ro... excelente tema.

Concordo com a maioria dos comentários, mas realmente o do irmão Fábio é o mais abrangente.

Gostaria de destacar algumas ideias sobre este tema:

1) Sou contrário à revogação da imunidade tributária dos TEMPLOS (não só das igrejas evangélicas).

2) O pouco nobre deputado faz disso, como foi dito aqui, um espetáculo midiático; de quebra, tenta intimidar os cristãos desavisados, e estimular conflitos. Mas é pura espuma.

3) Duvido que deixe de existir imunidade tributária para os TEMPLOS. Já imaginou a igreja católica pagando IPTU de TODOS os seus imóveis? Para quem não sabe, a ICAR é a maior imobiliária do Brasil. E do mundo também. E muitas, em áreas nobres.

4) A lei é boa. Não é ruim. Se houvesse fiscalização e a lei fosse aplicada, coibiria os abusos. Uma das sanções da lei, por exemplo, é que se o dinheiro das doações for usado para fins comerciais, a entidade deixará de desfrutar da imunidade tributária, passará a pagar todos os impostos devidos, incluindo IR, isso retroativo a CINCO anos. Então, para conter os erros, é só colocar a lei em prática.

5) Se por um acaso um dia essa lei for revogada, penso que duas coisas acontecerão:
a) As igrejas humildes terão muito mais dificuldades que tem. Igreja(e pastor) é como o mundo do futebol: todo mundo pensa que pastor tem muito dinheiro, assim como todos os jogadores de futebol são milionários. Mas quem conhece e vive a história, sabe que são muito poucos os que se locupletam da obra;
b) Esses, que infringem a lei hoje, continuarão a infringir. Se estabelecerá o CAIXA DOIS GOSPEL. Simples, assim. Nojento, de qualquer modo.

Deus nos livre dos calhordas!

Naõ precisa explicar , ´Só preciso ,entender!,, disse...

..boa noite,
oq acontece é q tem ser cobrado sim...eles estão enriquecendo e muito q acabar essa coisa de Ausos de cobranças de Dzimos ofertinhas em nome do senhor JESUS..POSSA SIM DOAR 1 REAL ETAL ..AGORA EXIGIR LIMITES .tem entrado tanto dinheiro nas seitas religiosas templos e papas enriquecidos..q nada fazem para o menos favorecido ,nada mesmo..entao é tanto dinheiro q ja tem pastores entrando na briga doando pra partido politico são os futuros cachoeiras se já não são a muito tempo! .,.então tem q se cobrar deles sim ! PRONTO DE A A Z!

IGREJA PRESBITERIANA QUEDAS DO IGUAÇU disse...

Boa tarde,
Temos enfrentado várias afrontas ao Evangelho. Esses pseudos projetos inconstitucionais são manobras para tirarem o foco da imensa corrupção politica brasileira. Todos os cidadãos que fazem parte das Igreja já pagam exorbitantemente impostos. A republica federativa do Brasil não tem espaço para esse tipo de projeto, pois mantem em segurança, na sua constituição, aquelas instituições(dentre elas as igrejas) sem fins lucrativos. Quanto ao protestantismo holandes e europeu, houve uma descrença muito grande na Bíblia. Na verdade eles se prostituiram na fé com a teologia liberal. Fizeram aquilo que, ao longo dos séculos, muitos fizeram. Tanto na antiga como na nova dispensação. Sou protestante com a teologia definida em DORT(HOLANDA). NesSe tempo existia um protestantismo coerentemente Biblico. Aqueles que lançam dúvidas quanto o importar a teologia da holanda, deveria explicar isso.Pode ser que não conhecem também. Neste caso seria muito bom falar daquilo que se conhece. Abraços, amiga Rô. Deus te abençoe.

Pb Fernando disse...

Não há dúvidas de que o intento desses inimigos do Cristianismo é eliminar Deus do coração de nosso povo. Agora reconheçamos também que, há líderes Brasil afora que são verdadeiros roubadores do dinheiro de suas ovelhas. A meu ver esses deveriam sofrer algum tipo de penalidade por parte do governo.

Geovani Santos disse...

Existem muitas igrejas que estão deixando a desejar em questões que envolvem finanças. No que diz respeito ao dízimo, muitos líderes eclesiásticos fazem dele o que bem entendem. O dinheiro suado dos irmãos, muitos dos quais assalariados, é usado para bancar os excessos e a luxúria desavergonhada de pseudopastores ávidos pela ganância. Estes indivíduos mundanizados espoliam como podem suas ovelhas, como abutres esfomeados, se lançam à presa tirando-lhe tudo que podem em nome de Deus. Conforme disse o Apóstolo. Pedro,estão fazendo do evangelho uma abominável fonte de lucro e do rebanho um negócio perversamente rentável.

Devido a estes desvios vamos ficando cada dia mais vulneráveis aos ataques e achincalhes dos ímpios, que usam tal intemperança como mote para nos ridicularizar e criticar ferrenhamente, sem dó nem piedade. Talvez essa inconsistência esteja atraindo as atenções malignas daqueles que desejam nos destruir gratuitamente.

Daniel disse...

É uma discussão tamanha este assunto. Eu fico dividido entre dois grandes pilares: por um lado, concordo sim com o fim da imunidade, pois é duro ver alguns membros da igreja evangélica fazerem o que faz com seus fiéis - enquando eles vão em busca de alívio, os membros estão luxando adquirindo fazendas caríssimas as custas de seus fiéis. Por outro lado, como foi dito no post, as igrejas de pequeno porte realmente fechariam suas portas. Então, o que pensar? Fazer justiça, mas acabar com o pouco que alguns têm? ou realmente seguir a jurisdição, cobrar esses impostos, e acabar de vez com os poucos membros das igrejas? Deixo tais questões em aberto, pois nem mesmo eu ainda sei respondêlas.

Elton Sipião O Anjo das Letras. disse...

É uma vergonha que vocês cristãos ainda questionem sobre as suas igrejas pagarem ou não imposto tributário. É lógico que vocês tem mais do que a obrigação de pagar tal imposto,e não falo só daqueles que pertencem a religião cristã,toda e qualquer instituição religiosa,cristão,budista, Wicca,maometana,não importa,tem que pagar sim tal imposto. Esse texto acima é um acinte a sociedade,imposto tributário é obrigação e dever de todo brasileiro pagar,minha família,amigos pagam o IPTU por exemplo,todo mundo que é decente e que conheço pagam,porque vocês não pagariam,vocês são mais bonitinhos que todo o resto da humanidade?Esse blog prega contra o fim de tal imunidade?Pois este blog está errado em sua postura. Quanto as igrejas pequenas,olha,se elas não tem competência para se manterem que nem abram então,gente anti-ética não faz nem um pouco de falta a humanidade. Vocês com essa pregação lamentável de que quando se exige algo correto de vocês como se exige de toda a sociedade se está perseguindo as coisas de Deus mentem em relação a isso,já fui cristão e essa é a desculpa usada pra toda situação semelhante a essa. Quem vocês querem enganar?Parem de se fazer de coitadinhos e perseguidinhos da paróquia,quem conhece a história do cristianismo de verdade,mas história mesmo,não a que vocês costumam deturpar e destorcer,sabe que nem sempre vocês foram as ovelhinhas do bom pastor que se apregoa. As chamas da inquisição católica e protestante que o digam,e os fétidos pastores da teologia da prosperidade atualmente que o digam,fora muito do mal que o cristianismo espalhou com a mentira que na divindade só há um principio, o masculino,ignorando o principio feminino dele,expulsando a Deusa dos corações das pessoas. História antiga essa,mas que repercute até hoje,onde vivemos em uma sociedade patriarcal machista,destrutiva,ati-ecológica, misógina e desumana graças há muito dos ensinamentos cristãos. Quem conhece história, antropologia,arquelogia sabe disso. Bom,que essa lei do fim da imunidade para toda e qualquer religião acabe. Até para a minha que sou Wicca. Não sou contra o cristianismo,mas sou contra a cara de pau de vocês. Imposto tributo em cima de vocês sim, assim como acontece com todos nós. Cada vez mais que conheço a vocês vejo como são diferentes de Cristo que disse:- Dai a Deus oque é de Deus e a César oque é de César!!!Só nesse país mesmo que se discute se deve-se cumprir com leis éticas ou não.

4md disse...

Obviamente esse assunto tem dois lados, estou ciente dos dois, porem o que você falou é mt tendencioso e sugestivo nisso. portanto vamos falar de fatos.

1-Apesar das igrejas ( todas as igrejas não só universal ) serem obrigadas a apresentar o DIPJ, elas são isentas do IR, carros e terrenos podem ser colocados no nome de pessoa jurídica, logo a igreja como Pessoa jurídica é imune a IPVA e IPTU. De resto as igrejas pagam taxas de iluminação, de limpeza pública, além de todos os encargos trabalhistas de seus funcionários. que qualquer cidadão paga.

2- O numero de pastores no brasil cresceu absurdamente e quase todos eles, estão ligados a politica.
agora vai uma hipótese: Se você é um pastor politico que tem uma empresa que não precisa declarar imposto, nem iptu nem ipva, é ainda pode "doar" o seu salário pra reduzir no seu IR muito mais Fácil roubar. não é? é como se vc tivesse um banco, que não precisa declarar imposto. A grosso modo da pra lavar dinheiro facilmente, por isso tanto politico envolvido, por que não tem tanto politico budista? alguma coisa tem na igreja evangélica né...

3- O "Fiés" não são obrigados a pagar, logo isso não afeta eles, portanto seus argumentos são bastante tendenciosos, dizendo que quem sofre com isso são eles. Só ver o caso de outras religiões. No caso da igreja evangélica, existe essa cobrança absurda justamente por que é mais fácil esse dinheiro ir na mão dos "donos" da igreja, obviamente pela falta de fiscalização. Outra coisa também que acontece com frequência é essas igrejas terem lojas informais que vendem produtos, camisetas, cds e algumas até prestam serviço, que nesse esquema o imposto sobre serviço ou produto é facilmente encoberto, e um canal a mais para se conseguir dinheiro e não declarar, se for pegar a fundo mesmo, isso tudo virou um sistema de gerar dinheiro e passar despercebido e ainda ficar com fama de humilde, tem que ser muito ingenuo para não sacar que isso virou um esquema.

4-Alguns falaram que é perseguição religiosa, mas acontece que isso está afetando bastante a sociedade, não vou citar nomes, mais um exemplo, uma pessoa que eu conheço abriu uma "igreja" na garagem dela, apresentou a documentação e hoje não paga IPTU e muito menos IPVA, entendeu uma das brechas? A imunidade "religiosa" também é usada por pessoas de má fé, e a justiça fica com mãos atadas para argumentar, só ver a quantidade de processos ganhos pela igreja na questão de ipva e iptu, portando é meio obvio que isso está favorecendo um grupo de pessoas e não um coletivo. Os crentes tem a falsa sensação que o dinheiro está sendo aplicado em melhorias, por que pintaram a igreja, colocaram vidros e tudo mais, porem grande parte desses serviços também são doações. ( generalizando claro, alguns pastores provavelmente são justos e aplicam o dinheiro de forma correta )

5- Na minha opinião acho que fere muito mais o estado laico, vc dar imunidade tributária religiosa do que tratar todo mundo no mesmo patamar tributário, isso não vai impedir que a pessoa tenha a "fé" dela, só ver o que está se tornando as cidades com isso, tem um templo religioso por esquina, hoje em dia. Sei que a constituição garante algumas coisas para os religiosos, não sou contra isso, não me importa se as pessoas acreditam em X Y ou Z , e estejam dispostas a contribuir com isso, desde que isso não interfira na minha vida. ( o que está ficando meio impossível hoje) mas acho que evitar esse tipo de brecha no sistema fiscal é uma essencial até que os falsos pastores, entenderem que religião não é ostentação. É obvio que isso é uma brecha, qualquer pessoa razoavelmente informada sabe, a facilidade de roubar quando não precisa se declarar IR. E o quanto é mais fácil abrir uma igreja do que uma empresa, infelizmente atinge outras religiões e talvez até pessoas de boa fé, mas quem mandou chegar no nível que está.

Prefiro que o dinheiro fique no governo do que nas igrejas, por que cobrar do governo é mais fácil do que cobrar das igrejas, ainda é possível usar a logica na politica.

Marisa Delfim disse...

BOM DIA, SOU A FAVOR DO FIM DA IMUNIDADE, HÁ MUITO DINHEIRO CIRCULANDO EM IGREJAS, NO VATICANO, ASSIM COMO HÁ MUITAS PESSOAS MORRENDO DE FOME NO MUNDO INTEIRO. QUE AS INSTITUIÇÕES RELIGIOSAS SEJAM SIM OBRIGADAS A PAGAR IMPOSTOS!
MARISA D MIGUEZ

Letícia Silveira disse...

"E se as igrejas grandes caírem, as leis que ferem a moral da sociedade e das famílias brasileiras serão facilmente aprovadas, porque não haverá mais a influencia de senadores e deputados cristãos no congresso, para combater esses absurdos." Me desculpe mas,voxê já ouviu falar em Maquiavel? Sim você não sabe,Maquiavel foi o grande responsável pela grande ideia de separar a Igreja do Estado. Segundo ele,o governante não pode governar seguindo sua moral porque moral é algo pessoal,ou seja,a minha é diferente da sua,que é diferente da pessoa do comentário acima...Como governar assim? Impossível. O nosso estado é laico e a opinião religiosa não deve interferir na elaboração das leis. Para você,o que é a moral da familia brasileira? Famílias heterossexuais? Por favor! Qual é o problema com o casamento gay? Deus criou o homem para a mulher. Justificativa inválida por ser de teor religioso (e mais uma vez,nosso país é laico). Deixem os gays serem feliz! Tem casal homossexual muito mais bonito e parceiro que muitos outros heterossexuais. Acabem com a ideia de que são os governantes cristãos que mantém a ordem no país. Letícia

Arnaldo Gomes disse...

Não são apenas as Igrejas que possuem imunidade tributária. Partidos políticos, sindicatos, também são alcançados pelo diploma constitucional disposto no art. 150. E nesses dois não controle algum, haja vista o caixa dois. Porém só se fala nas Igrejas.

TeoFranco disse...

Recomendo, também, o artigo:

O DÍZIMO É SAGRADO, MAS FRAUDE É PECADO

Não é de hoje que a tentação do homem pregador em pecar é destaque nas manchetes dos jornais, uma vez que o alvo responsável, apontado pelo noticiário, se confunde, sendo aquele que prega o virtual sonegador.

Embora a Constituição não expresse a ressalva da liberdade de culto, é de senso comum que não haveria imunidade tributária se o culto religioso fosse inaceitável aos nossos padrões culturais. Portanto, a Carta Magna teve o cuidado de proteger a liberdade dos movimentos religiosos, imunizando qualquer tentativa de sufocar a expressão da crença e sua liturgia, vedando a instituição de imposto sobre “templos de qualquer culto”, incluindo o patrimônio, a renda e os serviços relacionados com as finalidades essenciais.

Ocorre que diversas organizações religiosas possuem braços comerciais ligados à sua atividade fim, porém de caráter estritamente mercantil, tais como gravadoras, editoras, produtoras de eventos e shows, confecções, escolas (PUC, Mackenzie, Adventista, Batista), rádios e até emissoras de televisão (Rede Vida, Século 21, Rede Gospel, TV Record). [...] Leia mais: http://blogdoafr.com/2013/08/11/o-dizimo-e-sagrado-mas-fraude-e-pecado/

Geraldo Valdez disse...

(Republicado para melhor clareza)
As Igrejas Cristãs não devem ser submetidas à tributação e sim a comprovar sua finalidade assistencial junto ao povo, por exemplo: creches para membros, asilos para membros, escolas gratuitas para membros e visita aos enfermos em geral! Afinal, não é esse o objetivo do cristianismo? Senão, ficamos somente na retórica vazia. E que se proíbam a cobrança de casamentos e batizados.

Discípulo de Cristo disse...

Em minha opinião, para que a justiça e a verdade prevaleça,
seria necessário que as igrejas pagassem imposto de renda e
recebessem a devida restituição do mesmo, pela comprovação das
despesas em obras sociais / evangelísticas mediante
Notas Fiscais.

Assim sendo, a igreja evangélica brasileira poderá diminuir o seu crescimento financeiro, contudo terá a maior oportunidade de cumprir sua principal missão aqui nesse mundo, que é:


Evangelizar os pobres,
Visitar os enfermos e encarcerados,
Hospedar os forasteiros,
Vestir o nu,
Dar de comer ao faminto e de beber ao sedento.

Conforme registro bíblico em Mateus 25. 31- 46

PORTANTO:
"DAI, POIS, A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR
E A DEUS O QUE É DE DEUS."
Mateus 22. 21b

TRIBUTAÇÃO NAS IGREJAS...

Paz Seja Contigo,
JC de Araújo Jorge.

Worleya Aquino disse...

Boa colocação, sem necessidade de acréscimo! !!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...