Subscribe:

31 de março de 2012

Silas refuta Silas

Não preciso falar mais nada. O que assisti hoje na Band foi argumentos  fracos usado por Silas em defesa de sua Teologia da Prosperidade. Portanto resolvi postar o vídeo abaixo.
 Mandar você ofertar  e esperar como tâmara que leva 30 anos para dá seu fruto  enquanto ele prospera  agora, é muito fácil. Paz  a todos!


 


SILAS REFUTA SILAS.





30 de março de 2012

Militar é incompetente demais!!!

"Se você agir sempre com dignidade, pode não melhorar o mundo,
mas uma coisa é certa: haverá na Terra um canalha a menos"
Millôr Fernandes

Morreu Millôr, mas sua obra fica! Em homenagem ao humorista, cartunista, dramaturgo, tradutor e escritor que há tantos anos vinha nos presenteando com sua inteligência arguta e espírito sagaz, segue abaixo o ótimo texto "Militar é incompetente demais" de sua autoria. Boa leitura. Casal 20.
_____________________________________ 
Militar é incompetente demais!!!

Ainda bem que hoje tudo é diferente, temos um PT sério, honesto e progressista. Cresce o grupo que não quer mais ver militares no poder, pelas razões abaixo.

Militar no poder, nunca mais. Só fizeram lambanças. Tiraram o cenário bucólico que havia na Via Dutra de uma só pista, que foi duplicada e recebeu melhorias; acabaram aí com as emoções das curvas mal construídas e os solavancos estimulantes provocados pelos buracos na pista.

Não satisfeitos, fizeram o mesmo com a rodovia Rio-Juiz de Fora. Com a construção da ponte Rio-Niterói, acabaram com o sonho de crescimento da pequena Magé, cidade nos fundos da Baía de Guanabara, que era caminho obrigatório dos que iam de um lado ao outro e não queriam sofrer na espera da barcaça que levava meia dúzia de carros.

Criaram esse maldito do Proálcool, com o medo infundado de que o petróleo vai acabar um dia.

Para apressar logo o fim do chamado "ouro negro", deram um impulso gigantesco à Petrobras, que passou a extrair petróleo 10 vezes mais (de 75 mil barris diários, passou a produzir 750 mil); sem contar o fedor de bêbado que os carros passaram a ter com o uso do álcool.

Enfiaram o Brasil numa disputa estressante, levando-o da posição de 45ª economia do mundo para a posição de 8ª, trazendo com isso uma nociva onda de inveja mundial. Tiraram o sossego da vida ociosa de 13 milhões de brasileiros, que, com a gigantesca oferta de emprego, ficaram sem a desculpa do "estou desempregado".

Em 1971, no governo militar, o Brasil alcançou a posição de segundo maior construtor de navios no mundo. Uma desgraça completa.

Com gigantesca oferta de empregos, baixaram consideravelmente os índices de roubos e assaltos. Sem aquela emoção de estar na iminência de sofrer um assalto, os nossos passeios perderem completamente a graça.

Alteraram profundamente a topografia do território brasileiro com a construção de hidrelétricas gigantescas (Tucuruí, Ilha Solteira, Jupiá e Itaipu), o que obrigou as nossas crianças a aprenderem sobre essas bobagens de nomes esquisitos.

O Brasil, que antes vivia o romantismo do jantar à luz de velas ou de lamparinas, teve que tolerar a instalação de milhares de torres de alta tensão espalhadas pelo seu território, para levar energia elétrica a quem nunca precisou disso.

Implementaram os metrôs de São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza, deixando tudo pronto para atazanar a vida dos cidadãos e o trânsito nestas cidades.

Esses militares baniram do Brasil pessoas bem intencionadas, que queriam implantar aqui um regime político que fazia a felicidade dos russos, cubanos e chineses, em cujos países as pessoas se reuniam em fila nas ruas apenas para bater-papo, e ninguém pensava em sair a passeio para nenhum outro país.

Foram demasiadamente rigorosos com os simpatizantes daqueles regimes, só porque soltaram uma "bombinha de São João" no aeroporto de Guararapes, onde alguns inocentes morreram de susto apenas.

Os militares são muito estressados. Fazem tempestade em copo d'água só por causa de alguns assaltos a bancos, sequestros de diplomatas... ninharias que qualquer delegado de polícia resolve.

Tiraram-nos o interesse pela Política, vez que os deputados e senadores daquela época não nos brindavam com esses deliciosos escândalos que fazem a alegria da gente hoje.

Os de hoje é que são bons e honestos. Cadê os Impostos de hoje, isto eles não fizeram! Para piorar a coisa, ainda criaram o MOBRAL, que ensinou milhões a ler e escrever, aumentando mais ainda o poder desses empregados contra os seus patrões.

Nem o homem do campo escapou, porque criaram para ele o FUNRURAL, tirando do pobre coitado a doce preocupação que ele tinha com o seu futuro. Era tão bom imaginar-se velhinho, pedindo esmolas para sobreviver.

Outras desgraças criadas pelos militares: Trouxeram a TV a cores para as nossas casas, pelas mãos e burrice de um Oficial do Exército, formado pelo Instituto Militar de Engenharia, que inventou o sistema PAL-M. Criaram ainda a EMBRATEL; TELEBRÁS; ANGRA I e II; INPS, IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM.

Tudo isso e muito mais os militares fizeram em 22 anos de governo. Pensa!! Depois que entregaram o governo aos civis, estes, nos vinte anos seguintes, não fizeram nem 10% dos estragos que os militares fizeram. Graças a Deus!

Ainda bem que os militares não continuaram no poder!! Tem muito mais coisas horrorosas que eles, os militares, criaram, mas o que está escrito acima é o bastante para dizermos: "Militar no poder, nunca mais!!!", exceto os domesticados.

Ainda bem que hoje estão assumindo o poder pessoas compromissadas com os interesses do Povo.

Militares jamais! Os políticos de hoje pensam apenas em ajudar as pessoas que foram injustamente prejudicadas quando enfrentavam os militares com armas às escondidas com bandeiras de socialismo. Os países socialistas são exemplos a todos.

ALÉM DISSO, NENHUM DESSES MILITARES CONSEGUIU FICAR RICO. ÊTA INCOMPETÊNCIA!!!
Fonte http://mais.uol.com.br/view/e8h4xmy8lnu8/militar-e-incompetente-demais-0402CC19346EDCC11326

29 de março de 2012

SOBRE REIS, PROFETAS E SACERDOTES


(NÃO TOQUEIS NOS MEUS UNGIDOS, PARTE 2)

No afã de se tornarem imunes a qualquer questionamento ou crítica, muitos “homens de Deus” dos nossos dias abrem suas bocas de forma presunçosa e antibíblica para reivindicar seus direitos de intocabilidade, admoestando seus opositores a que “não toquem nos ungidos do Senhor!” e vociferando pragas e maldições contra quem se atreve a desobedecer à orientação “bíblica”. Aqui em João Pessoa, aonde moro, a mais recente ocorrência foi a de um pastor que, segundo divulgado e corrido à boca miúda, abandonou a esposa e “casou-se” com uma jovem de 16 anos. Como está todo mundo “caindo em cima”, há poucos dias ele subiu ao púlpito de sua igreja para defender o indefensável e exigir o respeito e a imunidade de ungido que acredita possuir. 

Estes “neoungidos” são muito engraçados! Eles se enxergam como ungidos do Senhor, nos moldes da unção ministrada aos primeiros reis de Israel, e graças a esta suposta unção e ao fato de se acharem igualmente reis e sacerdotes da Igreja, julgam-se superiores aos profetas e intocáveis em tudo. Acham que podem pisar na Bíblia, deturpar a sã doutrina e fazer o que bem lhes der na telha. Além de tudo isso, ainda se recusam a ser admoestados ou questionados, como se uma unção do alto lhe concedesse esta prerrogativa de intocabilidade. Será??

Cada macaco no seu galho, certo? Então, é necessário conhecer as três funções ministeriais, que iniciaram no Antigo Testamento e perduram até os dias de hoje do ministério da Igreja na Nova Aliança: profetas, sacerdotes e reis.

OS PROFETAS ― O primeiro ministério criado por Deus em Seu reino foi o ministério profético. Muito antes do estabelecimento da Antiga Aliança Deus já tratava Abraão como profeta, divulgando isto entre as nações (Gn 20:7). Aliás, o texto “não toqueis nos meus ungidos e não maltrateis os meus profetas” trata exatamente dos patriarcas, que necessitavam da proteção de Deus para a sua sobrevivência e para a formação de um povo. Quando Deus fala a Moisés que ele, Moisés, seria diante de Faraó como Deus e Arão como seu profeta (Ex 7:1) mostra que o profeta é uma espécie de porta-voz de Deus. O porta-voz jamais fala suas próprias palavras, e sim repete as palavras de Deus em linguagem compreensível ao povo, muito diferente de muitos “profetas” de hoje, que falam coisas arrogantes, coisas que Deus não mandou falar e que contrariam frontalmente os princípios da Palavra de Deus. Some-se a isto os controversos "atos proféticos", onde o homem profetiza o que bem quer, segundo a sua própria vontade, como se a profecia fosse um ato humano sobre as quais Deus tem que concordar, e não um mero repetir das palavras ditas por Deus!

Na igreja, o ministério profético perdura como um dom do Espírito Santo (1 Co 12:8-11; 12:29) ou como um ministério de chamada da Igreja à observância da Palavra (Ef 4:11). Seu ministério se revela no âmbito espiritual, através da revelação do Espírito Santo acerca de coisas futuras (At 11:28; At 21:10-11), ou no âmbito ministerial, no aspecto de corrigir erros e distorções em relação às Escrituras (Gl 2:11; At 8:18-24). Há outros aspectos, mas que não trataremos neste artigo.

Se observarmos que os profetas do AT geralmente profetizavam o arrependimento do povo, sua volta à prática daquilo que Deus determinou em Sua Palavra com regra de vida, conduta e prática, podemos considerar que tal ministério na Igreja não perdeu a característica apologética. Assim, aqueles a quem Deus concedeu o conhecimento das Escrituras e a intrepidez para defender a sã doutrina é um profeta de Deus na defesa da Palavra.

OS SACERDOTES ― O ministério sacerdotal foi criado com o advento da Antiga Aliança. Arão e seus descendentes foram escolhidos por Deus para ministrarem todos os ofícios de mediação entre os homens e Deus. Com o advento de Jesus Cristo, que embora não fizesse parte do ministério levítico tornou-se sacerdote e mediador da Nova Aliança, Ele se tornou o ÚNICO mediador entre Deus e o homem (1 Tm 2:5), de sorte que nenhum sacerdócio, por melhor ou mais privilegiado que seja, pode exigir a prerrogativa que pertence unicamente ao Filho de Deus. Quando Deus, pelos méritos da Nova Aliança em Cristo Jesus, nos constituiu sacerdotes (Ap 1:6; 5:10), eliminou a necessidade de sacerdotes no meio da Igreja. Os pastores não são sacerdotes no sentido de mediação; são apenas guias do rebanho, aqueles que Deus designou para cuidar das ovelhas dEle e procurar desenvolver em cada uma delas o ministério sacerdotal que Deus deu a todos.

OS REIS ― O ministério real se aplica a pessoas especiais, escolhidas e ungidas por Deus para governar o Seu povo. Seria, a grosso modo, o pastor da Igreja, que é posto diante do povo para administrar, conduzir e ensinar o povo como devem viver, aos moldes da Palavra de Deus. É a pessoa que Deus colocou para zelar pela observância das Escrituras. Se observarmos a vida de muitos reis, vemos que Deus os ungiu e colocou em evidência para que pudessem preservar a observação da Palavra de Deus. Saul foi rejeitado após desobedecer à Palavra, mesmo que com a melhor das intenções (1 Sm 15:12-31). Logo, é fácil compreender o dito popular que afirma que “de boas intenções o inferno está cheio”. Não foi dado ao rei o direito de ter boas intenções, e sim o dever de zelar pelo cumprimento da Palavra do Senhor. Eis o grande problema. Nem todos querem se submeter aos reais propósitos ministeriais de ungido...

ENTENDENDO AS COISAS ― Com o advento da Nova Aliança, as coisas mudaram! A Escritura afirma que Deus constituiu os crentes como reis e sacerdotes (Ap 1:6; 5:10), e a alguns como profetas (Ef 4:11; 1 Co 12:28-31).

Num sentido mais contextualizado das coisas, comparando estes três ministérios aos poderes da República, Deus é o poder legislativo (o único que pode ditar leis e normas, e que já o fez através das Escrituras), o rei seria o presidente (poder executivo), os sacerdotes e os profetas seriam o poder legislativo no sentido de fiscalização dos atos do executivo, e nunca no âmbito de criar novas leis e normas para o povo de Deus. Só Ele tem esta prerrogativa!

Se analisarmos as funções no Antigo Testamento, vemos que cada ministério tem a sua abrangência, e se completam entre si. Além do mais, um não pode ministrar as obras dos outros, e ao mesmo tempo um depende dos outros, e aos outros deve estar submisso 

Vejamos: o rei Saul foi reprovado por ter apresentado sacrifícios a Deus, que era da exclusiva competência de Samuel, juiz (precursor dos reis), profeta e sacerdote naquele conturbado período de transição entre o ministério dos juízes e a implantação da monarquia (1 Sm 13:8-14). O rei Urias foi severamente repreendido porque queria fazer a ministração sacerdotal, e por causa desta desobediência foi ferido com lepra (2 Cr 26:16-21). 

É interessante observar que NENHUM rei em Judá ou Israel, exceto Saul (1 Sm 10), Davi (1 Sm 16) e Jeú (1 Rs 19:16), foram ungidos. Estes três e suas unções são razão de um outro artigo, mas posso adiantar que a unção de Saul e Davi se deu em função da transição entre o ministério de Samuel e a implantação do reino (inclua-se aí a rejeição de Saul e a eleição de Davi), e a de Jeú como quebra de uma dinastia em Israel e a aniquilação da casa de Acabe.

Também é bom entender que não é somente o rei que é ungido do Senhor. Tanto os profetas quanto os sacerdotes também detêm a mesma unção divina, e jamais podem ser considerados inferiores aos primeiros. Ou seja: reis, vocês não podem se considerar os únicos ungidos do pedaço! O primeiro passo para que a unção real seja aceita em vocês, é o reconhecimento da unção existente nos profetas e sacerdotes!

Analisando o ministério real em comparação com os ministérios sacerdotal e profético, vemos que o rei está sempre sujeito à repreensão destes dois representantes de Deus. Ele não é mais “ungido” que o profeta ou que o sacerdote, e nem a sua unção lhe concede qualquer prerrogativa de intocabilidade ou infalibilidade.

Vejamos a relação entre os reis e os profetas: Saul, embora intocável, foi repreendido diversas vezes por Samuel, foi ameaçado de perda do reino. Davi, homem segundo o coração de Deus, foi duramente repreendido por Natã quando cometeu adultério e homicídio.

E a relação entre sacerdotes e reis? Não é diferente. O sacerdote Aquimeleque ergueu sua voz e questionou o rei Saul (1 Sm 22). O rei Uzias foi repreendido pelo sumo sacerdote Azarias, e com ele mais oitenta sacerdotes do Senhor (2 Cr 26:16ss), que o repreenderam pelo fato de, engrandecendo-se, querer suplantar a Palavra de Deus.

Ou seja: de onde foi que os "reis da cocada preta do Século XXI" tiraram a ideia que profetas e sacerdotes não podem questioná-los, repreendê-los, confrontá-los, SEMPRE à luz das Escrituras, como faziam os profetas e sacerdotes antigos?

Assim, é possível compreender e contextualizar para nossos dias as palavras de Jesus Cristo: "Portanto, eis que eu vos envio profetas, sábios (teólogos, ou defensores da sã doutrina apostólica) e escribas (blogueiros?); e, a uns deles, matareis e crucificareis; e a outros deles, açoitareis nas vossas sinagogas e os perseguireis, de cidade em cidade" (Mt 23:34 - parênteses meus). Os "reis da igreja" continuam a fazer hoje o mesmo que já faziam seus ancestrais do tempo do Mestre!

Dá para compreender claramente que o pastor (ou o rei, como queiram!), embora ungido de Deus, nem é o único ungido da igreja, nem detém a melhor ou mais importante unção e nem esta unção o torna imune às críticas, sempre que a sua conduta se afastar dos princípios da Palavra do Senhor. Portanto, amado pastor, submeta-se ao ministério profético e sacerdotal existente na igreja, antes que, como fez a Saul, o Senhor rasgue de ti o reino que tu PENSAS que é teu!


Zilton Alencar (45) mora em João Pessoa – PB. Casado com Chirley Alencar, é músico, programador, webdesign e servo de Deus. É também colunista deste blog às quintas-feiras, e esporadicamente em seu blog pessoal, o BLOG DO ESQUIZILTON.

28 de março de 2012

Cuidado! Alguns dos desigrejados são lobos disfarçados de ovelhas.


Existem desigrejados que assim se tornaram porque foram feridos na batalha. Existem desigrejados que se machucaram na caminhada, existem desigrejados que assim se tornaram porque não eram dos nossos, agora, existem desigrejados, que se fazem de desigrejados, por que nao querem se submeter a ninguém. Tais pessoas, relativizaram a comunhão dos santos, sao avarentos, mestres de si mesmos, soberbos, orgulhosos, estão sempre certos e nunca errados, ridicularizam a igreja demonstrando com isso que nunca nasceram de novo. Tais pessoas são movidas por falsas percepções doutrinárias, estão perdidas em sua própria apostasia, caminhando a largos passos para a condenação Eterna.

Vale a pena ressaltar  que  não estou defendendo o denominacionalismo, como também a igreja institucional, portanto, não use esses argumentos ao tentar desconstruir minhas afirmações.  Creio no conceito bíblico de Eclésia,  creio que Deus é livre para se manifestar graciosamente nas comunidades orgânicas, como também creio que Cristo se manifesta entre o seu povo.  O que não creio é nesse falso evangelho pregado por pilantras insubmissos, arrogantes e mesquinhos que acreditam que não precisam de Igreja e que se reúnem visando seus próprios umbigos. É estes que reprovo! Gente cuja a índole é inescrupulosa.

Prezado amigo, diante disto, lhe aconselho, cuidado! O apóstolo Paulo ao escrever  a Timóteo afirmou que nos últimos dias surgiriam alguns tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela.  Paulo aconselhou  seu discipulo amado a a afastar-se destes, afirmando serem estes, aqueles que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade. (2 Timóteo 3:5-7)
Caro leitor, a  Igreja de Cristo é uma instituição de origem divina. Ela não foi criada por homens inescupulosos, ou por religiosos despósticos cujo interesse fundamental era a satisfação pessoal. Muito pelo contrário, a Igreja foi criada por Cristo e para Cristo, o que nos leva entender que ela possui papel primordial na propagação dos valores do Reino. (Mt 16.15-19). Além disso, a igreja é a "communion Sanctos" , lugar de comunhão e relacionamento com Deus e com os homens cuja característica principal é o amor.

Junta-se a isso o fato de que a igreja é também um local de compromisso com Deus e com os eleitos de Deus, o que faz dela uma estrutura imprescindível ao crescimento cristão onde a Palavra é pregada como também os Sacramentos são ministrados.

Sem a menor sombra de dúvidas a igreja é imperfeita e continuará assim até a volta de Cristo. Como bem disse o teólogo reformado Augustus Nicodemus, "a teologia Reformada não deixa dúvidas quanto ao estado de imperfeição, corrupção, falibilidade e miséria em que a igreja militante se encontra no presente. Ao mesmo tempo, ensina que não podemos ser cristãos sem ela. Que apesar de tudo, precisamos uns dos outros, precisamos da pregação da Palavra, da disciplina e dos sacramentos, da comunhão de irmãos e dos cultos regulares."

Pense nisso!

Renato Vargens

24 de março de 2012

A réplica vazia de Waldemiro Santiago- O Rei do gado.




                 Por Rô Moreira

Dando continuidade as desavanças entre os seguimentos neo pentencostais no Brasil, nesta manhã de terça feira (20/03) o apostolo Valdemiro Santiago afirmou que a IURD, através do seu líder tem planejado agir com duas frentes em sua estratégia: a primeira é oferecer valores superiores já pago pelo Apóstolo, para assim poder tirá-lo do ar. O dono da Band foi procurado pelos bispos da universal com o intuito de cobrir os valores pagos pelo Apóstolo que é cerca de 8 milhões, eles ofereceram 14 milhões e tiveram como respostas a seguinte argumentação do presidente da Band: vocês tem uma rede de tv, porque não aproveita e faz uma coisa boa lá, ao invés de querer destruir a obra alheia. E também foi dado a  uma senhora a missão de descobrir todos os valores pagos a todas as tvs pelo Brasil a fora para tentar tirá-lo do ar totalmente. A segunda é continuar a denegrir a sua imagem perante o público brasileiro.
Um dos argumentos usado por ele nesta manhã, foi o da alegação de que aquela propriedade no Pantanal Mato-grossense pertence a igreja como apresentou a denúncia, como se a mesma precisasse de fazenda. Além do mais disse ser ele a maior coluna desta obra, pois o resultado das vendas dos seus produtos são convertidos em ofertas para a mesma.
Para fortalecer o seu discurso, passou a citar vários templos da Mundial do Poder de Deus e revelar os valores astronômicos de cada uma de suas propriedades: a cidade mundial vale atualmente 130 milhões, está contruindo uma em Santo Amaro, que valerá quando estiver pronta, algo em torno de 200 milhões e que a igreja da rua Carneiro Leão vale 60 milhões.
Disse mais, que o pessoal da IRUD está querendo colocar dúvidas no coração do povo de Deus para não colaborarem com ele, mas se ele for realmente um homem de Deus que há mais de trinta anos o serve, vai arrecadar 7 milhões em ofertas de R$ 70,00 de cerca de cem mil pessoas para cobrir dívidas contraídas para se manter no ar até dia trinta, além de criticar os métodos praticados pela IURD.
Ele só não explicou duas coisas, a primeira é que desses trinta anos que ele disse servir ao Senhor mais da metade foi praticando os métodos na IURD por no mínimo por obediência e os demais copiando os mesmos. E  a segunda é: quem de fato é o verdadeiro dono da fazenda, ele ou a igreja?
Ao meu ver "os bens" apresentado na Reportagem ( fazenda no Pantanal) deveria ser bloqueado pela justiça e leiloado para garantir o pagamento dos aluguéis atrasados dos mais de 59 Templos que o mesmo deve aluguel,  e o que sobrar devolver para  a manutenção da igreja. O congresso nacional deveria também se movimentar a este respeito, com fins de limitar o tipo de gasto que a igreja deveria ter. Não permitindo que se compre bens  incompatíveis com a função da mesma, nem tão pouco seus líderes contrair para si bens milionários com os recursos da própria. Além do mais, igreja não deveria ser proprietária de gravadoras, publicadoras, tvs, rádios e associação para evitar lavagem de dinheiro e lucros exacerbados. Até porque, bens não ganham almas.

23 de março de 2012

Eu destruí a cultura indígena!


Nunca contei esta história a ninguém. Ela se manteve no meu inconsciente, atormentando-me por todos estes meses desde que saí da aldeia. Até hoje, vejo-me acordando de madrugada, o suor frio escorrendo pelo corpo e as palpitações do meu coração aceleradas. Agora, contudo, venho confessar o meu pecado na esperança de que isso abra de alguma maneira uma passagem para que eu fuja do fardo que pesa sobre minhas costas: eu destruí a cultura do povo indígena!

Por medo ou vergonha (ou os dois), eu nunca trouxe esta história a vocês. Sempre contando narrativas benevolentes e alegres, escondi a parte podre do que eu fiz. E tudo aconteceu por causa da escola, este instrumento do imperialismo burguês, esta máquina de manipulação mental! E eu, eu fui o culpado pelo estrago que ocorreu. A ninguém mais cabe a culpa das decisões que eram de responsabilidade exclusivamente minha.

Entrei na sala de aula naquela tarde e iniciei o processo terrível de destruição daquela cultura indígena, mas é óbvio que eu, naquele momento, não poderia jamais supor a extensão das consequências que estavam por vir. Levara um enorme plástico, era uma lona preta e a estendi no chão para que eu e os alunos pudéssemos sentar. Coloquei-os em uma roda e comecei a explicar as regras do que estávamos prestes a fazer. Meninos e meninas indígenas, todos ali sendo aliciados moral e intelectualmente por mim. Após explicar as regras, cometi o erro fatal: “Então, o vencedor vai ganhar o baralho para jogar em casa”, disse. 

O que parecia algo simples e sem a menor importância iria ter consequências gravíssimas no modus operandi da economia da aldeia. O jogo foi seguindo e a cada partida saía um perdedor. Até que na roda sobraram apenas 4 alunos. E eles riam e se mostravam inocentes diante daquela terrível ameaça que já corroía sua cultura. Qualquer antropólogo me acorrentaria ali mesmo, tenho certeza disso, porque, antecipando o que estava para acontecer, passaria um rádio a FUNAI, que, indubitavelmente, enviaria a Polícia Federal para me levar dali. Mas não havia ninguém e eu na minha estultícia estava livre para seguir adiante. Finalmente, o vencedor. Peguei o baralho e, como prometido, entreguei para ele. Os alunos saíram, mas, como acontecia todos os dias, eu fiquei para arrumar a sala. Juntei as cadeiras, aspergi água no chão de terra, varri. Pronto! Estava tudo consumado!

Com a chegada da TV na aldeia, há muito que não se contavam mais as histórias do povo. As histórias que os jovens, as mulheres, as crianças e até os homens queriam ouvir eram outras: os filmes de Bruce Lee faziam sucesso na aldeia, as novelas da Globo e também os grupos de forró. Mas lembro da filha de cinco anos de idade do ribeirinho dizendo que os indígenas da aldeia estavam assistindo filme de SE-XO trazido da cidade. Aquela menininha me dizia a palavra SE-XO enquanto abria calmamente a boca em cada sílaba. E imaginar que a TV entrou nas aldeias de todo o Brasil mediante um projeto que veio pelas mãos de antropólogos que, contraditoriamente, defendem a unhas e dentes que a cultura não pode ser transformada ou alterada. Muitos antropólogos lutam pela preservação das culturas indígenas, permitindo que muitos povos continuem enterrando suas crianças quando nascem defeituosas, filhas de mães solteiras ou gêmeas. Ao mesmo tempo, eu mesmo conheci algumas antropólogas que saíram grávidas das aldeias em que pesquisavam, levando consigo não apenas material intelectual para seus mestrados e doutorados, mas, também, material genético em seus ventres. Sei de antropólogos (caso documentado no livro “Trevas no Eldorado”) que introduziram práticas homossexuais nas aldeias e aliciaram crianças indígenas para suas “pesquisas acadêmicas”. Sei de brancos que, acobertados como funcionários da FUNAI, introduziram a maconha, a bebida alcoólica e a prostituição, escravizando aldeias inteiras. Sei de muitas outras coisas.

Como dizia, naquela tarde, ao sair da escola, vi no centro da aldeia um alvoroço. Eram os homens fumando a planta alucinógena do pajé e também algum fumo forte que traziam da cidade. Inesperadamente, pude ver que as coisas talvez pudessem estar retornando aos costumes antigos. A cultura parecia dar conta de si mesma e se defender contra a influência da TV. Fui me aproximando do grupo efusivo de homens e jovens reunidos, mas o meu júbilo logo se transformou em terror! Creio mesmo que o meu rosto deve ter-se transfigurado de iludida inocência à constatação da tragédia da qual eu mesmo fora sujeito: era o UNO! Era o UNO o que aqueles homens estavam jogando ali no meio da aldeia! O jogo que eu acabara de ensinar aos alunos, eles já tinham ensinado aos seus pais e, ali, diante dos meus olhos, aquele jogo estava destruindo a cultura deles. Os índios já não estavam em suas casas em frente à TV, mas ali, alegres e empolgados com aquele instrumento da destruição.

Naquele mesmo instante, dei-me conta do que havia feito: destruíra séculos de cultura com um simples jogo de cartas! Pude perceber claramente que eles estavam deixando de ser indígenas e que, durante o jogo, já não conseguiam mais falar a própria língua e, após uma ou duas partidas, eles se levantavam já esquecidos de quem eram e nem sabiam mais dançar ou tocar suas flautas. Mas, quanto a mim, convidado por eles, que continuavam tão empolgados com aquele jogo, sentei-me e joguei também. Se o estrago era irreversível, então, por que não jogar? 

Casal 20

Leia também: 

22 de março de 2012

É proibido ser solteira


É isso mesmo, ser solteira é proibido e tudo o que você deve fazer na sua vida é se tornar mais atraente e interessante para encontrar um homem que cuide de você e a faça feliz. Ninguém é feliz sozinho.
Assustou com esse começo de texto e até foi dar uma olhadinha se estava lendo a coluna certa? Era essa mesma a intenção. Esse tipo de argumento é tão absurdo que queria que você sentisse isso, parasse pra pensar se faz sentido ler esse tipo de coisa. E não faz.
Ninguém é feliz — nem sozinho, nem acompanhado — se não conseguir se sentir feliz sozinho antes. Felicidade vem da gente, não de fora. E como você vai saber do que gosta, o que quer, quais são seus sonhos, se você não se conhece?
É difícil acreditar, mas ser solteira hoje é quase um ato de rebeldia. Ainda. É como se uma mulher não tivesse o direito de gostar mais de si do que dos outros. O homem solteiro é esperto, sabe viver. A mulher solteira é lésbica, mal amada e ainda não encontrou alguém que fizesse 'a coisa' bem feita.
Nada disso! Mulheres resolver ficar solteiras por diversos motivos e nem sempre eles têm ligação com fatores externos. Outras vezes têm.
A verdade é que existem alguns momentos em que ser solteira pesa mais. E é aí a hora perfeita para ser forte, respirar fundo e manter a postura de solteira por opção — não por falta de.
Sair para jantar
Se você quiser almoçar sozinha todos os dias da sua vida, tudo bem. Mas se você resolver sair para jantar... É aí que todos os olhares se voltam pra você com os mais variados sentimentos, sendo os mais comuns, é claro, a dó, a pena e a cumplicidade — esse último como se dissesse "já estive sozinha, mas encontrei alguém, você vai conseguir".
Quando você for jantar sozinha, pelo menos nas primeiras vezes, é bom levar um livro. Você se senta, faz seu pedido, abre o livro e pronto, nem vai lembrar das pessoas ao seu redor. Depois de algum tempo, de alguns jantares e muitos olhares você passa a nem ligar, nem notar e ainda pode começar a achar graça.
Ir ao cinema
Não existe coisa mais gostosa do ir ao cinema sozinha. Você assiste ao filme sem ninguém comentando, não precisa se preocupar em sentar direitinho ou parecer linda no escurinho. É só você e o filme. E na hora de ir embora ainda pode ficar pensando em tudo o que aconteceu e fantasiando com a sua vida. Delícia!
É claro que as pessoas vão olhar, mas cada vez tem mais gente sozinha no cinema. E como vai ficar escuro rapidinho, ninguém vai ficar te encarando.
Barzinho com os amigos
Chega uma certa idade que parece que o mundo inteiro resolveu namorar, casar, ter filhos e seguir o "rumo natural" das coisas — como se isso existisse. E aí quando você quer ver os amigos ganha de brinde namoradas e crianças.
É aí que todo mundo faz aquela pergunta horrível: você continua solteira? Quando vai parar com essa coisa de querer ficar sozinha?
Entre gritos de criança, olhares tortos entre os casais e histórias de obrigações como ir a festa da tia-avó você só vai ter mais certeza de que fez a escolha certa.
Se não sentir isso é porque está mesmo na hora de tentar algo novo. Quem sabe um relacionamento?
Festa de família
Esse é o pior momento para qualquer pessoa que resolve se manter solteira. Família tem intimidade, te viu crescer e se sente no direito de questionar suas decisões sem pensar duas vezes.
Se você tomou a decisão de ficar solteira prepare-se para ter sua vida sondada, suspeitas de que você é lésbica, que algum homem foi muito mau com você, que você deveria se arrumar mais e até que escolheu a profissão errada. Dependendo da sua sorte, vão até dizer que você ficou inteligente demais e é por isso que os homens não se aproximam — medo.
A verdade é que se você está feliz nada disso vai te deixar brava. Você vai rir, entender que as pessoas não conseguem visualizar como é a sua vida e seguir em frente. É difícil entender o diferente e é aí que você precisa mostrar que nada é tão estranho quanto parece.

CURA DIVINA


O ministério do Senhor Jesus na terra, embora curto na óptica humana ― apenas 3 anos ― foi pautado por tantos milagres e maravilhas na esfera da cura que as pessoas que o rodeavam constantemente se impressionavam e exclamavam “Nunca tal se viu em Israel!” (Mt 9:33). Este mesmo poder e autoridade para curar Ele deu primeiramente aos Seus apóstolos e discípulos (Lc 10:1-9) e depois estendeu tal autoridade, após Sua morte e ressurreição, a toda a Igreja. Sua importância é tão grande que o Senhor estabeleceu um dom espiritual específico para cura (1 Co 12:9), no mesmo patamar da profecia, línguas, interpretação de línguas...

Como pentecostal e não-cessacionista, creio que a cura divina é para os nossos dias, em sua plenitude. Independentemente de possuir ou não o dom espiritual da cura, qualquer crente tem o poder de orar pelos enfermos e ministrar-lhes a cura pelo poder do nome de Jesus, ao passo que os presbíteros da igreja devem proceder um ritual bíblico ― descrito por Tiago, irmão carnal do Senhor e pastor da igreja de Jerusalém ― ungindo os enfermos com óleo e orando para que sejam curados (Tg 5:14-15). Aqueles que possuem o dom espiritual, conforme descrito pelo apóstolo Paulo (1 Co 12:9, 28-30), desempenham este ministério de uma forma muito mais poderosa, pois a sua missão no Reino é especificamente na área da cura divina, para testemunho do Evangelho e do poder de Deus.

Preocupa-me, entretanto, a ênfase na cura em detrimento dos demais ministérios da Igreja. Entendemos que a Igreja necessita de uma “engrenagem ministerial” perfeita, equilibrada e com todos os ministérios presentes e funcionais. Mas o que vemos nos dias de hoje são denominações que adotam uma única faceta ministerial (a cura, ou a libertação de endemoninhados, ou o trabalho social, ou o louvor etc), procuram desempenhá-la da melhor maneira possível, e se esquecem dos demais ministérios, menosprezando-os ou colocando-os em segundo ou terceiro plano...

Em relação à cura e à ênfase exagerada que lhe dão em muitas denominações atuais, penso em Jesus Cristo que ao chegar ao tanque de Betesda encontrou “grande multidão de enfermos: cegos, mancos e ressicados”, que aguardavam pela cura (Jo 5:3-4). Quantos foram curados pela intervenção do Senhor? Apenas um paralítico! Por que Ele não curou a todos, ou pelo menos algumas dezenas, como supostamente acontece nas reuniões de cura de nossos dias? 


O mesmo problema de "escassez de curas" ocorreu com os apóstolos Pedro e João, que ao chegarem à porta Formosa do templo certamente encontraram muitos doentes a esmolar naquele lugar; entretanto, apenas um coxo foi curado na ocasião (At 3).

O que aprendo nestas duas ocasiões? Que a ênfase principal do Evangelho do Senhor Jesus não é e nunca foi a cura, e sim a salvação do homem. A cura sempre foi o meio de chamar a atenção de todos que o poder de Deus estava presente, abrindo as portas para a pregação eficaz do Evangelho. Observe-se que, graças à cura de UM paralítico através de Pedro e João, mais de cinco mil homens deram ouvidos à pregação do Evangelho e aceitaram a Jesus Cristo como Senhor e salvador (At 4:4). Quantos destes cinco mil foram curados? Apenas um!

Quando Jesus nos ordenou que fôssemos ao mundo todo anunciar o Evangelho, deu-nos autoridade sobre as enfermidades, mas não nos deu autoridade para mudarmos a ênfase do Evangelho, que é a salvação. Se a ênfase da igreja fosse a cura, teria Ele nos mandado às portas de hospitais, onde nem seria necessário que os enfermos entrassem; antes de entrar para que lhes fossem ministrados os primeiros socorros, seriam curados.

Talvez você esteja pensando: “O que tem este irmão, que se posiciona contra as curas?” E eu te respondo: absolutamente nada! Se dependesse de mim, em todos os cultos haveria curas, sinais e maravilhas em nosso meio. Se o Senhor Jesus, através de algum dos seus servos, curar a todos em uma reunião da igreja, só temos que dar-Lhe glória e nos alegrarmos com as maravilhas que Ele operou diante dos nossos olhos. Na verdade, posiciono-me apenas contra a ênfase exagerada, contra os cultos que se afastam da Palavra ― elemento indispensável à salvação, santificação e fortificação do crente ― pois só há tempo para a cura, ou os dirigentes a consideram mais importante. Levanto-me contra as igrejas que menosprezam os demais ministérios, ou os consideram inferiores, relegando-os a uma posição de menos destaque.

Não posso aceitar que cultos inteiros sejam dedicados à cura, e não haja a pregação de uma palavra transformadora, sólida e nutritiva. E o mesmo pode ser aplicado a qualquer outra faceta ministerial: cultos só dedicados ao louvor, sem palavra; cultos dedicados à prosperidade, sem palavra; cultos dedicados à libertação de endemoninhados, sem palavra. Afinal, é a palavra de Deus que traz a salvação para o homem, que o limpa dos seus pecados, dá-lhe firmeza para suportar as adversidades da vida e armas para lutar contra as hostes espirituais e defender-se dos desvios doutrinários.

Sabemos que nem todos serão curados. Muitos morrerão com as enfermidades que carregam ao chegar à igreja, mas poderão morrer salvos, com a alma transformada e fortalecidos com o genuíno Evangelho, com a pregação da sã doutrina. Ademais, a autoridade dada por Jesus a seus discípulos foi “Curai enfermos, ressuscitai mortos, purificai leprosos, expeli demônios; de graça recebestes, de graça daí” (Mt 10:8). Infelizmente, não temos visto ressurreições e nem leprosos instantaneamente purificados nos nossos dias... E nem vamos entrar no mérito da questão do de graça recebestes, de graça daí, que cada dia tem se extinguido mais de nosso meio... E também não podemos nos esquecer das falsas curas que ocorrem em meio evangélico. Algumas delas já foram alvo de reportagens na tevê...

Deus me livre de me posicionar contra a cura divina! Sou pentecostal, creio no poder de Deus atuante nos dias de hoje. A igreja da qual sou Membro foi fundada através do ministério do missionário Manoel de Mello, com a operação de muitas curas e maravilhas. Eu mesmo já fui beneficiado por esta bênção do Evangelho. Mas acreditem: fui muito mais beneficiado pelo ouvir da Palavra de Deus, em uma pregação centrada, equilibrada e direcionada para que eu pudesse através dela modificar minha conduta e meu caráter. Sou o que sou hoje não graças às curas recebidas, mas à palavra de Deus, martelo que esmiúça a penha, que penetrou fundo em meu ser, esmiuçou todos os meus conceitos e transformou-me de dentro para fora. 

Sabemos que muitos só se chegam à igreja para receberem a cura, a libertação, a prosperidade e outras benesses mais, e após a obtenção daquilo que desejam, abandonam o Senhor. É a Palavra, e não nenhuma destas outras coisas secundárias,, quem afasta o homem do pecado e da condenação. Não que eu rejeite a cura ou outras bênçãos, mas eu prefiro morrer doente e entrar no céu curado, do que morrer curado e não ser achado inscrito no Livro da Vida!



Zilton Alencar (45) mora em João Pessoa – PB. Casado com Chirley Alencar, é músico, programador, webdesign e servo de Deus. É também colunista deste blog aos sábados, e esporadicamente em seu blog pessoal, o BLOG DO ESQUIZILTON

20 de março de 2012

Renata Gusson Martins - Uma Mulher Brasileira Denuncia a Verdade sobre o Aborto na Subcomissão Permanente em Defesa da Mulher (CDHSPDM)

Pró-vida: vídeo teve aproximadamente 10 mil visualizações em dois dias
-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-
Leia também: Brasileiros Pelo Direito de Decidir contra a Vontade da Fundação Ford
-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-

Quem é ela? A brasileira comum que representou a cada um de nós, no vídeo acima, escreveu para este blog contando um pouco sobre sua reação ao saber da divulgação do vídeo e  demonstrando ainda mais suas convicções pró-vida. 
 (...)
Sem mais, com vocês: Renata.
*** 

Meu nome é Renata Gusson Martins, tenho 30 anos, sou de São Paulo, e sou eu a mulher que se pronunciou no vídeo repercutido pelas redes sociais, no qual falo sobre a defesa da vida. Pra mim está sendo uma surpresa tudo isso, o alcance das minhas palavras durante reunião transmitida pela TV Senado no dia 08 março, Dia Internacional da Mulher, direto da Subcomissão Permanente em Defesa da Mulher (CDHSPDM).

Eu sou uma cidadã brasileira comum, casada, mãe, profissional… Apenas mais uma entre milhões de mulheres que fazem o Brasil. Para mim, toda essa divulgação que a mensagem em defesa da vida ganhou nesses dias é a confirmação evidente de algo muito interessante: acredito que, na verdade, servi de porta-voz para um batalhão de mulheres (e homens também) que, se estivessem naquele mesmo lugar e momento, teriam dito coisas semelhantes às que eu disse.

No fundo é o que toda gente de bem faria! É o que noto com os “aplausos” e tantos comentários favoráveis. Tive a nítida impressão que minhas palavras somente puderam encontrar eco nos corações e nas mentes porque esses mesmos corações e mentes carregam em si o respeito pela vida e o rechaço veemente ao aborto.

Eu quero contar como tudo isso aconteceu.
Na semana passada eu estive em Brasília com o intuito de participar da reunião da subcomissão na data em que civilmente comemoramos o Dia Internacional da Mulher. Quis estar lá para expressar àquelas que deveriam nos representar, no Congresso Nacional, que qualquer política pública que nos pretenda dizer que “só seremos felizes e livres” no dia em que tivermos acesso total ao aborto, é frontalmente contrária ao genuíno bem-estar da mulher brasileira.

Acredito que o dia em que se disser a uma mulher “negra e pobre” que o melhor que a saúde pública pode lhe oferecer é a possibilidade de matar seu filho indefeso da mesma forma que “brancas e ricas” fazem em clínicas particulares sem ter que arcar com o ônus criminal e ser tratada de forma “humanizada”, será o dia mais cruel e perverso para ela, pois será ela a que mais será convencida a abortar seus filhos “negros e pobres” indesejados pelo Establishment.

E essa não é uma compreensão nova para mim. Sempre fui contrária à prática do aborto! Mas, em 2010, especialmente durante o período eleitoral, eu comecei a interessar-me mais pela questão e fui conhecendo melhor – naqueles conturbados e inesquecíveis dias dos meses de setembro e outubro de 2010 – a verdadeira dimensão do que significa a “estratégia abortista”.

Lembro-me que estudei diversos documentos disponibilizados na própria internet, e que explicam o papel fundamental das Fundações Ford e MacArthur, entre outras, na promoção do aborto no Brasil e nos demais países da América Latina.

Li, com muito interesse e surpresa, como o caso da menina de Alagoinha (PE) – estuprada e grávida com apenas nove anos de idade – foi usado propositalmente por ONGs feministas pró-aborto – com o respaldo de uma parcela bastante significativa da mídia brasileira – para “comover” a opinião pública e ajudar no debate favorável à descriminalização do aborto.

Durante a leitura dos documentos procurei averiguar os diversos links que eles ofereciam e, para meu espanto, tudo ia se confirmando e cheguei à conclusão de que toda essa “conversa” de saúde e direitos sexuais e reprodutivos não se trata de outra senão a legalização total e completa do aborto em todo o mundo que, num futuro não tão distante, viria a ser declarado como um direito humano pela Organização das Nações Unidas (ONU).

A legalização do aborto não se trata de um “progresso dos tempos”, como nos querem fazer acreditar. Não é algo como dizer que antigamente as mulheres não votavam, não trabalhavam fora de casa e hoje o fazem, logo, hoje devem ter direito ao aborto como apenas mais uma aquisição de direito
Não, não e não!
O que se verifica é que esse movimento aparentemente natural está sendo propositalmente financiado e conduzido. E nós não podemos deixar de notar que é extremamente genial.

Estão usando as próprias mulheres para lutarem pelos “direitos” da mulher. Ora, que pessoa em sã consciência deixaria de achar justo que uma mulher queira angariar direitos para si e suas demais concidadãs?

É por isso que encontramos juristas e tantos outros homens que acreditam que o aborto deva ser legalizado porque é uma “luta da mulher”. Realmente fica parecendo que é a mulher quem, espontaneamente, se deu conta que deve ter acesso ao aborto legal. Entretanto, ela está sendo apenas manipulada para agir assim.

Foi isso que eu quis frisar na reunião da Subcomissão de Defesa da Mulher. Infelizmente o tempo foi muito curto e não havia a mais remota possibilidade de abordar esse problema de modo mais profundo.

Faltou tempo para falar que corremos um risco iminente de vermos solapados os valores verdadeiramente democráticos de nossa nação, uma vez que – pasmem! – 16 juristas decidiram, contrariando mais de 80% da população do Brasil, que o aborto deva deixar de ser crime em diversas situações.

Estou falando sobre a aprovação do anteprojeto de reforma do Código Penal feito pela comissão de juristas indicados pelo Senado. Eu realmente me pergunto como é possível que o destino de milhões de brasileiros inocentes possa estar na mão de 16 (dezesseis!) pessoas que, com a maior ligeireza e aparente surdez à grande manifestação pró-vida presente à audiência, votaram “a toque de caixa” pela descriminalização do aborto.

Diante de tudo o que disse, eu gostaria de dirigir um “apelo a todos os brasileiros e brasileiras” para que, primeiramente, estudem e se aprofundem no assunto. Sem conhecimento não é possível defender a vida nos dias atuais.

Importa não desanimar e saber que contra a ideologia temos que usar copiosamente da palavra. A palavra é como a roupa do pensamento! A mim, me parece que o futuro e o destino da defesa da vida passam pela maior difusão e conhecimento possíveis das inúmeras peças do enorme quebra-cabeças da “cultura da morte”.

Gostaria de concluir essa breve apresentação que tantos pediram fazendo um convite. Convido você que é comprometido com a defesa da vida humana, e mesmo você que talvez tenha se deparado somente agora com essas informações e que pode estar impressionado com tudo o que disse agora, a acessar os links desta mensagem e imprimir os documentos.

Comece a empreender um estudo sério e comprometido dos mesmos. Da sua atuação pode depender a vida de muitos brasileiros e outros latino-americanos. Parece demagogia, mas esteja certo de que não é. Forme grupos de estudo, faça reuniões para aprofundar o tema. Há bastante material sério para ajudá-lo nessa tarefa.

E se puder pedir algo mais, eu pediria a você que acompanhasse o trâmite da defesa da vida especialmente no Senado, com a reforma do Código Penal. Talvez seja necessário que muitos de nós nos dirijamos a Brasília em dias-chave para impedir o genocídio.

Se isso vier a acontecer, peço insistentemente que você não pense que “uma andorinha não faz verão”. Talvez seja você aquela andorinha que, junto com outras, possa fazer o mais lindo dos verões: o verão da vida assegurada em seu início como um direito de todos os brasileiros.

Muito obrigada pelo carinho de todos, pela atenção e pela divulgação do vídeo. Façamos a nossa parte para que mais pessoas tenham acesso à verdade sobre o aborto.

18 de março de 2012

O apóstolo milionáio - Mais um Round de UFC. IURD X IMPD - O sujo falando do mau lavado

 

Por Rô Moreira

A igreja evangélica no Brasil parece estar sofrendo uma decadência moral no decorrer dos últimos vinte anos. Depois da criação da IURD, os pseudos pastores espalhados pela nação descobriram a pólvora, ela se chama “povo incalto e muito carente de Deus”. Com o passar dos anos os escânda-los se multiplicaram, li a respeito de um pastor no interior de São Paulo que vendeu a igreja fechada, teve um casal de pastores da Renascer presos nos EUA, o líder da IURD foi acusado de lavagem de dinheiro, além de comprar uma rede de tv com o dinheiro do dízimo e não usá-la no evangelismo, o pastor Silas Malafaia comprou avião com pretexto de evangelismo e agora vem o pastor da assembléia de Deus de Belém, Samuel Câmara fazer o mesmo. Pastores com haras, lanchas, mansões, carros blindados, televisão por assinatura, entre muitas outras propriedades que não justificam. Agora chegou a vez do Apóstolo Waldemiro Santiago, acusado pela rede Record de desviar grande parte do dinheiro doado pelos fiéis para enriquecimento pessoal. Foi comprovado com documentos, que o apóstolo comprou várias fazendas no Pantanal Mato-grossense, com aproximadamente cinco mil cabeças de gado com dinheiro da igreja. Suas terras são de perder de vista, tem pista de pouso para aviões e mansão com piscina. Os dízimos e ofertas têm como justificativa o pagamento das contas das igrejas, mas parece que o Apóstolo não está muito preocupado com isso. Enquanto dezenas de templos estão ameaçados de fecharem por ordens de despejos por falta de pagamento dos aluguéis, o apóstolo Santiago fica cada vez mais rico. As várias fazendas, uma ao lado da outra juntas, formam uma imensa propriedade de 26 mil hectares e chegam a valer R$ 50 milhões. Enquanto o povo de Deus não buscar o conhecimento da verdade e a libertação desses líderes, homens fraudulentos, lobos mercenários mercadores da fé para buscar o verdadeiro pastor que é Jesus esse tipo de gente continuará manipulando a fé alheia para continuarem a viver de brisa como disse um deles enquanto povo continua sendo só massa de manobra.

Silas Malafaia vai lançar na Band atração nos moldes do "Fala que eu te Escuto"



Ainda não é dessa vez que Silão vai pra Globo virar Bozó, rsrsr desculpem-me, mas não podia deixar passar. Perco os amigos mas não perco a piada hehehee

Silas Malafaia vai lançar na Band atração nos moldes do "Fala que eu te Escuto" rsrss
A disputa dos religiosos por espaços na televisão continua bastante acirrada. Após RR Soares e Valdemiro Santiago, agora é a vez de Silas Malafaia fechar a compra de mais um horário na Band.

Malafaia acabou de comprar um horário no começo das tardes de domingo. Ele ocupará a faixa entre 12h e 13h pelos próximos dois anos segundo informou o jornalista Lauro Jardim.

O religioso terá um programa nos moldes do "Fala que eu te Escuto", transmitido na Record e produzido pela Igreja Universal do Reino de Deus. Sob o título de "Fala Malafaia", a atração abordará temas da atualidade.

A estreia está marcada para o dia 6 de maio.


Fonte

Durante viagem, Bento XVI diz que ideologia marxista não responde mais à realidade


O papa Bento 16, que se encontra no avião que o leva para o México, onde hoje inicia uma viagem à América Latina, que inclui uma visita a Cuba, afirmou que "hoje é um tempo no qual a ideologia marxista, como está concebida, não responde mais à realidade".

Segundo ele, se isso acontece e "se não se pode construir um tipo de sociedade [baseada nesta ideologia], é preciso encontrar novos modelos, com paciência, de modo construtivo". 

A declaração foi dada como resposta a um jornalista que o questionou sobre a atualidade das palavras de João Paulo II, em 1998, quando pediu que "Cuba se abra ao mundo e o mundo se abra a Cuba".
O Pontífice também disse que "é óbvio que a Igreja está sempre ao lado da liberdade, liberdade de consciência, liberdade de religião".

"Me sinto em absoluta continuidade com as palavras de João Paulo II que ainda são atualíssimas. [Os cubanos] inauguraram um caminho de colaboração construtiva, um caminho que é longo, que exige paciência mas que segue para frente", observou.

Sobre o cenário de violência no México, Bento XVI afirmou que "devemos fazer o possível contra este mal destrutivo para a sociedade e nossa juventude".

"A Igreja não é um poder político, não é um partido, mas é uma realidade moral, um poder moral. tarefa da Igreja é de educar a consciência, a responsabilidade moral, desmascarar a idolatria do dinheiro que escraviza o homem, desmascarar o mal e as falsas promessas, desmascarar as mentiras e as fraudes que estão por trás das drogas", declarou Joseph Ratzinger.

O Papa partiu na manhã desta sexta-feira para o México a bordo de um Boeing 777, da Alitalia, que saiu do aeroporto de Fiumicino, em Roma. O avião decolou às 9h50 da Itália (5h40 no horário de Brasília) e tem aterrissagem prevista para as 16h30 do México (19h30 no horário de Brasília).

Uol noticias





15 de março de 2012

Entrevista - Com o Reverendo Renato Suhett



Voltando com as entrevistas do Blog. Hoje temos como entrevistado o nosso querido amigo e irmão Reverendo Renato Suhett. 
Renato, desde já agradeço pela gentileza para com o Blog mulheres Sábias. Obrigada!

Nome: Renato suhett

Idade: 51

Casado ou solteiro? Casado com Diana Suhett

Como vê o meio Evangélico hoje??

1-Como vejo o meio evangélico hoje? R: Não vejo ,infelizmente, não vejo meio evangélico. Vejo buscadores da verdade, falsos profetas, mercenários e gente enganada...só isso..

Na época do teu auge como bispo da IURD você já possuía algum tipo de divergência com o sistema doutrinal e/ou com a ética religiosa iurdiana? Qual(is), por exemplo?

2-No meu tempo de "auge Iurdiano" ,como Bispo Do Brasil, eu quis que a Universal se tornasse uma Igreja, naturalmente regida por princípios bíblicos...A proposta se tornou em utopia ,quando surgiu a idéia de se fazer um partido político da Igreja, fato que eu não admitia, então, para alegria da corrente maioritária, que queria implantar  a "teologia da prosperidade" ,a conquista do poder pela ,política e o sistema televisivo-empresarial, com o apoio do próprio líder Macedo, o que eu iria estar fazendo lá???..Sai,então..

Como foi sua passagem pela Igreja Anglicana Reformada e o que o levou a optar pela Diocese Anglicana do Recife?
3-Eu sempre tive em mim um sonho, um desejo, um anelo pelo anglicanismo... Porém não me considerava digno de atuar em suas fileiras,até que ao aproximar-me do meu pai na fé, Bispo Robinson Cavalcanti, a quem sempre tanto admirei e ele acenar com esta real e completa possibilidade, comecei a estudar ,caminhar e..aqui estamos.Comecei por uma Igreja continuante, ou aspirante, porém muito séria, a Igreja Anglicana Reformada,uma Igreja ainda indefinida em certos aspectos,pois está começando,mas com pessoas muito honestas e sinceras em seu propósito, como o  presidente Francisco Buzzo,da melhor qualidade e Josep Rosello,o Bispo moderador..Porém tive algumas pequenas divergências com este e com a possibilidade de estar na diocese do Recife,decidi seguir no Anglicanismo,mas ao lado a quem tenho como meu pastor na fé,Bispo Robinson,sempre ao lado do Bispo Roberto Macalister..Nada mais..Desejo que Deus abençoe muito o trabalho da I.A.R,pois tenho grande apreço pelos irmãos que lá se encontram.

Quais seus Livros e autores preferidos? Robinson Cavalcante, C.S Lewis, John Stott, JI packer, Bispo J. C Ryle, Bispo Walter Macalister( Não menciono a Bíblia por não entedê-la como livro, mas como a palavra de Deus)

O aumento das Igrejas neopentecostais, principalmente o grande crescimento de denominações nada ortodoxas como a IURD, a IMPD e a IIGD, parece-nos dar a impressão de que é o modelo ideal no sentido de "ganhar almas". O que o você. acha?

Não considero o modelo das "igrejas"neo-pentecostais como modelos de ganhar almas,pois não as considero Igrejas.Elas,apresentam uma tática,diria para caçar pessoas, vidas e almas,mas nada a ver com evangelho,nem evangelização,nada,absolutamente nada..o foco é dinheiro e poder em primeiro lugar,em segundo dinheiro e poder ,em terceiro dinheiro e poder e assim sucessivamente em progressão geométrica.Não posso falar muito pois não entendo nada de empresariado e empresas..
. Aos poucos ou aos muitos a igreja atual está se afastando da ortodoxia, e a própria Bíblia é descartada quando as suas doutrinas e práticas ferem os princípios e normas das Escrituras.

O que fazer para reconduzir o rebanho à Palavra de Deus, diante de tanto show pirotécnico produzido pelas denominações não ortodoxas e diante do experimentalismo, quando supostas curas e milagres parecem apontar na direção contrária?
Todo o meio ,agora digo MEIO CRISTÃO(obviamente,descartando aquelas que nem igrejas .nem cristãs são,como as supra citadas e muitas outras neo-pentecostais),o meio Cristão está infectado com a permissividade da Teologia modernista e liberal,que tentando ser relevante para o século,secularizou-se ,trazendo danos e perdas para a atmosfera cristã...Fazer o quê?...Lutar,combater o bom combate pela sã doutrina,a tempo e fora de tempo,retomar à Igreja ao caminho puro e simples do Evangelho de Cristo.Não é uma luta fácil,pois como dizia o amado Bispo Robinson eles habitam numa mesma grande casa ,conosco,mas no primeiro andar,no andar de cima,pois como burgueses,não nobres,essa minoria possui  muito mais poder financeiro...Então a questão é literalmente termos que tomar o lugar de cima,sem usar os meios sugeridos pelo diabo,nem muito menos usar os mesmos artifícios sórdidos dos liberais..É uma boa e grande luta,mas dentro das normas cristãs,estamos aqui para viver e/ou morrer por esta causa,e um dia podermos expressar a sentenca: "combati o bom combate,completei a carreira,guardei a fé",como disse o Apóstolo Paulo em 2 Tm.4:(7)..É como dizia o professor Huberto Rhoden.."O Drama Milenar do Cristo e do Anti -Cristo",em seu livro homônimo...

Renato, depois da morte do Bispo Robison Cavalcanti o que mudou em seu ministério??
1)Depois da morte do BIspo Robinson Cavalcanti,a única coisa que mudou ,para mim,é a maior responsabilidade de estabelecer e difundir o extrordinário legado desse grande Anglicano,Cristão de fato e de verdade..
Tens encontrado algum tipo de dificuldade junto a Diocese de Recife?
2)Tenho sim e ,infelizmente..Porque sempre me relacionei direto com Dom Robinson,que é,junto com o também saudoso Bispo Roberto MaCcalister,meu pai na fé..Agora,como ,as vezes, conversamos por horas até por telefone, fica difícil explicar a uma diocese surpreendida ,triste e um tanto fragmentada ,no momento, aquilo que ,diante de Deus ,havíamos combinado, acertado e projetado juntos...Sabe, mal comparando, pois não tenho esta pretensão ,é como Paulo que tinha que explicar aos apóstolos antes dele, que esteve com Jesus em espírito...de fato esteve e isso, a propria história prova e atesta,pois esse homem escreve a maior parte do Novo Testamento...Mas,como explicar àqueles que inclusive" viram a Jesus ascender aos céus",que ele aparece para um "ex-inimigo" ,e lhe da as instruções relativas a evangelização dos gentios..??E outras maiores revelações e entendimentos plenos? Por isso posso até arriscar que até o fim,penso eu,os apóstolos outros tinham um "pé atras" com Paulo e nunca compreenderam ou creram 100% em sua história, com a excessão, talvez de Pedro.. No entanto, aí a história  repetir-se-á ,só o tempo mostrará..Veja que Paulo era até forçado a emitir explicações e palavras como ,em Galatas1 :1"Paulo apóstolo,não da parte de homens,nem por intermédio de homem algum,mas por Jesus Cristo..."ainda no capítulo 1,vers.10 a 17,encontramos:..."Porventura, procuro eu, agora,o favor dos homens ou de Deus?..se agradasse ainda a homens nao seria servo de Cristo...faço-vos saber, irmãos que o Evangelho por mim anunciado não é segundo o homem, pois não o recebi ,nem aprendi de homem algum, mas mediante revelação de Jesus Cristo.."(É só trocar "revelação por telefonemas"..rsrsr)..e mais: .."nem subi a Jerusalém para os que eram apóstolos antes de mim, mas parti para as regiões da Arábia....e ainda, extraordinariamente, no capítulo 2:6.."E,quanto aqueles que pareciam ser de maior influencia(quais tenham sido, outrora ,não me interessa; Deus não aceita aparencia de homem),esses digo, que me pareciam ser alguma coisa, nada me acrescentaram..."...
Creio que por aí já me posso fazer entender, não é..?

Como se encontra a diocese de Recife hoje após a morte Do Bispo RobIson CavalcantI?
Sobre a diocese...(somente triste,ferida e fragilizada,que tem um grande desafio pela frente.)
Como disse a Diocese esta enfrentando o seu pior momento e desafio..mas ,lamento dizer, vejo-a ,perplexa(não era de se esperar menos,também..),porém forte e viva em honestidade e integralidade anglicanas, sem dúvida...Há homens e mulheres de Deus de altíssimo quilate nesta Diocese, o qual somente nos honra o saber e conhece-los..

Tenho visto a sua luta para com alguns no Facebook e na Blogosfera, para provar o quanto você mudou, tenho visto como tem levado o Anglicanismo a ser conhecido através da web tv e Facebook , Twitter. Tem encontrado algum tipo de dificuldade?
Encontro ,sim todo tipo de dificuldades, má vontade, incredibilidade, agressão,ódio,mas também compreensão, amor e aceitação de parte de alguns ...Porém, preciso entender ,também que isto ,fora aqueles que nos odeiam gratuitamente,é algo que estou colhendo da minha própria semeadura...como diz meu amigo Augusto  Nicodemus.."fazer o quê..?"

Como foi renunciar o título dado pela a IURD de Bispo do Brasil?
***Gostaria de deixar claro e ratificar que : 1: Renunciei ao título de "bispo" da Igreja Universal, não por mágoa ou ressentimento, mas por entender que nenhuma afinidade há entre a minha pessoa e a igreja universal e ao senhor Edir Macedo e bispos de lá..Apesar de manter laços de afeição natural por eles ,bem como a todas as pessoas, pois nada tenho contra ninguém pessoalmente, graças a Deus...e nem tempo tenho para ressentimentos, nem  bobagens dessa natureza, graças a Deus..
 O "título" que uso como "REVERENDO",hoje,me foi dado  e autorizado usar ,no Anglicanismo, onde estarei até o fim de meus dias aqui, pessoalmente  diretamente da parte de Dom Edward Robinson de Barros Cavalcanti,OSE.

Suas considerações finais.
Quero agradecer imensamente pela oportunidade ímpar de esclarecer fatos a equipe de "Mulheres Sábias", especialmente na pessoa de Rô Moreira, uma irmã e grande amiga nesta difícil mas ,necessária, caminhada e aproveitar para deixar o meu e-mail ,que faço questão de dizer e salientar : é um e-mail público de uma pessoa pública ,porém PESSOA..(renatosuhett@terra.com.br)
Graça ,Paz e Bem da parte de Cristo Jesus a todos os irmãos..
**** Autorizo,antecipadamente,a qualquer fonte reproduzir as palavras que aqui proferi,sendo que ,no que concerne ao blog e página de "Mulheres Sábias", isto não a mim concerne, mas a irmã Rô Moreira.. 

Rev.Renato Suhett,Anglicano(Igreja Anglicana de Jesus Cristo)
Rev.Renato Suhett Igreja Anglicana de Jesus Cristo www.renatosuhett.com www.tvavozdafe.com (TV) (A VOZ D REFORMA,24hrs. COM VOCÊ!) RÁDIO:www.avozdafe.com.br Saiba mais sobre Anglicanismo,clique aqui: www.anglicanismointegral.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...