Subscribe:

30 de setembro de 2012

Olhem aí, capoeira na casa de Deus.

 "É na paz de Deus, meu irmão... é na paz de Deus... é na paz de Deus, meu irmão..."
Isso é dentro de uma AD. Fiquei assustada com isso. Será que a AD esta se neopentecostalizando? 

      Evento Realizado em Sorocaba, Assembleia de Deus Ministério Belem,

















Revejam o vídeo, e me digam se a iniquidade está ou não sendo estabelecida pelo Estado??

Gente boa de Deus, vocês se lembram deste vídeo???

Era um alerta pastoral ANTES da eleição presidencial passada.

Na época, o Pr Piragine foi altamente contestado, perseguido, processado pelos que tinham interesses contrários as suas palavras.

Porém, veja ou reveja o vídeo, e pergunte a si mesmo se ele não tinha razão? Se a iniquidade está ou não sendo estabelecida pelo Estado??

Joaquim Barbosa autoriza abertura de novo inquérito sobre mensalão; desta vez, podem se complicar Fernando Pimentel, Benedita da Silva e Vicentinho…


Se “eles” lá, vocês sabem quem, já andavam meio chateados com Joaquim Barbosa e com o STF, agora há o risco de que comecem a babar de ódio. O ministro autorizou a abertura de um novo inquérito para investigar a segunda fase do mensalão. E, desta feita, ele mexe com um homem importante do governo Dilma Rousseff: o ministro Fernando Pimentel — aquele, sabem?, que era “consultor” e que também havia contratado aquela primeira equipe dedicada a montar o falso dossiê contra o tucano José Serra, em 2010. Um petista moderno, como sabemos… Além de Pimentel, também aparecem no rolo Benedita da Silva e o deputado Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT-SP). Lula vai dizer que se trata de mais uma conspiração contra as forças populares… Leiam trecho de reportagem de Flávio Ferreira, na Folha:
O ministro Joaquim Barbosa, relator do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal, autorizou a abertura de um inquérito para investigar repasses feitos pelo esquema para pessoas ligadas ao ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, e a outros políticos petistas. O novo inquérito, a ser instaurado na Justiça Federal em Belo Horizonte, também vai investigar repasses a pessoas que trabalharam com os deputados Benedita da Silva (PT-RJ) e Vicentinho (PT-SP), além de dezenas de outras pessoas e empresas que receberam dinheiro do esquema.
Essas pessoas não são parte do processo que está em julgamento no Supremo desde o início de agosto, porque os repasses só foram descobertos pela Polícia Federal quando a ação principal já estava em andamento no STF. A nova fase do caso foi inaugurada há pouco mais de um mês, após pedido da Procuradoria-Geral da República para que fossem aprofundadas as investigações sobre o destino do dinheiro distribuído pelo PT com a colaboração do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza.
O requerimento cita nominalmente Pimentel, um dos principais auxiliares da presidente Dilma Rousseff, Benedita e Vicentinho, dizendo que, como eles têm foro privilegiado, a investigação deverá voltar ao Supremo “caso surjam indícios concretos de que os valores arrecadados” destinavam-se aos três. (…) Seguindo o caminho do dinheiro distribuído pelo empresário, a polícia chegou a Rodrigo Barroso Fernandes, em Belo Horizonte. Na época do repasse, em 2004, ele era coordenador financeiro do comitê da campanha de Fernando Pimentel à Prefeitura de Belo Horizonte, diz a PF.
(…)
As investigações também apontaram repasses para Carlos Roberto de Macedo Chaves, que teria feito dois saques no valor de R$ 50 mil em agosto e setembro de 2003. Ele disse à PF que trabalhou como contador da campanha de Benedita em 2002. De acordo com a polícia, a origem desse dinheiro foi o fundo Visanet, controlado pelo Banco do Brasil e por outras instituições financeiras.
(…)
Em relação a Vicentinho, a PF descobriu que o produtor audiovisual Nélio José Batista Costa recebeu R$ 17 mil da empresa Estratégia Marketing, de Valério, em agosto de 2004, “devido aos serviços prestados durante a campanha eleitoral do candidato Vicentinho para a Prefeitura de São Bernardo do Campo”.
(…)
Por Reinaldo Azevedo

29 de setembro de 2012

Morre Hebe Camargo, aos 83 anos




RIO - A apresentadora Hebe Camargo morreu aos 83 anos neste sábado, de parada cardíaca, em São Paulo.
Hebe já havia sido hospitalizada em março deste ano, quando retirou um tumor no intestino. Em 2010, ela passou por cirurgia e quimioterapia após ser diagnosticada com câncer no peritônio, membrana que envolve os órgãos do aparelho digestivo.
Em junho, apresentadora passou por uma cirurgia de retirada da vesícula. Um mês depois, ficou internada por cinco dias para realizar exames de rotina.

Frases de Hebe Camargo:

Eita governinho danado, que não respeita o povo! Obs.: Hebe Camargo, em seu programa, outubro de 2005.
Linda, eu? Não, querida. Mas você acaba de ganhar uma consulta gratuita no oculista. Parabéns.

Eu só penso e atraio coisas boas.Pretendo terminar meus dias e minha carreira no SBT.

Eu não tenho solidão. Sou feliz comigo.


Aline Barros, a princesa do reino mágico das bolhas de cristal




Digão

Sempre volto da faculdade tarde da noite, depois das 11h30, já que preciso viajar para estudar (o campus de Direito de minha faculdade, a Universidade Federal de Rondônia, está em Cacoal, distante cerca de 60 km de minha cidade, Rolim de Moura). Chegando dia desses da aula, depois de longo tempo de greve, resolvo dar uma relaxada antes de dormir. Assalto a geladeira e ligo a TV. Mas quase engasgo com o que vi.

No programa de entrevistas da jornalista Marília Gabriela, lá estava ela, a diva pop-gospel, impávida diante das perguntas: Aline Barros. Confesso que gostava mais de suas músicas quando ela ainda era mais jovem, sem ter se rendido tão sofregamente ao espírito de Baal que campeia aquela que um dia se chamou “igreja evangélica brasileira”. Tal espírito de Baal é capaz de desgraçar uma pessoa afastando-a da Graça do Crucificado e desumanizando-a, no caminho inverso ao do Verbo, que decidiu Se humanizar, conforme nos relata o Evangelho de João.

Não vi toda a entrevista, mas o que vi me deu engulhos. Em nenhum momento consegui ver Jesus nos olhos, palavras ou atitudes da moça. Não vi, em seus belos olhos delineados com maquiagem de primeira, o brilho da espontaneidade de pessoas tocadas pela misericórdia do Senhor que, ao perceberem o ato divino, entendem-se mais humanos e mais alertas contra a tentação de se verem como parte da divindade, como foi a tentação da serpente contra Eva e que agora é repetida ad nauseaum. O que vi foi apenas um triste teatro querendo passar a virtude triunfalista e alter-humana de Baal, ao afirmar que não possui medo, pois este é apenas o último obstáculo a ser vencido na caminhada para o sucesso.

Mas a cereja do bolo estava no final. Num rápido bate-bola, Marília Gabriela faz a derradeira pergunta: “Aline Barros por Aline Barros”. Depois de revirar os olhos, ela simplesmente diz: “sou uma princesa de um reino eterno de amor”. Pois é, além de Baal desumanizar seus servis colaboradores, ainda os faz pensar que estão em algum tipo de conto de fadas. Talvez seja uma reminiscência da Xuxa, aquela cantada como “minha rainha, minha fada madrinha” anos atrás pela própria Aline, ou talvez seja uma referência a She-Ra, personagem icônico de grande parcela da população, especialmente da parcela de fãs GGs da cantora.

Enfim, Jesus disse que a boca fala daquilo que enche o coração, e Freud disse que ato falho é aquilo que nosso inconsciente nos faz dizer mesmo quando tentamos encobrir conscientemente. Aline Barros, a She-Ra do “mundim góspi” tupiniquim, comete o ato falho de se revelar como habitante de uma terra de faz-de-conta, de fantasia, onde há um “arco-íris de energia”, revelando um coração transbordante de irrealidade. Mas na terra de fantasia não há espaço para o Verbo, que não é fantasia, mas sim real. Na ilusão não há lugar para o despertamento causado pelo verdadeiro amor do verdadeiro Deus. Enfim, no castelo de faz-de-conta desumanizante e desumano da engrenagem gospel, não há lugar para o trono do verdadeiro Rei. 



Digão torcia mesmo era para o Esqueleto fugir com a Feiticeira, para o Genizah









Nota do Editor

Eu tive o desprazer de assistir a toda a entrevista, motivado pelo relato de alguns irmãos - o assunto veio à baila em um almoço de negócios. A opinião geral era de vergonha alheia. Eu que não tinha visto, e por achar a moça simpaticona fiquei quieto. Mas chegando em casa, fui buscar o vídeo no YOU TUBE. Ia ficar calado, mas vi o artigo do Digão... Não resisti. Não dá para não concordar. Aline Barros é mesmo como ela mesma se define - uma princesa num conto de fadas e o Evangelho é o "conto" - um emaranhado de chavões superficiais de auto-ajuda formando a constituição de um reino de fantasia.

Uma tristeza, pois creio que Aline pode mesmo ser muito usada,  ainda que neste sono de branca de neve gospel,  que mordeu a maça envenenada da "confissão positiva". 

Chocou a demonstração de total falta de cultura geral e uma mentalidade de gueto. Um artista - e ela é muito talentosa, não se pode negar - é geralmente aberto às outras expressões culturais. Alguém "antenado". Já o cristão, sem ceder ao mundanismo, é alguém sensível ao que se passa à sua volta e um cidadão ativo, militante, informado - como foram os apóstolos de Cristo, em especial, Paulo. Afinal, somos sal e não arroz de festa. Não viemos para reinar, mas para servir. Nossa liderança é pelo exemplo, não pela expressão da bancada evangélica.

Fiquei absolutamente sem graça quando Aline passou atestado de ignorância total, reconhecido em cartório gospel em 3 vias carimbadas e ungidas, deixando claro desconhecer o que venha a ser um estado laico. Por fim,  cheguei ao enjôo antes do Digão, já quando ela discorreu sobre a formação de um pastor. Cacildis!


No fim das contas, Gabi mostrou ao mundo, através de Sarah Sheeva e Aline Barros um povo alienado, culturalmente raso, defensor de um arremedo de "evangelho" travestido de psicologia de auto-ajuda de quinta categoria. Ganhamos a pecha de um estilo de vida sectarista e legalista e um exacerbado orgulho triunfalista. A pior leitura possível da mensagem da salvação dada aos filhos que assumem, por amor, a vontade do Pai e a missão integral que este Lhes confiou: a de ser a luz do mundo e sinalizar o Reino e a sua justiça aqui e agora! 

Santa humilhação! Muito diferente do que seria o nosso ministério,  Sarah e Aline reduziram os nossos líderes a reis "ungidos", proclamadores de chavões, alpinistas dos lugares mais altos da sociedade, exploradores da crendice alheia, mestres de cerimônia de festas temáticas para principes e princesas de buffet infantil barratijucano. As igrejas, seriam castelos de Cinderela lotados de bedéis da genitália alheia e cercados da miséria humana, totalmente ignorada pelos moradores adentro dos muros. Ja as duas, elas mesmas, as princesas queridinhas gospel do sapatinho de cristal.

Vou vestir pantufas, guizos e um chapéu de 3 pontas e sair saltitante por ai. Neste "reino" só tenho lugar para bufão e, pelo visto, somos muitos.


Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/2012/09/aline-barros-princesa-do-reino-magico.html#ixzz27s3KvTPJ
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike

28 de setembro de 2012

Rehab* - o monstro sob o mar profundo...

Bem-aventurado o homem que põe no Senhor a sua confiança
e que não respeita os soberbos*, nem os que se desviam para a mentira.
Sl 40:4
Há um monstro no mar! Há uma terrível fera escondida. Ela está submersa no mar da alma humana. Eu não posso resistí-la... Quem poderia? Ela se ergue de dentro das águas. Esse monstro é a serpente, é o polvo, é o dragão marinho, que nos arrasta a todos às águas profundas do mar sem fim.

Ninguém pode vê-lo. A fera diabólica é invisível, contudo eu sei que a sua língua agita, tumultua, convulsiona o mar que há em nós e o mar que é povos, multidões, nações e línguas. É Rahabe o monstro desses mares – um dos sete príncipes infernais. É ele o Leviatã que atormenta desde o princípio. Ele está lá fora e aqui dentro. "O monstro que você viu estava vivo, mas agora não vive mais. Ele está para subir do abismo, e dali sairá, e será destruído. Os moradores da terra que desde a criação do mundo não têm os seus nomes escritos no Livro da Vida ficarão espantados quando olharem para o monstro. Ele estava vivo; agora não vive mais, porém tornará a aparecer. Isto exige sabedoria e entendimento"... E se lhe negarmos a existência, ele nos dominará o mundo. "L'État c'est moi", diz o rei. Rahabe é a Soberba! É a Inveja! É a vaidade dos falsos deuses. Rahabe é a mentira, que nos leva a repousar sobre o nada. Rahabe – este Leviatã – estava ali nos tormentos de Jó, mas também já se encontrava antes. No caos primitivo, havia a besta-fera abaixo das águas sobre as quais pairava o Espírito Santo.

Não há vitória contra o monstro que se vale da depravação da natureza humana contra o próprio homem, apenas o Cristo com seu anzol poderá arrancar de nós a fera imensuravelmente superior ao homem. Rahabe, eu sei que você foi humilhado quando as suas águas se abriram. Sei também, Rahabe, que subjugada foi a sua arrogância quando o obrigaram a ficar olhando impotente aquele povo passar a pé enxuto por entre as suas águas: “Ó, Mar Vermelho! Ó, Leviatã! Onde o seu grilhão? Monstro da minha alma, onde o seu veneno?" Todavia, se o homem não crê em ti, dispensa o socorro de Cristo – o único que pode enfrentar e destruir os egípcios sob o nosso encalço!

“Cala-te! Aquieta-te!” - ordenou o Senhor de dentro daquele barco. E Rahabe foi afugentado: “E o vento se aquietou, e houve grande bonança”... O Oceano e seus demônios. O exército dos soberbos. Rahabe é a rebelião contra tudo o que se chama Deus, por isso diz o salmista: “eu não respeito os desencadeados de Rahabe e nem os que se desviam para seguir as loucuras de suas mentiras”.

Suas carnes, Rahabe, e a carne de seus seguidores e seus sangues serão servidos aos animais. Quanto aos que têm ouvidos para ouvir, a felicidade é tão somente daqueles que depositam sua confiança no Senhor que destruirá a fera que sai do mar.

רהב* - forma plural (raw-hawb): os seguidores de Rahabe. Literalmente: os desencadeados. Os egípcios eram chamados assim e também os falsos deuses dos povos vizinhos. Rahabe~Rehab --> just a fun...

CASAL 20

26 de setembro de 2012

BEM-VINDO... POSSO TE AJUDAR?


Bem-vindo... Posso te Ajudar?

Estava pensando... com o que eu poderia assemelhar esta geração gospel? Seria semelhante a instabilidade de um terreno arenoso? Ou a falsa segurança de uma rocha prestes a deslizar morro abaixo sobre nossas cabeças?

Quem sabe, talvez, eu deveria compará-los a um caminho largo e espaçoso, como dizia, tempos atrás, o slogan de um desodorante, ... "Sempre cabe mais um" ( essa é prá quem tem mais de 40 anos ).

Talvez fosse mais apropriado compara-los a um caminho estreito. Só para a irmandade de "ungidos". Pensei...pensei...até que uma luz se acendeu! Por que não compara-los ao marketing publicitário?

Sendo assim, comparativamente, relembrarei algumas peças publicitárias que marcaram e influenciaram toda uma geração, no caso aqui, negativamente.

A primeira que me vem a memória foi um comercial do cigarro hollywood. Lembram do famoso slogan, ... "hollywood o sucesso"? Só para recordar, esse comercial apresentava cenas com modelos de porte atlético invejável, ora em lanchas velozes, ora em carros esportivos saltando obstáculos e, quando não estavam escalando montanhas de neve estavam  descendo por elas esquiando, tudo ao som de uma bela trilha sonora de filme de ação e muito bem acompanhados por exuberantes mulheres, esbanjando , pasmem! vigor físico  e virilidade, duas coisas incompatíveis com o fumo. Mas, apesar do engodo, convencia pelo conceito glamouroso apresentado a despeito dos danos à saúde. (relembre no you tube; hollywood o sucesso).

Outro exemplo, não menos famoso e não menos inverossímil, foi o slogan da cachaça 51..." Uma boa ideia!" Pergunto: o cigarro  levou ao sucesso de quem?  E o álcool, foi uma boa ideia prá quem? Para quem matou ao dirigir embriagado ou destruiu seu casamento? 

Prova é que esse tipo de propaganda foi banida da Tv e, hoje, as embalagens de cigarros, antes atraentes e elegantes, cederam lugar , agora,  a verdadeira face do efeito causado pelo tabaco. A morte! 

Mas voltemos ao mundo gospel e minhas comparações com a publicidade. Se a propaganda consegue convencer que o salário do pecado não é a morte, semelhantemente ao "coma que certamente não morrerás" de autoria da capciosa serpente no paraíso...então porquê não utilizar essa tão poderosa ferramenta... ou seria arma ( ? ) para alavancar os "negócios" gospels?

Assim, o marketing passou a ser a alma do negócio no planeta gospel. Seja ele marketing pessoal ( a sua própria imagem e semelhança) ou empresarial ( seu próprio ministério ). Tudo a semelhança de um certo Nabucodonozor.

Vejamos os elementos de propaganda presentes naGospelandia:
1- Há um slogan tipo isca "Pare de sofrer'! ... "Vem prá cá que você vai se dar bem "..."7 passos para o $uce$$o"( isso te lembra alguma coisa? ). 
2- O enredo é sempre centrado no ter. Na cobiça.
3- O evento deve ter como atração principal um pregador-ator-animador-ungido ou cantor-ídolo de multidões do cast gospel.
4- O pregador deverá ser acompanhado, ao fundo, por uma trilha sonora hipnótica quando estiver pregando.
5- O cantor deverá entoar cânticos que contenha  um corô "peguento" sem que, necessariamente, haja alguma coerência com a Palavra ou que, até mesmo, o próprio cantor tenha compromisso com Deus, afinal de contas ele foi contratado por um alto cachê e tem que prestar contas, apenas, ao contratante.

Você deve esta se perguntando; mas e Jesus ...? Onde ele esta nisso?... Ele está nos " dê um glória bem forte prá Jesus" ou ... "levante a mão e glorifique a Deus"... E Jesus que se dê por satisfeito para não ofuscar os super- stars, porque, hoje, o que importa é que, Ele diminua e o Eu cresça.

A pergunta é: Deus é contra estratégias de propaganda? Divulgação de eventos ou que a bíblia seja  contextualizada  para os dias atuais? Claro que não! Mas tudo deve ser feito com ética e seguindo os princípios da Palavra. 

Um exemplo disso é Isaias 5.20, "...Ai dos que ao mal chamam bem; e ao bem chamam mal ... e ao doce chamam amargo e ao amargo doce." Ou seja, contextualizando para os nossos dias, ..."ai dos  que fazem propaganda enganosa"..."e dos que vendem  gato por lebre".

Desculpem minha "mineirice"( sou filho de mineiros). No marketing de Deus ...bosta é bosta!

Na semana que vem continuo com a segunda parte deste artigo. Então você, amigo leitor, entenderá a mensagem da foto acima. 

Até lá... Um forte abraço.

Rev Ricardo Rodrigues







25 de setembro de 2012

Sou um dinossauro evangélico!


Dia 29/09 completo 40 anos. Uma data muito significativa para mim. Muitos amigos meus não chegaram nem perto disso. Nasci num lar cristão e desde cedo convivi com vários líderes e sempre fui de uma só denominação com muita honra, a saber, a Assembleia de Deus. Mas agora chegando a essa idade, vendo esses pastores de hoje e as igrejas modernistas, percebo que fiquei velho e olho para trás com nostalgia. E para desagrado de muitos eu tenho que falar que sou daquele tempo em que...
·         Íamos para igreja, mas não sem antes ouvir um sermão dos nossos pais avisando que a casa de Deus não era playground e tínhamos que portar com reverência.
·        Sou do tempo que a igreja era chamada casa de oração e não usava o espaço para festas mundanas.
·         Sou daquele tempo que não se mascava chiclete na igreja por ser falta de educação e por temor a Deus.
·         Sou daquele tempo que as músicas eram hinos sacros e da Harpa Cristã, e quando não eram, falavam de salvação, santidade e arrebatamento da igreja.
·         Sou daquele tempo que os cantores eram pessoas comuns e não astros e levitas como se autodenominam hoje.
·         Sou daquele tempo que os cultos tinham ordem, com as pessoas chegando e se ajoelhando, começando o culto com oração e terminavam na hora pré-determinada.
·         Sou daquele tempo que os milagres aconteciam em qualquer culto e não somente nas campanhas de libertação e cura divina.
·         Sou do tempo que as igrejas eram cheias e não inchadas. Os crentes eram membros e não meros visitantes caçadores de campanhas.
·         Sou daquele tempo que não se judaizava a igreja. Não tinha arca da aliança em miniatura e candelabro no altar.
·         Sou daquele tempo que o óleo era para unção somente dos enfermos, e não para beber, passar em objetos e auto-unção.
·         Sou do tempo que o demônio quando aparecia na igreja era expulso na autoridade do nome de Jesus e não com rosa ungida e sal grosso.
·         Sou do tempo que a única luz que tinha na igreja era da presença do Espírito Santo e não luz de LED e Neon como numa casa noturna.
·         Sou do tempo que Jesus batizava no Espírito Santo em qualquer evento da igreja... Hoje, raramente isso acontece.
·         Sou do tempo que a igreja priorizava o ensino sistemático da Palavra de Deus e não esse falso evangelho da prosperidade.
·         Sou do tempo que orávamos pedindo a Deus que fizesse a sua vontade e não determinávamos nada a Ele nem dizia que isso eu NÃO ACEITO!
·         Sou do tempo que obedecíamos a Deus para SERMOS bênçãos e não fazíamos campanhas para TERMOS bênçãos.
·         Sou do tempo que o pecado era exposto, não para a execração do pecador, mas para que a igreja soubesse que Deus não tem pacto com o erro.
·         Sou do tempo que todos eram tratados iguais, indiferente da situação financeira e eram punidos os rebeldes para não contaminar o corpo de Cristo.
·         Sou do tempo que pastor era ordenado por chamada divina e não por diploma de teologia.
·         Sou do tempo que não tolerávamos o pecado e não tínhamos medo de denunciar sem sermos chamados de santarrões.
·         Sou do tempo que quando alguém entregava sua vida a Cristo, mudava as atitudes e até mesmo o modo de falar do mundo.
·         Sou do tempo que ser chamado de crente era um insulto bom. Não era moda como acontece hoje.
·         Sou do tempo que ser cristão era padecer e não um estilo de vida.
·         Sou do tempo que a verdade Bíblica era absoluta e não relativa como hoje.
·         Sou do tempo que os pastores eram exemplos para o rebanho e não motivo de vergonha.
·         Sou do tempo que os lobos eram sacrificados e as ovelhas poupadas e não o inverso como ocorre hoje.
·         Sou do tempo que a igreja era a noiva de Cristo e detentora da mensagem da Salvação e não uma empresa com fins lucrativos.
·         Sou do tempo em que as pessoas dizimavam por amor a obra e não semeavam para obter algo em troca.

Sou do tempo de muita coisa boa. Que não existe mais. Mas que guardo com carinho e procuro sempre defender o que aprendi e não remover os marcos. Sou muito criticado e perseguido por isso. Mas o que se pode fazer com um velho crente? Eu admito: sou um dinossauro evangélico!

Pb. Luciano Santos

23 de setembro de 2012

A outra face da Graça



Rubinho Pirola

Aprendemos desde pequenos, que graça é um favor imerecido. 


Correto. Mas ainda não de todo.

Tratando-se da Graça de Deus, trazida a nós no seu culminar - no favor de Cristo, na plenitude dos tempos, na entrega do Unigênito Filho de Deus para resolver a nossa questão - existe algo a mais na sua definição.

Se graça fosse somente um favor ofertado a quem não merece, o diabo e seus demônios estariam igualmente debaixo de graça, mas isso não é verdade. 

Pensemos bem: Se Deus pode destruir o inimigo, o aproveitador, o acusador das nossas almas e mentes, e não o faz, quer dizer que Ele não o está premiando, beneficiando-o de maneira nenhuma. Há um plano que às vezes nos escapa à razão. Deus que não tem absolutamente no diabo e seus anjos, inimigos à Sua altura, não destruindo-os, não põe-nos debaixo de um favor imerecido, como premia aos Seus filhos. Se assim fosse, teríamos de os expulsar pedindo um favor aos "colegas" ou aos irmãos. 

Já pensou? 

"Desculpem, xarás, será que me podiam dar a gentileza de irem um pouco pra lá, saindo deste corpo que não lhes pertence? Se fazem favor, companheiros da graça..."

A graça aplicada a eles, não teria um caráter de favorecimento, de beneficiá-los. Ela os poupa sim, para que se cumpra o propósito de Deus. Ela deve trazer a eles o medo, o pavor, certos que devem estar, do final que lhes está preparado.

A graça de Cristo em nós vai além. A graça em nós aponta para o amor, para a identidade que temos em Deus. Não é o que fizemos ou possamos fazer, nem o que não fizemos, ou atos nossos de merecimento, mas o que Ele fez por graça, revelando-nos outra possibilidade de vida, outra identidade; antes forasteiros, afastados, agora, um com Ele, estranhos feito filhos por adoção por graça, um benefício Dele para cada um de nós. A graça nos livra da lei perversa da meritocracia, do toma-lá-dá-cá (como aliás pregam os que querem assassinar tamanha verdade e doutrina). Ela sempre revela o amor de quem a deu e incentiva o amor e a gratidão àquele que dela se beneficia.

E mais: tem ainda um caráter ensinador. 

É pela graça que o Espírito Santo trabalha em nós, edificando em cada um que dela bebe, o caráter de Cristo, despertando em nós a gratidão - que nos constrange, que nos força, que nos obriga (2 Coríntios 5:14) a servirmos a Ele - não há outro caminho a seguir

É o que afirma Paulo a Tito:

“Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos no presente século, sensata, justa e piedosamente.” (Tito 2.11-12)

É isso. Deus age em nós perdoando-nos, não levando em conta os nossos erros, não porque tolera a bagunça, o erro... deixando o barco correr frouxo. Mas assim age, porque tem um propósito maior - o nosso crescimento.
E não para que habitemos o céu amanhã, mas vivamos hoje, de maneira sensata, justa e pia (da maneira de Deus!).

Amém! Trabalhe em mim, Senhor! Deixe a Sua graça agir em mim.

22 de setembro de 2012

A vadia e a mulher honrada



Algumas noites atrás fui criticado por uma feminista quando esta se encontrava a promover o estilo de vida das vadias (promiscuidade, vadiagem, "sluthood"). Vocês já conhecem este tipo de pessoas: são as mesmas que dizem coisas como "ela não é uma promíscua mas sim sexualmente emancipada" ou "ela apenas está a explorar a sua sexualidade e a se conhecer melhor."
Aparentemente, nos dias de hoje, as vadias são pessoas que nós devemos admirar, respeitar e talvez emular. Eu sei que atualmente qualquer idealista sente a necessidade de me qualificar de alguém com "ódio." Isto faz-me rir uma vez que não eu sabia que o ato de odiar, por si só, era uma coisa má. Para além disso, não deixa de ser estranho odiar as pessoas que odeiam ao mesmo tempo que alega ter uma posição moral superior.
Deixando o sarcasmo de lado, eis aqui minhas cinco razões para tratar as vadias com desrespeito. Lembrem-se que sempre que eu (Jason) uso a palavra "vadia", a palavra "vadio" (ou "cafajeste") ajusta-se da mesma forma. Foquei-me nas vadias porque existe um movimento organizado e bem financiado a promover as vadias embora não exista um análogo em relação aos vadios.
1. As vadias são hedonistas
O que motiva as vadias não são os valores tais como a paciência, moderação, empreendimento ou lealdade, mas sim a egocêntrica devoção em torno de suas "partes cor de rosa." Para uma vadia, as outras pessoas não têm outro propósito que não seja o de objeto de "esfreganço." As vadias e os vadios normalmente se envolvem em atos sexuais e são posteriormente descartados pelos outros uma vez que, para além de serem um objeto sexual, eles não têm mais nada a oferecer à sociedade.
(Do editor do blog O Marxismo Cultural: Neste ponto, discordo com o autor. Embora seja verdade que nenhum homem honrado quer ter qualquer relacionamento sério e duradouro com uma vadia [=promíscua], o inverso não acontece. Isto é, muitas mulheres querem ter relacionamentos sérios e duradouros com homens que elas sabem serem vadios, mulherengos, cafajestes e sexualmente promíscuos.)

O que eu acho hilariante é o fato das vadias admoestarem as pessoas que as abandonam - depois de as terem usado sexualmente - como se elas não fizessem o mesmo com outras pessoas. Obviamente, se elas valorizassem algo mais que o prazer físico, poderia até ser que elas iniciassem algum tipo de conversa com os outros, ou exibissem algum tipo de talento que pudesse ser usado como moeda de troca com a presença alheia.
2. As Vadias não são de confiança
As vadias pensam que tudo o que os homens querem é sexo, no entanto não conseguem explicar o fato dos homens terem relações sexuais com elas e depois nunca mais voltarem a ter contato com elas. A resposta é simples: se tu és um homem, gostaria de te casar com uma mulher com quem tiveste relações sexuais logo no primeiro encontro?

Todos os homens sabem que qualquer mulher que têm relações sexuais pouco depois de o conhecer pode fazer a mesma coisa, sem qualquer tipo de remorso, com teu melhor amigo, com o homem do leite, ou com outro qualquer.

Realmente, os homens querem sexo (e muito) mas se isso fosse a única coisa no seu pensamento, as vadias seriam admiradas por todos - e não só pelos homens pedintes de sexo (derrotados da vida).
3. As vadias são aborrecidas
Já tiveste algum tipo de conversa interessante com uma vadia cujo assunto não revolvesse o sexo, ou a própria vadia e as coisas que elas faz para se mimar? Não? Não estou admirado. O motivo é simples: se tu estás obcecada com coisas como prazeres carnais, então não vais ter tempo ou auto-controle para te dedicar a coisas como filosofia, política e ciência.

Provavelmente o motivo que leva muitos homens jovens a pensar que as mulheres são vazias, enfadonhas e obcecadas consigo mesmas seja o fato destes mesmos homens passarem tanto tempo a falar com vadias convencidas.
4. As vadias propagam doenças
1 em cada 4 americanos é portador de uma DST (Doença Sexualmente Transmissível). Se todas as pessoas praticassem sexo seguro, fiel e monogâmico, as DSTs não existiriam. O fato delas existirem, bem como o próprio fato de serem tão comuns, prende-se com as vadias. É tão simples como isso.

Antigamente as vadias eram espancadas e condenadas à morte precisamente por serem vadias - porque propagar doenças infecciosas numa era anterior à chegada da medicina moderna era um ato assassino. É também por isto que as pessoas supersticiosas associaram as doenças com moralidade leviana: e elas tinham razão! Qualquer pessoa disposta a matar-se e a matar outros só pelo sexo é uma pessoa mentalmente deficiente.
5. As vadias não têm integridade moral
Qualquer pessoa que tenha como prioridade na sua vida a busca de prazer dificilmente é uma pessoa de quem se possa esperar honestidade e abertura em relação às suas intenções e ações. Na verdade, a mentira e a decepção parecem ser as únicas capacidades que as vadias parecem determinadas a aprender. E estas mentiras não são só verbais - embora elas levem a cabo muitas mentiras deste tipo - mas também mentiras com o seu corpo: linguagem corporal sedutora, cosmética, sutiãs "push-up", etc... Mentir em torno da sua saúde sexual, mentir em torno do seu interesse sexual nos homens, mentir em torno das suas posses e estatuto.

Essencialmente, as vadias são mulheres que sabem que são as derrotadas da vida, e, como tal, buscam desesperadamente um homem com quem gerar descendência o mais depressa possível, uma vez que elas não esperam estar cá por muito tempo. Felizmente, na idade dos contraceptivos, as vadias estão rapidamente a retirar os seus genes da "piscina genética."

Vamos agora comparar estas cinco características com outro tipo de mulher: a honrada.
A honrada é uma mulher sofisticada com um calibre moral robusto. A mulher honrada pode ser quase uma miragem nos dias de hoje, mas isto prende-se ao fato dos órgãos de comunicação estarem apaixonados pelas vadias, e considerarem-nas o arquétipo da mulher. No entanto, a mulher honrada fica genuinamente ofendida se for qualificada de "vadia." Para além disso, convém notar que as mulheres honradas, tais como as vadias, existem em todos os estratos sociais.
1. A Mulher honrada é uma pensadora
Muitas pessoas pensam que a capacidade de aprender tarefas complexas e repetir frases é evidência suficiente em favor da tese de que tal pessoa pode pensar. Considere-se o fato de ser possível ensinar um chimpanzé a operar máquinas complexas, mas não ser possível ensinar o mesmo chimpanzé a reparar a máquina quando esta se avaria. Nós realmente pensamos que só porque alguém é capaz de operar uma máquina, ela é inteligente.

Não.

A inteligência é a capacidade de reparar, inventar e planejar coisas - não só a mera capacidade de operar com as mesmas. Na realidade, existem muitas pessoas na nossa sociedade que mais não são de que chimpanzés com a habilidade de falar. Para mim, quando conheço uma pessoa e converso com ela pela primeira vez, nada distingue melhor a pessoa pensadora de uma idiota que a sua habilidade de olhar para além do "hoje" e do "aqui."

As vadias não conseguem pensar para além do seu próximo encontro sexual uma vez que, para elas, o prazer físico é o propósito final das coisas. Ao contrário delas, a mulher honrada pensa 10, 20, 30 ou mais anos para a frente. O que é que ela quer da vida? Como é que ela o vai atingir? Será que ela terá amigos e segurança no futuro? Como é que ela pode garantir estas coisas? Foi a pensar desta forma que os novos recursos e as inovações vieram a existir.

Devido a isto, a melhor forma de se saber se estamos a falar com uma mulher honrada, é perguntar-lhe os planos para o futuro. Se ela der uma resposta vaga do tipo "Não sei ainda / Que pergunta mais chata," então tens aí a primeira pista de que podes estar a falar com uma vadia.
2. A mulher honrada é de confiança
A mulher honrada sabe que, se ela quer que o homem fique com ela, ela não pode oferecer sexo o tempo todo. Elas precisam de ter satisfação em fazer outras coisas com as pessoas, e mesmo cuidar delas. A mulher honrada tem o desejo de ser agradável, companheira e independente porque ser irritante, interesseira e dependente não é a chave para se ser uma amiga de confiança. Se tu não és de confiança hoje, como é que podes esperar que as outras sejam confiantes em relação a ti?

Se uma mulher está constantemente a pedir a tua ajuda, ao mesmo tempo que pensa que o seu dourado e mágico órgão sexual é a solução para tudo, então esta é a segunda pista de que ela pode ser uma vadia.
3. A mulher honrada é interessante
A honrada tem interesse pelo mundo à sua volta. Ela tem passatempos, lê livros, tem opiniões próprias em torno de assuntos políticos, pode explicar o funcionamento das coisas, e pode te ensinar um vasto leque de coisas.

Como contraste, a vadia, para além da sua própria pessoa como o seu tema de conversa favorito, só tem o sexo como passatempo. Se a mulher com quem estás a conversar não parece ter opinião formada em relação a nada, não sabe fazer nada de útil, e passa o tempo a falar de si, então esta é a terceira pista de que ela pode ser uma vadia.
4. A mulher honrada não propaga doenças
As mulheres honradas são cuidadosas; elas não dormem com qualquer um, e ninguém dorme com ela uma hora depois de a ter conhecido. As mulheres honradas pensam nas consequências dos seus atos: "É este homem seguro? É este homem um engatador? É este um homem honrado? É este homem um corajoso ou um covarde?"

A honrada quer olhar por si, pela sua família e pela sua comunidade. Espalhar DSTs ou doenças genéticas tendo relações sexuais com qualquer homem disposto a isso é prejudicial para si, para a família e para a comunidade.

Enquanto isso, a vadia pensa: "Será ele sexualmente avantajado? Será que ele terá relações sexuais sempre que eu quiser? Será que ele me deixa fazer o que eu quiser com ele?"

Se a mulher com quem tu falas gosta de anunciar o número de vezes que já teve sexo, o número de pessoas com quem já teve sexo, e os diferentes sítios onde ela já teve relações sexuais - completamente ignorante do que são as DSTs - ou acredita que o aborto é apenas outra forma de controle de natalidade, esta é a tua quarta evidência de que ela é uma vadia.
5. As honradas têm Integridade moral
Qualquer pessoa com autocontrole suficiente para resistir ao sexo hoje na esperança de ter melhor sexo no futuro, é uma pessoa com capacidade moral para viver segundo os seus princípios. A mulher que não é capaz de resistir a tentação de abrir as pernas sempre que a oportunidade apareça, é uma pessoa sem força no caráter. Não interessa o quão elevados os seus princípios sejam, quando a oportunidade aparecer, esta vadia vai se ver livre de ti, se isso lhe for vantajoso. Esta é a quinta e última evidência de que podes estar a falar com uma vadia.

*
Do editor do blog: O autor do texto não aludiu a isto directamente, mas há outras coisas que podem ser acrescentadas:
  • A mulher honrada não precisa de ser cristã; a vadia muitas vezes é alguém que tem uma aparência cristã.
  • A mulher honrada, embora podendo não ser cristã, não vê propósito algum na ofensa a essa fé. A vadia, embora muitas vezes se identifique como "cristã", toma parte em eventos e "manifestações" que têm como expresso propósito a ofensa ao cristianismo.
  • A mulher honrada gera paz e harmonia. A vadia gera conflitos e divisões.
  • A mulher honrada pode não ser bonita, mas é feminina. A vadia, embora possa ser bonita, é rude, agressiva, pouco feminina e genuinamente repelente.

Publicado originalmente no site Intentions.

Mídia sem Máscara

21 de setembro de 2012

Procuram-se pessoas virgens!


Por: Antonio Silva
Lendo os jornais hoje de manhã, como é hábito diário, fiquei impactado com uma notícia que, para alguns, chega a ser engraçada: uma moça catarinense, de 20 anos, lindíssima por sinal, está “leiloando” sua virgindade na intenet. Segundo a reportagem, ela já recebeu um valor equivalente a R$ 42,6 mil para que “aceitasse o projeto” (o projeto ”Procuram-se virgens”) de um diretor australiano que está documentando todo o processo. Também está no projeto um “rapaz” com a sua virgindade (ainda) preservada. A reportagem também acrescenta que até hoe (19 de Setembro 2012), o leilão está em R$ 74,5 mil. Mas ainda há tempo: o leilão da insanidade termina só em 15 de Outubro. Até lá, o desprezo por si mesma vai render muito mais.

Para ver a reportagem completa, clique aqui.

Chegamos a uma degradação tão grande na sociedade que as pessoas vendem seu próprio corpo e ainda são admiradas por isso. Ainda entram numa concorrência, como esta jovem, para ser a escolhida para perder a virgindade em troca de um “bom negócio”.

Mais do que a virgindade, esta mulher está vendendo sua dignidade, o que deveria ser sinal da sua pureza.
A moça da reportagem “valorizou” financeiramente seu hímen. Certamente alcançará mais de R$ 100 mil pelo estupro consentido. Sim, não vejo esta notícia como fruto de relação sexual, e muito menos amor. Só se for amor ao dinheiro, que é a raiz de todos os males, inclusive da prostituição.

A atitude desta ainda moça é bem sintomática. É preciso pensar sobre isso com seriedade.
Mas, vamos adiantar a conversa: quantas mulheres, e homens também, vão oferecer o seu corpo hoje mesmo, em todos os cantos do país – e talvez do mundo – por uma ninharia? Talvez o pagamento seja uma garrafa de cerveja. Ou uma carreira de pó. Ou mesmo um elogio a alguém extremamente carente?

Este fato, deplorável, nos leva a pensar como as pessoas perderam o valor de si mesmas. Não tem mais a percepção de quem são, e para que são. Tudo o que querem é dinheiro. Seus maiores projetos giram em torno da fama.

Um outro bom exemplo são os BBBs da vida. Conjugam com facilidade três verbos: enriquecer, aparecer e transar.

Infelizmente, sexo virou diversão. 

As mulheres, que dizem se recusar a serem chamadas de objeto, não contestam as mulheres frutas da vida. Não sei se você sabe, mas existe até mesmo a “mulher maracujá” (se quiser conferir, veja em http://www.rocinha.org/vipevoce/view.asp?id=2606).
Os homens, que gritam exigindo respeito, se tornaram metrossexuais. Com “orgulho”.

Mas não penso só nisso.  Hoje se vende órgãos humanos; crianças raptadas ou NÃO; se vende a vida de pessoas, contratando pistoleiros; se vende a dignidade (há pessoas que afirmam que todo homem tem seu preço, e alguns são bem baratinhos, mesmo);  enfim, o ser humano está totalmente corruptível a esse deus chamado Mamon - dinheiro.

Também penso no valor da virgindade da Noiva. A Igreja de Cristo (Efésios 5:25-27,32). Os ensinos do Mestre. Ela, em si mesma, não negocia sua “virgindade”,  seus valores. Mas há no meio dela, infelizmente, alguns líderes cafetões que vendem a sua “virgindade”, isto é a sua PUREZA, por menos do que as trinta moedas de prata que o primeiro vendedor arrecadou: Judas (Zacarias 11:12-13; Mateus 26:14-15)

É, amados. Vivemos numa época de vários Judas.
- Há Judas vendendo a “igreja” (com “i” minúsculo, mesmo), para seu próprio enriquecimento; Se esquecem de que os primeiros pastores não deveriam levar nem bolsa, nem alforje(Lucas 10:4) – ou seja: serem totalmente dependentes de Jesus.
- Há Judas vendendo as ovelhas que Jesus os designou para pastorear ( e que eles pensam que são suas, mas nunca o serão!) por causa de uma ninharia de políticos claramente defensores de posturas que atentam contra a vida, a dignidade humana, e a família. Fazem que não vêem, em  troca de fama e dinheiro.
- Há Judas vendendo “a sua primogenitura por um prato de lentilhas”. Sim! Eles pensam que a oração é menos poderosa do que a política suja! Não crêem mais no chamado profético da igreja. Não crêem mais no poder da oração. Crêem mais no conchavo político do que na intimidade com Deus.
- Há Judas vendendo a inocência, a “virgindade” de seus irmãos. De vez em quando eu percebo que algumas pessoas tão inocentes(no melhor sentido da palavra) são seduzidas(no pior sentido da palavra) e se contaminam com fofocas, inveja, competição, e até mesmo heresias com cara de doutrina santa.
- Agora, em época de eleições, há muitos Judas, vendendo sua moral, vendendo a moral cristã que deveriam defender e a moral dos seus fiéis (ou seria fãs? Ou seria adeptos?) fazendo-os não enxergar que determinados candidatos acendem uma vela para deus(assim mesmo, em minúsculo, porque o deus deles é falso, tal qual eles são) e outra para o diabo. E vários diabos.

Qual é o preço disso tudo, na eternidade?

Pois é... as trinta moedas de Judas tiveram consequências históricas, culturais e principalmente eternas.
Toda corrupção moral tem consequências eternas, se não se produzirem frutos dignos de arrependimento.

A moça ganhará muito dinheiro com a “venda do hímen”; os homens e mulheres que vendem seu corpo por uma cerveja, terão uma noite de “prazer”; os cafetões da fé, que insistem em vender a “virgindade da Noiva” – algo que eles não tem acesso, não conseguirão, porque a Noiva continuará sendo sempre pura, mesmo com impuros pensando que estão inseridos nEla – talvez alcancem notoriedade acadêmica, com seus pensamentos Liberais, ou consigam construir grandes templos, chamados de Cenáculo, Templo de Salomão, Cidades Mundiais, Catedrais disso e daquilo, visando a atender a seu ego, impressionar incautos e causar raiva e inveja nos seus “concorrentes” da mesma forma, cafetões; os vendedores modernos das indulgências; os corruptores daqueles que querem manter sua inocência para servir ao Mestre ganharão “discípulos cegos”, de si mesmo, e não de Cristo.

Como vimos, o prêmio é múltiplo. Varia de acordo com o gosto – ou caráter – do freguês.
Porém, Deus também tem uma recompensa para eles: o lago de fogo e enxofre.
Há um texto impactante, e que me faz tremer(não porque eu esteja em pecado, mas para que tenha zelo pela santidade que o meu Senhor requer) e me faz tremer diante de tanta prostituição – moral e espiritual – ao meu redor.

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.” Mateus 7:21-23

Pretendia terminar com o texto, mas uma palavra me saltou aos olhos. Jesus diz: “E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci” É realmente interessante ver como Jesus não tem meias palavras. Mas hoje, mesmo que você tente, por amor e com todo o cuidado, exortar uma pessoa, você corre o risco de ser apedrejado verbalmente, senão, fisicamente mesmo.

Em Cristo, que nos ama; mas não tem “papas na língua”.
visite nosso site: www.ccnovavida.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...