Pular para o conteúdo principal

Dilma rechaça comparação de embaixada brasileira com DOI-Codi

 Presidente rebateu afirmação de diplomata responsável por transferência de senador boliviano, que criticou condições em embaixada

Um dia após a queda do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, provocado pelo desgaste da transferência do senador boliviano Roger Pinto da embaixada brasileira em La Paz para o Brasil, a presidente Dilma Rousseff deixou claro que o que a irritou foi o fato de a vida de um asilado político ter sido colocada em risco. Dilma rechaçou a comparação feita pelo encarregado de negócios da embaixada de La Paz, na Bolívia, Eduardo Saboia, de que se sentia como se estivesse no DOI-Codi, no período em que deu abrigo ao senador boliviano - argumento que o teria motivado a colocar o plano de transferência em prática.

"Eu estive no DOI-Codi. Eu sei o que é o DOI-Codi. E asseguro a vocês: é tão distante o DOI-Codi da embaixada brasileira lá em La Paz como é distante o céu do inferno. Literalmente isso", afirmou, a presidente, que foi presa política por três anos no início dos anos 1970.
"A embaixada do Brasil é extremamente confortável. Nós negociamos em vários momentos o salvo-conduto e não conseguimos. Lamento profundamente que um asilado brasileiro tenha sidosubmetido à insegurança a que ele foi", disse, em outro momento.

Líder do partido de oposição Convergência Nacional, Molina é denunciado em pelo menos 20 processos por desacato, venda de bens do Estado e corrupção. Há 15 meses, ele refugiou-se na embaixada brasileira em La Paz, alegando ser perseguido político, depois de fazer denúncias de corrupção contra o governo Evo Morales. O governo brasileiro lhe concedeu asilo político em maio de 2012, mas, para sair do país, o senador precisaria de um salvo-conduto (autorização) - que o governo boliviano negou. Neste final de semana, ele saiu de seu país com a ajuda de Saboia.

A falta desse salvo-conduto irritou a presidente, porque, para ela, isso representou risco a vida do diplomata e do senador. "O Brasil não poderia colocar em risco a vida de uma pessoa que estava sob a sua guarda", afirmou Dilma. "Um Estado democrático e civilizado, a primeira coisa que faz é proteger a vida sem qualquer outra consideração. Protegemos a vida e a segurança e garantimos conforto ao asilado", criticou. "Se nada aconteceu, não é a questão. Poderia ter acontecido."

A presidente afirmou também que o ministro da Defesa, Celso Amorim, ainda vai prestar esclarecimentos públicos nesta terça-feira sobre a participação de dois fuzileiros navais na escolta de Roger Pinto na viagem dentro do território boliviano. Pinto viajou 22 horas entre La Paz e Corumbá, no Mato Grosso do Sul, em um automóvel da embaixada brasileira, escoltado por fuzileiros navais do Brasil. Mas como o Saboia era a autoridade máxima na embaixada da Bolívia, ele poderia dar ordens aos militares alocados na representação diplomática.

Crise diplomática provocada por fuga de senador boliviano causou a demissão do ministro das Relações Exteriores (Itamaraty), Antonio Patriota (esq.), substituído por Luiz Alberto Figueiredo Machado (dir.) Foto: Terra
Crise diplomática provocada por fuga de senador boliviano causou a demissão do ministro das Relações Exteriores (Itamaraty), Antonio Patriota (esq.), substituído por Luiz Alberto Figueiredo Machado (dir.)
Foto: Terra



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade