Pular para o conteúdo principal

Ariquemes - Dirigente de Igreja Evangélica é morto no pátio da Igreja no Setor Multirão. Cooperador da CCB morre assassinado ao chegar na igreja

Cooperador da CCB morre assassinado ao chegar na igreja -

Por volta das 19hs de domingo (15) José Antônio dos Santos, 59 anos chegou em seu veículo Voyage de cor preto em uma Igreja Evangélica localizada na Rua Floriano Peixoto, Setor Multirão e estacionou o veículo no pátio da igreja, próximo a entrada principal, momento em que dois indivíduos em uma motocicleta Titan de cor vermelha, ambos de capacetes, adentraram no pátio da igreja, o garupa desceu da moto e anunciou um assalto e começou a atirar contra José Antônio.

A esposa de José Antônio tentou impedir que seu esposo fosse morto, porém foi empurrada pelo atirador que disse: “Sai de perto se você não quiser morrer”. Após efetuar os disparos o atirador montou na garupa da motocicleta e evadiram-se do local deixando José Antônio caído ao solo.

A Polícia Militar foi acionada e ao chegar no local isolou o local do crime e acionou a equipe do SAMU que rapidamente chegou ao local, porém não havia mais nada a fazer pois José Antônio já não apresentava mais sinais vitais.

A perícia técnica da polícia civil foi acionada e compareceu ao local onde realizou os trabalhos de praxe onde constatou cinco perfurações no corpo da vítima, sendo 5 no tórax e 1 na região ocular direita e localizaram 06 capsulas de munições 9mm no local do crime. 

O Delegado de Polícia Civil Ricardo Rodrigues juntamente com a equipe da Homicídios esteve no local onde já iniciaram os trabalhos de investigação.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Descontrolada, Gleisi diz que o juiz Sérgio Moro é 'safado e sem-vergonha'; assista

A senadora Gleisi Hoffmann subiu à tribuna do Senado para defender a tentativa de tirar o ex-presidente Lula da cadeia com um habeas corpus ilegal concedido por um desembargador militante no plantão, contrariando o próprio Tribunal, as cortes superiores, e o CNJ. Descontrolada, Gleisi concentrou seus ataques no juiz Sérgio Moro, que ela chamou de "safado e sem-vergonha". Gleisi ainda garantiu que "O Brasil vai pagar muito caro, a democracia brasileira vai pagar muito caro. E eu tenho certeza de que vamos criar situações muito graves no Brasil ainda de instabilidade, a que nós não vamos conseguir dar direção e saída".



Assista: 

Leia também:

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…