Pular para o conteúdo principal

Eduardo Gaievski, pedófilo que assessorava Gleisi Hoffmann na Casa Civil, ameaça contar o que sabe

Barril de pólvora – Eduardo Gaievski, ex-assessor da ministra Gleisi Hoffmann na Casa Civil e preso por estupro de vulnerável, está furioso e disposto a dar o troco. Preso em Foz do Iguaçu e levado para Curitiba, o pedófilo sente-se abandonado e traído pela ministra e pelo PT. Queixa-se que, desde o primeiro momento, o partido e os companheiros o atiraram às feras, sem que dissesse alguma uma palavra a seu favor ou tivesse colocado em dúvida as acusações. O PT não providenciou advogados para defendê-lo, da mesma não usou influência para ajudá-lo e sequer deu meios para que concluísse seu plano de fuga. Encarcerado há duas semanas, Gaievski alterna momentos de depressão e fúria. “Estou sendo tratado como um leproso e vou chutar o balde”, teria avisado.
A lista de ressentimentos de Eduardo Gaievski é grande, mas ele vem se concentrando em alguns nomes. Nutre enorme revolta em relação à ministra Gleisi Hoffmann, que se dizia sua grande amiga e foi buscá-lo em Realeza, no interior do Paraná, para que coordenasse sua campanha ao governo do Estado a partir de um posto-chave na Casa Civil. Contundo, a ministra agora finge que mal o conhecia, emitindo nota oficial sobre o ex-assessor em que destacou sua preocupação em manter distância segura do escândalo. “Gaievski foi contratado para acompanhar programas do governo federal desenvolvidos em parceria com a prefeitura e a decisão de admiti-lo considerou a gestão dele em Realeza”, afirma a nota assinada por Gleisi.
Gaievski está furioso com o marido de Gleisi, o ministro Paulo Bernardo da Silva (Comunicações), que o recrutou para o PT. Foi Paulo Bernardo também quem o convocou para disputar a prefeitura de Realeza em 2004. Já prefeito da cidade, Eduardo Gaievski entregou o título de cidadão honorário ao ministro, em 2007. Mas o titular das Comunicações agora não o conhece mais.
O pedófilo também não perdoa o presidente do PT do Paraná, deputado Enio Verri, que, segundo diz, vivia a bajulá-lo, tentando conseguir benesses para sua base política. Quando teve a prisão decretada, Verri determinou a suspensão sumária de sua filiação ao PT, passando desta forma uma espécie de atestado de culpa. A frase de Verri “o caso Gaievski não vai manchar a candidatura de Gleisi” enfureceu ainda mais o ex-assessor.
Quem também ocupa um lugar de destaque na lista negra de Eduardo Gaievski é a deputada estadual Luciana Rafagnin, do PT paranaense. Luciana havia proposto uma dobradinha com Gaievski em 2014. Ela disputaria uma vaga para deputada federal e ele para estadual. Quando o caso explodiu, Luciana não disse uma só palavra em sua defesa.
Aos poucos que o visitam, Gaievski tem dito que está cada vez mais revoltado e, por saber demais, disposto a abrir sua caixa de ferramentas. Prefeito de Realeza por duas vezes (2005-2012), o ex-assessor da Casa Civil conhece a fundo como funciona o esquema do PT com as prefeituras do partido. Fora isso, tem detalhes explosivos do modus operandi do PT no tocante às campanhas que interessam ao Palácio do Planalto. “Se eu começar a falar todos vão se lembrar que me conhecem”, acredita Eduardo Gaievski.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade