Pular para o conteúdo principal

Apoie Rachel Sheherazade contra a ditadura do discurso único!




A jornalista Rachel Sheherazade, apresentadora do telejornal SBT Brasil, está sendo perseguida por seus comentários durante o programa que apresenta. A jovem apresentadora ficou famosa por apresentar posicionamentos em rede nacional diferentes dos que estamos acostumados a ouvir: várias vezes criticou duramente o governo Dilma, o PT, posicionou-se contra o aborto e até mesmo exaltou a vinda do Papa Francisco ao Brasil, durante a Jornada Mundial da Juventude.
Agora, a intolerância dos “tolerantes” mostra mais uma vez suas armas: a jornalista está sendo alvo de duras críticas, e foi inclusive mencionada pelo ex-presidente Lula num almoço com a bancada do PTB. Lula disse que as opiniões da jovem jornalista “não tinham embasamento algum”, num claro descontentamento com as opiniões da jornalista. Além disso, diversas campanhas virtuais têm sido dirigidas contra a apresentadora, simplesmente porque ela discorda da opinião dominante vigente.
Mais uma vez, aqueles que se dizem tolerantes na verdade só toleram as opiniões que estão de acordo com o discurso único que cada vez mais toma conta dos meios de comunicação em nosso país. E como se não bastasse, discordâncias mínimas são suficientes para gerar uma onda de auto-vitimização que, na verdade, tem como fundamento o desejo de estabelecer um discurso único, sem nenhuma brecha para divergência de opiniões
Por isso, peça ao SBT que não só mantenha a apresentadora no ar, mas que, se possível, amplie o tempo para seus comentários, que ajudam os brasileiros a perceberem os graves problemas existentes em nosso país, muitos deles causados diretamente pelos quase 12 anos de governo do PT.
Deve haver em nosso país um ambiente em que, na imprensa, na academia ou em qualquer outro contexto, os profissionais das diversas áreas possam manter debates honestos, nos quais cada lado possa sustentar seus princípios e opiniões sem medo de ser patrulhado. A presença de Rachel Sheherazade no SBT Brasil, ainda que alguém não concorde com todos os seus posicionamentos, contribui para a manutenção da ordem democrática em nosso país, a qual, infelizmente, tem sofrido ataques cada vez mais graves pela esquerda autoritária no poder.

Comentários

Pb Fernando disse…
Esse governo do desgoverno, ou seja, o PT quer calar essa brilhante jornalista devido a mesma ser uma das vozes que de maneira corajosa e consciente tem denunciado sua maneira irresponsável de governar o Brasil. Que cada cidadão brasileiro seja consciente e defenda não só a Rachel, mas nossa democracia.

Postagens mais visitadas deste blog

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Descontrolada, Gleisi diz que o juiz Sérgio Moro é 'safado e sem-vergonha'; assista

A senadora Gleisi Hoffmann subiu à tribuna do Senado para defender a tentativa de tirar o ex-presidente Lula da cadeia com um habeas corpus ilegal concedido por um desembargador militante no plantão, contrariando o próprio Tribunal, as cortes superiores, e o CNJ. Descontrolada, Gleisi concentrou seus ataques no juiz Sérgio Moro, que ela chamou de "safado e sem-vergonha". Gleisi ainda garantiu que "O Brasil vai pagar muito caro, a democracia brasileira vai pagar muito caro. E eu tenho certeza de que vamos criar situações muito graves no Brasil ainda de instabilidade, a que nós não vamos conseguir dar direção e saída".



Assista: 

Leia também: