Pular para o conteúdo principal

“Acredito na força da verdade, ela me conduz e me justifica”, diz Rachel Sheherazade

Rachel anuncia canal oficial no Youtube
Rachel anuncia canal oficial no Youtube
Ferramenta diária de lazer e trabalho para milhões de brasileiros, a internet possui um papel ainda mais especial na vida da jornalista Rachel Sheherazade, âncora do “SBT Brasil”.
‘Descoberta’ graças à repercussão de um de seus comentários sobre o Carnaval quando ainda apresentava um telejornal regional na Paraíba, Rachel exalta a importância da rede. “Foi graças a essa mega repercussão que o Silvio Santos me conheceu e viu em mim potencial para comandar o ‘SBT Brasil’. Foi graças ao poder da internet que acabei saindo de uma televisão regional para uma emissora em rede nacional”.
Engana-se, porém, quem pensa que a jornalista abandonou o YouTube e as demais redes sociais após sua ascensão profissional. “A internet é hoje a mais moderna e completa ferramenta de comunicação. Por isso é de grande importância que o profissional de jornalismo conheça esse instrumento e saiba manuseá-lo bem. Acredito que é indispensável ao comunicador formador de opinião estar em sintonia e contato com o telespectador também através da rede”, exalta Sheherazade, que costuma dialogar e debater com internautas no Twitter e também mantém uma página oficial no Facebook.
Questionada acerca de seu relacionamento diário com a tecnologia, Rachel destaca que a internet tem beneficiado seu relacionamento com os telespectadores. “Na TV, a informação é de mão única. Na rede mundial, é possível ter um feedback instantâneo e direto do meu trabalho. Além disso, através da internet, meus comentários ganham uma repercussão ainda maior, pois são compartilhados e comentados no Brasil e no mundo”.
Nem tudo, porém, são flores no ‘jardim virtual’. Admirada por multidões, Rachel também conhece o outro lado da moeda e é alvo do ódio de grupos organizados que defendem causas como o aborto e a legalização da maconha, teses já rechaçadas por Rachel na bancada do telejornal. Cristã, a âncora também não é benquista entre grupos ateístas.
Suas constantes críticas aos escândalos protagonizados pelo PT também têm contribuído para torná-la uma das pessoas mais perseguidas nas redes sociais. “É lamentável que militantes financiados com dinheiro público usem a internet para difamar e tentar denegrir a reputação de jornalistas independentes que não se dobram ao poder político, como é o meu caso”, conta.
Ao ser perguntada, porém, se a atuação dos inimigos já a fez pensar em abandonar a internet, Rachel é enfática: “Essas pessoas não me intimidam. Como se escondem atrás de perfis falsos, esses militantes não têm credibilidade para sustentar o que dizem”.
Para celebrar todo o apoio recebido pelas redes sociais, Sheherazade está lançando um canal oficial no YouTube, onde ainda hoje vê seus vídeos alcançarem milhões de views. O projeto, ainda embrionário, visa estreitar os laços entre a jornalista e o público. ”Quero manter um canal de comunicação com meu público para que as pessoas possam assistir os comentários e dar sua opinião. Pretendo organizar os vídeos numa ordem cronológica e formar um acervo digital onde os internautas possam acessar todos os meus videos de forma rápida e prática”, conta Rachel, deixando seu mais novo endereço virtual – www.youtube.com/sheherazadeoficial – e dizendo que combater falsos perfis em outras redes também será uma de suas prioridades.
De férias, a jornalista ainda é o foco de representações e denúncias feitas por deputados da base governista, que a acusam de ter “incitado a violência” ao comentar a ação de um grupo de moradores que amarrou um assaltante a um poste no Rio de Janeiro. Destemida, Rachel diz não se abater com as críticas. “Jamais provaram qualquer acusação que me fizeram. Acredito na força da verdade, ela me conduz e me justifica. Não preciso me defender de nada”, finaliza.

Comentários

Peu Rocha disse…
Boa noite
Hj tirando um tempo pra da uma olhada em todos os blog q sigo, e o seu não poderia deixar de da uma olhada e dizer q esta dez.
A verdade cura, e liberta!!
Espero vc tambem no meu cantinho.
Um grade abraço!!

Postagens mais visitadas deste blog

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Descontrolada, Gleisi diz que o juiz Sérgio Moro é 'safado e sem-vergonha'; assista

A senadora Gleisi Hoffmann subiu à tribuna do Senado para defender a tentativa de tirar o ex-presidente Lula da cadeia com um habeas corpus ilegal concedido por um desembargador militante no plantão, contrariando o próprio Tribunal, as cortes superiores, e o CNJ. Descontrolada, Gleisi concentrou seus ataques no juiz Sérgio Moro, que ela chamou de "safado e sem-vergonha". Gleisi ainda garantiu que "O Brasil vai pagar muito caro, a democracia brasileira vai pagar muito caro. E eu tenho certeza de que vamos criar situações muito graves no Brasil ainda de instabilidade, a que nós não vamos conseguir dar direção e saída".



Assista: 

Leia também:

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…