Pular para o conteúdo principal

Pastor que revelou “não existe inferno” será tema de filme - Críticos preveem polêmica nas telas em 2015




Em um ano no qual filmes com temática cristã alcançaram os primeiros lugares da bilheteria, a notícia que “Come Sunday” [Próximo Domingo], que mostra a trajetória de um pastor não geraria suspeitas. O problema é que a produção, que deve estrear somente no final de 2015, não faz uma abordagem positiva da fé cristã.
Na verdade, conta a história verdadeira de Carlton Pearson, ex-pastor da igreja independente Higher Dimensions Evangelistic Center, que nos anos 1990 chegou a reunir mais de 6 mil pessoas a cada domingo em Tulsa, capital do Oklahoma.
Após uma “crise de fé”, no início dos anos 2000, onde questionou os motivos de tanto sofrimento no mundo, Pearson passou a anunciar que havia recebido a revelação de que “não existe inferno” e que Deus não condenaria nenhuma pessoa que não fosse cristã nascida de novo.
Durante alguns anos anunciou essa mensagem, formulando uma doutrina que foi chamada de “Evangelho da Inclusão”, que mais tarde ele esmiuçou no livro The Gospel of Inclusion: Reaching Beyond Religious Fundamentalism to the True Love of God.
Em pouco tempo, o pastor Pearson, que chegou a ser bispo da Higher Dimension, viu seu rebanho diminuir para menos de mil pessoas. Seu programa de TV foi cancelado e em 2004 ele acabou sendo publicamente classificado como “herege” pela Associação dos Pastores Pentecostais Negros dos EUA. Foi então que ele passou a perder a confiança de amigos e da própria família.
O bispo continuou defendendo sua revelação, tentando distanciá-la da doutrina teológica do universalismo, ensinada por outras igrejas.
Em 2008, a Higher Dimension acabou fechando. Os membros remanescentes passaram a fazer parte da Igreja Unitarista All Souls, de Tulsa. O bispo Pearson enveredou pela carreira política, sendo candidato a prefeito, mas sem sucesso.
Sua história foi tema de um filme feito para a TV americana em 2005. O diretor Jonathan Demme, mais conhecido por “O Silêncio dos Inocentes”, decidiu filmar a história mas teve dificuldades em convencer os estúdios.
Este mês, ele anunciou que retomou o projeto e já confirmou Jeffrey Wright no papel de Carlton Pearson, o conhecido ator Robert Redford, que está nos cinemas em “Capitão América 2: O Soldado Invernal”, o pastor Oral Roberts. Mentor e amigo próximo de Pearson, Roberts tentou fazer o ex-discípulo voltar atrás e foi um dos poucos que esteve ao lado do pastor quando ele passou a ser hostilizado por outros pastores.
A reação de vários analistas de cinema é que o filme será controverso, pois mostrará o questionamento de uma das doutrinas fundamentais do cristianismo desde sua fundação. Com informações Collider e Hollywood Reporter
Gospel Prime

Comentários

Nal Pontes disse…
OI Rô, gosto do seu cantinho, bem atualizado nas noticias. Bjsss

Postagens mais visitadas deste blog

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade