Pular para o conteúdo principal

Comemoração? Militantes do PT criticam Globo e xingam William Bonner

Palco para a comemoração da reeleição da presidente Dilma Rousseff, a Avenida Paulista, em São Paulo, recebeu na noite de domingo, 26, centenas de militantes. Vestidos de vermelho e com bandeiras, o grupo, que seguia na pista sentido Consolação, cantava músicas que criticavam a imprensa e faziam referência à crise de abastecimento de água na cidade.
-------globonewsRepórter da Globonews passou por situação delicada
(Imagem: Reprodução)
Nas ruas, era possível ouvir gritos de guerra contra a revista Veja e a Rede Globo que diziam "Nem Globo/ Nem a Veja/ É Dilma com certeza" e "A verdade é dura, a Globo apoiou a ditadura". Além disso, o âncora e editor-chefe do 'Jornal Nacional', William Bonner, foi alvo de xingamentos. A situação foi registrada pelas câmeras da Globonews durante a cobertura da festa.
No local para falar da comemoração, o repórter Gabriel Prado, da Globonews, passou por situação delicada. Ele foi chamado pelo apresentador Dony De Nuccio para fazer a passagem ao vivo e repassar as informações da comemoração. Atrás dele, um grupo gritava "Ei, Bonner, vai tomar no c*". Em menos de 30 segundos, Prado falou sobre o evento e devolveu a palavra a Dony.

 Durante o pronunciamento da petista reeleita também aconteceram manifestações contra a Globo. Dilma, que falou por mais de 25 minutos, precisou parar em alguns momentos por não ter voz para continuar. Em uma dessas pausas, foi possível ouvir os gritos de "O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo". As palavras da presidente depois da divulgação do resultado abordaram assuntos como reforma política, a condução da economia e a união da população para realizar as mudanças. "Terei o compromisso rigoroso com o combate à corrupção, propondo mudanças na legislação atual para acabar com a impunidade". Dilma finalizou seu discurso ao dizer que "não fugirá da luta".


Portal .com comunique

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade 

Filho de Lula mergulha na depressão: "Meu mundo caiu"

O jovem Luís Claudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, está vivendo em estado de profunda depressão. A informação extremamente abalizada e fidedigna é da respeitabilíssima coluna Radar, da Revista Veja. O quadro depressivo teria se agravado após a prisão do ex-presidente. Luleco, como é conhecido o rapaz, é réu na Operação Zelotes, juntamente com o pai. Os seus advogados já conseguiram adiar o seu interrogatório por quatro vezes. Fortes rumores indicam que Lula, de dentro da cadeia, tenta conseguir através do deputado petista e atual presidente do Corinthians, Andrés Sanches, um time na Europa para o garoto trabalhar. Há quem diga que o seu estado tem se agravado bastante em função do temor de ser preso. Lula quer afastá-lo do Brasil.

Jornal da Cidade