Pular para o conteúdo principal

Evo Morales, reeleito na Bolívia com ajuda da Petrobras e do governo do PT, agradece a Chávez e Fidel

Você está aqui: Capa / Política / Evo Morales, reeleito na Bolívia com ajuda da Petrobras e do governo do PT, agradece a Chávez e Fidel
Evo Morales, reeleito na Bolívia com ajuda da Petrobras e do governo do PT, agradece a Chávez e Fidel

O atual presidente da Bolívia, Evo Morales, conquistou nova vitória nas eleições presidenciais, e assumirá seu terceiro mandato consecutivo à frente do governo daquele país. Morales, de etnia indígena uru-aimará, recebeu 60% dos votos contra 25% do segundo colocado, o empresário Samuel Doria Medina, o mais votado entre os quatro adversários na eleição de domingo, de acordo com uma contagem rápida de estações de voto pela empresa de pesquisas Ipsos para rede de TV ATB. Em seu discurso de vitória, na varanda do palácio presidencial em La Paz, Morales dedicou a conquista ao cubano Fidel Castro e ao ex-presidente venezuelano Hugo Chávez. “É um triunfo dos anti-colonialistas e anti-imperialistas”, disse Morales. “Nós vamos continuar crescendo e vamos continuar o processo de libertação econômica”.
No seu discurso, Evo Morales não citou a ajuda recebida do governo brasileiro, sem a qual seu país viveria situação de penúria maior do que a que vive atualmente o povo boliviano. Apesar de a economia boliviana crescer a um ritmo de 5% ao ano, o país ainda é o mais pobre da América do Sul. Quase um em cada quatro bolivianos vivem com 2 dólares por dia, ou aproximadamente cinco reais, segundo o Banco Mundial. Não se sabe, por exemplo, se os programas sociais de Evo estão sendo abastecidos com os US$ 434 milhões pagos pela Petrobras ao país, em nome de indenização por uso do gás boliviano. De acordo com editorial do “Estadão”, o governo do PT cedeu às pressões de Evo Morales para o pagamento da indenização, com efeito retroativo, considerada “esdrúxula” por especialistas do setor energético.
“É nefasta a submissão do governo brasileiro às pressões da Bolívia. Pode-se compreender a tentativa de assegurar o fornecimento de gás para evitar o racionamento, mas não por meio de uma negociação nebulosa. Contratos bilaterais devem atender aos interesses das partes e basear-se em critérios técnicos. Reivindicar pagamento retroativo assemelha-se mais a uma extorsão. Em 2006, o Brasil aceitou um valor simbólico na expropriação de ativos da Petrobras pelo governo Morales, invocando razões diplomáticas. Hoje, não há diplomacia que justifique o saque no caixa da Petrobras”, diz o “Estadão” em seu editorial.
Recentemente, o governo Dilma editou medida provisória em que liberava R$ 60 milhões para contratar, sem licitação, uma estatal para prestar serviços de recuperação e transporte de equipamentos de geração de energia elétrica. Os equipamentos serão cedidos à Bolívia, em um programa de cooperação energética entre os dois países. O Palácio do Planalto alega que o governo de Evo Morales pediu ajuda ao Brasil para enfrentar o déficit energético do País, que enfrenta racionamento de eletricidade. A medida provisória não foi aprovada, mas o dinheiro foi liberado para atender a Bolívia.

Fonte

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade 

Filho de Lula mergulha na depressão: "Meu mundo caiu"

O jovem Luís Claudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, está vivendo em estado de profunda depressão. A informação extremamente abalizada e fidedigna é da respeitabilíssima coluna Radar, da Revista Veja. O quadro depressivo teria se agravado após a prisão do ex-presidente. Luleco, como é conhecido o rapaz, é réu na Operação Zelotes, juntamente com o pai. Os seus advogados já conseguiram adiar o seu interrogatório por quatro vezes. Fortes rumores indicam que Lula, de dentro da cadeia, tenta conseguir através do deputado petista e atual presidente do Corinthians, Andrés Sanches, um time na Europa para o garoto trabalhar. Há quem diga que o seu estado tem se agravado bastante em função do temor de ser preso. Lula quer afastá-lo do Brasil.

Jornal da Cidade