Pular para o conteúdo principal

Ex diretor diz que PMDB o manteve no cargo para "dividir" diretoria de Abastecimento.





Ex diretor da Petrobras Paulo roberto Costa um dos personagens da operação Lava jato, quase morreu após uma viagem á Índia.
Com malária e pneumonia, a chance de viver , segundo médicos, era de 5%. sua sobrevivencia teve um preço para o PP, partido que colocou no cargo: dividir o setor com o PMDB.


Entubado , Carlos Roberto costa ficou 15 dias na CTI de um hospital no Rio.

Passou 2 meses afastado do cargo na diretoria de Abastecimento se tratando. O relato foi gravado em vídeo pela força-tarefa da Operação lava  jato. Veja o video.


 




Fiquei lá, no morre ou não morre. (três gerentes) fizeram "N" contatos políticos, porque tinham grande ideia que eu não ia voltar" Contou. " Nesse meio tempo, o PMDB do Senado resolveu me apoiar. Tem PMDB do Senado e tem PMDB da Câmara. Não são o mesmo PMDB."

A doença havia enfraquecido a força política de Costa na diretoria de abastecimento. A força-tarefa da lava jato, ele contou que após se recuperar foi procurado pelo deputado Federal Aníbal Gomes (PMDB-CE), enviado pelo senador Renan Calheiros (PMDB-AL)

"O contato do Senador Renan Calheiros que esteve comigo na Petrobras aqui no Rio de Janeiro ee steve comigo na Petrobrás em Brasília  foi o deputado Aníbal Gomes. Ele pediu uma audiência , disse. Os contatos que eu tive com os senadores do PMDB foi a mais com o Renan Calheiros e com o Romero Jucá."



A sustentação política de Costa na diretoria de Abastecimento foi mantida pelo PMDB. segundo ele, houve reuniões e jantares no 2º trimestre de 2007 na casa de Renan  em Brasilia para tratar primeiramente da manutenção de Costa no setor e, depois , para falar de obras da estatal petrolífera.

"sabemos que tem um problema lá, que querem te tirar, a gente acha que você deve continuar. Já conversamos com o PP a respeito disso", teriam dito representantes do PMDB para Costa. " Se eles me tirassem naquele momento, ia assumir outro (do) PT. Era PT na gás e Energia, PT na exploração e Produção, PT na área de Serviços, PT na área de abastecimento, ia ser PT de ponta  a ponta. Obviamente que o PMDB também não queria isso"

A contrapartida que o PP daria ao PMDB, após consolidar Costa no cargo, era a divisão da diretoria de Abastecimento. O PP, com o PT e PMDB, são suspeitos de lotear diretorias da Petrobrás para arrecadar entre 1% e 3% de propina em grandes contatos, mediante a fraudes em licitações e conluio de agentes públicos com empreiteiras organizadas em cartel.

" Ajudar o que fosse possível o partido, igual ao PP. Mesma coisa", teriam dito representantes do PMDB, segundo Costa.

O Ex diretor é o primeiro delator do esquema de corrupção e propina instalado na estatal petrolífera e desbaratado pela força-tarefa da lava jato. Ele foi preso duas vezes, entre Março e agosto de 1014 e, desde o fim do ano passado, cumpre prisão domiciliar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Advogado desiste de defender Lula

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e um dos principais advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Sepúlveda Pertence enviou uma carta ao petista, na sexta-feira passada, em que comunicou sua intenção de deixar a banca de defesa “com pesar”. Segundo dirigentes do PT, Pertence deixou claro que as divergências com outros advogados da causa motivaram a decisão. O manuscrito foi levado a Lula, preso em Curitiba desde 7 de abril, pelo filho de Pertence, Evandro.
Na quarta-feira, o advogado Sigmaringa Seixas se encontrou com Lula em Curitiba para falar que Pertence queria deixar a sua defesa. O ex-presidente foi reticente e disse que não aceitaria que o ex-ministro, seu amigo há 40 anos, saísse da causa.
Na sexta-feira, ao receber a carta de Evandro, Lula repetiu que era contra a renúncia de Pertence e não quis ler o documento, que ficou com ele. O petista e seu advogado devem conversar pessoalmente nos próximos dias para definirem se o medalhão permanecerá ou não na banc…

Com o bolso cheio e a moral esfacelada, Sepúlveda deixa a defesa de Lula

Lula não aceita e chamou Sepúlveda para conversar em Curitiba.
É oficial. O ex-ministro Sepúlveda Pertence não faz mais parte da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em carta, ele anunciou ‘com pesar’ sua intenção de deixar a banca de defesa. A missiva de Sepúlveda foi entregue ao presidiário por seu filho Evandro Pertence. O ex-ministro encerra assim um dos episódios mais tristes e vergonhosos de sua carreira. Sepúlveda enumera diversos episódios que teriam sido preponderantes para a sua decisão, mas o fato marcante foi sem dúvida a verdadeira humilhação a que foi submetido pelo advogado Cristiano Zanin. Segundo o jornal O Globo, Lula disse que não aceita a renúncia. Sepúlveda terá que comparecer a Curitiba para conversar com o petista. O encontro dever ocorrer no decorrer desta semana. Jornal da Cidade