Pular para o conteúdo principal

Após anúncio de que o povo vai ocupar Brasília, militância Dilmista acampa na frente do Congresso



E o pão com mortadela correu solto na frente do congresso até agora pouco.
O que vai acontecer quando o povo brasileiro, verde e amarelo for
 acampar na frente do congresso e ocupar Brasília? Lá estará certamente,
além dos militantes governistas, Lulo/Dilmistas, a Força Nacional Bolivariana
 Brasileira e demais cupinchas para descer a lenha em quem paga seus
 impostos e só quer um país melhor? Todos esperam que não e que tanto
 o Congresso quanto as Forças Armadas estejam ligados no que vai começar
 a acontecer após o dia 21/04 em todo o Brasil. 

Ainda, um dado curioso sobre os 'manifestantes' Dilmistas que acampam 
na frente do Congresso, segundo Eduardo Cunha (PMDB), presidente da
 Câmara, a maioria é recrutado pelo PT e PCdoB nos arredores de Brasília 
ao custo de R$ 45 Reais por dia. 
Não se esqueçam que MST, FNL, CUT e outros levam juntos as bandeirolas
 da "Reforma Política" do PT e que mantém o sistema podre, e 
a do tal "Plebiscito da Constituinte" 
SEM UMA PRESSÃO MAIOR, NADA MUDA
A maioria dos manifestantes são claros em seus comentários nas redes
 sociais: sem suor, sangue e lágrimas, algumas prisões, nada muda. 
Diz a maioria. A pressão a ser exercida pelo povo verde e amarelo 
após o dia 21/04 em todo o Brasil se acumulando gradativamente e se 
concentrando em Brasília, com movimentos paralelos por quase todas as 
cidades só terá um fim: ou muda ou vai ter guerra civil. Dizem vários 
dos internautas que participam dos manifestos. A própria militância petista
 está rachada e não acredita mais nas promessas do governo, exceto por 
meia dúzia de diretores sindicais, do MST, CUT, UNE FNL (Como nas fotos)
 e outros.
ACAMPAMENTO DOS MILITANTES GOVERNISTAS -
 (MANDARAM O FNL, 'TERCEIRIZADO DO MST, PARA FAZER FRENTE EM DF?)
***Integrantes da Frente Nacional de Luta (FNL), do Tal Zé Rainha e 'lideranças' indígenas estão acampados no gramado do Congresso Nacional, na área central de Brasília, desde terça-feira (14) em protesto por reforma agrária e demarcação de terras indígenas e quilombolas.
De acordo com a Polícia Militar, havia quase 2 mil militantes no local.
JOSÉ RAINHA, O FANFARRÃO
***Coordenador do movimento, José Rainha falou que o grupo pretende permanecer "hospedado" no local nos próximos dias.
"Vamos acampar no gramado enquanto conversamos com o governo federal.
Vamos nos reunir com os ministérios do Desenvolvimento Agrário, da Ciência
 e Tecnologia e da Educação." Apesar das pautas, o grupo afirmou 
que não tem reuniões marcadas com as pastas.***(G1)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Descontrolada, Gleisi diz que o juiz Sérgio Moro é 'safado e sem-vergonha'; assista

A senadora Gleisi Hoffmann subiu à tribuna do Senado para defender a tentativa de tirar o ex-presidente Lula da cadeia com um habeas corpus ilegal concedido por um desembargador militante no plantão, contrariando o próprio Tribunal, as cortes superiores, e o CNJ. Descontrolada, Gleisi concentrou seus ataques no juiz Sérgio Moro, que ela chamou de "safado e sem-vergonha". Gleisi ainda garantiu que "O Brasil vai pagar muito caro, a democracia brasileira vai pagar muito caro. E eu tenho certeza de que vamos criar situações muito graves no Brasil ainda de instabilidade, a que nós não vamos conseguir dar direção e saída".



Assista: 

Leia também: