Pular para o conteúdo principal

FHC é humilhado em horário nobre na BBC de Londres



No programa de maior audiência da BBC transmitido por mais de 144 países, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi humilhado em entrevista durante o horário nobre

Por redação
No maior canal de televisão da Inglaterra e do Mundo, a BBC de Londres, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi humilhado em horário nobre do Canal.
Para vergonha maior, o programa ainda é transmitido por mais de 144 países pela BBC World e a BBC News Chanel.
O tucano foi entrevistado por Stephen Sackur no programa BBC Hard Talk, o programa de maior audiência da emissora.
O fato gerou grande repercussão pela Inglaterra, no qual cidadãos destacam como "massacre televisionado", mas garantem que o programa é poucos que saem fortalecidos.
O ex-presidente Lula também foi entrevistado pelo programa e foi fortemente elogiado pelo apresentador.
Vale lembrar que a BBC é inimiga número 1 da Rede Globo na qual é um convênio de manipulação. 
Na entrevista FHC queria falar sobre corrupção, mas teve que escutar poucas e boas do apresentador e ainda concordar. O apresentador diz que FHC foi frustante no comando do país e que mesmo tendo dois mandatos como presidente ele não foi capaz de mudar nem uma parcela do país. Logo em seguida, o apresentador deixa claro que mesmo FHC querendo falar sobre a educação e se gabar por isso, ele não foi tão bom assim nessa área e diz que após o mandato dele o ensino nas escolas é um desastre.  
Na área econômica em que o ex-presidente diz ter revolucionado o apresentador diz que a unica economia que ele mudou foi a de auxiliar os mais ricos, pois a pobreza não foi extinta como deveria ter sido feito. Fernando Henrique rebate dizendo que na época (2003) teria começado a extinção da pobreza graças ao seu governo, porém Stephen diz que esse feito é do governo Lula bem depois dele ter deixado a presidência e elogia o Bolsa Família. 
Stephen também critica as privatizações ilimitadas aplicadas por FHC e as caracteriza como "inadmissíveis" 
Finalizando, o apresentador fala sobre a corrupção no seu governo iniciando pelo engavetador geral da república que recebeu mais de 600 processos e arquivou a maioria, cerca de 99%. "O senhor quer me falar que nunca houve nada de errado no seu governo? Ele simplesmente sentou nos processos, um barbárie", FHC se defende dizendo que ele era independente em suas decisões, mas o apresentador deixa claro aos telespectadores que quem o nomeou foi o presidente Fernando Henrique.
Para terminar a entrevista, FHC se vê sem saída e ainda mente dizendo que ninguém foi corrupto nem foi acusado durante seu governo.
Certamente essa foi uma batalha dura entre o tucano e o apresentador, mas que de certa forma envergonha o Brasil.





Portal Metropole

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Descontrolada, Gleisi diz que o juiz Sérgio Moro é 'safado e sem-vergonha'; assista

A senadora Gleisi Hoffmann subiu à tribuna do Senado para defender a tentativa de tirar o ex-presidente Lula da cadeia com um habeas corpus ilegal concedido por um desembargador militante no plantão, contrariando o próprio Tribunal, as cortes superiores, e o CNJ. Descontrolada, Gleisi concentrou seus ataques no juiz Sérgio Moro, que ela chamou de "safado e sem-vergonha". Gleisi ainda garantiu que "O Brasil vai pagar muito caro, a democracia brasileira vai pagar muito caro. E eu tenho certeza de que vamos criar situações muito graves no Brasil ainda de instabilidade, a que nós não vamos conseguir dar direção e saída".



Assista: 

Leia também: