Subscribe:

3 de junho de 2015

Grupo de pastoras lançam campanha para se referir a Deus como “Ela” em orações e pregações

Grupo de pastoras lançam campanha para se referir a Deus como “Ela” em orações e pregações
O feminismo, enfim, chegou à liturgia das igrejas. Um grupo de mulheres cristãs quer que os fiéis passem a se referir a Deus como “Ela”, para que a impressão de que o Criador não seja associado a um homem.
Chamado de “Watch”, mas conhecido pela alcunha “Mulheres e a Igreja”, o grupo argumenta que usar apenas o “Ele durante os cultos e orações leva as pessoas a acreditarem que Deus se parece com um homem. Para elas, isso configura um caso de sexismo.
A pastora anglicana Emma Percy, uma das líderes do movimento feminista cristão, disse ao tabloide Sunday Times que sua ideia é fazer com que as pessoas deixem de associar Deus a uma figura masculina.
“Quando usamos apenas o masculino para Deus reforçamos a ideia de que Deus é como um homem. Assim, sugerimos que Deus é mais semelhante aos homens do que às mulheres”, afirmou Percy, que é a capelã da Trinity College, uma universidade localizada em Oxford, Inglaterra.
Percy conta com o apoio de outra pastora, Kate Bottley, que afirma que já está retirando todas as referências a “Ele” e “d’Ele” durante a pregações, sempre que possível
No entanto, a tese do movimento “Mulheres e a Igreja” ignora as diversas passagens bíblicas que se referem a Deus como “Ele”, e as referências à trindade, que designam o “Pai”, o “Filho” (Jesus Cristo), e o “Espírito Santo”.
A iniciativa antissexista do grupo, embora aparentemente simpática, deverá atrair a fúria de teólogos e cristãos conservadores, preocupados com o nível de influência da cultura secular nas tradições e princípios cristãos.



Obs da Rô: pelo que sei Jesus disse : eu e o pai somos um, e não eu e a mãe somos um. Jesus disse quem vê a mim vê o pai. 
Sempre soube que o feminismo estava adentrando as igrejas com o título de pastora, aí esta. 


2 comentários:

Elton Sipião o Anjo das Letras disse...

Devo lembrar que foram homens que escreveram a Bíblia, aliás, homens que faziam parte de um povo que dava muito pouco valor a mulher. Aliás, se Jesus tivesse escolhido de se encarnar mulher que chances ele teria com o povo judeu da época? Um messias de saias? Com certeza ele(a) teria sido crucificado(a) bem antes do tempo previsto por Deus.

A Bíblia é um livro religioso totalmente patriarcal, então é "PAI" para todo o lado e que se dane a alma feminina.

Aliás, no antigo testamento tem pai oferecendo as filhas para proteger a vida de anjos, estes lógico, desceram a terra em forma de "HOMENS", afinal, onde já se viu um anjo que se preze tomar a forma de um "ser tão inferior", não é gente? Nossa quanta hipocrisia.

As Igrejas cristãs estão cheias dos mais puros machistas, e eu compreendo porque, eles são criados e depois bem mais tarde, se casam com mulheres cristãs que foram adestradas a terem uma alma que carrega em si, o mais puro teor do machismo patriarcal religioso.

Tem algo mais porco-chauvinista que alguns escritos bíblicos sobre a mulher? Tem, alguns escritos do alcorão, o que dá no mesmo, ambos são livros que procedem da árvore religiosa abraâmica. Não é a toa que no passado os judeus e hoje alguns muçulmanos apedrejam mulheres. Porque será mesmo? Ah, já sei, porque Deus não é mulher.

OBS deste filho da Grande Deusa-Mãe: Se tu não chegar a publicar este comentário eu vou entender. Acho que meti o dedo muito fundo na ferida.

Elton Sipião o Anjo das Letras disse...

Um movimento muito parecido está ocorrendo na Igreja da Inglaterra, onde a liturgia está sendo gradualmente mudada para se referir a Deus também como "Ela". Mulheres estão ascendendo dentro da hierarquia da Igreja da Inglaterra. O interessante nisto tudo é que tanto no mundo evangélico quanto no mundo católico-cristão-britânico, este mesmo fenômeno de movimento para se ver o lado feminino da divindade está sendo fomentado. Eis a matéria sobre isto:

http://rosaleonor.blogspot.com.br/2015/06/as-bispas.html

OBS: Quando falo de Igreja da Inglaterra, não falo da Igreja Católica Apostólica Romana, e sim da Igreja britânica que se separou da Igreja católica há séculos atrás por uma discordância entre o rei britânico e o Papa católico romano da época. A blogueira que escreveu a matéria erra ao citar a Igreja de Roma que jamais aceitará mulheres em seu clero.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...