Subscribe:

17 de julho de 2015

Mensagens de executivos da OAS mostrarm envolvimento com campanha de Dilma



Foi numa noite de tensão para os executivos da OAS. Enquanto eram apurados os votos para presidente da República, os dirigentes da empreitera deixavam transparecer, em mensagens, a ansiedade com o resultado.

"Informação de dentro do TSE: Aécio 5% na frente", escreve um deles, às 19h24m daquele domingo. "FHC está falando em vitória de Aécio. Pode ser boato, mas..."

na resposta, Leo Pinheiro, então "Vamos ver!". Minutos depois, o alívio: Dilminha ganhou!!!!!", fetejou Pinheiro.

Aos amigos, ele enviou uma mensagem de uma resposta seca com uma placa: "Favor chorar aqui". Depois, uma foto de Aécio vestindo a camisa do time do Vitótia: "Já acostumado a ser vice".

As dezenas de mensagens estão no inquérito que investiga a OAS na Lava jato. Aparecem entre informações coletadas na casa e nos escritórios de Pinheiro, hoje réu sob acusação de corrupção em obras da Petrobras. Ele está em prisão domiciliar.

Pinheiro e seus colegas foram atentos espectadores do cenário político. Dono de uma rica agenda política, ele monitorava pesquisas, tinha acesso a levantamentos exclusivos de partidos e desejava sorte a políticos amigos, como o deputado federal Miro Teixeira (PROS, RJ).

Com frequência, repassava "boletins" de "JW", alcunha de Jaques Wagner (PT), então governador baiano e hoje ministro da Defesa.

Jaques Wagner agradece a ele quando seu candidato ao governo, Rui Costa (PT), aparece à frente nas pesquisas: "Já era. Você merece e contribuiu para isto". Costa foi eleito.

No dia seguinte à votação, Pinheiro brinca com um colega. Envia uma imagem de um eleitor numa urna. Acima dele, a inscrição "Este voto é um oferecimento de...". seguida de logos de financiadores de campanha - OAS entre eles.

No segundo turno, a preocupação é com a "Moça". Pinheiro e colegas avaliam que Aécio ia "dar trabalho".

Eles demonstram pendor para análise eleitoral: "Dilma tem mais aderência e está captando mais lentamente o indeciso e branco", comemora outro executivo.

Dados econômicos no foco: "Desemprego em baixa. Muito bom... Vai dar 10% na urna de diferença, no mínimo", escreve o vice-presidente da OAS, Cesar mata Pires Filho.

Com a iminente vitória de Dilma, um amigo de Piheiro faz piada: "mais do que nunca Super Ministro da infraestrutura, Leozinho". Resposta do executivo: rsrsrsrsrs".

Em junho, outras apreensões mostraram a intimidade dos empreiteiros com o ex. presidente Lula, chamado  de "Brahma" no grupo.

Nas mensagens, os executivos baianos demonstram desprezo por ACM Neto (DEM), prefeito de Salvador. "Grampinho [apelido]" é criticado por seu "desespero" ao não conseguir eleger Paulo Souto (DEM) governador.

"Pergunto-lhe: o que teremos que fazer para fuder o Grampinho em 2016", escreve um executivo. "vai ser fácil. Ele será destruido por ele mesmo", reponde Pinheiro.

Um terceiro executivo finaliza: "Concordo! Ele não tem caráter e destila veneno. Não aprendeu a construir alianças, como nós".

A OAS e Wagner não quiseram se manifestar.

ACM Neto afirmou: "Não quero comentar essa troca de e-mails de teor desqualificado, em que um dos autores está preso pela justiça [...]. Eu sempre estive do lado oposto destas pessoas".

Apesar da torcida contra, a OAS doou R$ 8 milhões para Aécio em 2014. Dilma recebeu R$ 20 milhões.
Em 2012, ACM, Neto nada recebeu.


Informação Folha Politica

Vejam também.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...