Pular para o conteúdo principal

Aécio rebate Dilma: 'Golpe é utilizar dinheiro do crime para obter votos'




Presidente do PSDB rebateu declarações da presidente,

 que classificou mobilização de opositores 

pelo impeachment 

da como 'versão moderna de golpe

Senador Aécio Neves (PSDB-MG)


Senador Aécio Neves (PSDB) rebateu declarações da presidente Dilma
 Rousseff, que  chamou de golpe as tentativas da oposição de tirá-la do poder(George Gianni/PSDB/Divulgação)

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), rebateu nesta quinta-feira as declarações da presidente Dilma Rousseff em que a petista compara a movimentação de opositores pelo impeachmenta uma 'versão moderna de golpe'. O discurso da petista ocorreu na quarta-feira durante passagem por Presidente Prudente (SP), onde deu entrevistas às rádios locais e entregou moradias do Programa Minha Casa Minha Vida.
"Da mesma forma que lá atrás nós apontávamos a corrupção endêmica na Petrobras, a necessidade de reequilíbrio fiscal do país, quando apontávamos os descalabros das medidas que desorganizaram o setor elétrico, nós éramos acusados de pessimistas. Agora mudou-se o termo. Agora aqueles que criticam o governo são acusados de golpistas. Golpe e atalho para se chegar no poder é utilizar dinheiro do crime ou de irresponsabilidade fiscal para se obter votos. Não faço aqui prejulgamentos, mas nós temos que garantir que nossas instituições estejam blindadas", afirmou Aécio Neves antes de participar do seminário "Caminhos para o Brasil", promovido pelo Instituto Teotônio Vilela, em Brasília.
O senador ainda questionou a origem do dinheiro que abasteceu a campanha da petista. "Nós hoje quando abrimos os jornais, vemos uma presidente da República obcecada com o próprio fim do seu governo. A presidente ontem, por duas vezes, sem ser instada, fala em golpismo, em atalhos para se chegar ao poder. Eu concordo com uma frase que ela diz. De que a legitimidade do voto é a base da democracia. Isso é correto desde que o voto tenha sido obtido de forma legal e é isso que felizmente as instituições, hoje, estão apurando", ressaltou.
O PSDB é autor de quatro ações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que contestam a legitimidade da reeleição de Dilma. Paralelamente ao julgamento da Corte Eleitoral, integrantes da oposição também aguardam a análise por parte do Tribunal de Contas da União (TCU) a respeito das chamadas "pedaladas fiscais", realizadas pelo governo no ano passado. Um posicionamento do TCU deverá ser avaliado posteriormente pelo Congresso e, a depender do entendimento dos parlamentares, o tema poderá dar início a um processo de impeachment contra a presidente.
(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Advogado desiste de defender Lula

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e um dos principais advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Sepúlveda Pertence enviou uma carta ao petista, na sexta-feira passada, em que comunicou sua intenção de deixar a banca de defesa “com pesar”. Segundo dirigentes do PT, Pertence deixou claro que as divergências com outros advogados da causa motivaram a decisão. O manuscrito foi levado a Lula, preso em Curitiba desde 7 de abril, pelo filho de Pertence, Evandro.
Na quarta-feira, o advogado Sigmaringa Seixas se encontrou com Lula em Curitiba para falar que Pertence queria deixar a sua defesa. O ex-presidente foi reticente e disse que não aceitaria que o ex-ministro, seu amigo há 40 anos, saísse da causa.
Na sexta-feira, ao receber a carta de Evandro, Lula repetiu que era contra a renúncia de Pertence e não quis ler o documento, que ficou com ele. O petista e seu advogado devem conversar pessoalmente nos próximos dias para definirem se o medalhão permanecerá ou não na banc…

Com o bolso cheio e a moral esfacelada, Sepúlveda deixa a defesa de Lula

Lula não aceita e chamou Sepúlveda para conversar em Curitiba.
É oficial. O ex-ministro Sepúlveda Pertence não faz mais parte da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em carta, ele anunciou ‘com pesar’ sua intenção de deixar a banca de defesa. A missiva de Sepúlveda foi entregue ao presidiário por seu filho Evandro Pertence. O ex-ministro encerra assim um dos episódios mais tristes e vergonhosos de sua carreira. Sepúlveda enumera diversos episódios que teriam sido preponderantes para a sua decisão, mas o fato marcante foi sem dúvida a verdadeira humilhação a que foi submetido pelo advogado Cristiano Zanin. Segundo o jornal O Globo, Lula disse que não aceita a renúncia. Sepúlveda terá que comparecer a Curitiba para conversar com o petista. O encontro dever ocorrer no decorrer desta semana. Jornal da Cidade