Pular para o conteúdo principal

Delcídio foi gravado mais de uma vez

POLÍTICA

Delcídio foi gravado mais de uma vez


Ricardo Noblat
Antes de ser preso, Delcídio Amaral (PT-MS), líder do governo no Senado, estava grampeado com autorização da Justiça.
A Polícia Federal tem outras conversas dele gravadas - inclusive com um ministro do Supremo Tribunal Federal.
O grampo começou a ser legalmente aplicado depois que Bernardo Cerveró, filho de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras preso pela Lava-Jato, entregou à Procuradoria Geral da República (PGR) a gravação do seu encontro com Delcídio em um hotel de Brasília.
Não foi de Bernardo a iniciativa de bater às portas da PGR. Foi a Polícia Federal que o procurou a respeito. Quando o fez, Bernardo já havia recebido a primeira das 48 parcelas de R$ 50 mil que Delcídio lhe prometera em troca do silêncio do seu pai.
Estrelas da República sabiam que Delcídio fôra incubido de tentar evitar que Cerveró firmasse acordo de delação premiada.
Delcídio não agiu unicamente em defesa de sua reputação, e da reputação do banqueiro André Esteves, seu parceiro na tarefa.
Havia mais gente interessada em calar Cerveró.
Foi por isso que hoje, ao depor na Polícia Federal, Delcídio se descontrolou quando lhe contaram que Lula o chamara de "burro" e o acusara de cometer "uma idiotice".
Como Lula, logo ele que já se meteu em tantras trapalhadas, disse uma coisaa dessas de Delcídio?
O senador preferiu suspender seu depoimento à polícia. Deverá retomá-lo na próxima segunda-feira. Ou ainda neste fim de semana.
Delcídio Amaral durante sessão do Congresso (Foto: Andre Coelho / Agência O Globo)Delcídio Amaral durante sessão do Congresso (Foto: Andre Coelho / Agência O Globo)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Advogado desiste de defender Lula

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e um dos principais advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Sepúlveda Pertence enviou uma carta ao petista, na sexta-feira passada, em que comunicou sua intenção de deixar a banca de defesa “com pesar”. Segundo dirigentes do PT, Pertence deixou claro que as divergências com outros advogados da causa motivaram a decisão. O manuscrito foi levado a Lula, preso em Curitiba desde 7 de abril, pelo filho de Pertence, Evandro.
Na quarta-feira, o advogado Sigmaringa Seixas se encontrou com Lula em Curitiba para falar que Pertence queria deixar a sua defesa. O ex-presidente foi reticente e disse que não aceitaria que o ex-ministro, seu amigo há 40 anos, saísse da causa.
Na sexta-feira, ao receber a carta de Evandro, Lula repetiu que era contra a renúncia de Pertence e não quis ler o documento, que ficou com ele. O petista e seu advogado devem conversar pessoalmente nos próximos dias para definirem se o medalhão permanecerá ou não na banc…

Com o bolso cheio e a moral esfacelada, Sepúlveda deixa a defesa de Lula

Lula não aceita e chamou Sepúlveda para conversar em Curitiba.
É oficial. O ex-ministro Sepúlveda Pertence não faz mais parte da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em carta, ele anunciou ‘com pesar’ sua intenção de deixar a banca de defesa. A missiva de Sepúlveda foi entregue ao presidiário por seu filho Evandro Pertence. O ex-ministro encerra assim um dos episódios mais tristes e vergonhosos de sua carreira. Sepúlveda enumera diversos episódios que teriam sido preponderantes para a sua decisão, mas o fato marcante foi sem dúvida a verdadeira humilhação a que foi submetido pelo advogado Cristiano Zanin. Segundo o jornal O Globo, Lula disse que não aceita a renúncia. Sepúlveda terá que comparecer a Curitiba para conversar com o petista. O encontro dever ocorrer no decorrer desta semana. Jornal da Cidade