Pular para o conteúdo principal

Juiz titular retoma posto da juíza que encurralou filho de Lula. Voltou por “motivos particulares” ou ParTiculares?

Queremos "padrão Moro" de qualidade
vallisney_souza_de_oliveira1
Vallisney de Souza Oliveira, juiz titular da 10ª Vara da Justiça Federal que arquivou o caso Erenice Guerra em 2012, retomou o cargo da juíza substituta Célia Regina Ody Bernardes, que há menos de duas semanas ordenou busca e apreensão na sede de empresas de Luís Cláudio, filho de Lula que prestou depoimento à Polícia Federal nesta quarta-feira.
Desde o ano passado, Vallisney atuava como auxiliar convocado no gabinete do ministro do STJ Napoleão Nunes Filho e a permanência na função, que acabou nesta quarta-feira, poderia ser renovada por mais dois semestres consecutivos, mas alguma coisa fez Vallisney voltar correndo para o seu lugar.
Em nota ao Estadão, o STJ justificou que o “juiz pediu para sair, por motivos particulares” e não continuou porque “fez outra escolha”.
Será que os motivos foram mesmo “particulares” ou teriam sido ParTiculares? A imprensa vai perguntar a Vallisney – e investigar – quantos petistas o procuraram? Vamos acreditar na resposta?
Juíza
Célia Regina (foto) fez um trabalho “padrão Moro” ao mostrar que ninguém está acima das leis e, exatamente por isso, foi atacada pelo PT, ainda que o rótulo de conservadora não cole ao seu perfil.
Ela é ligada à associação Juízes para a Democracia, movimento mais afinado com ideias de esquerda, e ainda desenvolveu sua tese de mestrado em Filosofia no livro “Racismo de Estado: uma reflexão a partir da crítica da razão governamental de Michel Foucault”, pensador queridinho dos esquerdistas.
Espero que as leis, para Vallisney, que é professor da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília – UnB e mantém umsite onde publica até poesias, também estejam acima de afinidades políticas.
Ainda é tempo de se redimir do arquivamento do caso Erenice, braço-direito de Dilma Rousseff.
Estamos de olho, senhor juiz.
Um de seus poemas fala “da esperança / de um dia prender / o sonho à felicidade / de um velho lar / de infinita saudade”. A nossa esperança é que um dia o senhor mande prender os chefes.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Advogado desiste de defender Lula

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e um dos principais advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Sepúlveda Pertence enviou uma carta ao petista, na sexta-feira passada, em que comunicou sua intenção de deixar a banca de defesa “com pesar”. Segundo dirigentes do PT, Pertence deixou claro que as divergências com outros advogados da causa motivaram a decisão. O manuscrito foi levado a Lula, preso em Curitiba desde 7 de abril, pelo filho de Pertence, Evandro.
Na quarta-feira, o advogado Sigmaringa Seixas se encontrou com Lula em Curitiba para falar que Pertence queria deixar a sua defesa. O ex-presidente foi reticente e disse que não aceitaria que o ex-ministro, seu amigo há 40 anos, saísse da causa.
Na sexta-feira, ao receber a carta de Evandro, Lula repetiu que era contra a renúncia de Pertence e não quis ler o documento, que ficou com ele. O petista e seu advogado devem conversar pessoalmente nos próximos dias para definirem se o medalhão permanecerá ou não na banc…

Com o bolso cheio e a moral esfacelada, Sepúlveda deixa a defesa de Lula

Lula não aceita e chamou Sepúlveda para conversar em Curitiba.
É oficial. O ex-ministro Sepúlveda Pertence não faz mais parte da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em carta, ele anunciou ‘com pesar’ sua intenção de deixar a banca de defesa. A missiva de Sepúlveda foi entregue ao presidiário por seu filho Evandro Pertence. O ex-ministro encerra assim um dos episódios mais tristes e vergonhosos de sua carreira. Sepúlveda enumera diversos episódios que teriam sido preponderantes para a sua decisão, mas o fato marcante foi sem dúvida a verdadeira humilhação a que foi submetido pelo advogado Cristiano Zanin. Segundo o jornal O Globo, Lula disse que não aceita a renúncia. Sepúlveda terá que comparecer a Curitiba para conversar com o petista. O encontro dever ocorrer no decorrer desta semana. Jornal da Cidade