Subscribe:

30 de dezembro de 2015

Apóstolos da Amnésia



 Rev. Marcelo Lemos É triste, mas acontece! Eis o que leio em uma publicação recente: o Apóstolo Agenor Duque promete apagar a memória de fiéis, e com isso até "curar" as pessoas do homossexualismo(1). Claro que tem uma linda e impressiva "estória" para comprovar sua afirmação, a saber, a de um jovem supostamente gay, e supostamente "curado" pelo método em plena apresentação teatral, ou, como alguns preferem, culto de adoração.

 Seria a Unção da Amnésia? Essa unção, ao que me parece, é co-irmã de outra muito apreciada pelos apóstolicos de nossa geração: a Unção da Memória Seletiva. Sim, porque os fiéis evangélicos parecem ter uma habilidade incrível de superar (ou reinterpretar?) aquilo que desconstroi sua narrativa sobre a vida, a fé e até seus discursos.

 Qual pregador apostólico irá a televisão, por exemplo, contar ao seu rebanho que, segundo pesquisa do IBGE, os evangélicos estão atrás de Espíritas e Católicos Romanos quanto o tema é renda familiar? Qual dos pregadores da mídia irá demonstrar que, segundo tais dados, o que influência essa média é, não a quantidade de ofertas e sacrifícios, mas algo óbvio como o nível de escolaridade? Mais exemplo dessa memoria seletica e amnésia gospel? Silas
Malafaia, famoso defensor da Teologia das Sementes, que jura não ter nada a ver com a Teologia da Prosperidade, foi obrigado a demitir dezenas de seus funcionários (cerca de 40% da Editora Central Gospel) devido a atual crise econômica que assombra o Brasil. Evidentemente não tem nada de errado ou imoral nisso - "É a Economia estúpido", já vaticinou James Carville, marqueteiro de Bill Clinton.

O próprio Malafaia admite isso em um comunicado no qual diz ser "lamentável" as demissões, e explica que "as pessoas não estão consumindo. Estão ficando desempregadas e, como outras empresas, sentimos a crise. O sol se levanta e a chuva cai para o justo e o injusto. Veio para todos". A nota publicada pelo pastor assembleiano é simplesmente perfeita! E é exatamente isso que os criticos de sua teologia tem afirmado ao longo dos últimos anos: Deus "faz que o seu sol se levante sobre os maus e os bons, e a chuva desça sobre justos e injustos" (S. Mateus 5:45). Ou seja, a chuva e o sol são disponibilizados sobre todos os homens, para os que plantam sementes nos programas televisivos de pastores e para os que não plantam as tais sementes; para os que sacrificam seu salário mínino na Fogueira Santa, e também para os que torram seus salários de 10 dígitos em sites pôrnos.

 É o que a nota de Malafaia admite, ainda que com outras palavras. Admite porque convém, devido a inevitabilidade do fracasso de seu empreendimento (perfeitamente justificado pelo cenário econômico). Mas isso não muda o fato de que ele insinua exatamente o contrário ao condicionar a prosperidade de seus fieis ao ato de plantarem ou não em seu Ministério, e a quantidade maior ou menor das sementes. Ora, as sementes que o próprio Malafaia plantou não foram capazes de superar a crise? Se não foram, para que servem então? Apenas para nadar na correnteza favorável dos bons dias da Economia? Na prática, a nota de Malafaia refuta seus últimos anos de Ministério, mas a Unção da Amnésia tem o poder magnético de tornar as pessoas bem seletivas naquilo que irão recordar. Quando a Economia voltar a respirar (Deus o queira!), tudo isso será apenas passado, um passado esquecido - e é bem possível que alguns até atribuam a recuperação econônica as tais Sementes, Fogueiras, e coisas do tipo. Triste, mas acontece. Infelizmente os exemplos abundam. Alguém ainda acredita que os evangélicos, em sua maioria, sabem o motivo histórico de serem "evangélicos" e não "católicos romanos"? Só na teoria. É bem provavel que ainda se encontre em alguns de seus livros a saga dos Reformadores em prol de lemas como Sola Scriptura ou Sola Gratia... Na prática? A maioria apenas acha que é a última bolacha do pacote apostólico, ou frutos de alguma revelação tão transitória quanto os antigos filmes da Kodak. Por outro lado, continuam se achando melhores que os "romanistas", evidentemente - apesar de se ajoelharem aos pés de apóstolos, profetizas, réplicas da Arca ou de falsos judeus fantasiados por alguma lojinha da 25 de Março. Reforma? Evangelicalismo? De nada disso há memória em grande parte dos atuais evangélicos. É triste! Voltando ao apóstolo paulistano, que gosta de se fantasiar de Fred Flintstones mas não dispensa seu Porsche: ainda que o tal jovem tivesse sido "curado" de seu homossexualismo através da Unção da Amnésia crônica que acomete os evangélicos, seria melhor classificar tal feito não como "milagre", mas como "macumba". Sim, pois ao contrário do que o apóstolo ensina, quando Deus transforma a vida de uma pessoa a memória da mesma não é apagada pelo Espírito Santo.

Na verdade, o apóstolo S. Paulo fazia questão de lembrar os cristãos de seus antigos pecados, como uma forma de exortá-los ao compromisso com a nova vida, e a gratidão a Cristo: "Porque assim como vós também antigamente foram desobedientes a Deus, mas agora alcançastes misericórdia pela desobediência deles" (Romanos 11:30).
 "Vós bem sabeis que ereis gentios, levados aos ídolos mudos, conforme eréis guiados" (I Cor. 12:2). "Nem os devassos, nem os idolatras, nem os adulteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus - e é o que alguns de vós já foram, mas fostes lavados, fostes santificados em nome do Senhor Jesus" (I Cor. 6:10-11). Amnésia? Memoria seletiva? Nada disso encontramos nas páginas das Escrituras, seja como meio de "purificar" pecados, seja como desculpa forjar uma religiosidade pagã, imediatista, ou comprometida com a lógica de mercado. Referências:

Olhar Anglicano.

2 comentários:

João calvino disse...

OS PENTECOSTAIS ACABARAM E APOSENTARAM A BÍBLIA DENTRO DA IGREJA.

Antonio Costa disse...

Não são apenas os pentecostais que aposentaram suas bíblias, infelizmente igrejas reformadas estão se "desrerformando" adotando uma liturgia que eles chamam de contemporânea e uma doutrina mais "inclusiva", as igrejas cristãs, na sua maioria, perderam a visão de reino de Deus.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...