Pular para o conteúdo principal

MADURO PROMETE UM BANHO DE SANGUE SE PERDER AS ELEIÇÕES NA VENEZUELA

Impeachment de Dilma, Maduro com derrota quase certa, e a vitória de um liberal na Argentina... a quadrilha comunista do Foro de São Paulo na América Latina está com seus dias contados? Na eleição da Venezuela, a política externa brasileira faz água e não consegue segurar os ímpetos ditatoriais de Nicolas Maduro. A radicalização do chavista e a ascensão de Mauricio Macri na Argentina colocam o Brasil em situação delicada, afastando a possibilidade de “proteger” o ditador Maduro e esconder a monumental fraude que preveem os observadores da Unasul prevista na eleição parlamentar da Venezuela em 06 de dezembro. Rodrigo Turrer da Época faz traz uma radiografia acurada do “circo” montado por Nicolas Maduro que poderá desencadear uma sangrenta guerra interna com milhares de morte e a dizimação física da oposição, aos moldes do Castrismo nos anos 60 em Cuba. Aparentemente não há espaço para isso, mas de um “LOUCO DE TODO O GÊNERO” pode se esperar tudo. Desde que as eleições legislativas na Venezuela foram confirmadas, em maio deste ano, o presidente do país, Nicolás Maduro, faz de tudo para obter “a mais importante vitória em 16 anos”, como ele mesmo classifica. No seu caso, fazer de tudo é relativamente fácil. Sem as amarras da lei, já que o chavismo controla todo o sistema judicial e eleitoral do país, a farra é generalizada. A campanha eleitoral venezuelana tem candidatos governistas com tempo de sobra na TV estatal e nenhum espaço para os da oposição, uso de recursos públicos e inauguração de obras públicas com a presença dos candidatos do governo, entrega de eletrodomésticos, casas e comida, cassação e, se preciso, até prisão de candidatos da oposição. Coisas assim são comuns na Venezuela, um país destruído pela amalucada ditadura chavista. Mesmo com tantos abusos de poder e vantagens comparativas, às vésperas do pleito do dia 6, pesquisas mostravam que as coisas estão ruins para Maduro e sua turma de seguidores de Hugo Chávez. Pela primeira vez em 16 anos, a oposição representada pela Mesa da Unidade Democrática (MUD) poderia assumir o controle do Parlamento, com 58% das intenções de voto, em comparação a 32% do governismo. O ápice da escalada repressora eleitoral aconteceu em um ato em Guárico, no centro do país. Luis Manuel Díaz, secretário-geral da Ação Democrática (AD), foi morto a tiros enquanto discursava, por um homem que passava em um carro. Maduro e o número dois do chavismo, Diosdado Cabelo, disseram que o assassinato era resultado de um “acerto de contas entre bandidos”. Via: Pensa Brasil e Cristal Vox

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Toffoli manda recado a Zanin

Zanin conseguiu angariar a antipatia generalizada e hoje é um estorvo na defesa do meliante Lula.O ministro Dias Toffoli está disposto a apagar a pecha que lhe foi impregnada de ‘petista’.

De antemão, usou o jornal Folha de S.Paulo para mandar um recado com endereço certo. O advogado Cristiano Zanin.

Caso ele assuma o plantão do Supremo Tribunal Federal (STF), não adianta entrar com habeas corpus em favor do ex-presidente Lula. Ele não concederá liminar, em hipótese alguma.

A preocupação atual do ministro é assumir sem problemas a presidência do STF.

Outro fator preponderante para o posicionamento de Toffoli, segundo fonte segura, é a aversão entre todos os ministros do STF ao próprio advogado.

Zanin conseguiu angariar a antipatia generalizada e hoje certamente é um estorvo na defesa do meliante petista.

Por outro lado, há quem diga que Toffoli não é petista. É ‘Dirceusista”.

Faz sentido. Zé Dirceu está solto.

Jornal da Cidade

Discurso de Janaína Paschoal causou pânico no establishment

O discurso de Janaína Paschoal na convenção do PSL, que lançou Jair Bolsonaro na disputa pela presidência da República, causou pânico na grande mídia e na esquerda, ou seja, no establishment. 
Foi notável que logo após a fala da jurista no evento, a grande mídia tratou de tentar joga-la contra o partido. Teve grande mídia dizendo que ela irritou aliados. Teve outra dizendo que ela criticou os eleitores de Bolsonaro.  No entanto, como já estamos cansados de saber, quando a grande mídia critica algo, é porque esse é o caminho certo.  Filipe Martins, no Twitter, explicou o porquê deste discurso ter incomodando tanto a velha imprensa. 
Confira em 7 tuítes:




Filipe G. Martins@filgmartin  · 
1. O discurso da Janaína está cumprindo um papel importante na transição da campanha do Deputado Jair Bolsonaro.