Pular para o conteúdo principal

O PT e o comprovado ódio à democracia




Reinaldo Azevedo


Não! Não pensem que os petistas estão agastados com o impeachment em si. Eles nunca aceitaram nem mesmo perder eleições

Não pensem que a promessa do PT e seus satélites de criar o inferno na terra se a presidente Dilma for impichada e Michel Temer assumir a Presidência é só uma reação intempestiva de quem está prestes a perder uma boquinha fabulosa.

Para ficar na máxima de Polônio sobre Hamlet (Shakespeare), isso não é loucura. É método mesmo.

Quando foi que Lula e seus sequazes acataram a alternância de poder? Ora, a frase que nega, por excelência, a democracia e a história é aquela que virou um bordão de Lula, não é mesmo? “Nunca antes na história deste país.”

O “nunca antes”, de saída, elimina a existência da história. Para Lula, os eventos se dão sem condicionantes prévias, sem contexto, sem escala evolutiva, sem nada.

Assim como a deusa da sabedoria, Palas Athena, foi parida abrindo-se a cabeça de Zeus, Lula deu ao Brasil tudo o que há.

A arrogância do demiurgo é tal que ele julga nos ter dado até um passado. Ou ele não voltou a dizer a sindicalistas há dias que o PT está no poder “há só quatro mandatos”, enquanto seus adversários estão por aí há mais de 500 anos?

Não! Não pensem que os petistas estão agastados com o impeachment em si. Eles nunca aceitaram nem mesmo perder eleições.

O que foi a campanha escandalosamente mentirosa de 2014? Se Aécio Neves vencesse, adeus programas sociais! Se Marina ganhasse, não haveria bife no prato dos brasileiros. Em qualquer dos casos, os juros iriam para a estratosfera, a inflação dispararia, o desemprego cresceria, e os pobres seriam punidos. A tudo isso, o PT chamava “retrocesso”.

Retrocesso só das ditas conquistas sociais? Não! Retrocesso da democracia. Ou por outra: a vitória do adversário implicava, segundo os valentes, a perda de direitos sociais e o rebaixamento da cidadania.

O que isso quer dizer? O óbvio: ódio à democracia. Nós todos sabemos do que são capazes para vencer eleição. Um deles já vocalizou que, na disputa eleitoral, feio é perder. A própria presidente Dilma, então candidata, admitiu que, durante a disputa, “faz-se o diabo”.

O PT apela ao diabo para continuar incrustado no estado. Esse é o fato. Chama agora de golpe o que antes chamava de retrocesso.

Em qualquer dos casos, o que há é ódio à democracia. Puro e simples.

Comentários

Pb Fernando disse…
Esses PTralhas são um povo extremamente sórdidos, corruPTos e asquerosos. Não devemos esperar absolutamente nada de bom dessa turma de ladrões... pois tudo que essa quadrilha faz tem como objetivo primordial se manter no poder.
Heitor Caram disse…
Essa esquerda caviar e mentirosa,nunca gostei dessa gente.Enganaram os trouxas com os bolsa esmola,reinventaram o voto de cabresto,o analfabeto se diz pai dos pobres, imagina se ñ fosse! Esse é o maior escândalo de desvios públicos da história da humanidade,esse idiota deveria estas preso, e ñ articulando armadilhas contra"nós", foi vergonhosa, essa posição do stf, o apedeuta chamou todos de covarde,e ainda foram suaves com ele! não basta tirar essa demente da presidência,é preciso prender o analfabeto,recuperar o dinheiro roubado,o máximo possível,e total autonomia para o juiz Moro e a lava jato.Muita podridão ainda está por vir,delações premiadas,é preciso levar isso até o fim.Depois dessa história do pt de nós e eles, eu, que ñ gosto de político algum,nem tenho partido,estou encarando isso dessa maneira,quem defende esses ladrões,está prejudicando minha vida,é no mínimo,mau caráter!

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Advogado desiste de defender Lula

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e um dos principais advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Sepúlveda Pertence enviou uma carta ao petista, na sexta-feira passada, em que comunicou sua intenção de deixar a banca de defesa “com pesar”. Segundo dirigentes do PT, Pertence deixou claro que as divergências com outros advogados da causa motivaram a decisão. O manuscrito foi levado a Lula, preso em Curitiba desde 7 de abril, pelo filho de Pertence, Evandro.
Na quarta-feira, o advogado Sigmaringa Seixas se encontrou com Lula em Curitiba para falar que Pertence queria deixar a sua defesa. O ex-presidente foi reticente e disse que não aceitaria que o ex-ministro, seu amigo há 40 anos, saísse da causa.
Na sexta-feira, ao receber a carta de Evandro, Lula repetiu que era contra a renúncia de Pertence e não quis ler o documento, que ficou com ele. O petista e seu advogado devem conversar pessoalmente nos próximos dias para definirem se o medalhão permanecerá ou não na banc…

Com o bolso cheio e a moral esfacelada, Sepúlveda deixa a defesa de Lula

Lula não aceita e chamou Sepúlveda para conversar em Curitiba.
É oficial. O ex-ministro Sepúlveda Pertence não faz mais parte da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em carta, ele anunciou ‘com pesar’ sua intenção de deixar a banca de defesa. A missiva de Sepúlveda foi entregue ao presidiário por seu filho Evandro Pertence. O ex-ministro encerra assim um dos episódios mais tristes e vergonhosos de sua carreira. Sepúlveda enumera diversos episódios que teriam sido preponderantes para a sua decisão, mas o fato marcante foi sem dúvida a verdadeira humilhação a que foi submetido pelo advogado Cristiano Zanin. Segundo o jornal O Globo, Lula disse que não aceita a renúncia. Sepúlveda terá que comparecer a Curitiba para conversar com o petista. O encontro dever ocorrer no decorrer desta semana. Jornal da Cidade