Pular para o conteúdo principal

Estado de saúde de Dilma requer afastamento imediato do cargo



Dilma precisa de ajuda, não se trata mais de um problema político.
A reportagem da revista IstoÉ, assinada pelos jornalistas Sérgio Pardellas e Débora Bergamasco, levanta um assunto da maior gravidade, ao trazer informações vazadas nos bastidores do Planalto, fornecidas por funcionários de carreira da Presidência da República, que revelam o agravamento do estado de saúde da presidente Dilma Rousseff, a ponto de estar submetida a tratamento psiquiátrico com aplicação de medicamento indicado para esquizofrenia, uma gravíssima doença mental. A impressionante reportagem mostra que a situação chegou a tal ponto que a Aeronáutica já ameaçou transferir a uma tripulação terceirizada o comando do Airbus presidencial, devido a graves episódios de desrespeito aos oficiais da FAB que prestam serviços à Presidência.
Por óbvio, o assunto é extremamente delicado e a revista IstoÉ assumiu de forma correta o risco de trazer a questão a público. O repórter Sérgio Pardellas, um dos melhores do país, é respeitado por sua seriedade, e Débora Bergamasco não fica atrás. Sempre bem informada e ativa, foi ela quem noticiou, com absoluta exclusivamente, o teor da delação do senador petista Delcídio Amaral. Além do mais, em Brasília é sabido que Débora Bergamasco é (ou era) namorada do ministro José Eduardo Cardozo, atual chefe da Advocacia-Geral da União (AGU), que está defendendo Dilma Rousseff nas questões judiciais de interesse da Presidência.
Não temos informações sobre o atual relacionamento entre a repórter e o ministro Cardozo, que coincidentemente comanda a AGU, encarregada pela presidente Dilma de abrir inquérito contra a revista e os dois jornalistas, para exigir indenização por perdas e danos, vejam só que situação esquisitíssima. Com certeza, fica difícil que um caso amoroso possa sobreviver a um episódio desse tipo, que nem Freud explicaria, nem Nelson Rodrigues poderia imaginar algo semelhante.
O CASO É GRAVÍSSIMO
Não se pode duvidar das informações de repórteres de tão alto nível. O Planalto erra mais uma vez, ao ameaçar processá-los. A cúpula do governo não pode continuar escondendo a doença de Dilma Rousseff, que é muito grave, sua família já deveria ter interferido e providenciado tratamento adequado.
A responsabilidade, aliás, não é somente da família, mas também do corpo médico da Presidência da República, que dá plantão 24 horas e acompanha a chefe do governo aonde ela for, com ambulância especial e equipamento portátil de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Por que os médicos da Presidência deixaram que a situação chegasse a tal ponto? Pretendiam permitir que o quadro patológico se agravasse indefinidamente?
De repente, já não se trata mais de discutir se a Câmara dos Deputados deve ou não aprovar a abertura de processo de impeachment da presidente da República. O problema tornou-se muito mais pessoal e delicado, porque a matéria da IstoÉ deixa claro que Dilma Rousseff não tem condições de seguir à frente do governo, sobretudo num momento de altíssimo estresse, quando ela está sob ameaça de sofrer impeachment, ser afastada do governo e manchar para sempre sua biografia.
Portanto, além da questão de interesse e segurança nacional, há outro aspecto importantíssimo a ser considerado. Trata-se de uma doença que requer cuidados intensivos e repouso, é desumano que Dilma Rousseff continue a suportar essa imensa carga de tensão emocional a que está hoje permanentemente submetida. Por uma questão de solidariedade humana, é preciso poupá-la, para que possa se submeter ao tratamento adequado e buscar recuperação.
NÚCLEO DURO
Os ministros do chamado “núcleo duro” do Planalto, que são os mais ligados a Dilma Rousseff, também estão se omitindo, não podiam permitir que a situação chegasse a esse ponto. Com a máxima urgência, é preciso submeter a presidente a uma junta médica, para que seja tratada pelos maiores especialistas do país.
Se realmente esses ministros se consideram amigos dela, devem intervir imediatamente, não somente para o bem da nação, mas sobretudo em benefício de uma pessoa obviamente sem condições de aguentar uma carga insuportável e desumana, que hoje transformou sua vida num inferno, conforme se pode constatar na avaliação do dr. Ednei Freitas, considerado um dos mais psiquiatras e psicanalistas do país. Mas será que esses ministros terão coragem de agir, em benefício da própria presidente Dilma, ou pretendem continuar fingindo que não está acontecendo nada?
###
A PRESIDENTE PRECISA DE TRATAMENTO ADEQUADO
Ednei Freitas
O quadro psiquiátrico que acomete a presidente Dilma Rousseff é muito sério. Tive oportunidade de ler o inteiro teor do relato na revista IstoÉ sobre a postura da presidente Dilma nos últimos anos, cujo comportamento já era hostil com todos, mas salta aos olhos que de dois meses para cá ela entrou em crise aguda de mania (transtorno afetivo bipolar) que antigamente chamávamos com mais propriedade de “mania furiosa”, em contrapartida à “mania franca”, aquela pseudo alegre, multicolorida, eivada de otimismos absurdos, comportamentos sociais sempre amigáveis e exagerados, gastança de dinheiro, indumentária imprópria e excessivamente colorida, com muita falta de gosto.
A presidente Dilma, ao que tudo indica, está num quadro de “mania furiosa” e em medicina forense se encontra incapaz de responder pelos próprios atos ou ter discernimento sobre o que está fazendo. A substância Olanzapina é bem apropriada, mas a perspectiva de sucesso absoluto é praticamente reduzida a zero. Apenas melhora o quadro, centra um pouco mais o paciente, mas é muito raro que ele volte a ser uma criatura normal. Pode ser, e muitas vezes acontece, que mesmo sob uso da Olanzapina a pessoa se torne alienada mental, ou doente crônica.
Por que estou falando isso? Num impulso maníaco a presidente pode ordenar que se gastem as reservas estratégicas do Tesouro Nacional para alimentar o programa “Minha Casa, Minha Vida”, aumentar o alcance do “Bolsa Família”, inchar ainda mais de correligionários a máquina estatal, usar recursos públicos no suborno de políticos inescrupulosos para votar algo de seu interesse e afundar mais e mais nossa economia, acabar de quebrar as indústrias, pagar juros aos banqueiros com dinheiro da reserva do Tesouro, enfim, cometer uma série de sandices que irá colocar os brasileiros em situação de mais desemprego, mais inflação, mais corte ou diminuição de salários (congelamento, que já está acontecendo) dos funcionários públicos do Executivo Federal, tudo é possível, enfim…
CHANCE DE CURA
Eu digo que a chance da presidente Dilma curar-se e ficar hígida sob o ponto de vista da saúde mental é de uma em cem. Cabe, sim, a sugestão do jurista Jorge Béja, de que o procurador-geral da República deve providenciar que a presidente Dilma Rousseff seja imediatamente examinada por uma banca de especialistas indicados pela Associação Brasileira de Psiquiatria, para verificação de seu estado de saúde. Até porque o tratamento atual, sabendo eu de detalhes do que vem acontecendo, não está sendo o ideal.
De momento, há necessidade de internação psiquiátrica por algumas semanas, no mínimo, até que o quadro se estabilize mais um pouco. Do contrário, estou antevendo uma tragédia para todos nós brasileiros, a curto prazo. Não há tempo a perder. Além do mais, Dilma Rousseff é uma pessoa que está doente e deve ser cuidada, agora com todo o carinho. Não se pode perder de vista o desdobramento desta doença, porque, sem o tratamento devido, pode ter graves consequências, implicando até em risco de vida. Esta é a realidade.

Comentários

Bolchê disse…
Uma mulher que se autodenomina evangélica e sábia reproduzindo essa matéria criminosa publicada nessa latrina da mídia golpista, que foi rechaçada até por setores da oposição, realmente só vem confirmar o que Marx já dizia: Religião é o ópio do povo. Marx só não imaginou que os religiosos do século XXI desenvolveriam um caráter tão deformado e tão destituído de qualquer traço de justiça.
Bolchê, o mais engraçado é que essa frase de que a religião é o ópio do povo, para você que acho que só leu isso de Karl Marx, se tanto. Ora, não foi nem mesmo Marx quem a escreveu, mas o poeta alemão contemporâneo à Marx, o Heinrich Heine. Ademais, o que você chama de justiça e o que você chama de ser evangélico? Para você, para Marx e para Heine a religião não é o ópio do povo? Você pelo seu nome não é um bolchevique safado ateu? Ora, o homem espiritual, o cristão, o religioso é quem julga todos as coisas e por ninguém é julgado, como diz a Bíblia, então, fique calado. Por fim, se a religião é ópio, por que você quer justiça e um caráter bem formado? Por que você quer a cultura e a moral de um bando, segundo você, de malucos, viciados em drogas? Para quê você quer os nossos valores de gente que delira com recursos muito parecidos com os de auto-ajuda? Quem não tem religião acaba como Marx abandonando o próprio filho que teve com a empregada ou discriminando o genro negro ou defendendo a matança de povos inteiros como os eslavos russos, os poloneses, os escoceses ou os bretões. Quem não tem religião acaba como Heine buscando a religião só quando está necessitado, só por uma questão utilitária e arbitrária como se a religião católica a única com verdadeiros milagres como o dos corpos incorruptos dos santos e da hóstia que já se tornou em diversas ocasiões em carne e sangue humano; a religião católica com suas basílicas, catedrais góticas e medievais, a religião católica todos os seus santos e doutores sábios e que a todos os prazeres renunciaram na vida e que renunciaram alguns à própria vida física não valesse nada dando provas como em nenhuma outra parte de heroísmo e santidade.

Onde há golpe? Os motivos para o impeachment estão bem fundamentados e o impeachment, é um recurso constitucional que foi exigido, é bom lembrar, pelo PT por DIVERSAS vezes na História do Brasil contra predecessores da Dona Dilma. E o golpe foi dado pelo PT já em 2002, aliás, na eleição do futuro presidiário Sapo Barbudo (Luiz Inácio Lula da Silva), sim, aquele mesmo que praticava zoofilia em cabritas no Nordeste e que tentou estuprar um companheiro de cela quando preso na época do Regime Militar. Pois Lula disse em entrevista ao jornal francês, Le Monde, que a eleição era só uma farsa para a tomada do poder. Cadê o respeito, apreço e devoção à Democracia (burguesa, como diria Karl Marx) que fez a carreira de Lula. Golpistas são vocês bolcheviques de bosta. Então vai lamber sabão, moleque!



Rô,

Mutatis mutandis,

Mudando de assunto,

Com relação à possível doença de Dilma Rousseff eu, nos últimos dias, com compaixão de nossa presidenta e cheio de ópio do povo que é a nossa religião na minha veia, escrevi um post em meu blog pedindo à Nossa Senhora pela saúde de nossa mandatária-mor marxista-leninista louca. Veja aqui o referido post nesse link que se segue AQUI.
e uma comuna ateu, pão com mortadela, safado o que está fazendo aqui??!! ópio é sua desvio de caráter, pilantra

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Advogado desiste de defender Lula

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e um dos principais advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Sepúlveda Pertence enviou uma carta ao petista, na sexta-feira passada, em que comunicou sua intenção de deixar a banca de defesa “com pesar”. Segundo dirigentes do PT, Pertence deixou claro que as divergências com outros advogados da causa motivaram a decisão. O manuscrito foi levado a Lula, preso em Curitiba desde 7 de abril, pelo filho de Pertence, Evandro.
Na quarta-feira, o advogado Sigmaringa Seixas se encontrou com Lula em Curitiba para falar que Pertence queria deixar a sua defesa. O ex-presidente foi reticente e disse que não aceitaria que o ex-ministro, seu amigo há 40 anos, saísse da causa.
Na sexta-feira, ao receber a carta de Evandro, Lula repetiu que era contra a renúncia de Pertence e não quis ler o documento, que ficou com ele. O petista e seu advogado devem conversar pessoalmente nos próximos dias para definirem se o medalhão permanecerá ou não na banc…

Com o bolso cheio e a moral esfacelada, Sepúlveda deixa a defesa de Lula

Lula não aceita e chamou Sepúlveda para conversar em Curitiba.
É oficial. O ex-ministro Sepúlveda Pertence não faz mais parte da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em carta, ele anunciou ‘com pesar’ sua intenção de deixar a banca de defesa. A missiva de Sepúlveda foi entregue ao presidiário por seu filho Evandro Pertence. O ex-ministro encerra assim um dos episódios mais tristes e vergonhosos de sua carreira. Sepúlveda enumera diversos episódios que teriam sido preponderantes para a sua decisão, mas o fato marcante foi sem dúvida a verdadeira humilhação a que foi submetido pelo advogado Cristiano Zanin. Segundo o jornal O Globo, Lula disse que não aceita a renúncia. Sepúlveda terá que comparecer a Curitiba para conversar com o petista. O encontro dever ocorrer no decorrer desta semana. Jornal da Cidade