Pular para o conteúdo principal

Gorila abatido num zoo dos EUA após agarrar criança de quatro anos


Criança saltou a vedação e caiu no espaço do gorila. O animal agarrou-o e arrastou-o. Os responsáveis do zoo, por precaução, abateram-no.



Um tranquilizante não teria sido solução porque, segundo os responsáveis do jardim zoológico de Cincinnati, nos EUA, exige algum tempo para fazer efeito. Por isso, o gorila Harambe acabou por ser abatido depois de arrastar uma criança de quatro anos que caiu no seu espaço. Segundo a Reuters, o rapaz de quatro anos passou a barreira de protecção e caiu do muro com quase quatro metros de altura que separa os animais dos visitantes e que tem um pouco de água. O acidente ocorreu por volta das quatro da tarde deste sábado e o espaço à volta do recinto dos gorilas ficou vedado durante o resto do dia.

Harambe, com 17 anos e 181 quilos, não terá resistido à curiosidade e aproximou-se da criança, arrastando-a neste fosso. O gorila e o menino estiveram lado a lado durante cerca de dez minutos. A equipa do zoo considerou que o menino estava numa situação de perigo e "foi decidido abater Harambe”, disse o director do jardim zoológico, Thane Maynard, citado pela Reuters. O rapaz, que não foi identificado, foi transportado para o hospital para observação. A agência noticiosa afirma que a criança não sofreu ferimentos graves mas o Guardian refere o contrário, adiantando que foi transportado para o hospital pediátrico da cidade em estado grave. A BBC nota que não foi divulgada nenhuma informação sobre o estado de saúde da criança mas que "presume-se que vá recuperar".

“Eles fizeram uma escolha difícil, mas fizeram a escolha certa, porque salvaram a vida de um menino. Poderia ter sido muito grave”, justificou ainda Maynard, citado pelo Guardian. Um relatório da equipa de bombeiros que foi chamada ao local também refere, diz o jornal britânico, que o gorila estava “a agarrar e a atirar a criança com violência”. O rapaz estava no meio das pernas do gorila quando o animal foi abatido, adianta o mesmo relatório.




Em declarações ao jornalistas, Thane Maynard referiu que, apesar de não parecer que Harambe estivesse a atacar a criança, o animal “é muito forte” e encontra-se numa situação confusa. O director do jardim zoológico, citado pelo Guardian, afirmou ainda que o recurso a um tranquilizante não seria suficiente para o imobilizar imediatamente e deixaria o rapaz em perigo.

Duas gorilas fêmeas também estavam no recinto, mas não se terão aproximado da criança. Harambe nasceu no jardim zoológico de Gladys Porter, no Texas, e vivia neste espaço em Cincinnati desde 2014.

Terá sido a primeira vez que as equipas deste jardim zoológico foram forçadas a matar um animal numa situação de emergência. “Foi um dia muito triste”, declarou Thane Maynard.

Na semana passada, dois leões também foram abatidos num jardim zoológico no Chile após um homem ter entrado na sua jaula, numa aparente tentativa de suicídio. 

Publico Uol

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade