Pular para o conteúdo principal

MICHEL TEMER ELIMINA MINISTÉRIO QUE DEFENDE NEGROS, MULHERES E LGBTS.

Após afastamento de Dilma, presidente interino já está se movimentando para dar prosseguimento aos trabalhos do Executivo.





Temer exclui Ministério dos Direitos Humanos
Temer exclui Ministério dos Direitos Humanos


Na manhã desta quinta-feira, o
Brasil acordou com um novo
presidente da república em
exercício. Afastada por 180 por
  decisão da  maioria do Senado
Federal,Dilma Rouseff
 (PT), será investigada e
pode sofrer impeachment de
seu mandato.
Com isso, Michel Temer
(PMDB) recebeu autorização para
governar o país e já tomou providências
, como dar posse a novos ministros.
Contudo, as mudanças das pastas
 do Executivo federal não agradou
 muita gente. Buscando "enxugar"
ministérios, ele deixou de fora o das
 Mulheres, Igualdade Racial, Direitos
 Humanos e Juventude e também o da
 Cultura, eliminando-os de seu governo.
 A opção por escolher apenas homens para
trabalhar ao seu lado também causou
revolta dos eleitores, que o chamaram de "machista".


Discurso de posse


Durante a cerimônia de entrega dos novos Ministérios às autoridades escolhidas por
Temer, o presidente da república interino fez um discurso informando que vai fazer um
"governo de salvação nacional". Ele disse que não queria fazer uma cerimônia muito
pomposa, já que o momento que o país passa não permite isso...


Blastingnews

Comentários

rogério souto disse…
A verdade é que não são os eleitores que reclamaram pela extinção de tais ministérios e sim os "jornalistas" militantes de esquerda.
Pb Fernando disse…
O Brasil precisa libertar-se de todas as estratégias comunistas que o desgoverno PTralha tentou instalar no país para implantar o comunismo.
Borys Gamer disse…
Ainda bem,estes ministerial tava causando mais a divisão das pessoas por cor,sexo e orientação sexual,por privilegiar algumas pessoas. Estes ministerial não tinha como objetivo,a iguadade,mas sim a divisão dos brasileiros. Só por eles falarem em elite branca,já dizia tuda as intenções.
Concordo plenamente com a defesa em relação o nosso país. Tem que ser passado a limpo em todos os aspectos. Nem PT, nem PMDB ou qualquer outro partido. Os corruptos tem que ser tirado do poder. Mas com relação ao ministério da cultura não vejo nenhum problema se incorporar ao ministério da educação. Educação e cultura anda juntos. Agora esse bla bla bla é porque alguém está perdendo dinheiro com essa junção dos ministérios. Eles querem assegurar as suas tetas. O ministério da cultura tem gastado mais do que arrecadam. Se não me falha a memória a dívida do ministério da cultura chega a 2,6 milhões de reais. Sem contar que alguns ministério serve mesmo é de cabides. Não tô dizendo que ele não é importante mas penso que ele ficará bem com ministério da educação.
Defendo aqui que o Brasil precisa imediatamente de eleições até o final do ano. O problema é: quem, quem está qualificado para assumir.

Postagens mais visitadas deste blog

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Descontrolada, Gleisi diz que o juiz Sérgio Moro é 'safado e sem-vergonha'; assista

A senadora Gleisi Hoffmann subiu à tribuna do Senado para defender a tentativa de tirar o ex-presidente Lula da cadeia com um habeas corpus ilegal concedido por um desembargador militante no plantão, contrariando o próprio Tribunal, as cortes superiores, e o CNJ. Descontrolada, Gleisi concentrou seus ataques no juiz Sérgio Moro, que ela chamou de "safado e sem-vergonha". Gleisi ainda garantiu que "O Brasil vai pagar muito caro, a democracia brasileira vai pagar muito caro. E eu tenho certeza de que vamos criar situações muito graves no Brasil ainda de instabilidade, a que nós não vamos conseguir dar direção e saída".



Assista: 

Leia também: