Subscribe:

7 de junho de 2016

Gilmar Mendes diz que vazamento de pedidos de prisão é "brincadeira com o STF

Ministro do Supremo condenou a divulgação de pedido feito pela PGR pedindo a prisão de integrantes da cúpula do PMDB

Estadão Conteúdo
Ministro do STF Gilmar Mendes foi ouvido discutindo em tom exaltado sobre vazamentos
Nelson Jr./SCO/STF - 7.6.16
Ministro do STF Gilmar Mendes foi ouvido discutindo em tom exaltado sobre vazamentos
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes fez uma dura crítica ao vazamento da informação de que a Procuradoria-Geral da República havia pedido a prisão de integrantes da cúpula do PMDB. "Não se pode brincar com esse tipo de coisa. Tem-se um processo oculto, pede-se sigilo, mas divulga-se para a imprensa. Isso é algo grave, não se pode cometer esse tipo de coisa. Isso é uma brincadeira com o Supremo. É preciso repudiar isso de maneira muito clara", disse.
Questionado sobre quem teria vazado, o ministro evitou apontar culpados, mas afirmou que "quem está fazendo isso está cometendo crime".
Após fazer as declarações à imprensa, foi possível ouvir o ministro comentando o assunto, de maneira exaltada, com outros colegas antes do início da sessão da segunda turma do Supremo.
A divulgação da informação de que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do senador Romero Jucá (PMDB-RR) e do ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) foi feita pelo jornal 'O Globo', nesta terça-feira (7) e confirmada pelo jornal "O Estado de S. Paulo" com fontes da investigação. Pesa sobre os três peemedebistas a suspeita de que eles atuaram para atrapalhar o andamento da Operação Lava Jato.
Há também um pedido de prisão contra o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que, na avaliação da PGR, mesmo longe do cargo continuaria interferindo nos trabalhos da Casa.
O vazamento incomodou outros integrantes do Supremo, que viram no ato uma intenção de pressionar o ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato, a tomar um posicionamento.
Reservadamente, um ministro atentou para o fato de que os pedidos chegaram na Corte há algum tempo e até agora não há uma decisão sobre eles. Segundo a reportagem apurou, esses requerimentos teriam sido enviados ao Supremo há mais de duas semanas.
Nesse meio tempo, vieram a público gravações feitas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, que implicou a cúpula peemedebista na Lava Jato em sua delação premiada.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...