Pular para o conteúdo principal

Principal problema imediato para presidente interino é Renan


Alan Marques/Folhapress
BRASÍLIA, DF, BRASIL, 09.06.2016. O presidente do Senado, senador Renan Calheiros, dá entrevista após sair do seu gabinete no Senado Federal. (FOTO Alan Marques/ Folhapress) PODER
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL)



Para o presidente interino, Michel Temer (PMDB), aacusação feita por Sérgio Machado é obviamente péssima, mas não é neste momento o maior dos problemas que a delação do ex-presidente da Transpetro lhe causa.
Para ser mortal, a citação, por ora, depende de informações complementares: a empreiteira confirmando a encomenda em seu nome, a operação ponta a ponta. A dificuldade de rastrear o dinheiro é a beleza, por assim dizer, do esquema revelado pela Lava Jato no petrolão.
O maior problema para o Planalto se chama hoje Renan Calheiros (PMDB-AL). Machado está para ele como Delcídio do Amaral estava para o PT: é um homem seu.
Um presidente do Senado mordido já mostrou a que veio ao questionar os termos do projeto que limita gastos do governo. Se ferido de morte, seguindo os passos de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na Câmara, seu nome passa a ser imprevisibilidade.
Renan sempre foi seu desafeto, e trabalhou contra o processo de impeachment de Dilma Rousseff. Se a votação final do caso no Senado possui certa blindagem, o que não quer dizer imunidade contra influências, o mesmo não pode ser dito do encaminhamento de medidas.
A eventualidade de um vácuo poderia gerar um apagão no Legislativo no momento em que o governo aposta todas suas fichas justamente na cooperação com o Poder.
Este é um cenário hoje extremo. Ao menos até ficar clara a disposição de Renan de enfrentar o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
Sob olhares desconfiados de políticos de A a Z, o procurador-geral sofreu uma derrota ao ver o pedido de prisão do senador e de outros próceres do PMDBrejeitado pelo Supremo. Isso animou Renan a engrossar a voz e avaliar o pedido de impeachment contra Janot que apareceu numa árvore do Senado tal e qual o proverbial jabuti.
Além disso, se a Lava Jato segue intocável no imaginário popular, pode ser erodida aos poucos por medidas oriundas do Legislativo.
Neste ponto, a amplitude da delação de Machado traz problemas para os petistas que ainda subscrevem a visão do partido de que a Lava Jato foi "braço operacional do golpe". A cautela da reação do petismo é eloquente.
Por fim, há vários personagens atingidos mais ou menos lateralmente no episódio, como o tucano Aécio Neves. O estrago maior, na superfície e nos intestinos, ficou na conta do governo e do PMDB.

Folha

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Discurso de Janaína Paschoal causou pânico no establishment

O discurso de Janaína Paschoal na convenção do PSL, que lançou Jair Bolsonaro na disputa pela presidência da República, causou pânico na grande mídia e na esquerda, ou seja, no establishment. 
Foi notável que logo após a fala da jurista no evento, a grande mídia tratou de tentar joga-la contra o partido. Teve grande mídia dizendo que ela irritou aliados. Teve outra dizendo que ela criticou os eleitores de Bolsonaro.  No entanto, como já estamos cansados de saber, quando a grande mídia critica algo, é porque esse é o caminho certo.  Filipe Martins, no Twitter, explicou o porquê deste discurso ter incomodando tanto a velha imprensa. 
Confira em 7 tuítes:




Filipe G. Martins@filgmartin  · 
1. O discurso da Janaína está cumprindo um papel importante na transição da campanha do Deputado Jair Bolsonaro.

Toffoli manda recado a Zanin

Zanin conseguiu angariar a antipatia generalizada e hoje é um estorvo na defesa do meliante Lula.O ministro Dias Toffoli está disposto a apagar a pecha que lhe foi impregnada de ‘petista’.

De antemão, usou o jornal Folha de S.Paulo para mandar um recado com endereço certo. O advogado Cristiano Zanin.

Caso ele assuma o plantão do Supremo Tribunal Federal (STF), não adianta entrar com habeas corpus em favor do ex-presidente Lula. Ele não concederá liminar, em hipótese alguma.

A preocupação atual do ministro é assumir sem problemas a presidência do STF.

Outro fator preponderante para o posicionamento de Toffoli, segundo fonte segura, é a aversão entre todos os ministros do STF ao próprio advogado.

Zanin conseguiu angariar a antipatia generalizada e hoje certamente é um estorvo na defesa do meliante petista.

Por outro lado, há quem diga que Toffoli não é petista. É ‘Dirceusista”.

Faz sentido. Zé Dirceu está solto.

Jornal da Cidade