Pular para o conteúdo principal

Temer não quer nenhum petista no governo



michel temer
O presidente Michel Temer, ordenou acelerar as demissões de servidores ligados ao PT que ainda ocupam cargos no segundo e terceiro escalão do governo. A equipe do presidente pediu um levantamento do número de postos que ainda abrigam indicações consideradas políticas e orientou que os quadros petistas sejam substituídos o mais rápido possível. As informações são de Marina Dias e Daniela Lima Na Folha de S. Paulo.

Nas palavras de um auxiliar de Temer, os funcionários ligados ao partido da presidente afastada Dilma Rousseff que ainda permanecem em secretarias e diretorias “estão atrapalhando o andamento da gestão”. “O clima é de guerra”, sentenciou o assessor.
O discurso oficial é que as indicações políticas serão trocadas, preferencialmente, por nomes de perfil técnico, mas sabe-se que os cargos de segundo e terceiro escalão são um flanco muito cobiçado por partidos aliados, que desejam ocupar os postos para garantir mais espaço no governo.
GABINETE DE DILMA
Além de apressar a saída dos petistas que ainda estão em cargos-chave de sua gestão, Temer pretende revisar e cortar o número de postos que Dilma levou para trabalhar com ela no Palácio da Alvorada.
Antes de ser afastada do cargo, em 12 de maio, a petista deu sinais de que pretendia manter uma equipe de 12 a 15 assessores para auxiliá-la. Segundo levantamento da equipe de Temer, porém, Dilma acabou recrutando 36 cargos, sendo 31 do gabinete da Presidência e cinco ajudantes de ordem.
Surgiu então um problema. Temer acabou sem espaço para nomear seus assessores. Pior: Dilma levou os maiores salários e os melhores postos. Dos 31 cargos da Presidência, 16 estão no topo da remuneração.
Irritado, o presidente interino determinou que a Casa Civil fizesse um “estudo jurídico” para verificar se Dilma realmente precisava de todos esses auxiliares e, de acordo com a assessoria da petista, só na semana passada duas pessoas foram exoneradas e a expectativa é que novos nomes sejam cortados em breve.
Segundo auxiliares de Dilma, porém, a Presidência da República dispõe de 120 cargos e, portanto, Temer teria ainda 89 postos livres para nomeação. Além disso, dizem os petistas, o presidente interino pode fazer uso dos 40 cargos da vice-presidência que ainda estão à sua disposição.
A equipe de Dilma reclama das restrições do governo Temer e diz que o Planalto se recusa a pagar despesas de assessores que acompanham a presidente afastada em viagens pelo país. Da última vez que Dilma esteve em Porto Alegre, por exemplo, auxiliares precisaram pagar a hospedagem do próprio bolso.
O ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) acionou o Ministério do Planejamento para tentar encontrar uma saída para o problema.
Na semana passada, a Casa Civil divulgou parecer em que permite Dilma utilizar aviões da FAB (Força Aérea Brasileira) somente quando viajar de Brasília a Porto Alegre, onde vivem seus familiares.
O advogado da petista, José Eduardo Cardozo, reagiu e protocolou nesta terça (7) ofícios no Planalto, no Senado e no STF (Supremo Tribunal Federal) para dizer que os cortes “constrangem” a defesa de Dilma. Segundo o documento, Dilma passaria a viajar de avião comercial ou via terrestre e sua segurança, nestes casos, seria de total responsabilidade de Temer.
Para cumprir agenda em Campinas (SP) nesta quinta-feira (9), porém, Dilma recuou e decidiu alugar um jato para fazer o deslocamento. Os custos serão pagos pelo PT e a justificava oficial foi exatamente a “questão de segurança”
(foto: divulgação)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Advogado desiste de defender Lula

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e um dos principais advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Sepúlveda Pertence enviou uma carta ao petista, na sexta-feira passada, em que comunicou sua intenção de deixar a banca de defesa “com pesar”. Segundo dirigentes do PT, Pertence deixou claro que as divergências com outros advogados da causa motivaram a decisão. O manuscrito foi levado a Lula, preso em Curitiba desde 7 de abril, pelo filho de Pertence, Evandro.
Na quarta-feira, o advogado Sigmaringa Seixas se encontrou com Lula em Curitiba para falar que Pertence queria deixar a sua defesa. O ex-presidente foi reticente e disse que não aceitaria que o ex-ministro, seu amigo há 40 anos, saísse da causa.
Na sexta-feira, ao receber a carta de Evandro, Lula repetiu que era contra a renúncia de Pertence e não quis ler o documento, que ficou com ele. O petista e seu advogado devem conversar pessoalmente nos próximos dias para definirem se o medalhão permanecerá ou não na banc…

Com o bolso cheio e a moral esfacelada, Sepúlveda deixa a defesa de Lula

Lula não aceita e chamou Sepúlveda para conversar em Curitiba.
É oficial. O ex-ministro Sepúlveda Pertence não faz mais parte da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em carta, ele anunciou ‘com pesar’ sua intenção de deixar a banca de defesa. A missiva de Sepúlveda foi entregue ao presidiário por seu filho Evandro Pertence. O ex-ministro encerra assim um dos episódios mais tristes e vergonhosos de sua carreira. Sepúlveda enumera diversos episódios que teriam sido preponderantes para a sua decisão, mas o fato marcante foi sem dúvida a verdadeira humilhação a que foi submetido pelo advogado Cristiano Zanin. Segundo o jornal O Globo, Lula disse que não aceita a renúncia. Sepúlveda terá que comparecer a Curitiba para conversar com o petista. O encontro dever ocorrer no decorrer desta semana. Jornal da Cidade