Pular para o conteúdo principal

Bianca Toledo fecha igreja que mantinha com marido acusado de pedofilia


Os pastores Felipe Heiderich e Bianca Toledo fundaram uma igreja juntos
Os pastores Felipe Heiderich e Bianca Toledo fundaram uma igreja juntos Foto: Reprodução
Luã Marinatto
Tamanho do texto A A A
A pastora Bianca Toledo decidiu fechar as portas do Ministério AME (Associação Mundial de Evangelização e Ensino), entidade que mantinha com o marido, o também pastor Felipe Heiderich. Segundo a religiosa, a medida foi tomada assim que surgiu o relato de que o companheiro abusou sexualmente do enteado de 5 anos, filho de um relacionamento anterior de Bianca. O caso tornou-se público na última quarta-feira, a partir de um vídeo divulgado pela própria pastora. Felipe nega todas as acusações.
— Assim que eu soube do ocorrido me reuni com os membros e encerrei a igreja — contou a pastora ao EXTRA.
De acordo com ela, a AME foi criada oficialmente há apenas quatro meses, embora os dois já viessem realizando pregações e outros projetos conjuntos ligados à religião desde o casamento, no fim de 2013. Felipe constava como presidente do ministério.
Bianca conta ainda que, em janeiro, o marido se tornou pastor associado da Kingdom Global Ministries (KGM), organização da qual ela já fazia parte, em Dallas, no Texas. Ao serem informados das denúncias contra Felipe, os religiosos norte-americanos decidiram suspender a licença do ministério concedida ao pastor, como mostra uma carta a que o EXTRA teve acesso, assinada pelo fundador Larry Titus.
Carta de Larry Titus, do Kingdom Global Ministries (KGM), a Felipe Heiderich
Carta de Larry Titus, do Kingdom Global Ministries (KGM), a Felipe Heiderich Foto: Divulgação
No site da KGM, Larry é descrito como uma espécie de missionário com mais de 50 anos de experiência ministerial. A página fala em um “compromisso com missões globais que resulta em milhares de igrejas, escolas e orfanatos estabelecidos em todos os continentes”. Na carta para Felipe Heiderich, escrita em português e datada de 17 de junho, o religioso diz: "Embora nós continuemos a te amar e a orar por você, é impossível mantermos sua licença ministerial".
— Apresentei o Felipe aos meus líderes em Dallas, e respaldaram o ministério dele. Mas, imediatamente ao saber que tinha molestado o enteado, foi retirada a licença para atuar como ministro do evangelho — resume Bianca, acrescentando: — Felipe dizia, para mim e para todos, que era ordenado há mais de dez anos. Ele era reconhecido no país todo como pastor, mas aqui no Brasil não fazia parte de nenhuma entidade.
Com o fechamento da AME, Bianca pretende, agora, continuar atuando como missionária da Igreja Batista, atividade que iniciou em 2011. Além disso, a pastora, também ordenada pela KGM, planeja prosseguir com o ministério PROVAVIVA, pelo qual realiza conferências no mundo todo.
Vídeo
Na noite desta sexta-feira, Bianca Toledo publicou um vídeo no Facebook dizendo que tomou todas as providências assim que soube do ocorrido e que vai tirar um mês sabático para ficar com o filho.
"Há 20 dias, estou sabendo do fato e estou tão perpelexa quanto vocês. Sou a pessoa mais devastada nesta história e ninguém pode imaginar o que meu filho está passado. Por isso, estou passando todo o meu tempo com ele. Vou tirar um mês sabático ministrando a vida dele, brincado com ele e protegendo ele. Não estou com raiva de ninguém, não quero promover a revolta em relação a ninguém. Estou agindo com justiça e protegendo a minha casa", disse a pastora no vídeo.


Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/bianca-toledo-fecha-igreja-que-mantinha-com-marido-acusado-de-pedofilia-19679084.html#ixzz4DvqoSQcK

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Advogado desiste de defender Lula

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e um dos principais advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Sepúlveda Pertence enviou uma carta ao petista, na sexta-feira passada, em que comunicou sua intenção de deixar a banca de defesa “com pesar”. Segundo dirigentes do PT, Pertence deixou claro que as divergências com outros advogados da causa motivaram a decisão. O manuscrito foi levado a Lula, preso em Curitiba desde 7 de abril, pelo filho de Pertence, Evandro.
Na quarta-feira, o advogado Sigmaringa Seixas se encontrou com Lula em Curitiba para falar que Pertence queria deixar a sua defesa. O ex-presidente foi reticente e disse que não aceitaria que o ex-ministro, seu amigo há 40 anos, saísse da causa.
Na sexta-feira, ao receber a carta de Evandro, Lula repetiu que era contra a renúncia de Pertence e não quis ler o documento, que ficou com ele. O petista e seu advogado devem conversar pessoalmente nos próximos dias para definirem se o medalhão permanecerá ou não na banc…

Com o bolso cheio e a moral esfacelada, Sepúlveda deixa a defesa de Lula

Lula não aceita e chamou Sepúlveda para conversar em Curitiba.
É oficial. O ex-ministro Sepúlveda Pertence não faz mais parte da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em carta, ele anunciou ‘com pesar’ sua intenção de deixar a banca de defesa. A missiva de Sepúlveda foi entregue ao presidiário por seu filho Evandro Pertence. O ex-ministro encerra assim um dos episódios mais tristes e vergonhosos de sua carreira. Sepúlveda enumera diversos episódios que teriam sido preponderantes para a sua decisão, mas o fato marcante foi sem dúvida a verdadeira humilhação a que foi submetido pelo advogado Cristiano Zanin. Segundo o jornal O Globo, Lula disse que não aceita a renúncia. Sepúlveda terá que comparecer a Curitiba para conversar com o petista. O encontro dever ocorrer no decorrer desta semana. Jornal da Cidade