Nesse final de semana a presidente afastada, Dilma Rousseff, concedeu uma entrevista ao jornal de Portugal"Diário de Notícias", onde afirmou que não foi convidada para as Olimpíadas, nem para a abertura ou encerramento dos jogos.
Dilma afirmou que, até o momento, não chegou até ela nenhum convite oficial do comitê organizador ou dos brasileiros. A presidente afastada também disse que não comparecerá ao evento em nenhuma circunstância que venha a diminuí-la.
Rousseff ainda complementa sua resposta ao jornal português, dizendo que ela deveria ser convidada, uma vez que os recursos para a realização dos jogos, bem como da segurança do evento, partiram do seu governo.
A presidente afastada aproveitou para dizer que Eduardo Cunha colocou o presidencialismo do Brasil em risco a partir do momento que acatou o pedido do seu impeachment na Câmara dos Deputados. O peemedebista renunciou à presidência da Câmara na última quinta-feira, 7.

O evento de abertura, a presidente afastada e o presidente interino

O presidente interino do Brasil, Michel Temer, estará presente na tribuna presidencial ao lado das autoridades organizadoras do evento, o que ocorrerá às 20h, do dia 5 de agosto.
Na ocasião, acontecerá a apresentação das seleções de atletas de todos os países participantes dos jogos, bem como, haverá um show musical com Caetano Veloso, Anitta e Gilberto Gil, ambos contratados pelo comitê e não pelo governo.
Esse será o primeiro grande evento que terá a participação de Temer  como presidente em exercício no Brasil. Caso Dilma seja convidada nos próximos dias, os dois poderão dividir o mesmo espaço em uma situação inédita. A decisão sobre o convite da presidente afastada é exclusiva do comitê do evento. O presidente da organização informou que se encontrará com Temer antes de decidir se convida ou não Dilma Rousseff para a abertura dos jogos olímpicos no Rio.
Chefes de diversos estados estarão na abertura dos jogos, como presidentes e vie-presidentes e primeiros-ministros. Os jogos ocorrerão entre dias 5 e 21 de agosto e a votação do impeachment da presidente afastada deve ser marcada para data posterior ao encerramento das Olimpíadas.

Blastingnews