Pular para o conteúdo principal

Vaza áudio polêmico no qual pastor da família Valadão opina sobre caso de pedofilia

Reprodução/IBL
Nesta quinta-feira (7), despontou nas redes sociais uma nova polêmica envolvendo o caso de pedofilia que virou notícia em todo país no início da semana. Felipe Heiderich está preso suspeito de ter abusado do próprio enteado, um menino de apenas 5 anos. A pastora Bianca Toledo, mãe da vítima, denunciou o marido missionário após descobrir indícios do crime. Até então, o casal era conhecido por ministrar cultos em diversas cidades brasileiras.
O caso veio à tona após Bianca fazer um desabafo em vídeo postado no Facebook. Nesta quinta-feira, ela publicou um texto no qual agradeceu o apoio de Silas Malafaia e se disse surpresa com a visão de cristianismo de Felippe Valadão, cunhado de Ana Paula Valadão e genro do pastor Márcio Valadão, presidente da Igreja Batista da Lagoinha.
“Ao @felippevaladao me resta alertar que sinto muito pelos áudios enviados pedindo aos lideres que não me apoiem. Com todo respeito, me surpreendi com sua mensagem e sua visão de cristianismo. Deus te abençoe!”, escreveu Bianca.





Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

O áudio em questão teria sido enviado pelo pastor Felippe para um grupo de jovens da Igreja Batista da Lagoinha em Niterói. Na gravação, o líder revela que tinha conhecimento do caso antes da denúncia se tornar pública. “Esta bomba já é antiga. Nossa família já está sabendo disso há algumas semanas, mas ninguém podia se pronunciar enquanto eles não se pronunciassem, né!?”, pontuou.
Em seguida, Felippe aconselha que os fiéis não se posicionem sobre o assunto. “Ele foi preso a princípio. O advogado está tentando o habeas corpus. E é por isso que a Bianca está fazendo essa denúncia no Instagram, para ele não ser solto. Mas toda história tem dois lados. A gente não deve ficar do lado de ninguém. Não se sabe ainda se essa história de pedofilia é verídica”, ressaltou.
“Quanto menos a gente puder expor essa situação, menos a gente vai expor o evangelho. Principalmente para os nossos amigos não crentes em redes sociais”, concluiu.
Ouça na Integra

:

Curiosamente, o pastor Felipe Heiderich já ministrou em um Culto da Mocidade da Igreja Batista de Lagoinha em Belo Horizonte. Ele esteve pela primeira vez no templo em julho de 2015 (veja o vídeo).
Repercussão
Vários seguidores de Felippe Valadão o questionaram sobre o áudio. O fato dele ter supostamente desaconselhado o apoio à pastora Bianca repercutiu mal no Facebook.
Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook
Horas após publicar o desabafo citando o missionário, Bianca editou o texto retirando o nome do pastor. Logo em seguida, o líder da Igreja Batista da Lagoinha em Niterói postou uma mensagem condenando a pedofilia. Ele também respondeu questionamentos de seguidores e ressaltou que tudo não passava de uma tentativa de difamá-lo.
Bhaz tentou entrar em contato com Felippe pelas redes sociais e na Igreja Batista da Lagoinha em Niterói, mas o pastor não foi localizado para comentar o conteúdo do áudio divulgado.
Prisão de Felipe Heiderich
Bianca e Felipe se casaram em 2013. Na época, a pastora já tinha um filho de apenas dois anos de idade fruto de um relacionamento anterior. O menino teria sido vítima de abusos do padrasto. Segundo o senador Magno Malta (PR-ES), a própria mãe denunciou o caso após descobrir indícios das investidas do marido (assista ao vídeo).
Felipe está preso em Bangu, no Rio de Janeiro. Durante a tarde de quarta-feira (6), o advogado do pastor divulgou uma nota afirmando que as acusações contra seu cliente são falsas. “Informamos ainda que não iremos em busca da mídia para promover qualquer de nossos interesses, iremos sim provar a inocência de Felipe nos autos do inquérito policial, confiando no trabalho da Policia e da Justiça! Orem por Felipe para que ele tenha forças para superar essa grave injustiça, e peçam a Deus que ele faça apenas JUSTIÇA, nada mais!”, ressaltou o advogado Leandro Meuser.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade