Pular para o conteúdo principal

JOAQUIM BARBOSA CRITICA IMPEACHMENT: UM LOBO EM PELE DE CORDEIRO




O Brasil é mestre em criar seus falsos heróis. Joaquim Barbosa é desse tipo. Durante o processo do mensalão, o então ministro do STF fez fama nacional e foi aplaudido por muitos, com alguma razão, por se mostrar duro com os bandidos, apesar de ser eleitor do PT. Passou a ser odiado pelos petistas, alvo de ataques racistas da blogsfera suja, e ovacionado pelo povo. Mas é preciso mais cuidado. Joaquim nunca deixou seu ranço esquerdista de lado, e não era um grande herói.


Isso começou a ficar claro quando pediu para sair antes da data de sua aposentadoria, abrindo uma vaga no STF para o PT aparelhar mais ainda a instituição com seus companheiros. No momento em que o país mais necessitava de um ministro independente do PT, Joaquim Barbosa pulou fora de maneira inesperada, pegando todos de surpresa. Alegou dores nas costas, cansaço, e muitos desconfiaram de ameaças à sua vida.

O fato é que um herói de verdade não agiria assim. Seria como o juiz Sergio Moro abandonar sua carreira agora, prestes a concluir a Operação Lava-Jato com a tão esperada prisão do ex-presidente Lula. Moro, até aqui, tem se mostrado um herói à altura, coisa bem rara nesse país. Joaquim Barbosa não honrou a fama, e foi aos poucos caindo no ostracismo. Ou coisa pior: flertando com a ideia de uma candidatura para presidente, muitos o colocaram num papel de “messias salvador” da Pátria. Nada mais perigoso do que isso!

Mesmo durante o exercício de sua função no STF, Barbosa demonstrara pouco respeito à liturgia do cargo, e aparentava algum destempero. O messianismo de um indivíduo na política é uma das coisas mais perigosas que existem. Barbosa pode ter sido firme com alguns petistas (faltaram outros, não é mesmo?) durante o mensalão, mas isso não faz dele alguém capacitado a liderar uma nação. Ele nunca deixou de ser de esquerda e, nesse aspecto, eu já o considerava tão perigoso quanto Marina Silva, outra que despertava as esperanças de parcela da população.
Pois bem: vejam as recentes declarações do ex-ministro do Supremo. São de arrepiar! Ele dá a entender que Dilma foi derrubada numa espécie de “golpe”, fazendo coro aos próprios petralhas, e que seis parlamentares poderosos resolveram tirá-la do poder por coisas banais. Isso mesmo! Esqueçam os milhões de brasileiros nas ruas, gritando, pressionando. Esqueçam as pesquisas, que apontavam uma rejeição enorme a Dilma e cerca de 60% pedindo o impeachment. Esqueçam os 11 milhões de desempregados. Esqueçam as pedaladas e um país totalmente quebrado. Foram seis parlamentares poderosos que resolveram tirá-la de lá:
O


Joaquim Barbosa ainda clama por novas eleições, uma solução inconstitucional. Típica bandeira da esquerda, do PT, de quem não sabe perder. O impeachment foi legítimo, contou com amplo apoio popular, e Michel Temer tem feito um governo razoável até aqui. O Brasil precisa de calma e paz para aprovar as reformas importantes. A turma do contra, do “Fora, Temer”, tem jogado contra o país, colocando seus interesses políticos à frente de tudo. Joaquim Barbosa empresta seu nome para essa campanha sórdida.


Era um herói com os pés de barro, um falso herói, como tantos que surgem e desaparecem pelo país. Que fique de fora da política, pelo bem do povo. Que vá curtir seu apartamento em Miami em paz, mas sem se meter em aventuras demagógicas pelo Brasil, pois nossa população não merece mais esses “messias salvadores” que não demonstram muito apreço pelo fortalecimento de nossas instituições republicanas.


Rodrigo Constantino

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileiros são acusados de machismo e racismo na Copa da Rússia

Em vídeo viral, um grupo de homens se aproveita do fato de uma jovem russa não saber português para assediar a moça





A Copa da Rússia mal começou e algumas atitudes de torcedores brasileiros provocaram reações inflamadas na internet. Em um vídeo publicado na noite de sábado (16/6), alguns homens se aproximaram de uma jovem estrangeira, aparentemente russa, e fizeram uma gravação com ela. Nas redes sociais, o ato foi apontado como uma demonstração de machismo e racismo. Entre outros impropérios, o grupo cantou “essa buceta é bem rosinha”, referindo-se à cor da mulher. A moça, que obviamente não entende uma única palavra em português, cantou junto a eles, sem ter noção do desrespeito. A objetificação pela qual a estrangeira passa – uma pessoa é reduzida aos órgãos genitais – foi considerada ofensiva pelos internautas. Além do machismo alarmante, tendo em vista que um grupo de adultos achou por bem fazer comentários grotescos sobre o corpo de uma desconhecida na rua, há indícios de racismo…

Veja a lista dos deputados que querem uma CPI para acabar com a Lava Jato

O PT está no centro da articulação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com o objetivo de investigar a suposta venda de “proteção” em delações premiadas por parte de advogados e delatores. Trata-se da "CPI das delações", com potencial para afetar os trabalhos da operação Lava Jato e até extingui-la. 

Segundo o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS), trata-se de uma investigação sobre a "indústria da delação". Os pontos de partida serão as delações dos doleiros Vinícius Claret, o Juca Bala, e Cláudio de Souza, integrantes do esquema comandado por Dario Messer, chamado de “doleiro de todos os doleiros”, que acusam o advogado Antonio Figueiredo Basto, um dos maiores especialistas do País em colaborações premiadas, de cobrar uma “taxa de proteção” de US$ 50 mil mensais (cerca de R$ 185 mil) de outros integrantes do esquema entre 2005 e 2013.
Veja quem são os deputados que assinaram o pedido: 


URGENTE: Fachin pede para 2ª Turma julgar mais um pedido de liberdade de Lula no dia 26

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu para ser incluído na pauta  do dia 26 o julgamento do pedido de liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  O julgamento será na Segunda Turma, integrada por cinco ministros. Caberá ao presidente  do colegiado, Ricardo Lewandowski, marcar uma data para o recurso ser analisado.  No recurso, a defesa do petista pede o efeito suspensivo da condenação do Tribunal  Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) até que os recursos sejam julgados.
Fachin tinha pedido à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, um parecer sobre o  assunto. Essa manifestação ainda não chegou ao STF. Na segunda-feira, Fachin recebeu o  advogado de Lula, Sepúlveda Pertence, em audiência. O advogado pediu rapidez no  julgamento do recurso.
Lula foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelo TRF-4 por corrupção passiva  e lavagem de dinheiro, no caso do triplex do Guarujá. Ele cumpre a pena desde o  início de abril na Superintendência da Polícia Federal…