Pular para o conteúdo principal

Plano de segurança do Rio tem brechas em lugares de graves ocorrências



Rodrigo MattosRodrigo Mattos


Do UOL, no Rio de Janeiro



O Rio de Janeiro teve três casos graves de violência em vias expressas importantes ou perto de instalações olímpicas na primeira semana da segurança reforçada para os Jogos Olímpicos. Há cerca de 50 mil agentes atuando na cidade incluindo polícia, Força Nacional e Forças Armadas. Mas houve incidentes justamente em brechas do plano de proteção da cidade, isto é, onde não houve reforço de agentes externos.

Na noite de sábado (30), houve roubo que gerou pânico no Túnel Rebouças, com carros abandonados pelos motoristas na via e outros saindo na contramão. Houve relatos de tiros, sem confirmação da polícia. Na noite anterior, na sexta-feira, criminosos aproveitaram-se de acidente para assaltar motoristas no Elevado Paulo de Frontin, que dá acesso ao Rebouças. A PM confirmou as duas ocorrências e que os bandidos fugiram e não foram presos.

Ligação entre as zonas sul e norte, o túnel é um principais caminhos de turistas quando saem do Aeroporto do Galeão para a zona sul. Além disso, sua segunda galeria fica próxima da Lagoa Rodrigo de Freitas, onde se realizarão competições de remo e canoagem da Olimpíada.

Ainda assim, ele não foi incluído entre as áreas especiais a serem protegidas por militares em negociação do Ministério da Defesa com o governo do estadual. Há 21 mil membros das Forças Armadas atuando com poder de polícia na cidade: ocupam as áreas da orla, Copacabana e Barra da Tijuca, e Aterro do Flamengo. Além disso, atuam nas vias expressas Linha Amarela, Vermelha e Transolímpica, que dão acerto do aeroporto para a zona oeste. São essas as áreas incluídas na GLO - tratado de cooperação entre Estado e governo federal.

A Polícia Militar informou que faz patrulhamento nos acessos ao túnel e tem um carro fixo entre as suas galerias. Ainda assim, não prendeu nenhum dos criminosos que realizaram os roubos. Há a possibilidade de incluir o Rebouças no plano de proteção feito pelas Forças Armadas em caso de revisão do plano de segurança por parte do governo do Estado e do Ministério da Defesa.

Outro local onde homens armados fizeram arrastão em motoristas foi na rua Paisandu, no Flamengo, na terça. A região fica a 500 metros do Aterro do Flamengo onde há militares armados atuando para proteger as instalações da Marina da Glória, onde ocorrerá a vela. O trecho ainda terá a passagem da maratona olímpica. Militares têm a orientação de intervir se houver ocorrências em suas áreas de atuação, e só podem expandir se houver interrupção das vias.

Além dos militares, o Rio tem o reforço de 6 mil homens da Força Nacional. Mas eles só atuam na proteção de instalações olímpicas, o que inclui, por exemplo, o hotel do COI onde ficam os cartolas da entidade.

Questionado sobre os incidentes durante esta semana, o presidente do COI, Thomas Bach, disse que confia nas autoridades brasileiras para dar segurança à cidade durante os Jogos. “Temos confiança nas medidas de segurança tomadas pelas autoridades. COI tem monitorado medidas de segurança relacionadas. O que vimos que podemos confiar forças militares e de segurança até agora”, afirmou o dirigente.

Do UOL, no Rio de Janeiro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade