Pular para o conteúdo principal

Senador Requião anuncia início de guerra civil e manda 'prepararem as trincheiras'; veja


 
                                                             

Por Rô Moreira

O senador Roberto Requião além de não honrar seu partido o PMDB, ele faz graves ameaças a população em plena tribuna do Senado.

Requião perdeu a noção do perigo, ou senso do ridículo, pois como senador não deveria deixar que sua paixão pelo Partido que nem é o seu, tomasse força no seu discurso.

A muito tempo Requião se comporta como um militante sem responsabilidade e apaixonado pelo PT. Chegando ao ponto de fazer ameaças de guerra civil se o impeachment de Dilma passar.
 Contudo as provas para a condenação da Presidente afastada são irrefutáveis e ela será condenada pelo conjunto da obra, algo que não foi possível ser julgado de maneira clara por uma questão de interpretação errônea e maldosa por parte  dos juristas, do STF e da própria defesa que substituíram o termo exercício da função para exercício do mandato, para assim justificar que os erros do primeiro mandato de Dilma, não poderiam ser levado em conta no segundo mandato como se eles não tivessem  nunca ocorrido, mas, a raiz de toda acusação está no primeiro mandato, lá está o início de tudo.

Comparo a condenação de Dilma Rousseff como a condenação de Alcapone que nos anos 30 durante a lei seca, contrabandeou bebidas e armas para os EUA, provocando a morte de dezenas de pessoas provocadas em guerras desse tráfico de bebidas. E como não tinham materias contra ele, o policial Federal Eliot Ness o acusou de sonegador de impostos. Em resumo, ele foi julgado por sonegação, mas condenado pelo conjunto da obra, assim ocorrerá com Dilma Rousseff.

O comportamento de Requião não faz sentido pois o impeachment de Dilma é certo e inevitável, o Brasil quer isso, portanto não haverá guerra civil, pode haver sim, militantes tentando perturbar a paz da população, mas logo serão cerceados e abafados. O comportamento de Requião, é  na verdade vergonhoso para o Senado e para o Brasil, porque não faz sentido  um senador incitar guerra civil em plena tribuna.


 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Advogado desiste de defender Lula

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e um dos principais advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Sepúlveda Pertence enviou uma carta ao petista, na sexta-feira passada, em que comunicou sua intenção de deixar a banca de defesa “com pesar”. Segundo dirigentes do PT, Pertence deixou claro que as divergências com outros advogados da causa motivaram a decisão. O manuscrito foi levado a Lula, preso em Curitiba desde 7 de abril, pelo filho de Pertence, Evandro.
Na quarta-feira, o advogado Sigmaringa Seixas se encontrou com Lula em Curitiba para falar que Pertence queria deixar a sua defesa. O ex-presidente foi reticente e disse que não aceitaria que o ex-ministro, seu amigo há 40 anos, saísse da causa.
Na sexta-feira, ao receber a carta de Evandro, Lula repetiu que era contra a renúncia de Pertence e não quis ler o documento, que ficou com ele. O petista e seu advogado devem conversar pessoalmente nos próximos dias para definirem se o medalhão permanecerá ou não na banc…

Com o bolso cheio e a moral esfacelada, Sepúlveda deixa a defesa de Lula

Lula não aceita e chamou Sepúlveda para conversar em Curitiba.
É oficial. O ex-ministro Sepúlveda Pertence não faz mais parte da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em carta, ele anunciou ‘com pesar’ sua intenção de deixar a banca de defesa. A missiva de Sepúlveda foi entregue ao presidiário por seu filho Evandro Pertence. O ex-ministro encerra assim um dos episódios mais tristes e vergonhosos de sua carreira. Sepúlveda enumera diversos episódios que teriam sido preponderantes para a sua decisão, mas o fato marcante foi sem dúvida a verdadeira humilhação a que foi submetido pelo advogado Cristiano Zanin. Segundo o jornal O Globo, Lula disse que não aceita a renúncia. Sepúlveda terá que comparecer a Curitiba para conversar com o petista. O encontro dever ocorrer no decorrer desta semana. Jornal da Cidade