Pular para o conteúdo principal

Escritório de filho de ex-ministro do STJ recebeu R$ 11,2 milhões da Odebrecht, diz jornal


POR CONGRESSO EM FOCO· PUBLICADO EM 16/10/2016 09:56

Luiz Silveira/Agencia CNJ
Em julgamento realizado em 2010, Meira considerou prescrita a dívida de R$ 500 milhões da Braskem
Laudo da Polícia Federal mostra que o escritório do filho do ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) José de Castro Meira recebeu pelo menos R$ 11,2 milhões da Odebrecht entre 2008 e 2014. Neste período, em 2010, Meira relatou uma ação na corte que beneficiou a empreiteira, livrando-a do pagamento de multa de R$ 500 milhões. As informações são do jornalista Rubens Valente da Folha de S.Paulo.
O advogado Marco Meira mantinha relações financeiras com a empresa quando, no dia 5 de agosto de 2010 foi realizado julgamento em que a Braskem, braço petroquímico da Odebrecht, era alvo de uma cobrança de R$ 500 milhões por parte da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional. Seu pai, o então ministro José de Castro Meira foi relator do caso e considerou prescrita a dívida.
A Fazenda recorreu da decisão, e, no dia 16 de novembro, José de Castro Meira rejeitou o recurso. Quatro dias antes, a PF identificou o pagamento de R$ 1,4 milhão da Odebrecht para uma das empresas do filho do então ministro.
O processo passou a tramitar no STJ depois que a Fazenda recorreu de uma decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região a favor da Braskem. Na ocasião, a empresa argumentou que os créditos tributários em discussão “haviam sido atingidos pelo prazo prescricional de cinco anos” da expedição das multas até a data de abertura de uma ação de execução fiscal.
A Procuradoria da Fazenda, por sua vez, disse que o TRF não considerou em sua decisão a existência de várias certidões apresentadas pela Braskem ao longo de dez anos. Os documentos atestavam a suspensão de exigibilidade do crédito tributário em discussão, com o objetivo de “obter certidões positivas com efeito de negativas de débitos fiscais”.
O argumento da Fazenda foi recebido pelo ministro da segunda turma do STJ, Herman Benjamin. “Se ficar demonstrado que a empresa apresentou requerimentos nos quais reconhece a existência do débito, houve a interrupção do prazo prescricional”, disse o ministro na época. Mas Castro Meira insistiu que a prescrição já havia ocorrido e o débito teria que ser desconsiderado. Ao final, o relatório a favor da empresa foi aprovado por três votos a um.
Ao todo, a empreiteira realizou pagamentos a duas firmas de Marco Meira: a M Meira Associados e Consultoria e M Meira Advogados Associados e Consultoria. O laudo da PF aponta o repasse de R$ 1,1 milhão no ano de 2008, R$ 407 mil em 2009, R$ 3,1 milhões em 2010, R$ 5,1 milhões em 2012, R$ 231 mil em 2013 e R$ 876 mil em 2014.
Marco Meira informou por meio de sua assessoria que “presta serviços” à Odebrecht há 15 anos, mas não detalhou a natureza dos trabalhos em função de “cláusulas de confidencialidade”. Já a assessoria do ex-ministro argumentou que seu relatório apenas ”acatou na íntegra o parecer do Ministério Público, sem qualquer decisão sobre o mérito da causa”. A Odebrecht disse que não se manifestará sobre o assunto, e a Braskem afirmou que ”segue colaborando com a Justiça e reafirma seu compromisso com a elucidação dos fatos”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade