Pular para o conteúdo principal

No Rio, Malafaia irá apoiar o bispo Marcelo Crivella contra o esquerdista Freixo, diz jornalista



1
O pastor Silas Malafaia deverá atuar de maneira diferente neste segundo turno das eleições municipais, pedindo ao público evangélico que votem em candidatos que não tenham ligação com partidos de esquerda.
Durante o primeiro turno, o pastor usou toda sua influência para denunciar as posições ideológicas dos candidatos de partidos como o PT, PSOL, PCdoB e Rede Sustentabilidade. Com vídeos, alertou para propostas como a ideologia de gênero nas escolas.
Agora, segundo informações do jornalista Lauro Jardim, de O Globo, o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) irá mudar sua postura: “Silas Malafaia tem dito que usou o primeiro turno da eleição para ‘atacar a esquerda’. Criticou Marcelo Freixo, Fernando Haddad, Luiza Erundina, Luciana Genro, Raul Pont e até o estreante Procurador Mauro, de Cuiabá. Mas preferiu evitar pedir votos para algum candidato. No segundo turno, no entanto, será diferente”, informou.
Em São Paulo, com a fatura liquidada por João Dória (PSDB) primeiro turno, com votação superior a 53%, Malafaia não precisará atuar. Se houvesse segundo turno, apoiaria o candidato tucano.
De acordo com Lauro Jardim, com o segundo turno “entre Freixo [PSOL] e Crivella, Malafaia será Crivella desde criancinha, aumentando alguns decibéis em sua cruzada contra a esquerda”, ignorando as desavenças históricas que mantém com a Igreja Universal do Reino de Deus e as discussões que teve nos últimos anos com o senador do PRB.
Por fim, na capital mineira, o pastor irá apoiar o vencedor do primeiro turno: “Em Belo Horizonte, Malafaia irá de João Leite, o candidato tucano que é evangélico desde os tempos em que era jogador de futebol”, concluiu Jardim.

Noticias Gospel Mais

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Discurso de Janaína Paschoal causou pânico no establishment

O discurso de Janaína Paschoal na convenção do PSL, que lançou Jair Bolsonaro na disputa pela presidência da República, causou pânico na grande mídia e na esquerda, ou seja, no establishment. 
Foi notável que logo após a fala da jurista no evento, a grande mídia tratou de tentar joga-la contra o partido. Teve grande mídia dizendo que ela irritou aliados. Teve outra dizendo que ela criticou os eleitores de Bolsonaro.  No entanto, como já estamos cansados de saber, quando a grande mídia critica algo, é porque esse é o caminho certo.  Filipe Martins, no Twitter, explicou o porquê deste discurso ter incomodando tanto a velha imprensa. 
Confira em 7 tuítes:




Filipe G. Martins@filgmartin  · 
1. O discurso da Janaína está cumprindo um papel importante na transição da campanha do Deputado Jair Bolsonaro.

Toffoli manda recado a Zanin

Zanin conseguiu angariar a antipatia generalizada e hoje é um estorvo na defesa do meliante Lula.O ministro Dias Toffoli está disposto a apagar a pecha que lhe foi impregnada de ‘petista’.

De antemão, usou o jornal Folha de S.Paulo para mandar um recado com endereço certo. O advogado Cristiano Zanin.

Caso ele assuma o plantão do Supremo Tribunal Federal (STF), não adianta entrar com habeas corpus em favor do ex-presidente Lula. Ele não concederá liminar, em hipótese alguma.

A preocupação atual do ministro é assumir sem problemas a presidência do STF.

Outro fator preponderante para o posicionamento de Toffoli, segundo fonte segura, é a aversão entre todos os ministros do STF ao próprio advogado.

Zanin conseguiu angariar a antipatia generalizada e hoje certamente é um estorvo na defesa do meliante petista.

Por outro lado, há quem diga que Toffoli não é petista. É ‘Dirceusista”.

Faz sentido. Zé Dirceu está solto.

Jornal da Cidade