Pular para o conteúdo principal

Rodrigo Janot denuncia Érika Kokay por peculato e lavagem de dinheiro


Deputada federal é suspeita de desviar e ocultar a origem de recursos públicos do Sindicato dos Bancários de Brasília. Relator do caso no Supremo, ministro Marco Aurélio, decretou que a parlamentar seja notificada no prazo de 15 dias para que ela formalize sua defesa
Divulgação/Agência Câmara
Erika Kokay terá 15 dias para formalizar defesa junto ao STF
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma denúncia por peculato e lavagem de dinheiro contra a deputada Érika Kokay (PT-DF). Ela é suspeita de desviar e ocultar a origem de recursos públicos do Sindicato dos Bancários de Brasília. A parlamentar foi procurada pelo Congresso em Foco, mas não havia respondido aos questionamentos até o fechamento desta matéria.
No documento, a Procuradoria-Geral da República (PGR) destaca indícios da participação de diretores da entidade sindical. De acordo com as investigações, os envolvidos ou transferiram os recursos públicos desviados ou receberam as quantias ilícitas.
O relator do caso no Supremo, ministro Marco Aurélio, decretou, em despacho assinado no último dia 4 e publicado nesta terça-feira (18), que a parlamentar seja notificada no prazo de 15 dias para que ela formalize a defesa junto à Corte.
“O Procurador-Geral da República oferece denúncia, em separado, contra a deputada federal Érika Jucá Kokay, ante a suposta prática dos delitos tipificados nos artigos 312, cabeça (peculato), do Código Penal e 1º, inciso V (ocultar ou dissimular natureza, origem, localização, disposição, movimentação ou propriedade de bens, direitos ou valores provenientes, direta ou indiretamente, de crime contra a Administração Pública), da Lei nº 9.613/1998. Afirma ter a conduta consistido no desvio de recursos públicos do Sindicato dos Bancários de Brasília e na posterior ocultação da origem das verbas”, diz o documento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Filho de Lula mergulha na depressão: "Meu mundo caiu"

O jovem Luís Claudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, está vivendo em estado de profunda depressão. A informação extremamente abalizada e fidedigna é da respeitabilíssima coluna Radar, da Revista Veja. O quadro depressivo teria se agravado após a prisão do ex-presidente. Luleco, como é conhecido o rapaz, é réu na Operação Zelotes, juntamente com o pai. Os seus advogados já conseguiram adiar o seu interrogatório por quatro vezes. Fortes rumores indicam que Lula, de dentro da cadeia, tenta conseguir através do deputado petista e atual presidente do Corinthians, Andrés Sanches, um time na Europa para o garoto trabalhar. Há quem diga que o seu estado tem se agravado bastante em função do temor de ser preso. Lula quer afastá-lo do Brasil.

Jornal da Cidade

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Advogado desiste de defender Lula

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e um dos principais advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Sepúlveda Pertence enviou uma carta ao petista, na sexta-feira passada, em que comunicou sua intenção de deixar a banca de defesa “com pesar”. Segundo dirigentes do PT, Pertence deixou claro que as divergências com outros advogados da causa motivaram a decisão. O manuscrito foi levado a Lula, preso em Curitiba desde 7 de abril, pelo filho de Pertence, Evandro.
Na quarta-feira, o advogado Sigmaringa Seixas se encontrou com Lula em Curitiba para falar que Pertence queria deixar a sua defesa. O ex-presidente foi reticente e disse que não aceitaria que o ex-ministro, seu amigo há 40 anos, saísse da causa.
Na sexta-feira, ao receber a carta de Evandro, Lula repetiu que era contra a renúncia de Pertence e não quis ler o documento, que ficou com ele. O petista e seu advogado devem conversar pessoalmente nos próximos dias para definirem se o medalhão permanecerá ou não na banc…