Pular para o conteúdo principal

Depoimento de aluna coagida na invasão do centro politécnico da UFPR





Autoritarismo dos extremistas de esquerda

Segue o depoimento de uma aluna de engenharia da UFPR.

“Teve uma tentativa de ocupação do prédio do prédio da administração do campus ontem à noite. Pra hoje a segurança nesse prédio já foi reforçada. No Jardim Botânico o prédio de farmácia, o de terapia ocupacional e o de educação física estão ocupados. A ocupação grande no politécnico é no prédio de ciências da terra. Tenho foto de pedaços da faixada só. Não me deixaram tirar foto do prédio inteiro porque os integrantes do movimento não queriam aparecer. Eu não questionei nada porque eu estava sozinha né. Pedi pra entrar lá, seguindo as regras e tudo mais, aí começaram a me perguntar várias coisas, se eu tava no movimento no meu curso e se eu conhecia o fulano que estuda comigo, que está com eles nas ocupações dos colégios. Eu disse que sim (o cara é um comunista. Já ameaçou quebrar meu carro por causa dos adesivos da lava jato e tal). Aí o cara falou que ele tava lá dentro com eles, nessa eu já fui meio saindo. Eles não deixaram eu entrar porque disse que estavam em assembleia e que não tinha nada pra ver, que a gestão deles é super tranquila.
Na biológicas o curso de biologia, que já estava em greve, está na porta fazendo cartazes enormes, provavelmente para tapar os vidros. Eles tentaram ocupar de manhã mas não deu em nada. Eles me chamaram pra assembleia deles, mas disse que é fechada pra gente da ufpr só. Quando eles perceberam que eu não era “do movimento” já vieram chegando uma galera em volta e tal… o clima é tenso né.”

O que vemos nesses cartazes e nesses depoimentos é um autoritarismo absurdo nessas invasões, digno de regimes totalitários, justamente as ditaduras que eles defendem e que são ensinadas nas escolas e universidades como sendo virtuosas.
É inadmissível permitir que o crime organizado domine as escolas e universidades, ameaçando pessoas e roubando seu direito de ir e vir.

Eder Borges

http://ederborges.com.br/2016/11/05/depoimento-de-aluna-coagida-na-invasao-do-centro-politecnico-da-ufpr/

Comentários

Juzinha disse…
Olá, trabalho no centro politécnico, tive meu prédio (novo prédio da exatas) ocupado nesta terça feira. Ocupação "pacífica", eles deixam os funcionário e professores entrarem, mas você não pode andar de elevador (eu trabalho no quarto andar) porque eles não garantem que se algo aconteça no elevador que vão chamar alguém pra te tirar de lá, você tem que deixar nome, dizer onde vai, quanto tempo vai ficar e eles ficam passando no corredor te vigiando, precisa de autorização pra entrar e pra sair. Agora eu pergunto, que segurança eu tenho para trabalhar num lugar desses? Que tipo de ambiente é esse? E sim, eu disse a minha chefe que não iria trabalhar assim, voltei para a casa na terça e faltei na quarta, mas hoje fui coagida a voltar ao trabalho mesmo com a ocupação acontecendo.

Postagens mais visitadas deste blog

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade