Pular para o conteúdo principal

Para uma boa redação no Enem 2016, professores sugerem deixar a fé de lado


Bruna Souza Cruz
Do UOL, em São Paulo



Os candidatos que fizeram a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) neste domingo (6) tiveram que elaborar uma redação cujo tema foi "caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil". Na avaliação de professores ouvidos pelo UOL, o exame acertou na escolha do tema.

Intolerância religiosa vira tema da redação e de memes no 2º dia do Enem
Veja todos os temas de redação já cobrados no Enem

"O Brasil sempre se orgulhou de conviver bem com a diversidade, de ser miscigenado. Mas, quando vemos que esse fenômeno [da intolerância religiosa] já vem de algum tempo, é assustador. Por isso, o tema é bastante pertinente", afirmou a professora Maria Aparecida Custódio, do laboratório de redação do Curso e Colégio Objetivo.
A própria fé x diversidade de crenças

Os professores foram unânimes ao indicar os cuidados que os candidatos deveriam ter ao escrever a redação: os argumentos do texto precisam estar acima da própria crença; as soluções precisam levar em conta a diversidade de religiões; lembrar que o Estado brasileiro é laico, ou seja, não está relacionado a nenhuma religião.

"Para fazer uma boa redação, o candidato precisava saber dividir as coisas. A objetividade que a argumentação exige é diferente daquilo que ele aprendeu na igreja, na sua família", explicou Flávio Melo, professor de redação do Sistema Ari de Sá.

Thiago Braga, coordenador de redação do colégio pH e autor do sistema pH, concorda. Segundo ele, é fundamental que o candidato respeite a diversidade de crenças existentes no Brasil, independentemente se ele concorda.

"A liberdade religiosa é garantida pela Constituição, e qualquer ato que a desrespeite acaba sendo um desrespeito à própria democracia e à sociedade brasileira", afirmou Braga. "Citar o Estado democrático e o princípio da alteridade[condição do que é do outro, do que é distinto] seria estratégico para argumentar em favor do respeito e da tolerância."

Outra boa estratégia na proposta de intervenção do tema, na opinião da professora Custódio, seria usar, por exemplo, a escola como um espaço de diversidade, racial, ideológica e religiosa.

"O candidato poderia também sugerir que o Poder Legislativo tornasse as leis mais rígidas quanto a qualquer manifestação de violência por conta de diferentes religiões", complementou. "De qualquer forma, era importante que ele não defendesse uma religião em detrimento de outra."

Comentários

Pb Fernando disse…
Na verdade, o foco desses dementes é desdenhar da fé Cristã e fazer oposição a mesma.

Postagens mais visitadas deste blog

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade