Pular para o conteúdo principal

Rio só tem dinheiro para pagar 7 meses da folha em 2017, diz Pezão


Servidores do Estado foram às ruas do centro da capital fluminense vestidos de preto, em protesto contra o pacote de auteridades
De São Paulo
  • Servidores do Estado foram às ruas do centro da capital fluminense vestidos de preto, em protesto contra o pacote de auteridades
O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, afirmou em entrevista à Rádio Estadão, nesta terça-feira, 8, que, no momento, só tem dinheiro em caixa para pagar sete dos 13 meses de folha salarial em 2017.
Segundo ele, se o pacote de austeridade do governo estadual, proposto na semana passada, não for aprovado pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e o Estado não contar com receitas extraordinárias, o máximo que o governo conseguiria pagar seriam sete meses de folha.
"Claro que a gente torce para a economia melhorar, mas não podemos contar com isso e temos que ter medidas que olhem para o futuro e para as dificuldades que teremos".
Pezão afirmou que em 2017 e 2018 o rombo nas contas públicas estaduais será de R$ 52 bilhões. Se as medidas de ajuste forem aprovadas, a estimativa do governo é que haja uma economia de R$ 28 bilhões. Dessa forma, ainda faltariam R$ 24 bilhões.
"Em 2017 e 2018, vamos correr atrás desse valor de R$ 24 bilhões com venda da dívida ativa, venda da folha de pagamento, antecipação dos royalties de petróleo. Mas sem as medidas de ajuste fica impossível equilibrar as contas", disse.
O governador do Rio ainda disse que o aumento da contribuição previdenciária é uma medida comum em fundos de previdência quando há déficit.
"Quando há déficit, todos são chamados para colaborar". Ainda segundo Pezão, a previdência do funcionalismo é muito diferente do regime geral do INSS. "O Estado não tem como arcar com o salário de R$ 21 mil reais dos coronéis da Polícia Militar ou dos Bombeiros que se aposentam com 48, 49 anos, senão vai faltar dinheiro para saúde, educação, para o salário dos ativos".
Segundo Pezão, ele se arrepende de não começar essa discussão sobre o ajuste fiscal há um ano e meio. "Me penitencio por isso."
Ele ainda completou que o País está fadado à falência se não discutir a reforma da Previdência. Pezão comentou que 21 Estados têm déficits na previdência muito maiores que as dívidas que têm com a União.
"Sem reforma da Previdência, não adianta PEC do Teto, não adianta nada, vamos virar gestores de folha de pagamento", adicionou.

Comentários

Pb Fernando disse…
Outro ladrão esse Pezão que, juntamente com seus comparsas quebraram o RJ.

Postagens mais visitadas deste blog

Janaína Paschoal disse: " Se essa dupla acontecer será pra revolucionar o país" na chapa com Bolsonaro

Disse janaína à rádio Eldorado, sobre a possibilidade de ser vice na chapa de Jair Bolsonaero.

E mais: "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue. São duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o país , seria algo significativo."
Sequer conhece o Bolsonaro pessoalmente.

Segundo o Antagonista a decisão de topar ou não a vaga- se o convite acontecer de fato- é "séria demais" e demandaria "um longo diálogo com o candidato".
(Convite aceito)

Discurso de Janaína Paschoal causou pânico no establishment

O discurso de Janaína Paschoal na convenção do PSL, que lançou Jair Bolsonaro na disputa pela presidência da República, causou pânico na grande mídia e na esquerda, ou seja, no establishment. 
Foi notável que logo após a fala da jurista no evento, a grande mídia tratou de tentar joga-la contra o partido. Teve grande mídia dizendo que ela irritou aliados. Teve outra dizendo que ela criticou os eleitores de Bolsonaro.  No entanto, como já estamos cansados de saber, quando a grande mídia critica algo, é porque esse é o caminho certo.  Filipe Martins, no Twitter, explicou o porquê deste discurso ter incomodando tanto a velha imprensa. 
Confira em 7 tuítes:




Filipe G. Martins@filgmartin  · 
1. O discurso da Janaína está cumprindo um papel importante na transição da campanha do Deputado Jair Bolsonaro.

Toffoli manda recado a Zanin

Zanin conseguiu angariar a antipatia generalizada e hoje é um estorvo na defesa do meliante Lula.O ministro Dias Toffoli está disposto a apagar a pecha que lhe foi impregnada de ‘petista’.

De antemão, usou o jornal Folha de S.Paulo para mandar um recado com endereço certo. O advogado Cristiano Zanin.

Caso ele assuma o plantão do Supremo Tribunal Federal (STF), não adianta entrar com habeas corpus em favor do ex-presidente Lula. Ele não concederá liminar, em hipótese alguma.

A preocupação atual do ministro é assumir sem problemas a presidência do STF.

Outro fator preponderante para o posicionamento de Toffoli, segundo fonte segura, é a aversão entre todos os ministros do STF ao próprio advogado.

Zanin conseguiu angariar a antipatia generalizada e hoje certamente é um estorvo na defesa do meliante petista.

Por outro lado, há quem diga que Toffoli não é petista. É ‘Dirceusista”.

Faz sentido. Zé Dirceu está solto.

Jornal da Cidade