Subscribe:

30 de novembro de 2016

País tem primeiro panelaço pós-Dilma As manifestações aconteceram em cidades como Rio e São Paulo



Por volta das 20h30 desta quarta-feira (30), cidades como Rio de Janeiro e São Paulo registraram panelaços e buzinaços. Foi a primeira vez em que essas manifestações aconteceram em massa desde o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.


Há relatos da ação em bairros como Leblon. Botafogo e Copacabana, no Rio, e Perdizes, Pompeia, Vila Mariana e Bela Vista, em São Paulo.

Durante a tarde, a convocação para o panelaço se espalhou pela internet. O alvo é o fuzilamento do projeto de 10 medidas contra a corrupção, do Ministério Público, em votação na última madrugada.


Uma das mensagens dizia o seguinte:


“Pessoal, hoje tem um esquenta para a manifestação de domingo. Às 20h30, horário de Brasília, vamos todos arrebentar as panelas de tanta indignação contra a aprovação absurda que criminaliza os juízes e o MP aprovada na surdina na última madrugada. #panelaçohoje20h30!
Mandem para todos os seus contatos, grupos e redes sociais!

Revista 

Lula diz a Moro desconhecer participação de Cunha em nomeação na Petrobras

Foto Google
Estadão Conteúdo
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira, 30, desconhecer a suposta participação do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na nomeação do engenheiro Jorge Zelada para a diretoria Internacional da Petrobras e na compra do campo de petróleo de Benin, na África. Lula prestou depoimento como testemunha de defesa do peemedebista. 
Este foi a primeira vez que Lula e Sérgio Moro estiveram “frente a frente”. O petista falou por videoconferência, em São Bernardo do Campo (SP), ao magistrado, em Curitiba. 
O ex-presidente respondeu a perguntas da defesa de Eduardo Cunha e do Ministério Público Federal. O juiz federal Sérgio Moro não fez nenhum questionamento. 
Em audiência anterior a de Lula, quem falou foi seu amigo José Carlos Bumlai. O pecuarista afirmou não saber responder às perguntas submetidas a ele. 
Eduardo Cunha foi preso preventivamente por ordem do juiz federal Sérgio Moro em 19 de outubro, em Brasília. 
O peemedebista arrolou Lula como uma de suas testemunhas na ação penal que responde perante a 13ª Vara Federal, de Curitiba, sob tutela do juiz Moro. Na lista de testemunhas também está o presidente Michel Temer (PMDB), que responderá por escrito questionamentos feitos por Cunha. A nomeação de Jorge Zelada para a Diretoria Internacional da Petrobras foi alvo das perguntas de Cunha a Temer. 
O ex-presidente da Câmara é acusado de ter solicitado e recebido, entre 2010 e 2011, no exercício de sua função como parlamentar e em razão dela, vantagem indevida, relacionada à aquisição, pela Petrobras de um campo de petróleo em Benin. Cunha é acusado de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão fraudulenta de divisas pela manutenção de contas secretas na Suíça que teriam recebido propina do esquema na Petrobras. 
A ação já havia sido aberta pelo Supremo Tribunal Federal em junho. O processo foi remetido para a primeira instância em Curitiba, pois Cunha perdeu foro privilegiado desde que foi cassado pela Câmara, por 450 votos a 10, no dia 12 de setembro. Com isso, o Supremo remeteu esta ação contra o peemedebista para a Justiça Federal em Curitiba, sede da Lava Jato.

Com país em luto, Câmara consolida teatro do pacote anticorrupção Parlamentares sabiam desde o início que medidas do MP não passariam. E se aproveitaram da comoção nacional para passar alterações maciças na calada da noite


SOLIDÃO - Lorenzoni acompanha votação de emendas a seu relatório

Enquanto dormia um país em luto pela tragédia que matou 71 pessoas e dizimou a equipe da Chapecoense na madrugada da ultima terça-feira, a Câmara dos Deputados virou as costas aos dois milhões de brasileiros que votaram em favor das dez medidas contra a corrupção apresentadas pelo Ministério Público – e desfigurou o texto de modo que a única mudança substancial aprovada foi a que torna crime o caixa dois. Foi o último ato de um jogo de cena que teve início assim que o projeto de lei chegou ao Congresso, em março. Os parlamentares jamais cogitaram aprovar o texto do MP. Mas não ousaram deixar transparecer a intenção para a opinião pública.
Diante do conturbado momento da política nacional, os deputados preferiram deixar que a tramitação do texto seguisse sem maiores interferências: a ideia era aprovar o projeto na comissão criada para analisá-lo e, então, mudar o teor dos principais pontos em plenário. A comissão ouviu promotores e juízes. Também aprovou o texto elaborado pelo relator da matéria, o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS). Houve chiadeira, mas não grandes duelos. Os parlamentares sabiam que a batalha principal se daria em plenário. Multipartidária, a manobra se deu por meio de emendas apresentadas por nove legendas. O texto segue agora para o Senado – e nada indique que tenha melhor sorte por lá.

Revista Veja

Moro pede afastamento para estudar nos Estados Unidos



O juiz Sergio Moro pretende se licenciar das suas atividades para passar uma temporada estudando nos Estados Unidos. Contudo, ele não deve viajar antes do término da Operação Lava Jato, que é previsto para o fim de 2018 ou começo de 2019. As informações foram divulgadas pela colunista Mônica Bergamo na Folha de S. Paulo.
A secretária do departamento de ciências jurídicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR) confirmou que o magistrado pediu afastamento também das suas funções na instituição, onda leciona direito processual penal.
No entanto, pela sua assessoria de imprensa, o juiz negou que irá estudar nos Estados Unidos. Confirma apenas o pedido de afastamento da UFPR. 
Colegas da universidade informaram que Moro quer se dedicar exclusivamente à fase final dos processos na Lava Jato, por isso vai interromper as suas atividades na UFPR.
http://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/moro-pede-afastamento-para-estudar-nos-estados-unidos/ar-AAkUQWl?OCID=ansmsnnews11

29 de novembro de 2016

Aborto até 3º mês de gestação não é crime, decide Turma do STF

Decisão valeu para caso envolvendo clínica de abordo em Duque de Caxias (RJ), mas cria jurisprudência a outros casos




A 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) abriu nesta terça-feira uma nova jurisprudência e não viu crime na prática de aborto realizada durante o primeiro trimestre de gestação – independentemente do motivo que leve a mulher a interromper a gravidez.
A decisão da 1ª Turma do STF valeu apenas para um caso, envolvendo funcionários e médicos de uma clínica de aborto em Duque de Caxias (RJ) que tiveram a prisão preventiva decretada. Mesmo assim, o entendimento da 1ª Turma pode embasar decisões feitas por juízes de outras instâncias em todo o país.
Durante o julgamento desta terça-feira, os ministros Luís Roberto Barroso, Edson Fachin e Rosa Weber se manifestaram no sentido de que não é crime a interrupção voluntária da gestação efetivada no primeiro trimestre, além de não verem requisitos que legitimassem a prisão cautelar dos funcionários e médicos da clínica, como risco para a ordem pública, a ordem econômica ou à aplicação da lei penal.

Os ministros Luiz Fux e Marco Aurélio Mello, que também compõem a 1ª Turma, concordaram com a revogação da prisão preventiva por questões processuais, mas não se manifestaram sobre a criminalização do aborto realizado no primeiro trimestre.
“Em temas moralmente divisivos, o papel adequado do Estado não é tomar partido e impor uma visão, mas permitir que as mulheres façam a sua escolha de forma autônoma. O Estado precisa estar do lado de quem deseja ter o filho. O Estado precisa estar do lado de quem não deseja – geralmente porque não pode – ter o filho. Em suma: por ter o dever de estar dos dois lados, o Estado não pode escolher um”, defendeu o ministro Barroso.
(Com Estadão Conteúdo)

Policial é esfaqueado durante confronto com manifestantes na Esplanada Informação foi confirmada pela Polícia Militar do Distrito Federal

Felipe Caixeta/Esp/CB/D.A Press

Um cabo da Polícia Militar foi encaminhado ao Hospital de Base em após ser esfaqueado durante o protesto na Esplanada dos Ministérios, próximo ao Museu da República.  A manifestação, regada a confusão, carros incendiados e bombas de gás lacrimongêneo, é contra a votação da PEC do teto dos gastos e as reformas no Ensino Médio, que ocorrem no Senado desde o início da tarde.

De acordo com a PM, o cabo ferido perto do ombro. Além dele, outro policial também ficou ferido após levar uma pedrada na cabeça. A Secretaria de Segurança Pública informou que eles não correm risco de morte.

Polícia Militar/Divulgação


Durante o dia, ao menos três carros estacionados próximo à Catedral Metropolitana de Brasília foram incendiados. Há registros de veículos depredados também próximo ao Congresso Nacional e aos ministérios. Um grupo de manifestantes que não fazia parte da organização do protesto subiu no carro de som e tomou o microfone dos organizadores para incitar a população a agredir policiais com pedras. 


Os manifestantes veem a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55, que pretende congelar os gastos públicos por 20 anos, como uma ameaça aos já afetados setores da saúde e da educação. O projeto será submetido nesta terça-feira à primeira das duas votações necessárias no Senado para ser aprovado.

InvasãoAlém dos carros incendiados e depredados, parte do grupo invadiu o prédio do Ministério da Educação (MEC)m na Esplanada dos Ministérios. O edifício foi depredado por manifestantes encapuzados que subiram até o segundo andar, segundo informações da assessoria de imprensa do MEC. 
O prédio precisou ser esvaziado e, de acordo com a PM, o grupo teria feito uso, inclusive, de coqutel molotov - arma química incendiária.

Correio Brasiliense

COBERTURA DA GLOBO SOBRE FIDEL É SIMPLESMENTE ASQUEROSA!





A Rede Globo e o Jornal Nacional chegaram mesmo ao fundo do poço, lá onde fica o socialismo. Vi agora a reportagem sobre o funeral do ditador Fidel Castro no JN, e como tinha acabado de jantar, vi meu estômago se revirar e se contorcer, a ponto de quase colocar tudo para fora, tamanho o nojo que me deu. Não há outra palavra para descrever o papelão desses “jornalistas”, como Luís Fernando Silva Pinto.


Fidel só foi chamado de “ex-presidente”, e o tom era de reverência, inclusive com o correspondente falando baixinho em sinal de grande respeito ao “líder”. Para piorar, e realmente chegar ao ápice da canalhice, a matéria mostrou um pai feliz com a “educação” na ilha, aquela que proíbe a leitura de livros “subversivos” e de qualquer jornal que não seja o Gramna.cu, e também uma mulher negra celebrando o “fim do racismo” quando o comandante chegou ao poder.


Fim do racismo?! De um dos ditadores mais racistas e homofóbicos da história?! Cuba tem uma casta branca no poder, e vive um apartheid racial. Como pode a equipe de “jornalismo” da GLOBO descer tanto? Como pode William Bonner aceitar participar desse verdadeiro circo ideológico, desse processo absurdo de desinformação?


Clelio Lopes fez um comentário que está circulando bastante nas redes sociais:
“Matéria do Fantástico sobre Fidel Castro:
– Bem educado
– Preocupado com os problemas sociais
– Bom jogador de beisebol
– Charmoso e atraente
– Carismático
– Noveleiro
– Advogado dos pobres
– Enviava cartas cheias de paixão e muito sensíveis
– Preocupado com o povo (junto com Che Guevara!)
– Audacioso
– Demonstrou que sabia perder em um jogo de basquete
– Diminuiu drasticamente a desigualdade social
– Erradicou o analfabetismo
– Criou um sistema de saúde exemplar
– Continuou no poder firme e forte
– Ganhou o respeito dos inimigos
– Insubstituível
– Se dedicou a ser avô depois de sair do poder
– Maior personagem da história de Cuba
– Ahhhh, claro, matou uns opositores por aí, mas nada demais…
Alguma menção aos MILHARES de mortos, perseguidos, exilados, famintos e presos por causa da ditadura socialista de Fidel? NEM UM PIO!
Ê mídia “golpista de direita” essa Globo viu!”


Por que nossa imprensa se recusa a falar a verdade? Por que nossos políticos enaltecem um regime tão cruel e assassino? O pior de tudo é que isso não está restrito aos canais mais esquerdistas ou aos partidos de extrema-esquerda, mas também engloba aqueles que são “acusados” de ser de “direita”! Sim, a GLOBO e o PSDB são tidos no Brasil como “neoliberais” ou com viés de “direita”. E ambos elogiam o ditador comunista Fidel Castro, tratado com reverência!

A esses manipuladores indecentes, apresento Carlos Moore, um cubano que vem denunciando o racismo do regime há anos:







Realmente, não dá mais para buscar informação em nossa grande imprensa. A GLOBO está patética demais, não só nas novelas, que sempre foram “progressistas” e com clara agenda ideológica, como também em seu “jornalismo”, que virou departamento de marketing da esquerda. É um lixo!

Rodrigo Constantino

28 de novembro de 2016

“Emenda Cláudia Cruz” chega à Câmara

Começou hoje a tramitação, na Câmara, da nova proposta de repatriação de recursos. O projeto foi encaminhado pelo Senado com a polêmica “Emenda Cláudia Cruz”, que permite a parentes de políticos se beneficiarem com a regularização.
Ninguém assumiu a paternidade da colher de chá aos familiares dos homens públicos. Romero Jucá, responsável por batizar a emenda com o nome da mulher de Eduardo Cunha, culpou o PT e o PCdoB.
Na prática, como o senador observou, se o texto passar como está, até ela poderá trazer seu dinheirinho para o Brasil.

O Antagonista

“Emenda Cláudia Cruz” chega à Câmara

Começou hoje a tramitação, na Câmara, da nova proposta de repatriação de recursos. O projeto foi encaminhado pelo Senado com a polêmica “Emenda Cláudia Cruz”, que permite a parentes de políticos se beneficiarem com a regularização.
Ninguém assumiu a paternidade da colher de chá aos familiares dos homens públicos. Romero Jucá, responsável por batizar a emenda com o nome da mulher de Eduardo Cunha, culpou o PT e o PCdoB.
Na prática, como o senador observou, se o texto passar como está, até ela poderá trazer seu dinheirinho para o Brasil.

O Antagonista

Oposição fará “blitz” no Ministério Público para manter Temer no centro da crise política


POR PAINEL

Carne de pescoço Encabeçada pelo PT, a oposição prepara um combo de ações para evitar que a demissão de Geddel Vieira Lima esfrie a crise no Planalto. Nesta segunda, um grupo de parlamentares vai à PGR pedir que Rodrigo Janot investigue Michel Temer por três crimes comuns, a partir do que admitiu ter dito a Marcelo Calero relacionado ao prédio na Bahia: prevaricação, concussão (exigir vantagem indevida em razão do cargo) e advocacia administrativa (usar o cargo para patrocinar interesse privado).
Quero saber O grupo também fará requerimento de informação aos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Grace Mendonça (AGU) e Roberto Freire (Cultura) sobre os contatos entre as pastas relativos ao empreendimento.
Deu ruim Parte do Ministério Público considerou a entrevista de Temer um desastre. A avaliação é que o presidente admitiu ter cometido advocacia administrativa.
Letras garrafais Essa percepção indica o risco de o peemedebista se tornar, ao lado do ex-ministro Geddel Vieira Lima, alvo de um pedido de investigação ao Supremo.
Propagandea-la-ei O governo fecha nesta semana campanha para tentar reduzir as resistências à reforma da Previdência. As peças publicitárias serão rodadas assim que a medida estiver pronta.
Alma do negócio Sob slogan “reformar agora para garantir o amanhã”, o Planalto fará ofensiva também nas redes sociais. Temer e ministros concederão entrevistas para defender a proposta.
O que é teu tá guardado O Plano de caciques do Congresso é votar as dez medidas anticorrupção mais ou menos do jeito que estão e aprovar o crime de responsabilidade para juízes e procuradores na lei do abuso de autoridade que tramita no Senado.
Cabra marcado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) virou alvo dos pares. Deputados articulam sua destituição da relatoria do projeto por achar que ele jogou para a plateia, alimentando a ira da opinião pública contra a Casa.
Walking Dead “Depois que as medidas passarem, ele vai ficar feito zumbi aqui”, diz um colega de Lorenzoni.
Fica a dica O baixo clero não vai engolir facilmente a decisão do governo de abandonar a anistia ao caixa dois.
É o fim Parada no STF há anos, a ação que pode colocar fim ao devedor contumaz vai ser julgada na quarta (30). A expectativa é que o Supremo declare constitucional o poder da Receita de fechar empresas sob regime especial de tributação que acumulam débitos fiscais milionários.
Nem vem Os setores mais afetados pela ação dos empresários são os de combustíveis, cigarros e bebidas.
Tio Patinhas Juntas, essas empresas devem mais de R$ 50 bilhões em tributos aos cofres públicos. Se o governo conseguir recuperar pelo menos parte desses recursos, terá um respiro nas contas.
Dor de cabeça Mal foi instalado e o Conselhão já dá problemas ao Planalto. A Casa Civil recebeu e-mail de uma das representantes dos sindicalistas com queixas sobre o método de escolha do comitê gestor do órgão — espécie de direção do colegiado.
Guarda pra mim Dos 96 integrantes, apenas seis vêm do meio sindical. “Isso nos deixa com muito poucas chances de integrar o comitê gestor”, escreveu Ruth Monteiro, pedindo que a chefia do Conselhão reserve uma das vagas aos trabalhadores.
apode2811painellVolta ao passado Presidente da UGT e integrante do Conselhão, Ricardo Patah faltou ao primeiro encontro do grupo, na semana passada. Motivo: pegou caxumba.
Ctrl + Z Dirigentes tucanos pressionam João Doria a rever a decisão de bancar Milton Leite (DEM) para a presidência da Câmara paulistana.

TIROTEIO
Se os caras mais enrolados dizem que não querem e que vão vetar, então vou colocar minha bancada para votar contra a anistia.
DO DEPUTADO PAULINHO DA FORÇA (SD-SP), retirando apoio ao projeto de anistia ao caixa dois após Temer e os presidentes do Congresso ficarem contra.

CONTRAPONTO
Tal pai, tal filho
Na sede do PSDB de São Paulo, os tucanos ainda festejavam o resultado da eleição municipal e a surpreendente vitória de João Doria à Prefeitura de São Paulo quando Tomás, 11, filho do vice Bruno Covas, foi abordado por um repórter de rádio.
— O que achou do resultado? — indagou o jornalista.
Tomás nem precisou parar para pensar. Foi logo comparando o placar majoritário das urnas ao limite de velocidade fixado pelo petista:
— Hoje o Haddad está multando o Doria porque ele passou de 50 — disse o menino, para deleite do pai, conhecido no tucanato pelo jeitão zombeteiro.

http://painel.blogfolha.uol.com.br/2016/11/28/12329/

Campanha de Dilma pagou funcionários de Temer, diz jornal

Informações vão contra o principal argumento da defesa do então vice de que, com uma conta independente, ele não poderia ser responsabilizado

A campanha presidencial de Dilma Rousseff (PT) em 2014 pagou o salário de assessores pessoais do então candidato a vice Michel Temer, embora o peemedebista tenha registrado uma conta própria na Justiça Eleitoral.
De acordo com comprovantes de depósitos e recibos apresentados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e divulgados pela Folha de S. Paulo, quatro colaboradores diretos de Temer — a chefe de gabinete, dois assessores de imprensa e o assessor jurídico — receberam, juntos, R$ 543 mil de julho a outubro de 2014 pagos pela conta de Dilma.
As informações vão contra o principal argumento da defesa de Temer de que, com uma conta independente, ele não poderia ser responsabilizado por eventuais irregularidades cometidas durante a campanha.
A chapa Dilma/Temer é alvo de pedido de cassação na justiça em ações pelo PSDB e seus coligados por abuso de poder político e econômico nas eleições. Para evitar a cassação, os advogados de Temer solicitaram que o então vice tivesse seu caso julgado separadamente de Dilma, sob o argumento de que, com uma conta própria, houvera "movimentação distinta de recursos".
A expectativa é que o caso seja julgado pelo plenário do TSE no primeiro trimestre de 2017.
Procurado pela Folha, o atual secretário de Comunicação da Presidência, Márcio de Freitas, afirmou que "a estratégia da defesa (de Michel Temer) sempre foi baseada na separação da arrecadação, não na separação dos gastos". Questionado sobre se estaria admitindo a hipótese de seu salário ter sido pago por fontes ilegais, ele afirmou que "só a Justiça eleitoral poderá responder a essa pergunta".
http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/politica/noticia/2016/11/campanha-de-dilma-pagou-funcionarios-de-temer-diz-jornal-8526059.html


27 de novembro de 2016

Investigação revela que Lula conseguiu burlar fiscalização de voo

O estranho caso em que um delegado da PF proibiu fiscais de inspecionar bagagens de Lula quando ele se preparava para voar em jatinho privado para Roma

TAXIANDO - Agente da Polícia Federal contou que Lula ficou muito nervoso com a chegada dos agentes e se trancou na cabine do avião (Cristiano Mariz/VEJA)

Na manhã de 3 de junho do ano passado, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, um jato particular, prefixo PP-SCB, se preparava para decolar. A aeronave já estava taxiando quando os pilotos e os cinco passageiros foram surpreendidos por um cerco. A operação, atípica, fora deflagrada por iniciativa da Receita Federal. Os fiscais foram informados de que malas haviam sido embarcadas de maneira suspeita no jatinho, sem passar pelo raio X.

A operação cinematográfica, porém, foi abortada antes de ser concluída — e isso deu origem a uma investigação sigilosa em curso na Polícia Federal e no Ministério Público Federal. Reportagem de VEJA desta semana teve acesso à investigação, que revelou que, dentro do avião estava o ex-presi­dente Lula, acompanhado de um segurança mais três auxiliares — seu fotógrafo particular, um assessor de imprensa e um tradutor.

Revista Veja Abril

http://veja.abril.com.br/brasil/investigacao-revela-que-lula-conseguiu-burlar-fiscalizacao-de-voo/

Após Trump vencer, George Soros convoca reunião emergencial para rediscutir rumos da esquerda


O bilionário George Soros, um dos maiores financiadores privados da esquerda mundial, convocou uma reunião de emergência em Washington, EUA, depois que a candidata socialista apoiada por Soros, Hillary Clinton, perdeu as eleições americanas para Donald Trump.
A reunião de três dias, que começou no último domingo e foi ignorada pela imprensa mundial, acontece em um dos hotéis mais caros dos EUA, o Mandarin Oriental, e contará com a presença de líderes dos principais sindicatos e grupos de esquerda do país, bem como líderes políticos do Partido Democrata, como a líder do partido na Câmara, Nancy Pelosi, a senadora Elizabeth Warren e o vice-coordenador das primárias do partido, Keith Ellison.
As sessões do evento incluem debates sobre como proteger o Obamacare, como fazer a esquerda ganhar novamente os votos dos trabalhadores e a importância de captar mais dinheiro para apoiar as iniciativas da esquerda.
A reunião é organizada pela Democracy Alliance (DA), fundada por Soros e outros grandes financiadores do Partido Democrata em 2004 para apoiar a candidatura de John Kerry contra o George W. Bush. Cada membro da DA tem que doar pelo menos 200 mil dólares por ano para grupos de esquerda, além de uma anualidade de 30 mil dólares para o DA.
O líder do grupo, George Soros, investiu 25 milhões de dólares na campanha da derrotada Hillary Clinton, e também financia grupos no Brasil como o Mídia Ninja e a Agência Pública, ligada a Leonardo Sakamoto.
Soros também é conhecido por defender o globalismo, uma visão de mundo que prega a instituição de um único governo mundial centralizador de poder.

http://www.ilisp.org/noticias/apos-trump-vencer-george-soros-convoca-reuniao-emergencial-para-rediscutir-rumos-da-esquerda/

26 de novembro de 2016

GAMECORP, DE LULINHA, FATUROU 317 MILHÕES

O Antagonista
A Lava Jato chegou ao núcleo empresarial da família Lula da Silva. 
Laudo técnico da Polícia Federal, obtido por O Antagonista, revela que a 
Gamecorp, de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, embolsou mais 
de R$ 317 milhões entre 2005 e 2016.
O dinheiro circulou por 12 diferentes contas 
bancárias.

Revista diz que "santo" que aparece em lista de propina da Odebrecht é Alckmin

Segundo a revista Veja, o personagem que aparece em planilhas da Odebrecht que listam pagamento de propina, tratado pelo codinome “santo”, é o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP). A publicação da revista que circula neste sábado (26) diz ter confirmado essa informação com três fontes que participam do acordo de delação da empreiteira. 
Em março deste ano, a Folha de S. Paulo revelou que o apelido aparecia associado a uma obra de duplicação da rodovia Mogi-Dutra, do governo Alckmin de 2002.
Anotações que apareciam em papéis apreendidos com o executivo da empreiteira Benedito Barbosa da Silva Jr. diziam: "valor da obra = 68.730.000 (95% do preço DER)". Logo a seguir aparecia: "custos c/ santo = 3.436.500". 
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin
Segundo a Folha, neste sábado, “Santo” também é citado em um email de 2004, enviado pelo executivo, Marcio Pelegrino, da Odebrecht que gerenciou a linha 4 – Amarela do Metrô. Na mensagem, ele diz que era preciso fazer um repasse de R$ 500 mil para a chamada "com vistas a nossos interesses locais", e acrescenta que o beneficiário do suposto suborno era o "santo".
Ainda segundo a revista, nenhum dos delatores da Odebrecht contou ter discutido repasse de propina diretamente com Alckmin. A assessoria do governador afirmou à Veja que todas as contribuições recebidas por ele foram declaradas à Justiça. A nota diz que Alckmin nunca participou de negociações ilícitas e é um defensor das delações premiadas. es premiadas. 

Jornal do Brasil

Trump chama Fidel de "brutal ditador" e quer Cuba no "caminho da liberdade"



O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, prometeu neste sábado que seu governo fará "todo o possível para garantir que o povo cubano possa iniciar finalmente seu caminho rumo à prosperidade e liberdade", em comunicado sobre a morte do líder cubano Fidel Castro, a quem chamou de "brutal ditador".

O comunicado, divulgado pelo escritório de transição presidencial, não foi a primeira reação de Trump ao falecimento do líder cubano, já que o magnata tinha se pronunciado pouco antes no Twitter com uma breve frase: "Fidel Castro está morto".

Trump ressaltou no comunicado que Fidel foi um "brutal ditador" que "oprimiu seu próprio povo" e, com seu falecimento aos 90 anos, ocorrido na noite de sexta-feira, deixa "um legado de fuzilamentos, roubo, sofrimento inimaginável, pobreza e negação de direitos humanos fundamentais".

"Apesar de Cuba continuar sendo uma ilha totalitária, minha esperança é de que hoje marque um afastamento dos horrores sustentados durante tempo demais e rumo a um futuro no qual o maravilhoso povo cubano finalmente viva na liberdade que tanto merece", afirmou Trump.

Apesar de as "tragédias, mortes e dor causadas por Fidel Castro não poderem ser apagadas, nosso governo fará todo o possível para garantir que o povo cubano possa iniciar finalmente seu caminho rumo à prosperidade e liberdade", prometeu o presidente eleito, que assumirá o cargo em janeiro.

Trump lembrou, além disso, que durante a campanha eleitoral recebeu o respaldo da Associação de Veteranos da Baía dos Porcos (Brigada 2506), exilados antiscastristas que participaram da fracassada invasão da Baía dos Porcos, em Cuba, no ano de 1961.

Durante a campanha, Trump também prometeu "dar marcha à ré" às "concessões" a Cuba, mas analistas políticos veem improvável que ele acabe repente com o processo de degelo nas relações bilaterais iniciado no final de 2014 pelo atual presidente, Barack Obama.

Nas primárias, Trump foi o único candidato republicano que apoiou a abertura em relação a Cuba, mas em sua busca por votos na Flórida, nas eleições gerais, prometeu que "revogaria" as medidas executivas de Obama, "a não ser que o regime dos Castro" restaure "as liberdades na ilha".

Mas alguns analistas consideram que o magnata dos hotéis e dos cassinos terá que moderar essa postura, devido às pressões que receberá de parte dos empresários americanos que há décadas desejam fazer negócios com Cuba.

G 1

Russell Phillip Shedd: uma vida de amor à Palavra de Deus

shedd_pulpito
Russell Phillip Shedd: uma vida de amor à Palavra de Deus
Com enorme pesar, informamos que nosso fundador e presidente emérito, o dr. Russell Phillip Shedd, faleceu na madrugada de hoje.
O velório será a partir de amanhã (27/11) na Igreja Bíblica Evangélica da Comunhão, Rua Tito 240, Vila Romana – São Paulo. Haverá um culto às 10h deste domingo. O enterro será na próxima quarta-feira (30/11) às 14h no Cemitério da Paz, Rua Doutor Luiz Migliano, 644, São Paulo.
Juntamente com a igreja brasileira, lamentamos profundamente a perda deste servo valoroso, que deixará uma lacuna irreparável. Ainda assim, alegramo-nos no Senhor por saber que ele, tal como o Apóstolo Paulo, combateu o bom combate, terminou a carreira, guardou a fé e tem reservada para si a coroa da justiça.
Fiel mensageiro da Palavra, o dr. Shedd foi incansável em seu ministério, tendo percorrido todo o Brasil como conferencista e professor, pregando e palestrando em congressos, igrejas, seminários e faculdades de Teologia. Foi exemplo extraordinário de uma vida de amor à Palavra. A literatura e o ensino teológicos no Brasil devem muito à incansável, inspiradora e comovente dedicação desse grande servo de Deus.
Ele deixa a esposa, dona Patricia Shedd, com quem foi casado por 59 anos, além de 5 filhos (Timothy, Nathanael, Pedro, Helen e Joy), 14 netos (Laura, Kelley, Rebecca, Katherine, Leander, Cayenne, Henry, Jonathan, Michael, Stephanie, Evelyn, Scott, Susan e Katie) e uma bisneta (Izabella).
O velório será a partir de amanhã (27/11) na Igreja Bíblica Evangélica da Comunhão, Rua Tito 240, Vila Romana – São Paulo. O enterro será na próxima quarta-feira (30/11) no Cemitério da Paz, Rua Doutor Luiz Migliano, 644, São Paulo.
Em breve daremos mais detalhes.
Um breve relato da vida e da obra de Russell Shedd
Russell Phillip Shedd nasceu em Aiquile, pequena cidade boliviana, no ano de 1929. Aos dez anos de idade, já falava espanhol, inglês e aprendera também o dialeto local. A semente de seu amor à Palavra germinou já na mais tenra infância, quando o menino acompanhava os pais, Leslie e Della Shedd, ambos missionários, em percursos evangelísticos pelas aldeias da Bolívia.
No início da adolescência, volta com os pais e irmãos para os Estados Unidos e cursa o segundo grau em duas instituições: Westervelt Home e Wheaton College Academy. Depois disso, a profunda sede pelo conhecimento da Palavra leva o jovem Shedd a uma intensa jornada de cursos. Primeiro, estuda Teologia no Wheaton College, onde recebe o grau de bacharel com especialização em Bíblia e Grego. Depois, decide fazer um mestrado em estudos do Novo Testamento na Wheaton College Graduate School. Muda-se então para o estado da Filadélfia e matricula-se no Faith Seminary, onde adquire o título de mestre em Teologia, em 1953. Dois anos depois, aos 25 anos de idade, conquista o grau de doutor em Filosofia (PhD) na renomada Universidade de Edimburgo, na Escócia. Em 1955, volta para os Estados Unidos e aceita o cargo de professor no Southeastern Bible College, em Birmingham, no estado do Alabama, onde conhece uma aluna, Patricia Dunn, com quem viria a se casar em 22 de junho de 1957.
Tendo os olhos e o coração voltados para a obra missionária, em 1959 o jovem casal é enviado pela Conservative Baptist Foreign Mission Society (CBFMS) para Portugal. Ali, Russell Shedd recebe com grata satisfação o encargo de acompanhar um ministério de literatura em formação. Denominado “Edições Vida Nova”, esse ministério fora fundado com o propósito de fornecer textos teológicos básicos e obras de referência bíblica para estudantes, professores e pastores.
Passados três anos, Russell Shedd e os demais missionários notaram que o programa de publicações sofria duas sérias limitações: os altos custos de impressão e a baixa e lenta demanda dos livros na minúscula comunidade evangélica portuguesa. Após muitas orações e deliberações, os olhos dos missionários voltam-se para um país do outro lado do Atlântico, com uma comunidade evangélica maior e em franco crescimento, contando ainda com a possibilidade de baixos custos na produção editorial. O plano inicial era que Russell Shedd ficasse dois anos no Brasil com o objetivo de implantar uma ação editorial em São Paulo e depois voltasse para Portugal.
Em agosto de 1962, o casal Shedd chega ao Brasil, onde permanece, sem retornar a Portugal, e onde Russell Shedd passa a ensinar e a inspirar amor à Palavra de Deus, dando continuidade ao ministério de Edições Vida Nova. Ele sempre se dedicou de corpo e alma ao estudo e ao ensino das Escrituras, seja na área do ensino teológico, seja na área de publicação de livros evangélicos que facilitassem a compreensão e o conhecimento das Escrituras, sendo mais de 25 deles de sua autoria. Por muito tempo esteve à frente do ministério de Edições Vida Nova e, embora há vários anos tivesse passado a presidente emérito, jamais deixou de amar e participar dessa obra. Também atuou como consultor da Shedd Publicações. Sua influência perdura até hoje mesmo depois de aposentado, sendo um ativo influenciador de líderes e membros da igreja brasileira.
Na Faculdade Teológica Batista de São Paulo foi professor de Novo Testamento e diretor do Departamento de Novo Testamento e Exegese. Lecionou também em outras renomadas instituições ao redor do mundo.
Somos profundamente gratos a Deus pela forma maravilhosa em que usou o dr. Shedd para influenciar e impactar a todos a quem ele teve a oportunidade de discipular, usando-o também por meio de aulas e palestras e dos muitos livros escritos ou editados por ele. Com certeza, seu exemplo e ensino serão seguidos por muitos anos. Todos os que o conheceram só podem dizer, juntamente com ele, Soli Deo gloria!

https://vidanova.com.br/editora/comunicado-oficial/russell-phillip-shedd-uma-vida-de-amor-a-palavra-de-deus

Russell Phillip Shedd: uma vida de amor à Palavra de Deus

shedd_pulpito
Russell Phillip Shedd: uma vida de amor à Palavra de Deus
Com enorme pesar, informamos que nosso fundador e presidente emérito, o dr. Russell Phillip Shedd, faleceu na madrugada de hoje.
O velório será a partir de amanhã (27/11) na Igreja Bíblica Evangélica da Comunhão, Rua Tito 240, Vila Romana – São Paulo. Haverá um culto às 10h deste domingo. O enterro será na próxima quarta-feira (30/11) às 14h no Cemitério da Paz, Rua Doutor Luiz Migliano, 644, São Paulo.
Juntamente com a igreja brasileira, lamentamos profundamente a perda deste servo valoroso, que deixará uma lacuna irreparável. Ainda assim, alegramo-nos no Senhor por saber que ele, tal como o Apóstolo Paulo, combateu o bom combate, terminou a carreira, guardou a fé e tem reservada para si a coroa da justiça.
Fiel mensageiro da Palavra, o dr. Shedd foi incansável em seu ministério, tendo percorrido todo o Brasil como conferencista e professor, pregando e palestrando em congressos, igrejas, seminários e faculdades de Teologia. Foi exemplo extraordinário de uma vida de amor à Palavra. A literatura e o ensino teológicos no Brasil devem muito à incansável, inspiradora e comovente dedicação desse grande servo de Deus.
Ele deixa a esposa, dona Patricia Shedd, com quem foi casado por 59 anos, além de 5 filhos (Timothy, Nathanael, Pedro, Helen e Joy), 14 netos (Laura, Kelley, Rebecca, Katherine, Leander, Cayenne, Henry, Jonathan, Michael, Stephanie, Evelyn, Scott, Susan e Katie) e uma bisneta (Izabella).
O velório será a partir de amanhã (27/11) na Igreja Bíblica Evangélica da Comunhão, Rua Tito 240, Vila Romana – São Paulo. O enterro será na próxima quarta-feira (30/11) no Cemitério da Paz, Rua Doutor Luiz Migliano, 644, São Paulo.
Em breve daremos mais detalhes.
Um breve relato da vida e da obra de Russell Shedd
Russell Phillip Shedd nasceu em Aiquile, pequena cidade boliviana, no ano de 1929. Aos dez anos de idade, já falava espanhol, inglês e aprendera também o dialeto local. A semente de seu amor à Palavra germinou já na mais tenra infância, quando o menino acompanhava os pais, Leslie e Della Shedd, ambos missionários, em percursos evangelísticos pelas aldeias da Bolívia.
No início da adolescência, volta com os pais e irmãos para os Estados Unidos e cursa o segundo grau em duas instituições: Westervelt Home e Wheaton College Academy. Depois disso, a profunda sede pelo conhecimento da Palavra leva o jovem Shedd a uma intensa jornada de cursos. Primeiro, estuda Teologia no Wheaton College, onde recebe o grau de bacharel com especialização em Bíblia e Grego. Depois, decide fazer um mestrado em estudos do Novo Testamento na Wheaton College Graduate School. Muda-se então para o estado da Filadélfia e matricula-se no Faith Seminary, onde adquire o título de mestre em Teologia, em 1953. Dois anos depois, aos 25 anos de idade, conquista o grau de doutor em Filosofia (PhD) na renomada Universidade de Edimburgo, na Escócia. Em 1955, volta para os Estados Unidos e aceita o cargo de professor no Southeastern Bible College, em Birmingham, no estado do Alabama, onde conhece uma aluna, Patricia Dunn, com quem viria a se casar em 22 de junho de 1957.
Tendo os olhos e o coração voltados para a obra missionária, em 1959 o jovem casal é enviado pela Conservative Baptist Foreign Mission Society (CBFMS) para Portugal. Ali, Russell Shedd recebe com grata satisfação o encargo de acompanhar um ministério de literatura em formação. Denominado “Edições Vida Nova”, esse ministério fora fundado com o propósito de fornecer textos teológicos básicos e obras de referência bíblica para estudantes, professores e pastores.
Passados três anos, Russell Shedd e os demais missionários notaram que o programa de publicações sofria duas sérias limitações: os altos custos de impressão e a baixa e lenta demanda dos livros na minúscula comunidade evangélica portuguesa. Após muitas orações e deliberações, os olhos dos missionários voltam-se para um país do outro lado do Atlântico, com uma comunidade evangélica maior e em franco crescimento, contando ainda com a possibilidade de baixos custos na produção editorial. O plano inicial era que Russell Shedd ficasse dois anos no Brasil com o objetivo de implantar uma ação editorial em São Paulo e depois voltasse para Portugal.
Em agosto de 1962, o casal Shedd chega ao Brasil, onde permanece, sem retornar a Portugal, e onde Russell Shedd passa a ensinar e a inspirar amor à Palavra de Deus, dando continuidade ao ministério de Edições Vida Nova. Ele sempre se dedicou de corpo e alma ao estudo e ao ensino das Escrituras, seja na área do ensino teológico, seja na área de publicação de livros evangélicos que facilitassem a compreensão e o conhecimento das Escrituras, sendo mais de 25 deles de sua autoria. Por muito tempo esteve à frente do ministério de Edições Vida Nova e, embora há vários anos tivesse passado a presidente emérito, jamais deixou de amar e participar dessa obra. Também atuou como consultor da Shedd Publicações. Sua influência perdura até hoje mesmo depois de aposentado, sendo um ativo influenciador de líderes e membros da igreja brasileira.
Na Faculdade Teológica Batista de São Paulo foi professor de Novo Testamento e diretor do Departamento de Novo Testamento e Exegese. Lecionou também em outras renomadas instituições ao redor do mundo.
Somos profundamente gratos a Deus pela forma maravilhosa em que usou o dr. Shedd para influenciar e impactar a todos a quem ele teve a oportunidade de discipular, usando-o também por meio de aulas e palestras e dos muitos livros escritos ou editados por ele. Com certeza, seu exemplo e ensino serão seguidos por muitos anos. Todos os que o conheceram só podem dizer, juntamente com ele, Soli Deo gloria!

https://vidanova.com.br/editora/comunicado-oficial/russell-phillip-shedd-uma-vida-de-amor-a-palavra-de-deus

Fidel Castro morre aos 90 anos

O ex-presidente cubano Fidel Castro, um dos mais importantes líderes mundiais, morreu na noite desta sexta-feira aos 90 anos. Seu irmão mais novo e atual presidente, Raúl Castro, anunciou a morte em um anúncio oficial na TV estatal.
.
"O comandante-em-chefe da revolução cubana morreu às 22h29 desta noite (01h29 de sábado em Brasília)", disse o presidente, que terminou o anúncio gritando o slogan: "Até a vitória, sempre".
O governo cubano decretou sete dias de luto nacional.
Nas quase cinco décadas em que esteve à frente do governo de Cuba, Fidel Castro viu dez presidentes americanos se revezarem na Casa Branca. Inimigo declarado de todos eles, o líder comunista fez de sua ilha uma base de resistência ao poder dos Estados Unidos, que nunca conseguiram dobrar o regime incômodo a apenas 144 quilômetros de seu território.
Nascido em uma família de latifundiários, em 1926, o jovem advogado se tornou líder revolucionário, dirigente comunista e terminou seus dias em uma casa confortável em Havana, opinando sobre os mais diferentes temas, na coluna que mantinha no jornal Granma.
Durante este período, sofreu várias tentativas de assassinato, foi acusado de violar direitos humanos, viu sua principal aliada, a União Soviética, entrar em colapso. Reconheceu, ao fim, erros na condução da economia cubana, que só sobreviveu nos últimos tempos graças ao apoio de outro amigo, o venezuelano Hugo Chávez, morto em março de 2013.
Para os Estados Unidos, Fidel sempre foi uma lembrança constante e incômoda das idéias comunistas que, apesar de praticamente abandonadas no resto do mundo, permaneceram vivas na ilha vizinha. Para setores da esquerda mundial, tornou-se um símbolo de resistência.

Revolução

Fidel Castro liderou uma invasão ao quartel de Moncada, em Santiago de Cuba, no dia 26 de julho de 1953. Apesar de fracassada, a iniciativa marcou o começo da revolução que acabaria levando-o ao poder.
Depois de breve período preso, Fidel foi anistiado e se exilou no México, onde organizou uma expedição que voltou a Cuba.
Ao lado do argentino Ernesto "Che" Guevara, que conheceu durante o exílio, o jovem cubano montou uma campanha de guerrilha a partir de sua base, na Serra Maestra.
Em 1959, Fulgêncio Batista deixou o país e Fidel estabeleceu um novo governo que prometia devolver a propriedade da terra aos agricultores e defender o direito dos pobres.

Fidel comunista

Desde o começo, Fidel insistiu que sua ideologia era, acima de tudo, cubana. "Não há comunismo nem marxismo em nossas ideias, só democracia representativa e justiça social", dizia.
Criticado pelos Estados Unidos pela nacionalização de empresas de americanos, foi alvo do embargo comercial que vigora até hoje.
Fidel disse que assim foi empurrado para os braços da União Soviética, liderada por Nikita Kruchev. Com o novo aliado, Cuba virou mais um campo de batalha da Guerra Fria.
Os Estados Unidos tentaram derrubar o governo de Fidel em abril de 1961, apoiando um grupo de exilados cubanos em uma desastrosa invasão à praia de Girón, na baía dos Porcos.
A CIA, central de inteligência americana, foi acusada pelo líder cubano de tentar assassiná-lo várias vezes, inclusive com um charuto explosivo.
Em 1962, aviões de reconhecimento dos Estados Unidos detectaram um carregamento de mísseis soviéticos rumo a Cuba, criando um impasse entre o presidente americano, John F. Kennedy, e Kruchev.
Depois de 13 dias de impasse, os soviéticos desistiram de instalar mísseis com potencial nuclear em Cuba, em troca de uma promessa secreta americana de retirar suas armas da Turquia.

Colapso soviético

Cuba "exportou" a sua revolução para outras partes do mundo na forma do apoio às guerrilhas marxistas em Angola e Moçambique. Sob embargo econômico dos Estados Unidos, recebeu, em todo o tempo, ajuda soviética.
O colapso da União Soviética, em 1991, foi um duro golpe na economia cubana, apoiada na cooperação com o antigo regime comunista.
A crise na qual o país mergulhou fez milhares de cubanos se lançarem ao mar em embarcações precárias nos anos 1990, na esperança de chegar a Miami.
O caso do menino Elián González ganhou as manchetes do mundo inteiro. Ele perdeu a mãe em uma viagem perigosa e, depois de uma longa batalha legal entre parentes em Miami e o pai, que morava em Cuba, foi levado de volta para a ilha.
Entre os bons resultados domésticos de Fidel Castro estão o serviço de saúde cubano, considerado um dos melhores da região, e o baixo índice de mortalidade infantil, comparável ao dos países mais desenvolvidos.
O governo de Fidel, no entanto, foi acusado por organismos internacionais de perseguição política contra os opositores do regime e de violações dos direitos humanos.

Aposentadoria

Nos últimos anos, Fidel deu sinais de que teria moderado suas posições. Em 1998, recebeu no país o papa João Paulo 2º.
Após anos de grave crise social, o regime voltou a ganhar fôlego na virada do milênio, com os generosos acordos de cooperação fechados com a Venezuela do presidente Hugo Chávez, grande admirador de Fidel.
Em 31 de julho de 2006, Fidel surpreendeu o mundo ao deixar temporariamente o poder por motivos de saúde.
Por meses, sua saúde foi segredo de Estado, com rumores sobre sua morte. Em fevereiro de 2008, a Assembleia Nacional de Cuba aprovou a aposentadoria de Fidel, que oficialmente passou o poder ao irmão, Raúl Castro.
Fidel trocou o traje militar por roupas casuais. Continuou a provocar polêmica com suas opiniões sobre assuntos mais variados, publicados em uma coluna no jornal Granma.
Nesse tempo, recebeu várias celebridades políticas em sua casa, como o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2011, foi visitado pelo ex-presidente americano Jimmy Carter. Hugo Chávez sempre foi uma visita frequente.
Em setembro de 2010, em uma entrevista à revista The Atlantic , Fidel reconheceu que o modelo cubano já não funcionava. No período, seu irmão, Raúl, já esboçava uma série de reformas econômicas, aprovadas posteriormente.
Diferentemente dos países do leste europeu, cujos governos ruíram após o colapso da União Soviética, Fidel conseguiu manter Cuba sob o regime comunista até sua morte. Apesar da transferência de poder ao irmão, Raúl, a saída de cena de Fidel volta a jogar incertezas sobre o futuro da ilha.

Notícias Terra
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...