Subscribe:

26 de maio de 2017

Pastor viciado em pornografia por 12 anos relata libertação: "Quebrei meu orgulho"


Tim declarou que o orgulho foi seu maior obstáculo. (Foto: Reprodução).
Tim declarou que o orgulho foi seu maior obstáculo. (Foto: Reprodução).
Publicado em Quinta-feira, 25 Maio de 2017

Por mais difícil que se possa acreditar, pastores e 
líderes da igreja também lutam com a tentação e podem cair no vício da pornografia. Tim Swanson da Igreja XXX, um ministério on-line dedicado a ajudar as pessoas com pornografia e vícios do sexo, é um desses exemplos.
"Eu posso me lembrar claramente do peso esmagador de carregar minha dependência secreta em filmes pornôs, mesmo estando no púlpito da igreja toda semana", escreveu ele no site do ministério. "Parecia um milhão de coisas no meu peito, às vezes me perguntava se uma pessoa poderia morrer de estresse e se sim, certamente eu seria o próximo".
Tim fez tudo o que pôde para se livrar de seu vício. Ele procurou a ajuda da Igreja XXX. Ele orou e suplicou a Deus para salvá-lo de si mesmo. No entanto, o pastor disse que seu problema só piorou ao longo do tempo.
Ele carregou sua culpa secreta por 12 anos, até que encontrou um grupo de apoio. Lentamente, Tim quebrou os laços com seu vício. Ele agora está compartilhando as coisas que o impediram de se livrar de seus padrões destrutivos na esperança de ajudar os outros que agora estão passando pelo mesmo problema.
Resolvendo o problema
Primeiro, Tim declarou que o orgulho foi seu maior obstáculo. "Foi o orgulho que me levou a dizer coisas como, 'Se eu pudesse ...' ou 'Tudo o que eu preciso fazer é ...' Por isso, eu quebrei meu orgulho, pois a verdade é que eu era impotente para controlar o meu pecado e sempre fazia a coisa errada", ele disse. "Minha vida havia se tornado incontrolável", confessou.
Tim disse que as pessoas precisam admitir que são impotentes contra seus vícios, e quanto mais cedo aceitarem isso, mais cedo poderão ser livres de suas deficiências. Outra coisa que impediu o pastor de se recuperar foi uma visão distorcida de Deus. "Meu problema era que eu não acreditava que Deus queria me ajudar. Eu orei fervorosamente para que ele removesse a minha aflição. Quando Ele não parecia estar fazendo isso, eu acreditei que Ele não se importava comigo" admitiu.
A vergonha não é uma emoção fácil de lidar, mas Tim garante que isso pode ser feito se as pessoas lerem os versículos bíblicos:  2 Coríntios 5:21, Romanos 5: 8 e Romanos 8: 37-39.
Ele ainda disse que muitos cristãos estão tão aterrorizados com o pecado que ficam estressados ​​por não se tornarem um fracasso moral. No processo, eles não conseguem aproveitar a vida e caem sob o feitiço da pornografia. Quanto mais eles tentam estar no controle de seus pecados, mais difícil se torna para eles serem libertados.
“A verdadeira liberdade para um crente em Jesus significa que não somos mais controlados por viver de acordo com certos padrões estabelecidos para nós. Se realmente pensamos sobre isso, não temos padrões para alcançar mais, porque não há nada que podemos fazer para ser aceito", ele explicou. "Você pode estragar todos os dias do resto de sua vida ou nunca estragar novamente. Deus lhe dá as boas-vindas”, finalizou

Guiame.com

Sou prova viva de que você não tem desculpas", diz pastor que se formou aos 88 anos


No dia de sua formatura, o pastor segurava uma placa que dizia: "Com Deus todas as coisas são possíveis - Mateus 19:26" (Foto: Reprodução).
No dia de sua formatura, o pastor segurava uma placa que dizia: "Com Deus todas as coisas são possíveis - Mateus 19:26" (Foto: Reprodução).
Publicado em Quarta-feira, 24 Maio de 2017 as 1:27

 pastor Horace Sheffield tem 88 anos, mas sua idade não foi problema quando ele resolveu voltar a estudar. No dia 5 de maio deste ano, ele recebeu seu diploma de bacharel em estudos cristãos no programa de graduação on-line da Universidade Shorter em estudos cristãos. As informações são do site Baptist Press.
Horace andou pelo palco para receber seus diplomas e recebeu uma ovação por sua longa jornada. O pastor se matriculou pela primeira vez em Shorter no ano de 1961 e saiu com 115 horas de crédito porque suas próprias filhas estavam prestes a entrar na faculdade.
"Eu não me importava ter um diploma naquela época, mas estou recebendo meu diploma desta vez", disse o pastor aposentado. Depois de mais de 50 anos, ele ficou com vontade de completar seus estudos quando leu um artigo sobre como idosos podem assistir a certas aulas de faculdades e universidades sem pagar mensalidades.
Novo objetivo
Então ele voltou determinado a finalizar sua graduação. Ele disse que a faculdade de estudos cristãos o ajudou a alcançar seu objetivo. Ele recebeu ajuda de sua vizinha, Amanda Brannock, que digitava seus papéis e publicava seus trabalhos on-line, pois ele sempre escrevia à mão.
"Eu o vi escrever até que suas mãos não pudessem escrever mais", disse Amanda. "E eu o vi se concentrar tanto que sua visão não parecia ser normal". Amanda é professora do primário e da alfabetização em uma escola. Ela se mudou para a Geórgia há cinco anos.
"Horace foi uma das primeiras pessoas que conheci aqui. Ele veio em minha casa para falar com minha família sobre aceitar o Senhor e nos convidou para fazer parte de sua igreja. Foi por causa de Horace que eu pude ver meu esposo e filho sendo batizados", ressaltou.
Uma ótima ajuda
"Quando ele se aproximou de mim para voltar para a faculdade, ele disse que era a única coisa na vida que ele nunca tinha terminado, e ele não queria conhecer o Senhor sem isso. Ele disse que não sabia nada sobre computadores e muito menos tinha um. "Então eu disse: Eu tenho um computador e uma impressora, e eu vou lhe ajudar'. Ele me ajudou tanto com meu marido e filho, eu não podia fazer nada além de ajudá-lo a obter isso em sua vida. Estamos tão orgulhosos dele", disse.
A maioria da família do pastor se reuniu para comemorar a graduação, incluindo seus dois filhos, cinco netos e 14 de seus 15 bisnetos. Uma galeria de fotos no Facebook mostra as cenas. Em uma imagem, ele está segurando um cartaz que diz: "Com Deus todas as coisas são possíveis - Mateus 19:26". "Eu sou a prova viva de que você não tem desculpas", concluiu o pastor.

Guia-me

25 de maio de 2017

Após fazer acordo com prefeitura de Moscou, Crivella explica projeto de revitalização da linha férrea





Projeto de revitalização é inspirado no modelo russo e irá abranger oito bairros25/5/2017 às 20h07




Divulgação


Prefeito do Rio apresentou projeto de revitalização da linha férrea
O prefeito Marcelo Crivella (PRB) detalhou o acordo de cooperação assinado entre as cidades do Rio de Janeiro e Moscou, na Rússia, durante entrevista nesta quinta-feira (25) no CASS (Centro Administrativo São Sebastião). A parceria trata-se de um projeto de revitalização do entorno da linha férrea em oito bairros, que prevê a recuperação de aproximadamente 850 mil metros quadrados de Rio de Janeiro. Crivella esteve na capital russa de 20 a 24 de maio para conhecer os projetos de reurbanização colocados em prática pela administração municipal de Moscou.
— Cidades como Paris, Nova York e Buenos Aires transformaram áreas degradadas em pontos turísticos, em espaços de lazer e convivência. Muros limitam. Sem eles, a cidade se integra — disse Crivella.
A primeira parte do projeto vai abranger as estações do Maracanã até a Central do Brasil. O prefeito estima em R$ 10 bilhões a arrecadação com a venda de Cepacs (Certificados de Potencial Adicional de Construção). Em Moscou, o prefeito assinou um Termo de Intenção de Exploração da área com o empresário imobiliário russo Alexey Semenyachenko, que pretende investir no projeto de construções sobre a linha férrea, como já fez em Moscou e que está realizando agora em Buenos Aires.  Uma delegação russa virá ao Rio no fim de julho para conhecer o local.
A prefeitura do Rio, em parceria com a iniciativa privada por meio de Cepacs, construirá lajes de concreto em cima da linha férrea e nelas serão construídas praças, parques, lojas e prédios comerciais. Cepacs são títulos usados para financiar Operações Urbanas Consorciadas que recuperam áreas degradadas nas cidades.
Durante a entrevista, o prefeito do Rio apresentou o vídeo “Rio Cidade Sem Muros”, que foi exibido ao prefeito de Moscou, Sergey Sobyanin. Crivella falou sobre a modernização de Moscou, que nos últimos seis anos revitalizou seu centro histórico, instalou uma rede de fibra ótica de sete mil metros, oferecendo um dos serviços de wifi mais velozes da Europa. A cidade, que é responsável por 70% do PIB russo, ganhou ainda autoestradas e está ampliando o metrô, inaugurado em 1935 e que transporta 9,2 milhões de pessoas. Crivella acrescentou ainda que Moscou está “verticalizando áreas pobres”, projeto que a prefeitura pretende desenvolver em Rio das Pedras e outras comunidades cariocas.
Foi assinado ainda um acordo de cooperação bilateral com a prefeitura de Moscou, que prevê o intercâmbio entre as cidades nas principais áreas da administração municipal como saúde, educação, turismo, cultura, transportes, entre outros.
Na abertura da entrevista, o prefeito do Rio resumiu suas principais “missões” nestes cinco meses de governo.

— Foram cortados cargos e contingenciados diversas despesas. Na questão da negociação do endividamento, temos que negociar com o BNDES e Caixa Econômica Federal. E negociar com uma série de fornecedores, com a Light, com COB, com VLT, com BRT. Na parte de aumento de receita, estamos negociando várias questões com a Câmara de Vereadores. E estamos tentando captar recursos externos. Temos que ter economia indutora, que traz recursos de fora para cá. Se tivermos um calendário de turismos, podemos trazer pessoas de outras partes do Brasil e do mundo, estamos trabalhando arduamente.
A viagem, feita a convite da prefeitura de Moscou, contou com as presenças do secretário de estado de Transporte, Gustavo Goulart; de um representante da Firjan; e do Embaixador Antonio Fernando Cruz de Mello, coordenador de Relações Internacionais da prefeitura do Rio de Janeiro.

Portal R7

Em áudio, Caio Fabio diz que foi preso Pastor diz que é consequência do “dossiê Cayman”, de 1998



Da Redação JM Notícia




Nesta quinta-feira (25) o reverendo Caio Fábio foi preso em Brasília após decisão da Justiça sobre o chamado “Dossiê Cayman” que foi divulgado em 1998 causando grande impacto na política brasileira.

Caio Fábio foi apontado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) como o criador de uma série de documentos que afirmavam que o então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, e outros políticos do PSDB mantinham contas secretas nas Ilhas Cayman.

Acusado de calúnia, o religioso foi condenado em 2011 na 1ª instância pela Justiça Eleitoral, a quatro anos de prisão, mesmo sendo inocentado pelos depoimentos das vítimas.

Ao que parece o caso ou foi reaberto, ou passou para outras instâncias, e hoje Caio Fabio foi levado para a Papuda, onde cumprirá o regime semiaberto.

Segundo um áudio feito pelo próprio reverendo, ele mesmo se apresentou e seu advogado não entrou – até o momento do áudio – com nenhuma ação contra a decisão judicial.

“Eu mesmo estava absolutamente certo de que este era um processo vencido há muito tempo e acabado. Então com muita tranquilidade eu gostaria que vocês informassem ao pessoal da igreja o que aconteceu”, disse ele que lidera a igreja

O JM Notícia está em contato com representantes de Caio Fábio, assim que tivermos novas informações atualizaremos a matéria.



Ouça o áudio de Caio Fábio compartilhado no WhatsApp:Tocador de áudio



24 de maio de 2017

Militantes e criminosos picham 'morte à burguesia' e símbolos do Comunismo ao incendiarem ministérios em Brasília; veja fotos.]




O aspecto ideológico da ação de destruição e vandalismo que ocorre neste momento em Brasília já bastante nítido para as autoridades e jornalistas.

Além de bandeiras da CUT e de movimentos alinhados ao PT e a partidos de esquerda e extrema esquerda, há pichações pedindo a ' morte da burguesia e  e com símbolos do Comunismo, como a foice e o martelo.


Folha Politica

Urgente: Temer Convoca Tropas Federais para Brasília



Urgente: Temer decreta autorização de emprego das Forças Armadas contra baderneiros e vândalos

o presidente da República Michel Temer autorizou o emprego das forças Armadas  e da Força nacional contra militantes que empregam a violência e o vandalismo  em Brasília .

Dois ministérios, até o momento, foram depredados e incendiados.

O ministro da Defesa m Raul Belens Jungmann Pinto, enfatiza que Temer "não aceitará baderna contra o processo democrático.





O QUE ESTÁ POR TRÁS DA BADERNA




O Antagonista
Os baderneiros da Esplanada e seus mandantes no Congresso querem duas coisas:


Diretas já para tentar facilitar a fuga de Lula para o Palácio do Planalto ou, se as diretas já não 
colarem, assustar parlamentares e magistrados, a fim de manter Michel Temer na presidência.


Sim, eles gritam "Fora, Temer", mas manter Temer é manter a crise até as eleições de 2018, o 
que na cabeça dessa gente ajudaria o Comandante Máximo a vencer as eleições.



23 de maio de 2017

MEU ULTIMO POST NA VEJA PF divulga trechos de conversa minha com Andrea Neves, uma das minhas fontes, em que faço críticas a uma reportagem da VEJA. Pedi demissão. Direção aceitou



Andrea Neves, Aécio Neves e perto de uma centena de outros políticos são minhas fontes.
Trechos de duas conversas que mantive com Andrea, que estava grampeada, foram tornadas públicas. Numa delas, faço uma crítica a uma reportagem da VEJA e afirmo que Rodrigo Janot é pré-candidato ao governo de Minas e que estava apurando essa informação. Em outro, falamos dos poetas Cláudio Manuel da Costa e Alvarenga Peixoto.
Fiz o que deveria fazer: pedi demissão — na verdade, mantenho um contrato com a VEJA e pedi o rompimento, com o que concordou a direção da revista.
Abaixo, segue a resposta que enviei ao BuzzFeed, que vai fazer ou já fez uma reportagem a respeito. Volto para encerrar. Mesmo!
Comecemos pelas consequências.
Pedi demissão da VEJA. Na verdade, temos um contrato, que está sendo rompido a meu pedido. E a direção da revista concordou.
1: não sou investigado;
2: a transcrição da conversa privada, entre jornalista e sua fonte, não guarda relação com o objeto da investigação;
3: tornar público esse tipo de conversa é só uma maneira de intimidar jornalistas;
4: como Andrea e Aécio são minhas fontes, achei, num primeiro momento, que pudessem fazer isso; depois, pensei que seria de tal sorte absurdo que não aconteceria;
5: mas me ocorreu em seguida: “se estimulam que se grave ilegalmente o presidente, por que não fariam isso com um jornalista que é crítico ao trabalho da patota?;
6: em qualquer democracia do mundo, a divulgação da conversa de um jornalista com sua fonte seria considerada um escândalo. Por aqui, não;
7: tratem, senhores jornalistas, de só falar bem da Lava Jato, de incensar seus comandantes;
8: Andrea estava grampeada, eu não. A divulgação dessa conversa me tem como foco, não a ela;
9: Bem, o blog está fora da VEJA. Se conseguir hospedá-lo em algum outro lugar, vocês ficarão sabendo;
10: O que se tem aí caracteriza um estado policial. Uma garantia constitucional de um indivíduo está sendo agredida por algo que nada tem a ver com a investigação;
11: e também há uma agressão a uma das garantias que tem a profissão. A menos que um crime esteja sendo cometido, o sigilo da conversa de um jornalista com sua fonte é um dos pilares do jornalismo.
EncerroNo próximo 24 de junho, meu blog completa 12 anos. Todo esse tempo, na VEJA. Foram muitos os enfrentamentos e me orgulho de todos eles. E também sou grato à revista por esses anos.
Nesse tempo, sob a direção de Eurípedes Alcântara ou de André Petry, sempre escrevi o que quis. Nunca houve interferência.
O saldo é extremamente positivo. A luta continua.

Senado julgará impeachment de Gilmar Mendes




Depois de libertar José Dirceu e Eike Batista a honestidade do ministro Gilmar Mendes é alvo de processo de impeachment. Sua íntima amizade com o senador Aécio Neves e sua luta para barrar a Lei da Ficha Limpa serão questionada em Juízo.
Um grupo de juristas e representantes da sociedade civil apresentaram nesta terça-feira, no Senado, um pedido de impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. Os autores são os juristas Celso Antônio Bandeira de Mello, Fábio Konder Comparato, Sérgio Sérvulo da Cunha e Álvaro Augusto Ribeiro da Costa.
O grupo acusa o ministro de adotar “comportamento partidário”, mostrando-se leniente em relação a casos de interesse do PSDB especialmente nos casos que envolvem o senador Aécio Neves.
Para os autores do pedido, Gilmar Mendes tem ofendido a Constituição, a Lei Orgânica da Magistratura e o Código de Ética da Magistratura ao não atuar com imparcialidade e conceder frequentes entrevistas nas quais antecipa seus votos e discute o mérito de questões sob julgamento do STF. Além disso, eles acusam Mendes de atuar de maneira desrespeitosa também durante julgamentos e utilizar o cargo a favor dos interesses do grupo político que defende.
O pedido de impeachment menciona diversos exemplos de situações em que o ministro teria faltado com o decoro e agido partidariamente, como quando fez “graves acusações à Procuradoria-Geral da República e aos procuradores de um modo geral” em razão de vazamentos de delações premiadas. E ainda quando criticou a Lei da Ficha Limpa, acusando seus autores de “bêbados”.
De acordo com o Artigo 52 da Constituição, o Senado é responsável pelo julgamento, entre outras autoridades, os ministros do Supremo Tribunal Federal, os membros do Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público, o Procurador-Geral da República e o Advogado-Geral da União nos crimes de responsabilidade

Igreja Católica não incentiva leitura bíblica para não perder fiéis, diz Malafaia Pastor respondeu críticas do padre Reginaldo Manzotti sobre a teologia da prosperidade pregada em muitas igrejas evangélicas



O pastor Silas Malafaia, presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), ficou irritado com a entrevista do padre Reginaldo Manzotti, dada a VEJA neste último final de semana.


O cantor e escritor católico ironizou o crescimento dos evangélicos pentecostais nas últimas três décadas: “A filosofia do ‘me dê um Fusca que eu te devolvo uma Mercedes’ soa bem, embora seja uma balela”.

Em entrevista concedida ao site da VEJA, Malafaia não poupou críticas a fala de Manzotti, sobre como o discurso evangélico tem prosperado em classes menos favorecidas: “Em situações onde faltam saúde, moradia e alimento, qualquer teologia da prosperidade que prometa cura e riqueza em troca de doações funciona”, declarou o padre.
Realize o Seu Sonho de Tocar Piano sem Sair de Casa. Comece Agora!

O pastor afirmou que Manzotti possui uma visão preconceituosa. “Para ele, pobre é burro, idiota e sempre enganado. Mas a história mostra que quem explorou os pobres durante séculos não fomos nós, evangélicos, não”, replicou Malafaia.


O presidente da ADVEC observou que a igreja evangélica tem crescido em todas as classes sociais e lembra do bairro de classe média alta onde reside no Rio de Janeiro. Em vinte anos, o número de igrejas evangélicas no Recreio dos Bandeirantes saltou de 2 para 18 templos, enquanto a Católica permanece com apenas uma igreja.

“De sete meses para cá, todas as vinte igrejas que abri foram longe de favelas, e olha que eu tenho muitas igrejas nestas áreas. Esse padre está precisando andar mais pelo Brasil para ver se nós evangélicos só pregamos para pobre mesmo”, indicou Silas.


O líder evangélico acredita que a Igreja Católica perdeu sua essência na ministração do evangelho. “A questão é que a Igreja Católica deixou de pregar o Evangelho que transforma a vida das pessoas. Veja se você vê a Bíblia na mão de um padre?”, pergunta.

Mafalaia vai além. Ele afirmou que a Igreja Católica não incentiva a leitura bíblica entre seus membros, porque o dia que isto acontecer, eles abandonarão a sua fé. “A bíblia não é dos evangélicos nem dos católicos, é a palavra de Deus. E ela condena a idolatria de ponta a ponta”, lembra o pastor se referindo as imagens presente nas paróquias.

Outro ponto que pastor Silas fez questão de lembrar, é a aplicação das ofertas e dízimos recebidos nas duas igrejas: “O povo evangélico vê que o dinheiro que eles dão para a igreja fica aqui no Brasil, sendo investido na abertura de novos templos. Nós não mandamos bilhões todo ano para cobrir déficit de corrupto no banco do Vaticano”.

Manzotti ainda é desafiado por Malafaia a revelar suas finanças. Mesmo o religioso católico sendo um dos maiores vendedores de CDs, DVDs e livros do país, ele afirma que vive de uma herança da família e do salário pago pela paróquia.

“Esse padre perdeu a oportunidade de calar a boca. Como disse o rei da Espanha para o Hugo Chavez, “por que não te callas?”. É melhor ele continuar cantando do que ficar falando asneira a respeito da religião dos outros”, finalizou o pastor.

22 de maio de 2017

OAB se fez de morta por 14 anos. Agora ressurge como guardiã da moralidade ?


Posted by 


OAB
Por Claudia Wild
Desde a primeira notícia na última semana acerca de inúmeras denúncias envolvendo figurões da nossa política e o alarde bombástico sobre a já costumeira podridão na República, a desconfiança deveria no mínimo acompanhar o cidadão brasileiro.
Tudo está se desenrolando de uma forma muito célere para a velocidade da nossa conhecida justiça pachorrenta, e com isto notamos um atropelo suspeitíssimo, provavelmente doloso, naquilo que sempre defendemos – não por virtudes morais – mas pela simples obediência à lei.
A delação absolutamente atípica dos irmãos matutos JBS, comandada por um ministro da mais alta Corte do país, que possui ligações viscerais com uma turma que necessita desesperadamente livrar a cara de um certo réu na República de Curitiba, e a pressa em se exigir a saída de um presidente ( que não é flor que se cheire, mas o que temos) em virtude da existência de provas frágeis e que não seriam suficientes para derrubar um mosquito na republiqueta da corrupção lulopetista, nos mostram que existe um angu deveras encaroçado em Brasília. Some-se a isto, a incerteza com relação a legalidade desta prova ainda não periciada, e do que realmente está por trás de tanta sofreguidão para mudança do ocupante do Palácio do Planalto.
Aquela entidade diligente, a OAB, mais do que depressa já está se movimentando neste sentido. Seus expoentes máximos fizeram cara de paisagem e fingiram-se se mortos por longos quatorze anos, ignoraram todas as falcatruas dos nossos barões vermelhos e ficaram inertes diante das mais diversas inconstitucionalidades na última década. Todavia, como num passe de mágica, eis que ressurgiram como Fênix – agora- nossos guardiães da moralidade, da lei e do povo brasileiro.
Temer mostrou uma conduta pouco republicana e merece toda nossa reprovação moral. Ele precisa responder por seus eventuais erros ou crimes. Entretanto, tudo precisa ser feito sob a batuta constitucional, qualquer coisa fora deste mandamento configurará um golpe de Estado.
As perguntas que deveriam ser feitas são as seguintes: a quem interessaria o caos, num momento em que o Brasil precisa de reformas inadiáveis e que sua economia ensaiava sair do buraco negro? A quem interessaria a troca do rito constitucional por um outro rito que colocaria em risco nossa democracia, e poderia contribuir para a volta de figuras nefastas à República? A quem interessaria encobrir fatos graves e destacar seletivamente apenas aqueles que podem render frutos na árvore da impunidade nacional? Em quem confiar neste momento? __Apenas para esta última indagação existe resposta imediata, e ela se chama Constituição Federal.
O povo brasileiro não pode se deixar manobrar por interesses escusos vindos de setores que sempre estiveram contra o desenvolvimento do Brasil, e que lucraram horrores com a corrupção endêmica brasileira, e, que, portanto, sempre apoiaram o projeto autoritário de poder marxista que hoje ameaça voltar. Antes de engrossar o coro de “fora isso, fora aquilo“ reflita sobre estas questões elementares, e exija apenas o cumprimento da lei constante de nossa Carta Magna. Apenas ela deve traçar nosso futuro, e não promessas demagógicas e risíveis, como aquela apresentada ontem pela a viva alma mais honesta deste país, o pai dos pobres, nosso guru-guia; “O PT pode ensinar ao Brasil como acabar com a corrupção“.
E aqueles que não exigirem a observância do rito constitucional estarão dando aval para que o PT e seus quadrilheiros nos “ensinem“ a combater a corrupção no Brasil. Nunca antes na história deste país tivemos tanta massa de manobra que ainda não percebeu o golpe em curso.
Desde a primeira notícia na última semana acerca de inúmeras denúncias envolvendo figurões da nossa política e o alarde bombástico sobre a já costumeira podridão na República, a desconfiança deveria no mínimo acompanhar o cidadão brasileiro.
Tudo está se desenrolando de uma forma muito célere para a velocidade da nossa conhecida justiça pachorrenta, e com isto notamos um atropelo suspeitíssimo, provavelmente doloso, naquilo que sempre defendemos – não por virtudes morais – mas pela simples obediência à lei.
A delação absolutamente atípica dos irmãos matutos JBS, comandada por um ministro da mais alta Corte do país, que possui ligações viscerais com uma turma que necessita desesperadamente livrar a cara de um certo réu na República de Curitiba, e a pressa em se exigir a saída de um presidente ( que não é flor que se cheire, mas o que temos) em virtude da existência de provas frágeis e que não seriam suficientes para derrubar um mosquito na republiqueta da corrupção lulopetista, nos mostram que existe um angu deveras encaroçado em Brasília. Some-se a isto, a incerteza com relação a legalidade desta prova ainda não periciada, e do que realmente está por trás de tanta sofreguidão para mudança do ocupante do Palácio do Planalto.
Aquela entidade diligente, a OAB, mais do que depressa já está se movimentando neste sentido. Seus expoentes máximos fizeram cara de paisagem e fingiram-se se mortos por longos quatorze anos, ignoraram todas as falcatruas dos nossos barões vermelhos e ficaram inertes diante das mais diversas inconstitucionalidades na última década. Todavia, como num passe de mágica, eis que ressurgiram como Fênix – agora- nossos guardiães da moralidade, da lei e do povo brasileiro.
Temer mostrou uma conduta pouco republicana e merece toda nossa reprovação moral. Ele precisa responder por seus eventuais erros ou crimes. Entretanto, tudo precisa ser feito sob a batuta constitucional, qualquer coisa fora deste mandamento configurará um golpe de Estado.
As perguntas que deveriam ser feitas são as seguintes: a quem interessaria o caos, num momento em que o Brasil precisa de reformas inadiáveis e que sua economia ensaiava sair do buraco negro? A quem interessaria a troca do rito constitucional por um outro rito que colocaria em risco nossa democracia, e poderia contribuir para a volta de figuras nefastas à República? A quem interessaria encobrir fatos graves e destacar seletivamente apenas aqueles que podem render frutos na árvore da impunidade nacional? Em quem confiar neste momento? __Apenas para esta última indagação existe resposta imediata, e ela se chama Constituição Federal.
O povo brasileiro não pode se deixar manobrar por interesses escusos vindos de setores que sempre estiveram contra o desenvolvimento do Brasil, e que lucraram horrores com a corrupção endêmica brasileira, e, que, portanto, sempre apoiaram o projeto autoritário de poder marxista que hoje ameaça voltar. Antes de engrossar o coro de “fora isso, fora aquilo“ reflita sobre estas questões elementares, e exija apenas o cumprimento da lei constante de nossa Carta Magna. Apenas ela deve traçar nosso futuro, e não promessas demagógicas e risíveis, como aquela apresentada ontem pela a viva alma mais honesta deste país, o pai dos pobres, nosso guru-guia; “O PT pode ensinar ao Brasil como acabar com a corrupção“.
E aqueles que não exigirem a observância do rito constitucional estarão dando aval para que o PT e seus quadrilheiros nos “ensinem“ a combater a corrupção no Brasil. Nunca antes na história deste país tivemos tanta massa de manobra que ainda não percebeu o golpe em curso.



Marco Antonio Villa x Jair Bolsonaro: debate acontece no Jornal da Manhã


Marco Antonio Villa e Bolsonaro estarão frente a frente nesta terça-feira para discutir o Brasil
Marco Antonio Villa e Jair Bolsonaro estarão frente a frente no Jornal da Manhã desta terça-feira (23), a partir das 9h.
O comentarista Jovem Pan desafiou o deputado do PSC a comparecer aos estúdios da rádio para um debate de ideias e opiniões, e para o Bolsonaro, que se coloca como candidato à presidência do Brasil, discutir o futuro do País.
Bolsonaro aceitou, e o encontro acontecerá nesta terça-feira, a partir das 9h, ao vivo, no Jornal da Manhã. Não perca.
Reveja a fala de Marco Antonio Villa:


PUBLICIDADE

Petistas e peemedebistas vetaram ida de Joesley Batista para depor na Câmara Políticos dos partidos foram bastante ajudados pela J&F


Joesley Batista  (Foto: Eliária Andrade/ Agência o Globo)









Um requerimento na CPI do BNDES pedindo a convocação de Joesley 
Batista foi votado no dia 15 de setembro de 2015. Foi rejeitado por 24
 votos a 9. A maioria dos contrários à presença de Joesley pertencia ao
PT e ao PMDB. Agora é possível entender por quê.

Época.globo

21 de maio de 2017

PASTOR CLAUDIO DUARTE CHORA AO FALAR SOBRE DIREITOS IGUALITÁRIOS COM THAMMY MIRANDA


O convidado se emocionou ao ver injustiças contra a comunidade LGBT

No Programa Raul Gil deste sábado, 20 de maio, o quadro "Elas Querem Saber" recebeu o pastor Claudio Duarte, polêmico religioso que usa o humor e a sinceridade como alimento para seus fiés. Um de seus maiores questionamentos durante a sabatina foi sobre aceitação das tidas "minorias", que o deixou revoltado. Ele se mostrou contra o preconceito e opressão das tais, despertando a curiosidade de Thammy Miranda. Ele acabou se emocionando e fez questão de dar um abraço na entrevistada. Veja abaixo

Ele acabou se emocionando e fez questão de dar um abraço na entrevistada. Veja abaixo:

PT pode ensinar a combater a corrupção", diz Lula





Do UOL, em São Paulo 20/05/2017 - 12h01 > Atualizada 20/05/2017 - 13h57



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou neste sábado (20) durante discurso no evento de posse dos novos integrantes do diretório municipal do PT, em São Bernardo do Campo (SP), que nenhum governo combateu tanto a corrupção como o seu (2003-2010) e que todas as denúncias precisam ser investigadas dentro das regras do Estado democrático de direito.


"Hoje o PT pode ensinar, inclusive, a combater a corrupção. Ninguém na história desse país criou mais mecanismos o para combater a corrupção do que 12 anos de PT no governo. A Polícia Federal é o que é por causa do PT, o Ministério Público é o que é hoje porque na [Assembleia] Constituinte de 1988, companheiros como o [José] Genoíno brigaram pela autonomia do Ministério Público, que antes era um apêndice do Ministério da Justiça", disse em sua primeira manifestação pública após o agravamento da crise política com a divulgação do conteúdo das delações dos executivos da JBS, que envolvem o presidente Michel Temer (PMDB) e o senador Aécio Neves (PSDB), entre outros políticos, inclusive o próprio Lula.


Lula disse que a corrupção precisa ser combatida, mas que é preciso respeitar o Estado democrático de direito. "Nós queremos que a pessoa seja investigada, democraticamente, tenha o direito de defesa e, democraticamente, seja julgada. E vale para o PT, para o PMDB, para os procuradores, para os juízes, vale até para o papa, vale para todo mundo", disse, sem mencionar diretamente as acusações contra Temer, que agravaram a crise política brasileira.
Lula é réu em cinco inquéritos na Operação Lava Jato. No último dia 10, o ex-presidente foi interrogado pelo juiz Sergio Moro, em Curitiba, sobre a acusação de receber propina da OAS. Na última pesquisa Datafolha, divulgada no final de abril, Lula ampliou sua vantagem na liderança da corrida pelo Planalto em 2018. Lula defendeu a saída de Temer do Planalto e a realização de eleições diretas, mesmo que o PT não leve o pleito. "Nós queremos que o Temer saia logo, mas não queremos um presidente eleito indiretamente. Não importa quem for. A gente pode perder, mas se perdemos democraticamente, valeu o jogo. O que não dá para achar é que alguém pode indicar por nós o presidente a presidenta", disse.
Lula afirmou que a candidatura dele vai depender de muitos fatores. "Minha candidatura vai depender de muita coisa, da minha saúde, da Justiça, e do PT", disse.
As eleições direitas para presidência diante de uma eventual saída de Temer foi o principal tema defendido durante todo o evento por outros líderes do PT presentes. Lula chamou os presentes a irem à avenida Paulista, no centro de São Paulo, na tarde deste domingo (21), para protestar pelas Diretas Já. "Todos os que querem Diretas Já precisam ir na Paulista amanhã às 14h. Não comam muito e depois do almoço deem uma saidinha e passem na Paulista. É importante", disse.

Agravamento da crise política

O presidente Michel Temer enfrenta sua mais grave crise no cargo. Já há nove pedidos de impeachment contra ele protocolados na Câmara dos Deputados. Temer também responde, junto com a ex-presidente Dilma Rousseff, a uma ação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que pode resultar na cassação do seu mandato. O julgamento está marcado para o dia 6 dejunho.
Temer foi acusado assentir com a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O caso veio à tona após a divulgação de áudios feitos por um dos donos da JBS, Joesley Batista. Joesley é delator e gravou 38 minutos de conversa com Temer. Nela, eles falam sobre Cunha, que está preso em Curitiba, e Temer toma conhecimento de que o grupo J&F havia infiltrado um procurador da República nas investigações contra o grupo que tramitam na Justiça Federal.
Temer foi acusado pela PGR (Procuradoria-Geral da República) de tentativa de obstrução à Justiça graças ao conteúdo de delações do grupo JBS. Segundo a PGR, o peemedebista teria agido em coordenação com o senador Aécio Neves, suspenso pelo STF (Supremo Tribunal Federal) na quinta-feira (18), para impedir a continuação da operação Lava Jato. Temer nega irregularidades e diz que não vai renunciar. Ele responde a um inquérito aberto no STF.

19 de maio de 2017

Conta-propina de Lula e Dilma no exterior tinha US$ 150 milhões Quem diz é Joesley Batista. Dinheiro foi pago em troca de repasses do BNDES à JBS. e , segundo o empresário, sabiam de tudo

Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (reprodução/Reprodução)


No acordo de delação premiada que fechou com a Operação Lava Jato, o empresário Joesley Batista revela como funcionava o esquema de propinas no BNDES durante os governos petistas de Lula e Dilma Rousseff. Segundo o empresário, o acesso do grupo JBS a aportes bilionários do banco estatal e de fundos de pensão foi comprado à custa de milionárias propinas que tinham Lula e Dilma como destinatários.
O dinheiro sujo era pago, segundo o empresário, para garantir que nenhum pleito do grupo fosse atrapalhado por burocratas do governo. O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega era o responsável por receber os pleitos e negociar a propina devida em cada operação.
Foi por ordem de Mantega que o empresário abriu no exterior duas contas para depositar a propina que, diz ele, era destinada a Lula e Dilma. “Os saldos das contas vinculadas a Lula e Dilma eram formados pelos ajustes sucessivos de propina do esquema BNDES e do esquema-gêmeo, que funcionava no âmbito dos fundos Petros e Funcef. Esses saldos somavam, em 2014, cerca de 150 milhões de dólares”, afirmou Joesley na delação.
Depois de Guido Mantega ter favorecido seu grupo empresarial em negócios no BNDES, Joesley abriu uma conta para depositar a propina devida no negócio. Tempos depois, o empresário teve uma conversa com Mantega na qual ele solicitou que outra conta fosse aberta. Joesley ficou confuso, mas a explicação de Mantega foi reveladora. “Em reunião com Guido Mantega ocorrida no final de 2010, este pediu ao depoente que abrisse uma nova conta, que se destinaria a Dilma. O depoente perguntou se a conta já existente não seria suficiente para os depósitos dos valores a serem provisionados, ao que Guido respondeu que esta era de Lula, fato que só então passou a ser do conhecimento do depoente. O depoente indagou se Lula e Dilma sabiam do esquema e Guido confirmou que sim”, anotaram os procuradores na transcrição do depoimento de Joesley.
“Os pagamentos de propina não se destinavam a garantir a realização de operações ilegais, mas sim evitar que se criassem dificuldades injustificadas para a realização de operações legais”, complementou.
O empresário relatou aos investigadores que foi a partir do período eleitoral de 2014 que o saldo astronômico de propinas reservado aos dois ex-presidentes começou a ser usado. “A partir de julho de 2014, Guido Mantega passou a chamar o depoente quase semanalmente ao Ministério da Fazenda, em Brasília, ou na sede do Banco do Brasil em São Paulo, para reuniões a que só estavam presentes os dois, nas quais lhe apresentou múltiplas listas de políticos e partidos que deveriam receber doações de campanha a partir dos saldos das contas”, disse Joesley.
Joesley teve encontros com Lula e com Dilma Rousseff nos quais discutiu abertamente o emprego da propina escondida no exterior nas campanhas do partido. Com o ex-presidente, numa conversa no Instituto Lula, em outubro de 2014, Joesley relatou a preocupação com o fato de o grupo já ter doado 300 milhões de reais a campanhas petistas. “Não havia plataforma ideológica que explicasse tamanho montante”, ponderou Joesley. Lula, segundo ele, ignorou: “O ex-presidente olhou nos olhos do depoente, mas nada disse”.
Um mês depois, naquele mesmo ano, Joesley encontrou Dilma Rousseff no Palácio do Planalto para tratar de um repasse de 30 milhões de reais para a campanha do petista Fernando Pimentel ao governo de Minas Gerais. Na conversa, o empresário alertou Dilma de que o saldo das contas de propina no exterior seria liquidado a partir da doação. “Dilma confirmou a necessidade e pediu que procurasse Pimentel”, disse.
Joesley contou que Edinho Silva, tesoureiro da campanha de Dilma e depois ministro da petista, se encontrava semanalmente com o executivo Ricardo Saud, diretor de relações institucionais do grupo empresarial, para acertar a distribuição da propina nas campanhas políticas. Os pleitos de Edinho eram levados pelo executivo diretamente a Joesley que, depois de aprová-los com Guido Mantega, liberava o dinheiro. “O ajuste mais amplo consistia em direcionar grande parte do dinheiro para a campanha de Dilma Rousseff, tanto para o PT nacional quanto para os diretórios estaduais do PT. O restante deveria custear a compra dos partidos da coligação, conforme o PT fosse fechando os negócios”, explicou.
A defesa do ex-presidente Lula alega que ele é inocente e que os trechos da delação divulgados pela imprensa já mostram que as afirmações não decorrem de qualquer contato do presidente com o empresário Joesley. Já a defesa da ex-presidente Dilma Rousseff diz que a petista jamais tratou ou solicitou de qualquer empresário ou de terceiros doações, pagamentos e ou financiamentos ilegais para as campanhas eleitorais, tanto em 2010 quanto em 2014.
Confira a nota da defesa de Lula na íntegra:
Verifica-se nos próprios trechos vazados à imprensa que as afirmações de Joesley Batista em relação a Lula não decorrem de qualquer contato com o ex-Presidente, mas sim de supostos diálogos com terceiros, que sequer foram comprovados. A verdade é que a vida de Lula e de seus familiares foi – ilegalmente – devassada pela Operação Lava Jato. Todos os sigilos – bancário, fiscal e contábil – foram levantados e nenhum valor ilícito foi encontrado, evidenciando que Lula é inocente.
Sua inocência também foi confirmada pelo depoimento de mais de uma centena de testemunhas já ouvidas – com o compromisso de dizer a verdade – que jamais confirmaram qualquer acusação contra o ex-Presidente. A referência ao nome de Lula nesse cenário confirma denúncia já feita pela imprensa de que delações premiadas somente são aceitas pelo Ministério Público se fizerem referência – ainda que frivolamente – ao nome do ex-Presidente.
Confira a nota da assessoria da ex-presidente Dilma Rousseff na íntegra:
A propósito das notícias a respeito das delações efetuadas pelo empresário Joesley Batista, a Assessoria de Imprensa da presidenta eleita Dilma Rousseff esclarece que são improcedentes e inverídicas as afirmações do empresário: Dilma Rousseff jamais tratou ou solicitou de qualquer empresário ou de terceiros doações, pagamentos e ou financiamentos ilegais para as campanhas eleitorais, tanto em 2010 quanto em 2014, fosse para si ou quaisquer outros candidatos.
Dilma Rousseff jamais teve contas no exterior. Nunca autorizou, em seu nome ou de terceiros, a abertura de empresas em paraísos fiscais. Reitera que jamais autorizou quaisquer outras pessoas a fazê-lo. Mais uma vez, Dilma Rousseff rejeita delações sem provas ou indícios. A verdade vira à tona.
Assista ao vídeo:

VEJA ABRILhttp://veja.abril.com.br/politica/conta-propina-de-lula-e-dilma-no-exterior-tinha-us-150-milhoes/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...