Pular para o conteúdo principal

Caso de mulher 'possuída' queimada em fogueira em igreja evangélica choca Nicarágua Vilma Trujillo, de 25 anos, sofreu queimaduras em 80% do corpo e morreu no hospital uma semana depois; cinco pessoas foram detidas por participação em suposto ritual de exorcismo.


Cinco pessoas foram detidas sob suspeita de terem participado do episódio que culminou com morte de Vilma Trujillo (Foto: Polícia Nacional da Nicarágua)

 "revelação divina" fez com que uma nicaraguense de 25 anos fosse
 amarrada e queimada viva numa fogueira para ser "curada" em uma
 suposta tentativa de exorcismo.
Vilma Trujillo, que sofreu queimaduras em 80% de seu corpo,
 não resistiu e morreu na terça-feira (28), depois de uma semana
 de agonia.
A morte da jovem comoveu a Nicarágua. De acordo com a Polícia
 Nacional do país, a mulher foi levada para "uma oração de cura",
 no dia 15 de fevereiro, a um templo da igreja evangélica Visão
 Celestial das Assembleias de Deus, em El Cortezal, no noroeste 
do país.
Vilma Trujillo teve os pés e mãos amarrados e ficou sob a supervisão
 do pastor da igreja, identificado por autoridades locais como 
Juan Gregorio Rocha - homem que a Assembleia de Deus nega
 reconhecer como pastor.
Seis dias depois, em 21 de fevereiro, depois da meia-noite, Trujillo foi 
queimada na fogueira.
Segundo a Polícia Nacional, a diaconisa da igreja, Esneyda del 
Socorro Orozco, havia ordenado que "por revelação divina, deveria 
ser feita uma fogueira no pátio do templo para curar a vítima por 
meio do fogo".
Vilma Trujillo teria, então, sido lançada ao fogo com pés e mãos 
amarrados. A jovem sofreu queimaduras de primeiro e segundo
 graus em 80% do corpo e, apesar de ter sido levada a um hospital
 em Manágua, a capital, acabou falecendo.

'Foi bruxaria'

O marido da vítima, Reynaldo Peralta, afirmou que Vilma Trujillo, 
mãe de duas crianças, foi levada à força pelos integrantes da igreja. 
Eles a acusavam de ter tentado atacar pessoas com um facão.
Para Peralta, a mulher não estava "possuída pelo demônio", 
mas havia sido vítima de um ato de "bruxaria".
"Ela tomava um remédio dado por um homem que, pelo que 
fiquei sabendo agora da família dela, a havia estuprado. 
Desde que começou a tomar o remédio, mudou um pouco 
comigo", disse o marido ao jornal "La Prensa".
Em sua defesa, Gregorio Rocha afirmou ao mesmo jornal que 
Trujillo caiu no fogo quando "o espírito do demônio saiu do corpo
 dela". Ele negou que alguém a tenha jogado na fogueira.

Cinco detidos

Até o momento, cinco pessoas já foram detidas por suspeita de
 terem participado do crime, entre eles o pastor Gregório Rocha
 e a diaconisa Esneyda Orozco.
A morte de Vilma Trujillo causou comoção na Nicarágua, onde 
a proporção de católicos vem caindo há 20 anos - hoje são
 menos de 50% da população, enquanto que os evangélicos
 chegam a quase 40%.
O porta-voz da Comissão de Direitos Humanos da Nicarágua, 
Pablo Cuevas, pediu ao governo um controle mais firme dos 
grupos religiosos no país.
"É impressionante que, neste momento, isso aconteça. 
As autoridades precisam avaliar diferentes denominações e 
religiões. Não podemos deixar acontecer coisas como essas",
 afirmou Cuevas.
A vice-presidente da Nicarágua, Rosario Murillo, lamentou a 
morte a morte da jovem e disse que o episódio é "condenável".
"Com certeza reflete uma situação de atraso. É realmente 
lamentável, uma irmã sendo martirizada pelos membros de 
sua comunidade. É algo que não pode, não deve se repetir", 
disse Murillo à mídia local.

G 1

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Descontrolada, Gleisi diz que o juiz Sérgio Moro é 'safado e sem-vergonha'; assista

A senadora Gleisi Hoffmann subiu à tribuna do Senado para defender a tentativa de tirar o ex-presidente Lula da cadeia com um habeas corpus ilegal concedido por um desembargador militante no plantão, contrariando o próprio Tribunal, as cortes superiores, e o CNJ. Descontrolada, Gleisi concentrou seus ataques no juiz Sérgio Moro, que ela chamou de "safado e sem-vergonha". Gleisi ainda garantiu que "O Brasil vai pagar muito caro, a democracia brasileira vai pagar muito caro. E eu tenho certeza de que vamos criar situações muito graves no Brasil ainda de instabilidade, a que nós não vamos conseguir dar direção e saída".



Assista: 

Leia também: